Da anotação – Emmanuel



Baixar 0.5 Mb.
Página1/16
Encontro21.10.2017
Tamanho0.5 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16





ELUCIDÁRIO DE




EVOLUÇÃO EM DOIS MUNDOS


Elucidação de termos usados no livro Evolução em Dois Mundos, ditado pelo Espírito André Luiz, através da psicografia dos médiuns Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. A elucidação é dada por capítulos, cada termo obedecendo, basicamente, ao sentido a ele atribuído no respectivo capítulo.



Apresentação

Está é uma obra complementar necessária.

Para quem se proponha a estudar o livro Evolução em Dois Mundos, de André Luiz, psicografia de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, haverá dificuldades quase intransponíveis para plena inteligência do texto, se não houver um amparo constante de bons dicionários ou, então, de especialista nas mais diversas Ciências.

Este elucidário supre tal dificuldade.

Proposto em tal ordem que faz o acompanhamento de cada capítulo, o seu Autor, José Marques Mesquita, com revisão técnica do Prof. Gerson Sestini, dicionariza os termos mais complexos e todos os que possam apresentar superior dificuldade para o leitor.

Bastará, pois, abrir cada capítulo do Evolução em Dois Mundos e, paralelamente, o capítulo que lhe corresponda no Elucidário, e teremos condições de alcançar parte do horizonte que André Luiz propõe na linguagem técnica de que não se pode abstrair sem dano para sua exposição.

Disse-nos, uma vez, o Autor espiritual, que Evolução em Dois Mundos era uma apostila de um curso que ele houvera assistido na espiritualidade!

E que curso, meu Deus!

Por outro lado, após mais de 26 anos de existência desta obra única na literatura mediúnica Espírita, com mais de 60 mil volumes postos em franca circulação, o curso da Ciência oficial tem confirmado muitos dos avanços revelados por André Luiz e, assim, não era sem tempo que comparasse junto ao leitor um livros auxiliar que permitisse aos leigos entenderem-no.

No mais, esta obra fala por si só.

Será dispensável enaltecer a sua oportunidade, porque você mesmo avaliará a correção do texto e, igualmente, o seu inestimável valor.
Roque Jacintho

S. Paulo, 10 janeiro, 1984.



Nota do Autor

O presente trabalho teve por escopo inicial servir, de forma restrita, de auxílio aos participantes do Grupo de Estudos, do qual fazemos parte, mantido pela entidade “CONSOLADOR – Comunidade Espírita Cristã”, do Rio de Janeiro, RJ, de maneira a facilitar o entendimento do conteúdo do livro Evolução em Dois Mundos.

Entretanto, dada importância desse livro de André Luiz para o conhecimento do mecanismo da evolução, do ponto de vista espiritual, bem como das relações entre o corpo físico e o corpo espiritual (perispírito), fomos incentivados a melhorar o nosso modesto trabalho para publicá-lo. Assim o fizemos, apresentando-o sob a forma deste Elucidário, para servir aos demais irmãos da grande família Espírita, que também encaram o aspecto científico da Doutrina Espírita como um apelo ao estudo das leis naturais nos dois planos, consoante o esclarecimento dado em “O Livro dos Espíritos” – Questão n.º 671: “Todas as leis da Natureza são leis divinas, pois Deus é o autor de todas as coisas”. Isto, no entanto, sem perder de vista o fato de que, se o estudo é importante, mais importante ainda é a consciência de que a responsabilidade aumenta com o conhecimento, sendo imprescindível a manutenção de um esforço continuado de trabalho no bem, de modo a tornar o nosso conhecimento proveitoso, como um instrumento de edificação.

Expressamos os nossos agradecimentos aos seguintes irmãos, sem cujo apoio e colaboração não teria sido possível o presente trabalho: Prof. Gerson Sestini, que além da revisão dos manuscritos, contribuiu com a sua orientação e deu sua contribuição na elucidação de termos; Prof. Roque Jacintho, que, além de ter-se incumbido de fazer a apresentação deste Elucidário, também colaborou com sua orientação e com importantes subsídios; e aos demais irmãos do Grupo de Estudos acima mencionado, que deram a contribuição de suas idéias e do seu incentivo.



J.M.M.

Anotação – Emmanuel

Nota ao leitor – André Luiz



Arcabouço: estrutura que sustenta a forma de um corpo.
Auscultar: sondar, procurar, conhecer.
Bojo: analogia com a parte mais arredondada e convexa da carena (quilha) de um navio.
Casulo: invólucro, envoltório. Analogia com o invólucro construído por larvas de insetos.
Cefalorraquiano: relativo ao encéfalo e à medula espinhal. Encéfalo é a parte do sistema nervoso central contida na cavidade do crânio; medula espinhal é a parte do sistema nervoso central contida na coluna vertebral.
Célula: a menor unidade de função e de organização capaz, por si mesma, de multiplicação e de relação, que apresenta todas as características de vida.
Célula Nervosa: célula constituída de um corpo central, contendo o núcleo, e de vários prolongamentos, que constituem as fibras nervosas; neurônio.
Coríntio: habitante de Corinto, cidade localizada junto ao Golfo de Corinto, que separa a Grécia Central do Peloponeso, sendo esta uma península montanhosa e agreste, no sul da Grécia, unida ao continente pelo istmo de Corinto.
Enzima: designação das substâncias protéicas que atuam no organismo como agentes catalisadores (desencadeiam reações) nos processos metabólicos, transformando a energia de ativação necessária para cada reação, tornando esta mais rápida; fermento.
Epístola: carta. Cada uma das cartas dos Apóstolos às comunidades cristãs primitivas.
Filogenético: referente à filogênese, que é o estudo das relações de descendência biológica dos organismos, e da evolução de uma espécie ou grupo biológico a partir de formas primitivas de origem.
Hidrocefalia: hidropsia cerebral, pelo aumento de volume do líquido cefalorraquiano, a qual produz deformação do crânio e atrofia no desenvolvimento intelectual.
Intracraniano: que se encontra no interior do crânio.
Metabólico: relacionado com o metabolismo, que é o conjunto dos fenômenos químicos e físico-químicos, mediante os quais se fazem a assimilação e a desassimilação, no organismo, das substâncias necessárias à vida.
Neurite Óptica: inflamação do nervo óptico.
Patológico: doentio, mórbido.
Psicastenia: neurose em que há temores patológicos, ansiedade, insegurança, indecisão e fadiga psíquica.
Sibila: profetisa pagã da Antigüidade. As mais famosas sibilas foram as da Eritréia (Ásia Menor) e Cumas (Campânia). Conserva-se em Roma uma coleção de oráculos “Livros Sibilinos”, que eram consultados oficialmente em circunstâncias graves. Tiveram também caráter profético as “profecias sibilinas” hebraicas que, desde o II século a.C., surgiram, imitando os oráculos gregos, e depois foram retocadas em sentido cristão.
Sidéreo: relativo ao plano astral, plano intermediário entre o plano físico e o plano espiritual.
Taxa Metabólica: nível da energia produzida, no processo metabólico, resultante da ação das enzimas no organismo.
Vitamina: designação dos compostos orgânicos dos reinos animal e vegetal, que atuam em pequeníssimas quantidades, favorecendo o metabolismo, servindo como base para os mais importantes fermentos, influindo sobre os hormônios, etc. A vitamina, portanto, não constitui alimento propriamente dito, mas uma substância que exerce ação catalítica (desencadeia reações) indispensável o organismo. Essa atividade biocatalítica se baseia no fato de que a vitamina forma parte de uma coenzima (componente das enzimas)
Vórtice: redemoinho, remoinho, voragem.





  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal