Da anotação – Emmanuel



Baixar 0.5 Mb.
Página3/16
Encontro21.10.2017
Tamanho0.5 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16

Capítulo II – 1ª parte


Corpo Espiritual
Adinamia: debilidade, perda de tônus; estado anormal de resistência e elasticidade de um tecido ou órgão.
Ameba: animal protozoário, microscópico, unicelular, que se locomove por meio de pseudópodes, que são prolongamentos plasmáticos muito variáveis que servem como órgãos táteis, locomotores e para a captura de alimento.
Anímico: pertencente ou relativo à alma; psíquico.
Arcabouço: estrutura que sustenta a forma de um corpo.
Carbonato: qualquer combinação de ácido carbônico com átomos de elementos metálicos. Ex.: carbonato de cálcio, carbonato de sódio.
Célula: a menor unidade de função e de organização capaz, por si mesma, de multiplicação e de relação, que apresenta todas as características de vida. A dimensão, a forma e a estrutura das células variam muito, em conformidade com as tarefas que devem executar no conjunto orgânico.
Célula Efetora: células dos músculos ou glândulas que efetuam resposta a um estímulo causador de um impulso nervoso.
Centro Cardíaco: cetro de força vital, no perispírito, relacionado com o plexo cardíaco, no corpo físico; é responsável pelo funcionamento do aparelho circulatório e pelo circulatório e pelo controle da emotividade.
Centro Cerebral: centro de força vital, no perispírito, relacionado com os lobos frontais do cérebro e a hipófise (pituitária), no corpo físico; exerce influência decisiva sobre os demais centros de força vital, sendo responsável pelo funcionamento do sistema nervoso central e dos centros superiores do processo intelectivo.
Centro Coronário: centro de força vital, no perispírito, relacionado com a epífise (glândula pineal), no corpo físico; supervisiona todos os demais centros de força vital, porque recebe em primeiro lugar os estímulos do espírito.
Centro Esplênico: centro de força vital, no perispírito, relacionado com o plexo mesentérico e o baço, no corpo físico, que regula a distribuição e a circulação dos recursos vitais, e a formação e reposição das defesas orgânicas através do sangue.
Centro Gástrico: centro de força vital, no perispírito, relacionado com o plexo solar, no corpo físico, responsável pelo funcionamento do aparelho digestivo, pela assimilação de elementos nutritivos e reposição de fluídos em nossa organização física.
Centro Genésico: centro de força vital, no perispírito, relacionado com os plexos hipogástrico e sacral, no corpo físico, responsável pelo funcionamento dos órgãos de reprodução e das emoções sexuais.
Centro Laríngeo: centro de força vital, no perispírito, relacionado com o plexo cervical, no corpo físico, que regula os fenômenos vocais inclusive as atividades das glândulas do timo e tireóide.
Centro Vital: designação comum de cada um dos centros de força existentes no corpo espiritual (perispírito), cuja a função e de assimilar energias cósmicas e espirituais. Os centros de força já eram conhecidos pelas doutrinas secretas e iniciáticas com a denominação de “Chacras”, que em sânscrito significa roda, visto como são constituídos por uma série de vórtices semelhantes a rodas. Os sete principais centros de força são: o coronário, o cerebral, o laríngeo, o cardíaco, o esplênico, o gástrico e o genésico, os quais, segundo estudiosos do assunto, estão relacionados diretamente com as seguintes partes do corpo físico:


  1. Coronário está relacionado com a epífise (glândula pineal), que é um corpúsculo oval situado no cérebro por cima e trás das camadas ópticas, e ao qual se atribuem funções endócrinas (secreção interna) pouco conhecidas. Sua eliminação ou destruição determina maturidade sexual muito precoce.




  1. O cerebral está relacionados com os lobos frontais do cérebro e com a hipófise (pituitária), sendo está um glândula de secreção interna de funções múltiplas, situada sobre face inferior do cérebro. A hipófise divide-se em três lobos: o anterior, que produz hormônios que estimulam o crescimento, as glândulas sexuais, a tiróide, as supra-renais, etc.; o médio, hormônio que produz a melanina, isto é, o pigmento escuro existente na célula, nos pêlos, na coróide e na retina; e o posterior, hormônio antidiurético (aumento da reabsorção de água pelos rins). A hipófise controla as demais glândulas pelo processo de “feedback” ou retroalimentação, através dos próprios hormônios.




  1. O laríngeo está relacionado com o plexo cervical, com o timo e com a tireóide. O plexo cervical é um entrelaçamento de ramificações nervosas localizadas na região posterior do pescoço. O timo é uma glândula de secreção interna, situada na parte inferior do pescoço, atras do esterno (osso dianteiro do peito, que se articula com as costelas), e que influi no metabolismo do cálcio e refreia as glândulas sexuais antes d puberdade. A tiróide é uma glândula de secreção interna, situada na frente da laringe, e que segrega a tiroxina, hormônio imprescindível para o crescimento, visto como sua carência provoca transtornos graves de desenvolvimento nos organismos jovens, enquanto que nos adultos regula o metabolismo; a hiperfunção da tiróide é causa de perturbações nervosas ou gastrintestinais, com características de intoxicação (tiroidismo).




  1. O cardíaco está relacionado com o plexo cardíaco, que é um entrelaçamento de ramificações nervosas localizadas na região do coração.




  1. O esplênico está relacionado com o plexo mesentérico e o baço. O plexo mesentérico é um entrelaçamento de ramificações nervosas localizadas na região do baço. O baço é uma glândula vascular sangüínea situada no hipocôndrio esquerdo (parte lateral do abdome esquerdo), que tem por função armazenar o excesso de glóbulos vermelhos produzidos pela medula óssea, desintegrar os glóbulos vermelhos velhos e liberar hemoglobina.




  1. O gástrico está relacionado com o plexo solar, que é um entrelaçamento de ramificações nervosas localizadas na região do estômago.




  1. O genésico está relacionado com o plexo hipogástrico e sacral. O plexo hipogástrico é um entrelaçamento de ramificações nervosas localizadas na região do baixo ventre. O plexo sacral é um entrelaçamento de ramificações nervosas localizadas na região do osso sacro, situado na base da espinha.


Colóide: substância gelatinosa, ou com aparência de cola, contando de uma fase dispersante (como a água) e de outra dispersa (como a proteína). Ex.: água com partículas de proteínas dissolvidas.
Córtice Encefálico: camada externa do encéfalo (parte do nervoso central contida na cavidade do crânio).
Disfunção: função que se efetua de maneira anômala.
Eletromagnético: que apresenta o efeito da interação entre uma carga elétrica e um campo magnético.
Endócrino: referente às glândulas de secreção interna, ou seja, que liberam os seus produtos diretamente no sangue ou na linfa.
Excretório: que expele; que segrega.
Extracelular: que atua ou se encontra fora da célula.
Fisiologia: ciência dos processos vitais, que estuda o funcionamento dos órgãos e os fenômenos biológicos resultantes.
Fisiopsicossomático: relativo ao que pertence, simultaneamente, aos domínios do corpo físico e do psicossoma, sendo este o corpo espiritual ou perispírito.
Fonação: produção fisiológica da voz.
Fosfato: sal produzido pela combinação de ácido fosfórico com uma base.
Fulcro: ponto ou base de sustentação; pivô de rotação.
Genésico: relativo à gênese, à criação.
Hausto: ato de haurir, sorver, aspirar; figurativamente, fluido produzido pela respiração, atuando sobre meio.
Hamático: que se relaciona com o sangue.
Hiperdinamia: excesso de dinamia, que é o fenômeno patológico decorrente da exageração das propriedades orgânicas dos tecidos.
Hipertensão: tensão excessiva.
Hipotensão: tensão deficiente, abaixo do normal.
Intersticial: que ocupa os interstícios, isto é, pequenos espaços situados no interior de uma estrutura, ou que separam órgãos contíguos do corpo.
Latitude: distância geográfica de um ponto d superfície terrestre até o equador, medida sobre um meridiano; conta-se de 0° a 90° , a partir do Equador, conforme o hemisfério (norte ou sul) em que fica o lugar considerado.
Metabolismo: conjunto dos fenômenos químico-físicos que se processam no organismo, mediante os quais se fazem a assimilação e a desassimilação das substâncias necessárias à vida, tanto nos animais como nos vegetais.
Morfológico: referente às características da forma.
Neurônio: a célula nervosa com seus prolongamentos chamados dendritos, que formam uma espécie de arborização, e, no pólo oposto, um só prolongamento, diferente, denominado axônio ou cilindro-eixo, que termina em finas ramificações. O estímulo nervoso passa do axônio de um neurônio para os dendritos de outro, e esse ponto de transmissão da excitação tem o nome de sinapse.
Neurônio Sensitivo: a célula nervosa que leva os impulsos gerados pelo estímulo até a medula, onde faz sinapse com o neurônio associativo, que, por sua vez, faz sinapse com o neurônio motor encarregado de provocar a resposta ao estímulo.
Oxigênio: elemento gasoso na temperatura ambiente, incolor, inodoro, insípido, com atividade química bem grande, indispensável à vida. Todo o oxigênio disponível no ar (21%) originou-se da fotossíntese dos vegetais através dos milênios.
Partícula Colóide: partícula de substância que não se cristaliza facilmente, e que, em dissolução, se difunde com extrema lentidão.
Plasma Sangüíneo: fluido sangüíneo composto de 90% de água (no homem, de 4 a 5 litros), 7% a 8% de proteínas, e de outras substâncias, formando a parte líquida, coagulável, do sangue.
Plasmar: dar forma a algo; modelar.
Plástico: que tem a propriedade de adquirir determinadas formas sensíveis, ao sofrer a ação de um determinado agente.
Plexiforme: em forma de plexo, que é o entrelaçamento de ramificações nervosas.
Protoplasmático: relativo ao protoplasma, isto é, substância gelatinosa que constitui a massa essencial da célula animal ou vegetal, sendo a base das funções vitais.
Psicossoma: corpo espiritual ou perispírito.
Sintonizar: entrar em sintonia, que é a igualdade de freqüência entre duas fontes de vibração.
Sistema Nervoso: sistema nervoso que constitui o mecanismo que permite ao animal um contato permanente com o meio que o rodeia, determinando mudanças e atitudes úteis ao seu organismo. No homem, como nos animais vertebrados, o sistema nervoso compreende o sistema nervoso central e o sistema nervoso periférico. O sistema nervoso central consta do eixo cérebro-espinhal, formado pelo encéfalo (parte contida na cavidade do crânio) e a medula espinhal.
Tessitura: contextura; organização.
Unicelular: que é formado por uma única célula.
Vibratório: que produz ou é acompanhado de vibração, isto é, a oscilação ou movimento periódico de um corpo que passa pelas mesmas posições em iguais intervalos de tempo (períodos).




1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal