Da anotação – Emmanuel


Capítulo III – 1ª parte Evolução e Corpo Espiritual



Baixar 0.5 Mb.
Página4/16
Encontro21.10.2017
Tamanho0.5 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16

Capítulo III – 1ª parte

Evolução e Corpo Espiritual



Alga: planta que ocupa o último lugar na série vegetal. É uma denominação muito abrangente, que engloba os vegetais relativamente simples, mas bastante diversificados quanto às formas, pigmentos e tipos de reprodução. O corpo é representado por um talo e não tem raízes, caules ou folhas. São aquáticas, mas ocorrem também em terra úmida, lodo e cascas de árvores.
Ameba: animal microscópico unicelular, que se locomove por meio de pseudópodes, que são prolongamentos plasmáticos muito variáveis que servem como órgãos táteis, locomotores e para a captura de alimento.
Anfitério: designação de mamíferos sem placenta, primitivos, cuja importância no terreno da evolução é grande por serem considerados a possível fonte dos marsupiais, cujas fêmeas possuem bolsa formada pela pele do abdome, e dos placentários (mamíferos com placentas).
Antilopídeo: mamífero artiodáctilo (número par de dedos), ruminante, provido de cascos, a cujo grupo pertencem os antílopes.
Antropóide: grupo de símios (macacos), que compreende os chimpanzés, gorilas, orangotangos e algumas espécies fósseis que lembram o ser humano.
Arquegossauro: designação de um sáurio (lagarto) primitivo, réptil extinto, bípede, que precedeu as aves primitivas.
Arquétipo: modelo, protótipo, primeiro exemplar.
Artrópode: grupo de animais com extremidades articuladas e um esqueleto externo formado por uma substância córnea (semelhante a do chifre); o corpo é segmentado, geralmente subdividido em cabeça. Tórax e abdome. Ex.: caranguejo, aranha, lacraia e barata.
Assexuado: de reprodução sem uso dos órgãos sexuais, ou sem o concurso de células sexuais diferenciadas.
Atômico: relativo ao átomo e suas propriedades.
Átomo: agrupamento de partículas elementares da matéria. É constituído por um núcleo, formado de prótons (com carga positiva) e de nêutrons (sem carga elétrica), em torno do qual giram, em certo número de órbitas, os elétrons (com carga negativa). O que caracteriza um átomo de um elemento é o número de prótons no seu núcleo, sendo esse número de prótons o número atômico do elemento. Ex.: o elemento oxigênio é de número atômico 8, porque todos os seus átomos têm 8 prótons no núcleo.
Bactéria: designação de organismos microscópicos, unicelulares, de numerosas espécies, que se reproduzem por cissiparidade (divisão transversal). Há bactérias essenciais ao sustento da vida, e há as patogênicas (capazes de gerar doenças).
Bolota: aquênio (fruto seco e minúsculo) do carvalho, também denominado glande.
Canídeo: mamífero carnívoro, a cujo grupo pertence o cão, o lobo, a raposa e o chacal.
Cariocinético: que se processa na cariocinese, que é o modo de multiplicação das células, por divisão indireta (mitose).
Cefalópode: animal marinho que apresenta corpo com uma concha externa, ou interna, ou ausente; tem cabeça grande, com olhos desenvolvidos, rodeada de tentáculos. Ex.: polvos e lulas.
Celenterado: animal marinho, cujo corpo é simples saco que forma o aparelho digestivo e se comunica com o exterior por um orifício que serve de coca e de ânus, a cujo grupo pertencem os pólipos, medusas e corais.
Célula: a menor unidade de função e de organização capaz, por si mesma, de multiplicação e de relação, que apresenta todas as características de vida. Sua dimensão, forma e estrutura variam muito, de conformidade com as tarefas que devem executar no conjunto orgânico.
Centro Coronário: centro de força vital, no perispírito, relacionado com a epífise (glândula pineal), no corpo físico; supervisiona todos os demais centros de força vital, porque recebe em primeiro lugar os estímulos do espírito. (Vide Centro Vital: Capítulo II – 1ª parte).
Cervídeo: animal mamífero, com casco partido em duas unhas, e estômago dividido em quatro partes, os machos tem chifres, que caem periodicamente. São os veados.
Cetáceo: mamífero adaptado à vida aquática, com membros anteriores transformados em nadadeiras, gordura abundante, e bolsas arteriais que facilitam a oxigenação do organismo. São as baleias, os golfinhos e os botos.
Ciclópico: colossal, gigantesco.
Cistídeo: grupo primitivo e extinto de animais equinodermos, fósseis restritos ao período siluriano. Os equinodermos são invertebrados marinhos de simetria radiada, como as estrelas-do-mar. (Vide Período Siluriano: Quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Clorofila: designação dos pigmentos verdes que contêm magnésio, e estão presentes nas células das plantas capazes de realizar fotossíntese, que consiste no processo de alimentação dos vegetais, através da síntese (elaboração) de substâncias orgânicas mediante a fixação do gás carbônico pela ação da luz solar.
Consciência Fragmentária: fase de intermitência da consciência no estágio de desenvolvimento nos seres irracionais.
Corpúsculo: partícula diminutíssima de corpo.
Cósmico: relativo ao Cosmo (Universo) e suas propriedades. Nos meios espiritualistas, a concepção de Cosmo abrange o Todo Universal, por admitir a inter-relação de tudo o que existe, com o sentido espiritual de integração, independentemente de espaço e tempo.
Crisálida: termo usado por analogia ao estado intermediário por que passam certos insetos para se transformarem de lagarta em borboleta, durante o qual a larva se desenvolve num invólucro denominado casulo.
Crustáceo: animal de esqueleto externo e respiração por brânquias, de cujo grupo a maior parte é aquática. Ex.: o caranguejo, o camarão e a lagosta.
Dromatério: réptil que melhor floresceu no triássico, período que se caracteriza pela presença de grandes sáurios (lagartos) aquáticos e terrestres; esse réptil desapareceu com o advento dos dinossauros carnívoros, e pode ser o último ancestral da maioria dos grupos mamíferos.
Elemento: corpo simples formado de átomos com o mesmo número e que, portanto, não pode ser decomposto.
Elétron: corpúsculo carregado de eletricidade negativa, fundamental na decomposição do átomo, e que é o constituinte mais numeroso da matéria.
Eoceno Médio: meados do período geológico em que prossegue a expansão dos mamíferos. (Vide quadro “Idade da Terra”, no final desta obra).
Equídeo: animal de cujo grupo pertence o cavalo.
Equinodermo: animal do grupo que compreende os invertebrados exclusivamente marinhos de simetria radial. São as estrelas-do-mar e os ouriços-do-mar.
Espongiário: animal conhecido como esponja, marinho ou de água doce, cujo corpo é provido de numerosos poros, câmaras e canais pelos quais entra e sai a água.
Estado solar: expressão usada para comparar o sistema solar, ao qual pertence a Terra, como um país em que as unidades da Federação (divisão territorial) eqüivalem aos planetas componentes do sistema.
Exoesqueleto: esqueleto externo, como a casca dos crustáceos, formado por substância córnea (semelhante a do chifre) que se desenvolve externamente em certos animais.
Feto: nome comum a diversas plantas criptogâmicas, que são aquelas com órgãos reprodutivos imperceptíveis a olho nu.
Filamentoso: que é constituído de fibras muito delgadas.
Fisiopsicossomático: relativo ao que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo físico e do corpo psicossomático, sendo este o psicossoma (corpo espiritual ou perispírito).
Flexuoso: que se move de maneira ondulante ou sinuosa.
Foraminífero: animal unicelular rizópode (prolongamentos semelhantes a raízes) com corpo dentro de uma carapaça contendo uma ou mais câmaras, com uma ou várias aberturas. A maior parte do grupo é constituída por animais marinhos, importantes indicadores de petróleo.
Ganóide: grupo de peixes providos de escamas rombóides, formadas por uma camada de osso, com ganoína, que é uma substância semelhante ao esmalte dos dentes. A forma rombóide é a do quadrilátero com lados opostos paralelos (paralelogramo) e lados contíguos diferentes, formando ângulos retos.
Geológico: referente a contaminação da Terra, quanto à sua composição química e estrutura litológica, esta relacionada com a natureza das rochas.
Globulina: composto de natureza protéica presente no plasma sangüíneo. É portadora de anticorpos e outros importantes substâncias, é, ainda, dos fatores de imunização e coagulação do sangue.
Hemoglobina: substância protéica dos glóbulos vermelhos do sangue, a qual contém ferro, e fixa temporariamente o oxigênio do ar inspirado, cedendo-o aos tecidos.
Imunológico: que se relaciona com os fenômenos da imunidade, isto é, das barreiras contra as infecções e a ação das substâncias patogênicas no organismo.
Jurássico Superior: referente a última das três fases em que se divide o período jurássico, durante o qual se deu o aparecimento dos animais de transição entre os répteis e as aves. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Labirintodonte: nome genérico de amfíbios fósseis, cuja dentina (marfim dos dentes) apresenta complicados repregos.
Lacertino: animal com características de lagarto.
Licopodiácea: designação das plantas providas de folhas diminutas, parecendo escamosas, e sem flores, sendo representadas pelas ervas rasteiras (licopódios).
Magnésio: elemento químico, metálico, sólido, com brilho de prata, dúctil, maleável, e inalterável ao ar seco. Está presente na clorofila.
Mamífero: designação dos animais vertebrados de corpo provido de pêlos e que possuem glândulas mamarias.
Mamute: elefante extinto e peludo que viveu na Europa e na Ásia no período quaternário. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Marsupial: designação do grupo de animais sem placenta, cujas fêmeas possuem marsúpio, que é uma bolsa formada pela pele do abdome. Ex.: gambás e cangurus.
Matéria Elementar: matéria, em sua forma mais simples, que constitui as partículas elementares da matéria (componentes do átomo).
Megatério: grande mamífero desdentado, fóssil, encontrado nos terrenos terciários e quaternários da América do Sul.
Metamorfose: mudança de forma ou de estrutura, como a mudança que ocorre durante as fases da vida de alguns animais, como os insetos e anfíbios.
Mioceno: período que se caracteriza pelo grande desenvolvimento dos antropóides. (Vide Antropóide acima, e Mioceno no quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Molécula: partícula que se constitui da menor porção de uma substância, capaz de existência independente sem perda das suas propriedades químicas.
Mônada: organismo muito simples, que se poderia tomar por uma unidade orgânica; qualquer microorganismo unicelular. O sistema filosófico de Leibiniz (1646 – 1716), unidade substâncial, simples, ativa, indivisível e impenetrável, elemento básico constituinte da realidade física.
Monocelular: referente ao organismo rudimentar com uma só célula.
Motilidade: faculdade de mover-se.
Nascituro: que está concebido e cujo nascimento é esperado como certo.
Nucleoproteína: proteína que figura entre os constituintes fundamentais do núcleo da célula, e se localiza principalmente na cromatina, que é uma substância facilmente corável.
Paleolítio: período do pleistoceno (quaternário), caracterizado pelo aparecimento dos mais antigos fósseis humanos e a presença de artefatos de osso e/ou de pedra fragmentada ou lascada, datando do final do período notáveis desenhos e pinturas rupestres (gravadas nas rochas), período ou idade da pedra lascada. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Paleozóico: relativo à era que se caracteriza, na fauna, pelo surgimento dos animais de organização celular rudimentar, pelo desenvolvimento dos invertebrados, e pelo aparecimento dos vermes, insetos, peixes, anfíbios e répteis. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Pigmentos: substância que dá coloração aos líquidos e aos tecidos vegetais ou animais que a contém.
Pitecantropóide: semelhante ao pitecantropo, que é um antropóide fóssil indicativo de um gênero intermediário entre o macaco e o homem.
Plasmar: dar forma a algo; modelar:
Plioceno: período em que surgem os primeiros homínidas, mamíferos semelhantes ao homem. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Pluricelular: que é constituído de mais de uma célula; multicelular.
Pré-câmbrico: pré-câmbriano, relativo ao período em que surgem os primeiros sinais de vida rudimentar na Terra. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Primacial: referente àquilo a que se dá primazia, por ser propício ou de qualidade superior.
Primevo: relativo aos tempos primitivos.
Primórdio: início, princípio; aquilo que vem primeiro.
Proboscídeo: mamífero cujo focinho é prolongado em forma de tromba. Ex.: o elefante e o excitante mamute.
Protoforma: primeira forma, forma primitiva.
Protoplasma: substância gelatinosa que constitui a massa essencial da célula animal e vegetal, sendo a base das funções vitais.
Pterossáurio: réptil fóssil voador e marinho, que viveu do período triássico ao período cretáceo. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Quaternário: relativo ao período em que o clima, a fauna e a flora eram semelhantes aos de hoje, e que se caracteriza pelo aparecimento do homem. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Quitinoso: relativo à quitina, substância orgânica córnea (semelhante a do chifre), que constitui o esqueleto externo (exoesqueleto) dos artrópodes, animais a cujo grupo pertence o caranguejo.
Radioativo: que tem radioatividade, emissão invisível de energia e corpúsculos pelos núcleos atômicos de certos elementos químicos de elevado peso atômico (massa atômica). A emissão espontânea dessas partículas ou radiação eletromagnética é a característica de uma instabilidade dos núcleos atômicos desses elementos. Apresentam radioatividade natural apenas as séries de urânio, tório e actínio. Na radioatividade artificial, os núcleos de outros elementos podem se modificar de tal modo pelos bombardeios com núcleos de hélio e nêutrons, que também se tornam radioativos.
Radiolário: animal protozoário, geralmente esférico, com órgãos de locomoção de forma irradiada, o protoplasma dividido em duas porções, interna e externa, esqueleto com espinhos radiados, e é marinho.
Réptil: espécime de répteis, animais vertebrados de sangue frio, de respiração pulmonar, ovíparos. São os lagartos, jacarés, cobras e tartarugas.
Rinocerotídeo: animal com caraterísticas do rinoceronte, grande mamífero quadrúpede, selvagem com dedos providos de cascos, possuindo um ou dois chifres no focinho.
Sexuado: relativo à reprodução com uso dos órgãos sexuais, ou com o concurso de células sexuais diferenciadas.
Sílex: pedra dura que produz faíscas quando ferida com um fragmento de aço.
Siluriano: que se caracteriza com o período caracterizado pelo progresso dos crustáceos, atingindo os trilobites o seu maior desenvolvimento, e pelo aparecimento dos peixes antracodermos e dos artrópodes terrestres. Os trilobites são artrópodes extintos que tinham o corpo longitudinalmente trilobado (com três lóbulos); os antracodermos eram peixes com pele constituída por substância semelhante ao carvão; os artrópodes são animais a cujo grupo pertencem o caranguejo.
Sistema Nervoso: sistema que constitui o mecanismo que permite ao animal um contato permanente com o meio que o rodeia, determinando mudanças e atitudes úteis ao seu organismo. No homem, como nos animais vertebrados, o sistema nervoso compreende o sistema nervoso central e o sistema nervoso periférico. O sistema central consta do eixo cerebro-espinhal, formado pelo encéfalo (parte contida na cavidade de crânio) e a medula espinhal.
Supracretáceo: relativo à última fase do período cretáceo, o qual se caracteriza, na fauna, pelo aparecimento dos primeiros mamíferos (marsupiais) de pequeno porte. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Teleóstero: grupo de peixes com barbatanas (nadadeiras) constituídas de raios, ao qual pertencem os peixes de esqueleto ósseo.
Telúrico: relativo a Terra; terrestre.
Teromorfo: grupo de réptil do período permiano, com vértebras bicôncavas, membros locomotores com cinco dedos, arcos peitorais e pélvicos bem desenvolvidos, nos quais os elementos estão fundidos ou articulados unidos, o crânio com osso quadrado, e os ossos da região temporal formando um arcada larga única. (Vide Período Permiano: quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Tessitura: contextura; organização.
Trilobite: grupo extinto de artrópodes que viveram na era paleozóica, os quais tinham o corpo longitudinalmente trilobado, ou seja, com três, lóbulos. (Vide quadro “Idade da Terra” no final desta obra).
Vascular: relativo aos vasos (tubos orgânicos).
Vírus: microorganismo que só tem vida no interior das células vivas, e que causam inúmeras doenças aos animais e às plantas, podendo ser cultivados somente em presença de células vivas que lhe sejam suscetíveis.




1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal