Da anotação – Emmanuel


Evolução e Hereditariedade



Baixar 0.5 Mb.
Página8/16
Encontro21.10.2017
Tamanho0.5 Mb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   16

Evolução e Hereditariedade



Alótrofo: que não é capaz de produzir seu próprio alimento.
Amitóse: divisão celular simples e direta por fragmentação; o núcleo da célula, graças a um estrangulamento cada vez mais profundo, acaba por se dividir em duas partes, freqüentemente desiguais. É fenômeno próprio das células envelhecidas, mas normal em protozoário como a ameba.
Autótrofo: vegetal capaz de produzir seu próprio alimento orgânico, a partir de substâncias simples e de uma fonte de energia, comumente a luz solar.
Bióforo: o menor corpo de matéria capaz de Ter vida, e que pode ser identificado com os grânulos visíveis da cromatina.
Cálculo Diferencial e Integral: parte fundamental da análise matemática, compreendida pelo cálculo infinistesimal, com magnitudes infinitamente pequenas. Foi criado pelo físico, astrônomo e matemático inglês Isaac Newton (1642-1727), e, independentemente deste, pelo filósofo alemão Gottfried Leibniz (1646-1716).
Cariocinese: modo de manipulação das células, por divisão indireta; mitose.
Célula: a menor unidade de função e de organização no conjunto orgânico (nos seres vivos, que apresenta todas as características de vida).
Centro Genésico: centro de força vital responsável pelo funcionamento dos órgãos de reprodução. (Vide Centro Vital: Do Capítulo II – 1.ª parte).
Citoplasma: o protoplasma, massa formadora da célula, excluído o núcleo.
Corpúsculo: partícula diminutíssima de corpo.
Cósmico: relativo ao Cosmo (Universo) e sua propriedade de abranger a contextura de um todo.
Crisálida: analogia com o estado intermediário por que passam certos insetos para se transformarem de lagarta (larva) em borboleta.
Cromatídeo: cada metade de um cromossomo, resultante do processo de divisão celular (mitose).
Cromatína: substância facilmente encontrada no núcleo das células, e que é o elemento principal dos cromossomos.
Cromossomo: cada um dos corpúsculos de cromatina que aparecem no núcleo da célula durante a divisão celular (mitose), os quais contêm os genes.
Diferenciação: processo através do qual as células se especializam para o desempenho de uma dada função, no organismo em formação.
Eletromagnetismo: que apresenta o efeito de interação entre carga elétrica e campo magnético.
Endomitótico: relativo à endomitose, divisão celular em que os cromossomos se dividem sem a divisão do núcleo, ao contrário da mitose normal.
Finalista: referente ao finalismo, sistema filosófico segundo o qual tudo tem um fim determinado.
Fisiológico: relativo ao funcionamento do organismo.
Fisiopsicossomático: que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo físico e do corpo psicossomático, sendo este o psicossoma (corpo espiritual ou perispírito)
Flagelado: animal unicelular (uma só célula) que possui filamentos móveis com função de órgãos locomotores, denominados flagelos.
Gameta: célula sexual ou germinal dos seres vivos, encarregado da reprodução mediante fecundação.
Gene: partícula cromossômica pela qual se transmitem os caracteres hereditários. Cromossomo é uma estrutura presente no núcleo da célula, facilmente corável.
Genética: ramo da Biologia que estuda as leis da transmissão dos caracteres hereditários, e as propriedades dos genes.
Glúcide: nome genérico dos carboidratos e dos glicosidos empregados como alimento. Carboidratos são os açucares presentes nos organismos animais e vegetais; glicosidos são substâncias capazes de ser decompostas em glicose (açúcar) e outra substância.
Grânulo: pequeno grão; pequeno corpo arredondado.
Leptotênio: um estágio na primeira fase da meiose, que é a divisão celular com produção de gametas (células sexuais)
Metabolismo: conjunto dos fenômenos químicos e físico-químicos no organismo, através dos quais se faz a assimilação e a desassimilação das substâncias necessárias à vida.
Metamorfose: mudança de forma ou de estrutura, como a que ocorre durante as fases da vida de alguns animais, como os insetos e anfíbios. Pode ser completa (integral) ou incompleta. A completa ocorre nos insetos que, entre o estado larval e o definitivo, apresentam o estado de pupa; a incompleta ocorre nos insetos em que as diferenças entre a larva e a forma definitiva não são muito evidentes.
Metazoário: animal de corpo constituído por numerosas células, em geral formando tecidos especializados. É o grupo de todos os animais pluricelulares.
Mitose: divisão celular em que o núcleo forma cromossomos, e estes se bipartem produzindo dois núcleos com o mesmo patrimônio original.
Mônada: organismo muito simples, que se poderia tomar por uma unidade orgânica; qualquer organismo unicelular.
Núcleo da Célula: é a parte essencial da célula, que contém os cromossomos, portadores dos genes.
Nucleoproteína: proteína que figura entre os constituintes fundamentais do núcleo da célula, e se localiza principalmente na cromatina.
Orgânulo: minúsculo órgão presente tanto na célula vegetal como na animal, denominado orgânulo celular.
Osmótico: que se relaciona com a osmose, processo em que se dá o transporte de uma solução através de tecido ou membrana semipermeáveis.
Paquitênio: um estágio, na meiose (divisão celular), em que os filamentos cromossômicos encurtam-se e engrossam-se formando pares longitudinalmente. A meiose, ao contrário da mitose, resulta na divisão do número de cromossomos à metade, como prólogo para a reprodução sexual, uma vez que o número de cromossomos duplicaria, se tal não ocorresse, ao verificar-se a fecundação.
Paraplasma: parte do conteúdo da célula, que consiste de materiais inertes, como certos carboidratos (açúcares).
Plasmar: dar forma a algo.
Prófase: a primeira fase da divisão celular indireta (mitose)
Pronúcleo: núcleo da célula germinal (gameta) após conclusão da maturação e ingresso do espermatozóide no óvulo.
Protoforma: primeira forma, forma primitiva.
Protoplasma: substância gelatinosa que constitui a massa essencial da célula animal ou vegetal, sendo a base das funções vitais.
Protozoário: designação dos animais unicelulares (uma só célula), que constituem um grande sub-reino, tendo-se como representante a ameba.
Psicossomático: que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo físico e do psicossoma (corpo espiritual ou perispírito).
Reflexo Condicionado: reflexo adquirido pela reação a certo estimulo, e que passa a repetir-se sempre que se reproduz o estímulo.
Sistema Nervoso: constitui o mecanismo que permite ao animal um contato permanente com o meio. No homem, como nos animais vertebrados, o sistema nervoso compreende o sistema central e o sistema periférico. O sistema central é constituído do eixo cérebro-espinhal, formado pelo encéfalo (parte contida na cavidade do crânio) e a medula espinhal.
Telófase: quarta e última fase da divisão celular indireta (mitose).
Vacúolo: pequena cavidade na massa do protoplasma, com as funções de armazenamento e excreção.

Capítulo VIII – 1ª parte



Evolução e Metabolismo
Ácido Málico: ácido encontrado em quase todos os frutos.
Ácido Sulfúrico: líquido viscoso, incolor, corrosivo, denso, enérgico desidratante e muito forte, que tem aplicações variadas.
Adenosina Trifosfatase: principal substância que provoca liberação de energia para as células.
Adrenalina: hormônio secretado pelas glândulas supr-renais, o qual é o mediador químico do sistema nervoso simpático. É geralmente liberado em grandes quantidades após forte reações emocionais. Sua liberação na circulação produz hipertensão, aumento dos batimentos cardíacos, aceleração da freqüência respiratória e efeitos metabólicos, tais como, o aumento da taxa de glicose (açúcar) no sangue.
Albuminóide: da natureza da albumina, denominação comum a todas as proteínas solúveis em água e coaguláveis por aquecimento, como a clara de ovo.
Amoníaco: gás incolor, sintetizado (formado) com base no nitrogênio e no hidrogênio. O nitrogênio é um elemento gasoso, altamente inflamável, sendo o mais leve de todos os gases, e o elemento mais abundante no Universo.
Anticorpo: qualquer substância produzida pelo organismo como a reação a substâncias estranhas que nele penetram, sendo a sua função, portanto, a de mecanismo de defesa do organismo.
Assimilação Clorofiliana: é a assimilação, isto é, transformação de substâncias alheias em sua própria substância, realizada pelas plantas verdes (autótrofas).
Autótrofo: relativo a vegetal capaz de produzir seu próprio alimento orgânico, a partir de substâncias simples e de uma fonte de energia, comumente a luz solar.
Bactéria: designação de organismos microscópicos, unicelulares (uma só célula), de numerosas espécies, que se reproduzem por cissiparidade (divisão transversal), havendo as bactérias essenciais ao sustento da vida, e as patogênias (geram doenças).
Biológico: relativo ao desenvolvimento e às condições de vida dos seres vivos.
Biossíntese: síntese (formação) de substâncias orgânicas nos seres vivos.
Catalase: enzima solúvel que se caracteriza pela propriedade de decompor a águas oxigenada.
Catálise: processo pelo qual a velocidade de uma reação é influenciada por uma substância sem que esta seja quimicamente modificada.
Célula: a menor unidade de função e de organização capaz, por si mesma, de multiplicação e de relação, que apresenta todas as características de vida.
Centro Vital: designação comum de cada um dos centro de força existentes no corpo espiritual, cuja função é a de assimilar energias cósmicas e espirituais. (Vide Centro Vital: Do Capítulo II – 1.ª Parte).
Citoplasma: o protoplasma, massa formadora da célula, excluído o núcleo.
Cofermento: um componente das enzimas.
Cosmo: o Universo, a contextura de um todo.
Crisálida: analogia com o estado intermediário por que passam certos insetos para se transformarem de lagarta (larva) em borboleta.
Cutícula: fina camada que recobre externamente a epiderme do caule primário e das folhas do vegetal, que contém uma substância denominada cutina.
Desassimilação: degradação de compostos ricos em energia, sendo que o fenômeno realizado por oxidação, nos organismos, é o mais importante para obtenção da energia indispensável aos processos vitais.
Diástase: fenômeno produzido por células vivas, por seres vivos microscópicos ou por glândulas, e que decompõem os alimentos ou a matéria orgânica.
Eletromagnético: que apresenta o efeito de interação entre carga elétrica e campo magnético.
Endógeno: originado no interior do organismo, ou por fatores internos.
Endotérmico: referente as reações químicas que se verificam com a absorção de calor, e aos corpos cuja decomposição produz desprendimento de calor.
Enzima: denominação de substâncias protéicas que atuam no organismo como agentes catalisadores (desencadeiam reações) nos processos metabólicos, transformando a energia de ativação necessária para cada reação, tornando esta possível ou mais rápida; fermento.
Epilepsia: doença nervosa, com manifestações ocasionais, súbitas e rápidas, sobretudo convulsões e distúrbios da consciência relacionados com uma disritimia cerebral.
Equinodermo: animal do grupo que compreende os invertebrados exclusivamente os marinhos de simetria radiada. São as estrelas-do-mar e os ourisos-do-mar.
Esquizofrenia: psicose que se caracteriza por distúrbios de afetividade, delírios, impulsos anormais, alucinações, degeneração da sensibilidade, excentricidades e introversão.
Estômato: pequena abertura na epiderme das plantas superiores, e que tem função de regular o intercâmbio de gases com a atmosfera, bem como eliminar a água.
Exôgeno: que se origina fora do organismo, ou por fatores externos.
Fermento: substância capaz de provocar trocas químicas, principalmente fermentação, sem nada ceder de sua própria matéria ao produto que sofreu a sua ação; enzima.
Ferrobactéria: bactéria capaz de acumular óxido de ferro (ferrugem). Muitas jazidas de ferro foram formadas por ação dessas bactérias.
Feto: nome comum a diversas plantas criptogâmicas, que são aquelas com órgãos reprodutivos imperceptíveis a olho nu.
Fisiológico: relativo ao funcionamento do organismo.
Foliculina: hormônio segregado pelo folículo ovariano, e que provoca a hipertrofia da mucosa uterina antes da ovulação.
Fotossíntese: processo básico de alimentação dos vegetais, através da síntese (formação) de substâncias orgânicas, com a fixação do gás carbônico do ar pela ação da luz solar e a participação da clorofila.
Gás Carbônico: anidrido Carbônico, gás pesado desprovido de odor, não tóxico, porem asfixiante. Existe no ar num proporção de 0,03%. É alimento indispensável para os vegetais, sendo eliminado pelos seres vivos como resultado da respiração celular.
Glúcide: nome genérico dos carboidratos e dos glicosidos empregados como alimento. Carboidratos são os açucares presentes nos organismos animais e vegetais; glicosidos são substâncias capazes de ser decompostas em glicose (açúcar) e outra substância.
Gonadotrópico: referente a hormônio relacionado com a influência das glândulas sexuais ou gônadas.
Hidrolizante: capaz de provocar hidrólise, desdobramento de um composto químico pela ação da água.
Hormônio: substância produzida pela atividade das glândulas de secreção interna (endócrinas), ou pela atividade de tecidos de secreção interna. É eliminado, em parte, no sangue ou na linfa, e, em parte, nos tecidos. Atua sobre as funções orgânicas como excitante ou como regularizador.
Imunológico: que se relaciona com os fenômenos da imunidade, isto é, das barreiras contra as infecções e a ação das substâncias patogênicas no organismo.
Insulina: hormônio secretado pelo pâncreas, como importante função no metabolismo dos açúcares, pelo organismo, e no controle da taxe de glicemia no sangue (presença de glicose).
Lenticela: pequena abertura na casca dos vegetais, que permite as trocas gasosas, formada de células com aspecto de cortiça.
Lípide: lipídio, grupo de substâncias graxas que possuem propriedades análogas às gorduras e óleos animais ou vegetais.
Luteína: substância responsável pela pigmentação amarela da gema do ovo.
Magnetoeletroquímico: relativo as influências magnéticas e elétricas na formação química de uma substância.
Metabolismo: conjunto dos fenômenos químicos e físico-químicos no organismo, através dos quais se faz a assimilação e a desassimilação das substâncias necessárias à vida.
Miosina: substância protéica do tecido muscular, a qual contribui no mecanismo de contração e relaxamento dos músculos, e cuja a formação é causa da rigidez cadavérica.
Mitocôndrio: corpúsculo presente nas células, no qual se efetuam processos respiratórios e metabolismo dos ácidos graxos. Nas células com capacidade energética, como as musculares e as nervosas, o número de mitocôndrias é elevado.
Molecular: relativo à molécula, partícula que se constitui da menor porção de uma substância, capaz de existência independente sem perda das suas propriedades químicas.
Nitrito: qualquer sal do ácido nitroso (que contém nitrato de potássio).
Nitorbactéria: bactéria aeróbica do solo, responsável pela nitrificação do solo. A bactéria aeróbica é um microrganismo que vive do oxigênio retirado do ar.
Oxidação: aumento do conteúdo de oxigênio em um composto.
Óxido Ferroso: combinação de oxigênio e ferro; resultado da oxidação do ferro pelo seu contato com o oxigênio do ar.
Oxigênio: elemento gasoso, incolor e inodoro, não combustível, mas comburente (alimenta combustão), indispensável para a vida. É o elemento mais espalhado sobre a Terra; integra 89% do peso da água e ocupa 21% do volume do ar.
Núcleo Nervoso: denominação de grupos de células nervosas situadas no cérebros e na medula espinhal; ponto de origem ou terminação dos nervos cranianos (pares cranianos).
Para-hormônios: substância que atua como hormônio, porém é de natureza não-específica, como o dióxido de carbono em seus efeitos sobre o centro respiratório cerebral.
Pepsina: enzima do suco gástrico capas de hidrolisar (decompor) proteínas.
Plasmar: dar forma a algo.
Pneumatódio: elemento que participa como órgão de função respiratória, nos vegetais.
Protease: enzima proteolítica, isto é, capaz de separar proteínas, transformando-as em outras substâncias.
Prótide: protídio, proteína.
Psicossomático: que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo físico e do psicossoma (corpo espiritual ou perispírito).
Quimiossintese: síntese (formação) de substâncias orgânicas, a partir de inorgânicas, realizada por bactérias sem o concurso da luz solar, mas com o uso da energia resultante de um processo químico.
Quimiotactismo: propriedade de atração ou repulsão do protoplasma (massa celular) em relação a certas substâncias sobre os seres vivos. Ex.: os espermatozóides quando caminham em direção ao óvulo.
Quimiotropismo: reação de aproximação ou afastamento de um organismo, em relação á fonte de um estímulo que opera sob a ação exercida por certas substâncias químicas.
Secreção Interna: secreção das Glândulas endócrinas, isto é, as que liberam os seus produtos diretamente no sangue ou na linfa. Ex.: secreção da hipófise e das supra-renais.
Secretina: hormônio emitido em meio ácido pela mucosa do duodeno e transmitido por via sangüínea ao pâncreas, no qual provoca a emissão do suco pancreático, suco este lançado no próprio duodeno.
Sulfobactéria: bactéria que possui o poder de acumular enxofre em seu protoplasma. É comum nas fontes termais.
Tiroxina: hormônio da glândula tiróide, o qual é imprescindível para o crescimento e para regular o metabolismo.
Transubstanciar: transformar em outra substância. Transformar uma coisa em outra.
Vitamina: designação dos compostos orgânicos dos reinos animal e vegetal, que atuam em pequeníssimas quantidades, favorecendo o metabolismo, servindo como base para os mais importantes fermentos, influindo sobre os hormônios, etc. A vitamina, portanto, não constitui alimento propriamente dito, mas uma substância de ação catalítica (desencadeia reações) indispensável ao organismo. Essa atividade biocatalítica se baseia no fato de que a vitamina forma parte de uma coenzima (componentes da enzima).
Zímase: enzima (fermento solúvel) produzida pela levedura, a qual é capaz de promover a fermentação alcoólica.

Capítulo IX – 1ª parte



Evolução e Cérebro
Aferente: no sistema nervoso, classe de fibras nervosas que conduzem o impulso dos órgãos sensoriais para o sistema nervoso central.
Anfíbio: animal vertebrado, de pele nua, glandular, sempre umedecido, sem escamas. Historicamente, constitui a forma de transição entre vertebrados aquáticos (peixes) e os vertebrados terrestre (répteis). Pertencem a este grupo os batráquios e as salamandras.
Aparelho de Golgi: uma estrutura interior da célula ou grupo de estrutura no citoplasma, do qual se diferencia por uma pigmentação especial. Tem função de secreção.
Aqueduto de Sylvius: um canal que liga o terceiro e quarto ventrículos cerebrais, sendo ventrículo as quatro cavidades no âmago do cérebro.
Arco Reflexo: trajeto percorrido por um impulso nervoso, em uma reação reflexa, desde o ponto em que se da o estímulo até um músculo ou glândula ativados pelo impulso, em que se completa o circuito.
Bulbo: o bulbo raquiano, parte do eixo cérebro espinhal, entre a medula e cérebro.
Célula: a menor unidade de função e de organização capaz, por si mesma, de multiplicação e de relação, que apresenta todas as características de vida.
Célula Basal: célula da camada inferior do epitélio, situada na membrana basal, que delicada membrana composta de uma única camada de células planas.
Célula Epitelial: Célula que compõe o epitélio.
Célula Gustativa: célula que constitui o corpúsculo gustativo, especializada na percepção do paladar.
Célula Nervosa: célula constituída de um corpo central, contendo o núcleo, e de vários prolongamentos, que constituem as fibras nervosas; neurônios.
Célula Olfativa: célula que compõe a mucosa olfativa, no interior nasal, especializada na percepção do odor.
Centro Cerebral: centro de força vital, no perispírito; relacionada com os lobos frontais do cérebro e hipófise (pituitária), no corpo físico; exerce influência decisiva sobre os demais centros de força vital, sendo responsável pelo funcionamento do sistema nervoso central e dos centros superiores do processo intelectivo. (vide centro vital: do Capítulo II – 1.ª parte).
Centro Coronário: centro de força vital, no perispírito, relacionado com a epífise (glândula pineal), no corpo físico; supervisiona todos os demais centro de força vital, porque recebe em primeiro lugar os estímulos do espírito. (vide centro vital: Do Capítulo II – 1.ª parte).
Centro Nervoso: conjunto de nervos centrais do encéfalo com funções unitárias.
Cerebelo: parte do encéfalo que ocupa a posição póstero-inferior do crânio; atua na conservação do equilíbrio do corpo e na atividade sexual.
Cérebro: parte principal do sistema nervoso, na qual as sensações se transformam em percepções, e onde são elaboradas e ativadas as idéias, representações e impressões espirituais externas. O cérebro é o instrumento essencial das funções motoras e espirituais; está unida ao cerebelo pelo mesencéfalo e medula oblonga (parte superior da medula), centro de regulação circulatória e respiratória que segue pela medula espinhal.
Circuito Reflexo: trajeto percorrido por uma energia, de maneira análoga ao trajeto de um impulso nervoso no arco reflexo.
Circunvolução Cerebral: saliência sinuosa na superfície do cérebro.
Citoplasma: o protoplasma, massa formadora da célula, excluído o núcleo.
Consciência Fragmentária: consciência intermitente ou descontínua, própria dos animais inferiores.
Corpúsculo: partícula diminutíssima de corpo.
Corpúsculo Gustativo: corpúsculo localizado no tecido que reveste a mucosa das papilas gustativas situadas na língua, contendo as células especializadas na percepção dos sabores básicos: salgado, doce, azedo e amargo.
Corpúsculo de Nissl: formações protéicas encontradas no citoplasma da célula nervosa.
Córtex: córtice, camada externa dos órgãos, de estrutura mais ou menos arredondada.
Cósmico: relativo ao Cosmo (Universo) e sua propriedade de abranger a contextura de um todo.
Cromatina: substância facilmente corável encontrada no núcleo da célula, e que é o elemento principal dos cromossomos.
Cromotólise: Desintegração da substância cromófila (afinidade por materiais corantes) de uma célula.
Dendrito: prolongamento de um neurônio, destinado a receber e transmitir o estimulo nervoso.
Diencéfalo: parte do cérebro situada entre o procencéfalo (porção anterior do cérebro) e mesencéfalo (porção mediana do cérebro).
Dióptrico: relativo aos efeitos de refração da luz, e, em óptica, a medida de convergência de uma lente.
Ectoderma: camada externa do embrião animal a partir do qual se formarão o tecido nervoso, a epiderme e seus derivados, tais como as glândulas cutâneas, pêlos, etc.
Eferente: relativo a fibra nervosa que conduz a ordem motora do sistema nervoso central para um órgão responsável pela resposta ao impulso sensorial, denominado órgão efetor.
Eletromagnético: que apresenta o efeito de interação entre carga elétrica e campo magnético.
Encéfalo: parte do sistema nervoso central contida na cavidade do crânio, e que abrange o cérebro, o cerebelo, a protuberância e o bulbo raquiano. É a região de centralização dos nervos que percorrem o corpo.
Epífise: corpúsculo oval situado no cérebro por cima e atrás das camadas ópticas, e ao qual se atribuem funções endócrinas (secreção interna) pouco conhecidas. Sua eliminação ou destruição determina maturidade sexual muito precoce. É também conhecida como glândula pineal.
Epiglote: válvula que fecha a glote (abertura da laringe) no momento da deglutição.
Epitélio: camada celular que reveste todos as superfícies (peles e mucosas) externas e internas do corpo.
Faringe: cavidade muscolomembranosa que se estende da abertura posterior das fossas nasais e da parte posterior da boca ao estômago, sendo este o canal que comunica a faringe com o estômago.
Fibra Nervosa: cada uma das estruturas alongadas que, dispostas em feixes, constituem os nervos.
Fibra Pós-ganglionar: prolongamento de uma célula nervosa cujo o corpo se situa dentro do gânglio (centro de conexão) do sistema nervoso vegetativo.
Fibra Pré-ganglionar: fibra nervosa eferente que sai do corpo de uma célula no sistema nervoso central, e que determina em gânglio (centro de conexão) do sistema nervoso vegetativo).
Fisiológico: relativo ao corpo, considerando-se as funções orgânicas.
Fisiopsicossomático: que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo e do psicossoma (corpo espiritual ou perispírito).
Fisiopsíquico: que abrange ao mesmo tempo o campo físico e o psíquico.
Fulcro: ponto ou base de sustentação; pivô de rotação.
Girencefalia: característica dos cérebros com circunvoluções, o que possibilita uma maior área cortical (de córtex). Ex.: cérebro dos primatas.
Girencéfalo: que tem os hemisférios cerebrais com circunvoluções bem acentuadas.
Glândula de Bowman: glândula localizada na região da mucosa olfativa, no interior nasal.
Hemisfério Cerebral: cada uma das duas metades em que o cérebro está dividido por uma fenda longitudinal.
Inervação: modo de distribuição dos nervos nas diversas partes do organismo.
Infundíbulo: saliência cônica de matéria cinzenta, à qual está vinculado o corpo da pituitária, glândula situada sob a face inferior do cérebro, também conhecidas como hipófise.
Intersegmentar: que ocorre entre as divisões, denominadas segmentos, dos membros articulados dos artrópodes, animais a cujo grupo pertence o caranguejo.
Invaginação: desdobramento, para a região interna, do tecido embrionário (ectoderma).
Lacertídeo: designação dos animais pertencentes ao grupo dos sáurios (lagarto).
Lissencefalia: condição de cérebro sem circunvolução, o que resulta em pequena área cortical (córtex).
Lissencéfalo: que tem cérebro liso, sem circunvolução.
Lobo Cerebral: parte da superfície cerebral demarcada por uma fenda formando uma saliência (lobo).
Mamífero: designação dos animais vertebrados de corpo provido de pêlos e que possuem glândulas mamárias.
Melanina: pigmento escuro existente na pele, nos pêlos, na retina e na coróide (membrana conjuntiva do olho). Tem função protetora contra as radiações solares.
Mesencéfalo: porção mediana do cérebro, resultante da evolução da vesícula média do embrião.
Microcosmo: mundo das coisas pequenas, por oposição ao mundo das coisas grandes (macrocosmo).
Miotático: que atua no movimento de contração do músculo.
Mitocôndrio: corpúsculo presente nas células, no qual se efetuam processos respiratórios e metabolismo dos ácidos graxos. Nas células com capacidade energética, como as musculares e as nervosas, o número de mitocôndrias é elevado.
Morfológico: referente às características da forma.
Neurofibrila: diminuto elemento da fibra nervosa, cuja a função ainda não foi devidamente esclarecida pela ciência.
Neurônio: a célula nervosa com seus prolongamentos chamados dendritos, que formam uma espécie de arborização, e, no pólo oposto, um só prolongamento, diferente, denominado axônio ou cilindro-eixo, que termina em finas ramificações. O estimulo nervoso passa do axônio de um neurônio para os dendritos de outro, e esse ponto de transmissão da excitação tem o nome de sinapse.
Núcleo da Célula: parte essencial da célula, limitada por uma membrana que contém o suco nuclear, a cromatina e os cromossomos, portadores dos genes (pelos quais se assegura a transmissão da maior parte dos caracteres hereditários).
Núcleo Nervoso: denominação de grupos de células nervosas situadas no cérebros e na medula espinhal; ponto de origem ou terminação dos nervos cranianos (pares cranianos).
Nucléolo: pequeno corpúsculo no interior do núcleo das células, cuja a constituição difere da desse núcleo.
Órgão de Corti: órgão constituído de células auditivas, e que capta as ondas sonoras.
Ornitorrinco: animal mamífero, com bico de pato, um só orifício urogenital, e osso caracóide. É ovíparo, constituindo uma forma de transição entre répteis e mamíferos. Habita a região zoogeográfica australiana.
Ouvido Externo: região que ocupa o pavilhão da orelha e o conduto auditivo externo, isolado do ouvido médio pela membrana timpânica.
Ouvido Interno: conjunto de cavidades sinuosas entre o tímpano e o canal auditivo interno, e que constitui o labirinto.
Ouvido Médio: conjunto que abrange a membrana timpânica, a caixa do tímpano, as cavidades mastóide (região póstero-inferior) e a trompa de Eustáquio, que dá passagem do ar da faringe para dentro do ouvido.
Parassimpático: relativo a uma das partes do sistema nervoso autônomo. As fibras nervosas parassimpáticas retardam os batimentos cardíacos, contraem a pupila, aumentam as secreções digestivas e aceleram os movimentos peristálticos (dos músculos interiores dos órgãos ocos).
Paraventricular: referente ao grupo de células nervosas situadas nas adjacências dos ventrículos cerebrais.
Pares Cranianos: os doze pares de nervos cranianos, ligados ao encéfalo. Estão distribuidos pelas partes e órgãos da cabeça, alguns sensoariais, alguns motores, e outros mistos.
Parietal: referente a região dos dois ossos que formam as paredes súpero-laterais do crânio.
Pigmento: substância que dá coloração a outras substâncias que a contém.
Pineal: relativo a glândula pineal ou epífise.
Plasmar: dar forma a algo.
Postural: que se relaciona com as diversas posições assumidas pelo corpo.
Primata: espécime dos primatas, mamíferos, na sua maioria adaptadas à vida arborícola, de membros muito desenvolvidos, polegares opostos, cinco dedos, em geral com unhas achatadas, e duas tetas na região peitoral. São os macacos, os antropóides e o homem.
Prosencéfalo: porção anterior do cérebro, resultante da evolução da vesícula anterior do embrião.
Protoplasma: substância gelatinosa que constitui a massa celular, sendo a base das funções vitais.
Protuberância: a protuberância anular, órgão situado na parte inferior do encéfalo, adiante do bulbo e atrás dos pedúnculos cerebrais (feixe de fibras nervosas que fazem ligação com a medula).
Psicossoma: corpo espiritual ou perispírito.
Reflexão: ato em virtude do qual o pensamento se volta sobre si mesmo e toma seus próprios atos como objeto de conhecimento.
Reflexo: movimento coordenado mais simples que se pode executar, produzido por um impulso nervoso, como reação automática e involuntária a um estimulo exterior.
Reflexo Condicionado: reflexo adquirido pela reação a certo estímulo, e que passa a repetir-se sempre que se reproduz o estímulo.
Réptil: espécime de répteis, animais vertebrados de sangue frio, respiração pulmonar, ovíparos. São os lagartos, jacarés, cobras e tartarugas.
Retina: membrana interna do globo ocular, sensível à luz, e diretamente relacionada ao nervo óptico, sendo assim, o instrumento essencial da visão.
Rincocéfalo: grupos de répteis fósseis de que ainda existe uma espécie na Nova Zelândia, a tuatara, e que têm corpo escamado granuloso, costela abdominais, possuindo um olho vestigial no alto da cabeça, o olho pineal, ligado à epífise.
Rombencéfalo: porção posterior do cérebro, resultante da evolução da vesícula posterior do embrião.
Sacro: que se realiza na região do osso sacro, ou na medula sacra. O osso sacro está situado na parte posterior da bacia, na continuação da coluna vertebral.
Segmentar: que ocorre em uma divisão, denominada segmento, do membro articulado dos artrópodes, animais a cujo o grupo pertence o caranguejo.
Simbiose: associação de dois seres de espécie distinta, com influência de um sobre o outro, ou de ambos entre si, podendo, essas relações, ser úteis ou prejudiciais às duas partes, favorável ou nocivas para uma delas apenas.
Simpático: parte do sistema nervoso autônomo, que regula a atividade da musculatura cardíaca, da musculatura lisa e de várias glândulas.
Sistema Nervoso: constitui o mecanismo que permite ao animal um contato permanente com o meio. No homem, como nos animais vertebrados, o sistema nervoso compreende o sistema central e o sistema periférico.
Sistema Nervoso Autônomo: também conhecido como sistema nervoso vegetativo, é o que regula, independentemente da vontade, as funções orgânicas, tais como, a atividade cardíaca, a distribuição do sangue pelo corpo, os processos digestivos, a secreção das glândulas, e a dilatação da pupila. É constituído por dois sistemas de atuação antagônica: o simpático e o parassimpático.
Sistema Nervoso Central: é o sistema constituído do eixo cérebro-espinhal, formado pelo encéfalo e a medula espinhal.
Somático: referente ao corpo físico.
Supra-óptico: referente ao núcleo nervoso constituído pelo grupo de células situadas por cima das camadas ópticas do cérebro.
Tectobulbar: que se localiza na região superior do bulbo raquiano.
Tessitura: contextura, organização.
Tubo Coclear: tubo da Cóclea, sendo esta a parte anterior do labirinto ou ouvido interno.
Vegetativo: relativo a situação do sistema nervoso autônomo ou vegetativo (funciona involuntária e inconscientemente).
Vertebrado: animal com esqueleto ósseo ou cartilaginoso, e com a coluna vertebral dividida em vértebras, sendo estas os ossos que formam a espinha dorsal.
Vesícula Cerebral: cada uma das três divisões ou dilatações que demarcam o cérebro em desenvolvimento dos vertebrados, e que, por sua localização, pode ser denominada de anterior, média ou posterior.
Véu do Paladar: septo (divisória) musculomembranosa que se segue ao paladar (céu da boca) e separa a boca das fossas nasais.
Vibração: oscilação ou movimento periódico de um corpo que passa pelas mesmas posições em iguais intervalos de tempo (período). O numero de vibrações por unidade de tempo é freqüência. As oscilações que se propagam no espaço e no tempo recebem o nome de ondas. O atuar na mesma faixa de vibrações significa atuar na mesma faixa de freqüência.
Víscera: designação comum dos órgãos alojados nas cavidades cranianas, na torácica e na abdominal.

Capitulo X – 1ª parte



Palavra e Responsabilidade
Apófise: eminência ou saliência em uma parte do organismo.
Ari-aritenóide: referente a um músculo ímpar da laringe, que atua sobre as cartilagens cricóide e tireóide.
Aritenóide: cada uma das duas cartilagens a que estão ligadas as cordas vocais, e que estão situadas na parte posterior e superior da laringe.
Batráquio: anfíbio anuro (desprovido de cauda), cabeça fundida ao corpo, membros locomotores posteriores mais desenvolvidos; são os sapos, rãs e pererecas.
Cartilagem: tecido branco ou cinzento, de consistência menos dura a do tecido ósseo.
Coaxar: o som produzido pelos sapos e pelas rãs.
Consciência Fragmentária: consciência intermitente ou descontínua, própria dos animais inferiores.
Corda Vocal Falsa: cada um dos dois ligamentos superiores, no interior da laringe, que não influem na fonação
Corda Vocal Verdadeira: cada um dos dois ligamentos inferiores, no interior da laringe, cuja vibração produz a voz.
Cricóide: cartilagem que constitui a parte inferior da laringe, onde forma uma espécie de anel, e com a qual se articula a cartilagem aritenóide.
Crisálida: analogia com o estado intermediário por que passa certos insetos para se transformarem de lagarta (larva) em borboleta.
Diedro: relativo ao ângulo formado pelo encontro de dois planos.
Faringe: cavidade musculomembranosa que se estende da abertura posterior das fossas nasais e da parte posterior da boca ao esôfago, sendo este o canal que comunica a faringe com o estômago.
Fluídico-eletromagnético: relativo a elemento fluídico com propriedade eletromagnética (com efeito de interação entre carga elétrica e campo magnético).
Fonação: produção fisiológica da voz.
Fonema: conjunto das articulações produzidas pelo órgão vocal.
Glote Vocal: glote é a abertura da laringe, circunscrita pela cordas vocais inferiores (verdadeiras); é vocal porque as cordas vocais vibram graças ao ar expelido, e, abrindo e fechando a glote, produzem a voz.
Hióde: pequeno osso entre a laringe e a base da língua, o único que não se articula com qualquer outro osso.
Idéia Fragmento: lampejo de idéia rudimentar que ocorre na fase de desenvolvimento da consciência.
Idéia Relâmpago: o mesmo que “Idéia Fragmento”.
Infraprimitivo: referente a organismo em começo de evolução. O que se encontra em estágio de evolução abaixo do que se considera primitivo.
Laringe: parte superior modificada da traquéia e órgão essencial da fonação.
Ligamento: tecido de consistência resistente, porém flexível, que, em si, constitui órgão, ou serve para ligar órgãos contíguos.
Metamorfose: Mudança de forma ou de estrutura.
Mimetismo: fenômeno ocorrido com certos animais ao tomarem a configuração ou a cor dos objetos ou outros animais em cujo meio vivem, como forma de defesa ou agressão.
Mucosa Ciliada: mucosa é a membrana que reveste as cavidades do organismo e secreta muco; é ciliada por apresentar filamentos finíssimos (cílios vibráteis).
Paleolítico: período do pleistoceno (quartenário), caracterizado pelo aparecimento dos mais antigos fósseis humanos. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Pensamento Contínuo: pensamento constante, ininterrupto, que caracteriza a capacidade mental do homem, em oposição ao pensamento fragmentário (descontínuo), próprio dos animais irracionais.
Pomo-de-adão: a saliência do corpo hióide, na parte anterior do pescoço, formada pela cartilagem tireóide.
Réptil: espécime dos répteis, animais vertebrados de sangue frio, respiração pulmonar, ovíparos. São os lagartos, jacarés, cobras e tartarugas.
Silvo: som agudo e relativamente prolongado produzido por certos animais, como o assobio de serpentes.
Sinalética: processo de fazer-se uma descrição por meio de sinais característicos.
Supraglótico: que se situa acima da glote.
Tireóide: Cartilagem situada na parte anterior e superior da laringe.
Traquéia: canal que comunica a laringe com os brônquios, e dá passagem ao ar durante a inspiração e expiração.
Ventrículo de Morgagni: cavidade ou bolsa de cada lado da laringe, entre as corda vocais falsas (acima) e as cordas vocais verdadeiras (abaixo).
Vertebrado: animal com esqueleto ósseo ou cartilaginoso, e com coluna vertebral dividida em vértebras (ossos que formal a espinha dorsal).

Capítulo XI – 1ª parte



Existência da Alma
Alado: provido de asas.
Caquexia: enfraquecimento geral, estado de debilidade orgânica.
Cariocinese: modo de multiplicação das células, por divisão indireta (mitose).
Casulo: Invólucro construído por larvas ou insetos.
Catalisador: substância que produz catálise (desencadeia reação).
Citoplasmático: Relativo ao citoplasma, que é o protoplasma (massa celular), excluído o núcleo da célula.
Corpo Espiritual: o psicossoma ou perispírito.
Crisálida: analogia com o estado intermediário por que passam certos insetos para se transformarem de lagarta (larva) em borboleta, durante o qual se desenvolve no casulo.
Custodiar: manter sobre guarda ou proteção, de modo de assegurar o objetivo visado.
Efemerídeo: grupo de insetos de vida curta que serve de alimento para pequenos peixes.
Endosmóstico: relativo à endosmose, corrente de fora para dentro entre dois líquidos de densidades diversas, separados por uma membrana ou placa porosa.
Estriação: formação de estrias, sulcos finíssimos na superfície de um corpo.
Falena: nome comum a um grupo de borboletas noturnas.
Fermento: substância capaz de provocar trocas químicas sem nada ceder de sua matéria ao produto que sofreu sua ação; enzima.
Fisiológico: relativo ao corpo, quanto às função orgânica.
Fluídico-magnético: relativo a elemento fluídico com propriedade magnética.
Fusiforme: semelhante ao fuso, peça roliça, adelgada gradualmente do meio para uma das extremidades, usada para fiar e enrolar fio.
Glândula Salivar: cada uma das glândulas que segregam a saliva, sendo, portanto, de secreção externa.
Histogênese: formação e desenvolvimento dos tecidos orgânicos.
Histólise: destruição ou dissolução de tecidos orgânicos.
Larva: o primeiro estágio por que passam certas espécies animais antes de atingirem a fase adulta; lagarta (nos insetos).
Mamífero: designação dos animais vertebrados de corpo provido de pêlos e que possuem glândulas mamarias.
Mandíbula: cada uma das duas peças móveis e duras que ladeiam a boca do inseto.
Maxila: parte do aparelho bucal do inseto, localizada na porção imediatamente posterior as mandíbulas.
Metamorfose: mudança de forma ou de estrutura, como a mudança que ocorre durante as fases da vida de alguns animais, como os insetos e os anfíbios.
Metamorfose Integral: metamorfose com transformação completa, ocorrida nos isentos que, entre o estado larval e o definitivo, apresentam o estado de pupa.
Mioblasto: célula do folheto germinativo médio do embrião, que se converte em fibra muscular.
Mofologia: a forma, em suas características.
Ninfa: forma intermediária entre a larva e o inseto adulto.
Nomadismo: vida nômade ou errante, em que há constantes deslocamentos de uma região para outra.
Núcleo da Célula: parte essencial da célula, que contém os cromossomos, portadores dos genes (pelos quais se transmitem os caracteres hereditários).
Órgão Típico: órgão da espécie.
Plasmar: dar forma a algo.
Psicossoma: o corpo espiritual ou perispírito.
Pupa: estado intermediário entre a larva e a forma definitiva, nos insetos que tem metamorfose completa (com profundas alterações), como, por exemplo, na lagarta das mariposas.
Radícula: objeto semelhante a minúscula raiz.
Segmentação: divisão da célula germinativa, que costuma verificar-se simetricamente.
Senectude: decrepitude, sensibilidade, velhice.
Símile: qualidade do que é análogo.
Sistema Circulatório: sistema de movimentação do sangue desde o coração até as diferentes partes do corpo e destas ao coração (grande circulação), e do coração ao pulmão e deste ao coração (pequena circulação).
Sistema Nervoso: constitui o mecanismo que permite ao animal um contato permanente com o meio. No homem, como nos animais vertebrados, o sistema nervoso compreende o sistema central e o sistema periférico. O sistema central é constituído do eixo cérebro-espinhal, formado pelo encéfalo (parte contida na cavidade do crânio) e a medula espinhal.
Somático: referente ao corpo físico.
Tessitura: contextura; organização.
Trato: espaço de terreno.
Trompa: órgão oco e alongado, como o de inseto sugador, e que serve como órgão de sucção.
Tubo de Malpighi: órgão de excreção do inseto, o qual consiste em longos e tortuosos condutos que desembocam no tubo digestivo, no limite entre o intestino médio e o posterior.
Vibração: movimento das partículas elementares da matéria, determinando o seu grau de ponderabilidade e contextura; o efeito da vibração comunicada de um a outro corpo.

Capítulo XII – 1ª parte



Alma e Desencarnação
Bactéria: designação de organismos microscópicos, unicelulares (uma só célula), de numerosas espécies, que se reproduzem por cissiparidade (divisão transversal), havendo as bactérias essenciais ao sustento da vida, e as patogênias (geram doenças).
Biológico: relativo ao desenvolvimento e às condições de vida dos seres vivos.
Cariocinese: modo de manipulação das células, por divisão indireta; mitose.
Casulo: invólucro construído por larvas ou insetos.
Célula: a menor unidade de função e de organização no conjunto orgânico (nos seres vivos), que apresenta todas as características de vida.
Célula Feminina: a célula sexual ou germinal (reprodutora) feminina; óvulo.
Circuito Fechado: analogia com o trajeto fechado (circuito fechado) percorrido pela corrente elétrica; nos condutores, de modo a permitir a contínua circulação da corrente por um gerador.
Corpo Espiritual: o psicossoma ou perispírito.
Cósmico: relativo ao Cosmo (Universo) e sua propriedade de abranger a contextura de um todo.
Crisálida: analogia com o estado intermediário por que passam certos insetos para se transformarem de lagarta (larva) em borboleta.
Esporo: forma de alta resistência que as bactérias podem assumir.
Filogenético: relativo à filogênese, estudo das relações de descendência biológica dos organismos, e da evolução de uma espécie ou grupo biológico a partir de formas primitivas de origem.
Fisiológico: relativo ao funcionamento do organismo.
Fisiopsicossomático: que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo físico e do corpo psicossomático, sendo este o psicossoma (corpo espiritual ou perispírito)
Fulcro: ponto ou base de sustentação; pivô de rotação.
Gene: partícula cromossômica pela qual se transmitem os caracteres hereditários. Cromossomo é uma estrutura presente no núcleo da célula, facilmente corável.
Genésico: relativo à gênese ou geração.
Germinativo: referente à partícula de matéria capaz de se desenvolver e formar um animal ou planta.
Hemimetábolo: inseto que apresenta metamorfose incompleta, em que as diferenças entre a larva e a forma definitiva não são muito notáveis, assemelhando-se em tudo no estado larval.
Hibernação: entorpecimento ou sono letárgico de certos animais e vegetais durante o inverno.
Histogênese: formação e desenvolvimento dos tecidos orgânicos.
Histílise: destruição ou dissolução dos tecidos orgânicos.
Infraprimitivo: referente a organismo em começo de evolução. O que se encontra em estágio de evolução abaixo do que se considera primitivo.
Intra-uterino: que se situa ou ocorre dentro do útero.
Larva: o primeiro estágio por que passam certas espécies animais antes de atingirem a fase adulta; lagarta (nos insetos).
Letargia: estado caracterizado por sono profundo e contínuo, em que as funções da vida se atenuam de tal modo que parecem suspensas.
Malófago: inseto sem asas, parecido com o piolho, parasito de mamífero e aves.
Mamífero: designação dos animais vertebrados de corpo provido de pêlos e que possuem glândulas mamarias.
Matriz: lugar de onde uma coisa se gera ou cria.
Metamorfose: mudança de forma ou de estrutura, como a que ocorre durante as fases da vida de alguns animais, como os insetos e anfíbios. Pode ser completa (integral) ou incompleta. A completa ocorre nos insetos que, entre o estado larval e o definitivo, apresentam o estado de pupa; a incompleta ocorre nos insetos em que as diferenças entre a larva e a forma definitiva não são muito evidentes.
Monoideísmo: estado de alma dominado por uma idéia central, fixa.
Oclusão: fechamento de uma abertura natural do organismo.
Ontogenético: referente à ontogênese, que é o desenvolvimento do indivíduo desde a fecundação até a maturidade para reprodução.
Ovóide: em morfologia, ovóide é a qualificação de órgão ou parte maciça em forma de ovo, a que se assemelha o “corpo ovóide” resultante da deformação perispiritual causada por uma idéia fixa.
Palingenesia: volta á vida; renascimento; reencarnação.
Pensamento Contínuo: pensamento constante, ininterrupto, que caracteriza a capacidade mental do homem, em oposição ao pensamento fragmentário (descontínuo), próprio dos animais irracionais.
Plasma: massa formadora e essencial de um órgão.
Psicossomático: que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo físico e do psicossoma (corpo espiritual ou perispírito).
Pupa: estado intermediário entre a larva e a forma definitiva, nos insetos que tem metamorfose completa (com profundas alterações), como, por exemplo, na lagarta das mariposas.
Simbiose: associação de dois seres de espécie distinta, com influência de um sobre o outro, ou de ambos entre si, podendo, essas relações, ser úteis ou prejudiciais às duas partes, favorável ou nocivas para uma delas apenas.
Somático: referente ao corpo físico.
Transubstanciar: transformar em outra substância. Transformar uma coisa em outra.

Capítulo XIII – 1ª parte



Alma e Fluidos
Aeriforme: que tem a transparência, elasticidade e compressebilidade do ar.
Aferente: no sistema nervoso, classe de fibras nervosas que conduzem o impulso dos órgãos sensoriais para o sistema nervoso central.
Amerício: elemento metálico, prateado e radioativo, abtido artificialmente.
Átomo: agrupamento de moléculas elementares da matéria. É Constituído por um núcleo, formado de prótons (com carga positiva) e de nêutrons (sem carga elétrica), em torno do qual giram, em certo número de órbitas, os elétrons (com carga negativa).
Automatismo: funcionamento do organismo e prática de atos sem a participação consciente do ser.
Barisfera: núcleo da Terra, também chamado nife, tido como constituído de ferro e níquel.
Basáltico: que é formado de basalto (rocha vulcânica).
Biológico: Relativo ao desenvolvimento e às condições de vida dos seres vivos.
Cavitário: referente ao que se localiza numa cavidade.
Célula: a menor unidade de função e de organização no conjunto orgânico (nos seres vivos, que apresenta todas as características de vida).
Centro Cerebral: centro de força vital, no perispírito; relacionada com os lobos frontais do cérebro e hipófise (pituitária), no corpo físico; exerce influência decisiva sobre os demais centros de força vital, sendo responsável pelo funcionamento do sistema nervoso central e dos centros superiores do processo intelectivo. (vide centro vital: do Capítulo II – 1.ª parte).
Centro Coronário: centro de força vital, no perispírito, relacionado com a epífise (glândula pineal), no corpo físico; supervisiona todos os demais centro de força vital, porque recebe em primeiro lugar os estímulos do espírito. (vide centro vital: Do Capítulo II – 1.ª parte).
Centro Nervoso: conjunto de nervos centrais do encéfalo com funções unitárias.
Ciclópito: colossal, gigantesco.
Circuito Contínuo: sucessão de fenômenos ininterruptos.
Corpo Espiritual: o psicossoma ou perispírito.
Corpúsculo: partícula diminutíssima de corpo.
Córtex: córtice, camada externa dos órgãos, de estrutura mais ou menos arredondada.
Cortiça Cerebral: o córtex cerebral.
Cortical: relativo ao córtex.
Cosmo: o Universo, a contextura de um todo.
Cúrio: elemento metálico, radioativo, obtido artificialmente.
Diencéfalo: parte do cérebro situada entre o procencéfalo (porção anterior do cérebro) e mesencéfalo (porção mediana do cérebro).
Difuso: que se dispersa pelas adjacências.
Elemento: elemento químico, conjunto de átomos que tem o mesmo número atômico, formando um corpo simples que não pode ser decomposto. O que caracteriza o átomo de um elemento é o número de prótons no seu núcleo, sendo esse número de prótons atômico do elemento: por exemplo, o elemento carbono é de número atômico 6, porque todos os seus átomos tem 6 prótons no núcleo. Existem 106 elementos conhecidos atualmente. Sendo 9 naturais e 15 artificiais (obtidos pela Física Nuclear). Dos elementos naturais, o elementos de menor número atômico é o hidrogênio (número atômico 1), e o de maior número atômico é o urânio (número atômico 92). Os elementos de número atômico superior ao urânio (elementos transurânios) são todos artificiais, à exceção do Plutônio.
Encéfalo: parte do sistema nervoso central contida na cavidade do crânio, e que abrange o cérebro, o cerebelo, a protuberância e o bulbo raquiano. É a região de centralização dos nervos que percorrem o corpo.
Equinócio: instante em que o Sol, no seu movimento anual aparente, corta o equador celeste.
Estéqui-genético: relativo às propriedades dos elementos biogenéticos, que envolvem o princípio segundo o qual todo ser vivo provém de outro ser vivo.
Fisiopsicossomático: que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo físico e do corpo psicossomático, sendo este o psicossoma (corpo espiritual ou perispírito)
Fluido Cósmico: fluido elementar ou matéria primitiva que, por suas inumeráveis modificações e combinações com elemento material propriamente dito, produz as diferentes formas de matéria de que se compõe a infinita variedade das coisas.
Granítico: que é formado de granito, rocha magmática granular, de profundidade, caracterizada essencialmente por quartzo, mica e feldspato. A rocha magmática é produto do resfriamento e solidificação do magma, que é uma massa natural ígnea, de origem profunda.
Gravitação: gravidade, força de atração da massa Terrestre, diminuída em conseqüência da rotação da Terra. O peso resulta da ação da gravidade sobre um corpo em repouso. A gravitação comunica aos corpos que caem livremente uma aceleração cujo o valor, entre diferentes pontos da Terra, sofre ligeira variação.
Hidrogênio: elemento químico gasoso, incolor, altamente inflamável, o mais leve de todos os gases, e o elemento mais abundante no Universo.
Indução: ação exercida por um campo magnético sobre um campo situado em sua esfera de influência, como a ação magnética exercida por um imã sobre objetos suscetíveis à sua influência.
Ionosfera: região da alta atmosfera, que se estende de 60 a 700Km, aproximadamente, com camadas altamente ionizadas (átomos com excesso ou falta de carga elétrica negativa), possuindo, portanto, condutividade elétrica; aos 100Km de altitude é onde essa condutividade alcança o seu maior valor máximo. O papel da ionosfera é determinada na propagação das ondas de rádio mais longas, de vez que só por reflexão em suas camadas é possível cobrir grandes distâncias da curvatura da terrestre.
Maciço: formação geológica de rochas eruptivas, que abrange áreas relativamente extensas.
Mentação: ato de pensar, de representar mentalmente.
Mentossensitivo: referente às propriedades adquiridas pelo pensamento, por influência do sentimento.
Molécula: agrupamento definido e ordenado de átomos eletricamente neutros; é a menor porção de uma substância capaz de existência independente sem perda das suas propriedades química.
Mutação Espontânea: alteração não provocada na estrutura genética ou cromossômica de uma espécie animal ou vegetal, transmissível hereditariamente, dando aparecimento a uma nova variedade na espécie.
Nascituro: que está concebido, estando para nascer.
Netúnio: elemento químico metálico, radioativo, artificial, o primeiro da sério dos transurânicos (elemento artificial).
Núcleo Nervoso: denominação de grupos de células nervosas situadas no cérebros e na medula espinhal; ponto de origem ou terminação dos nervos cranianos (os doze pares de nervos ligados ao encéfalo).
Paleolítico: relativo ao período do pleistoceno (quaternário), caracterizado pelo aparecimento dos mais antigos fósseis humanos; período ou idade da pedra lascada. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Pensamento Contínuo: pensamento constante, ininterrupto, que caracteriza a capacidade mental do homem, em oposição ao pensamento fragmentário (descontínuo), próprio dos animais irracionais.
Plasma: massa formadora e essencial de um órgão.
Plutônio: elemento metálico radioativo, artificial, fissionável, produzido a partir do urânio natural, e empregado em certos tipos de bombas atômicas.
Psicosfera: halo formado em torno do corpo pela atmosfera psíquica individual.
Psicossomatossensitivo: referente aos centros sensitivos do psicossoma (corpo espiritual ou perispírito).
Quimioeletromagnético: referente a propriedade química e eletromagnéticas (que apresentam o efeito da interação entre carga elétrica e campo magnético).
Quintessência: o mais alto grau de sutilização de uma substância.
Reflexão: processo mental em que o pensamento se volta sobre si mesmo e toma seus próprios atos como objetivo de conhecimento; ato pelo qual o pensamento passa a refletir influência de idéias alheias, por força do intercâmbio continuado.
Rocha: agregado natural formado de substâncias minerais ou mineralizada, resultante de um processo geológico determinado, e que constitui parte essencial da litosfera (crosta terrestre).
Sensitivo: relativo ao que se processa no sensório.
Sensório: centro nervoso sensorial ou sensitivo, através do qual são transmitidas as sensações.
Sílex: pedra dura que produz faísca quando atritada, e que entra na composição de todas as rochas eruptivas.
Sincrônico: referente ao que tem sincronia, coordenação perfeita de movimento entre partes relacionadas, resultando em simultaneidade de ação.
Sintonia: igualdade de freqüência entre duas fontes de vibração; harmonia resultante de uma ação perfeitamente coordenada com outra.
Sistema Periódico dos Elementos: ordenação dos elementos químicos segundo o seu número de carga nuclear (número nuclear). Como depois de um certo número de elementos seguem outras cujas propriedades físicas e químicas são similares às dos precedentes, a ordenação tem lugar em séries verticais e horizontais que recebem, respectivamente, os nomes dos grupos e períodos. Basta conhecer um ou dois elementos de cada grupo, para poder deduzir, por eles e por seus compostos, as propriedades de todos os demais elementos do grupo.
Solstício: época em que o Sol passa por sua maior declinação boreal (ao norte) ou austral (ao sul), e durante a qual cessa de afastar-se do equador, provocando as mudanças de estação (inverno ou verão) em cada hemisfério.
Tálamo: massa de substâncias cinzenta, constituída de dois núcleos situados de cada lado do ventrículo médio do cérebro, e que forma o soalho dos ventrículos laterais; funciona como ativo centro de transmissão, recebendo fibras nervosas aferentes de quase todas as zonas do córtex cerebral. Uma de suas importantes funções é a de interveniência na sensibilidade superficial e profunda. É também denominado “cama óptica”. Ventrículos são as cavidades existentes no âmago do cérebro.
Transubstanciação: transformação de uma substância em outra.
Urânio: elemento metálico, branco, denso, radioativo, fissionável, usado na preparação do elemento combustível dos reatores nucleares para produção de energia elétrica.
Vibratório: relativo a vibração, movimento das partículas elementares da matéria, determinando o seu grau de ponderabilidade e contextura.
CAPÍTULO XIV – 1ª PARTE



1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   16


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal