Curso Organização, Sistemas e Métodos



Baixar 16.25 Kb.
Encontro05.02.2019
Tamanho16.25 Kb.

Curso Organização, Sistemas e Métodos
Aula I (12/03/2001)
(conteúdo extraído de Organização, Sistemas e Métodos - Vol I, Maria Esmeralda Ballestero Alvarez - McGraw Hill - 1990)

Escola Clássica (ou Administração Científica)
Taylor (1856/1915): tempos e movimentos das atividades fabris. Formula conceitos tendo por base empírica a unidade fabril e a tarefa realizada pelo operário (tarefas)
Fayol (1841/1925): focaliza a estrutura necessária que uma empresa deve adotar para melhor atingir seus objetivos - visa eficiência (estrutura)
A abordagem de ambos caracteriza a Escola Clássica e tem o mérito da introdução do método científico e racional na administração. Caráter prescritivo e normativo. Enfatiza a estrutura formal como único caminho viável para eficiência.
Conceitos de:

a) homem econômico - concepção da natureza humana segundo a qual o ser humano, ao tomar uma decisão, conhece todos os possíveis cursos de ação, bem como suas consequências, optando sempre por aquela que lhe trouxer melhores e maiores ganhos.

b) eficiência - que só pode ser alcançada se for adotada a forma correta de execução de trabalho, via divisão em passos que a compõem.

c) unidade de comando - cada empregado deve receber ordens de um superior apenas - princípio da autoridade única

d) autoridade versus responsabilidade - direito de dar ordens e esperar obediência. Responsabilidade é uma consequência natural da autoridade

e) linha (comando) versus staff (conselheiro)


Princípios básicos subjacentes às características e conceitos são:

a) divisão do trabalho: desinação de tarefas específicas a cada uma das partes da organização

b) supervisão funcional - especialização do operário deve ser acompanhada da especialização do supervisor e não de uma centralização de autoridade

c) funções da empresa - técnica, comercial, financeira, segurança, contábil e administrativa

d) função do administrador - planejar, organizar, comandar, coordenar e controlar

e) departamentalização - estrutura, forma e disposição das partes que constituem a empresa, a;ém do inter-relacionamento dessas partes. Restringe-se apenas aos aspectos da organização formal da empresa.


Críticas

a) abordagem simplista da "organização formal", não abordando a "organização informal"

b)ausência de trabalhos experimentais capazes de dar base científica às suas afirmações e princípios

c)mecanicista (teoria da máquina)

d)abordagem incompleta da organização

e)visualização da organização como um "sistema fechado"


Fatos importantes:
a)I Guerra mundial (1914/1918)

b)Depressãoi econômica (1929/1933)

c)Desenvolvimento das Ciências Sociais

estudos sociais (Durkheim - 1858/1917)

estudos psicológicos (Freud - 1856/1939 & Jung - 1875/1961)
1924 - Western Electric Company solicita à Academia Nacional de Ciências estudo sobre fatores físicos ambientais versus eficiência do operariado (apesar dos benefícios dos operários, a empresa estava enfrentando descontentamento). O estudo foi realizado por George Mayo e as conclusões do trabalho dão origem à Escola das Relações Humanas (experiência de Hawthorne)
Características mais importante - incorporar à Administração os conceitos das Ciências Sociais e verificar a aplicação do conceito de estruturas informais (baseadas em afinidade pessoal, camaradagem e confiança). Ser humano (social).
homem social - definição formulada através das hipóteses:
a) necessidades sociais são o motivador básico do comportamento humano e os relacionamentos interpessoais são o modelador básico do sentimento de identidade

b) como consequência da mecanização, o trabalho perdeu o seu significado intrínsico e o significado deve ser buscado nos relacionamentos socias no trabalho

c) trabalhador responde mais às forças sociais do grupo de pares do que aos incentivos e controles instituídos pela direção da empresa.

d) trabalhadores respondem favoravelmente à direção da empresa à medida que se sentem como parte da organização, são aceitos e mantém um sentimento de indentidade


Conceitos que emergem da Escola das Relações Humanas: além do "homem social", a dinâmica do grupo ao qual o indivíduo se insere e a liderança que emerge no grupo.
Princípios básicos da Escola de Relações Humanas:

a) trabalho só tem sentido enquanto atividade grupal

b) recompensas e sanções do grupo social têm maior influência que as provenientes da estrutura formal

c) maior especialização do trabalho pode conduzir à monotonia e não necessariamente à eficiência


Críticas:

a) visão inadequada dos problemas de relações industriais

b) limitação no campo experimental - parcialidade nas conclusões

c) concepção ingênua e romântica do operário e demasiada ênfase nos grupos informais


As críticas provocaram o amadurecimento da Escola de Relações Humanas e a incoporação das Ciências Sociais: Antropologia, Economia, Psicologia e Sociologia e não apenas das comportamentais.
Administração Científica e Relações Humanas são:

a) teorias extremas, cada uma apresentando: radicalismos, parcialidades (tendenciosas) e contra-sensos

b) contemplam apenas a empresa (indústria e/ou comércio)

c) não apresentam uma atitude experimental sobre outros tipos organizacionais


1924 - Allport - "teoria da personalidade". Em 1937 publica Personality: a psycological interpretation.
Marslow & McGregot - psicólogos industriais vão se preocupar e estudar as forças motoras do comportamento humano
Com essas bases, começa a Escola Comportamental, baseada no comportamento individual, grupal ou formal do ser humano. Característica básica: repousa fortemente na inclusão da Psicologia, na Administração. Apresenta motivação como mola propulsora do comportamento humano.
Princípios Gerais

a) busca cooperação entre empresários, empregados e clientes - pessoas irão cooperar naturalmente, desde que o esforço possua sua justificativa nas vantagens e satisfações que geram

b) administração deve criar um ambiente organizacional tal que os seus membros possam alcançar melhor os seus objetivos individuais, dirigindo seus eforços grupais para os objetivos da organização

c) percepção, por parte da direção, da escala motivacional, em que cada indivíduo atua de forma particular e única

d) estilo participativo de liderança em oposição ao autoritarismo
Une as duas escolas anteriores. Críticas: "psicologização".
fenomenologia - doutrina filosófica (Husserl - 1859/1938) que consiste no exame, pela consciência humana, do conteúdo fornecido pela realidade fenomênica.
Visão estruturalista - teoria e método de investigação científica baseada nos conceitos matemáticos de estrutura e modelo (Lévi-Strauss - 1908). É o responsável pela inclusão do pensamento estruturalista dentro da Teoria da Administração,
Estruturalismo + Fenomenologia + Teoria da Administração - Escola Estruturalista.
homem organizacional - a sociedade moderna é constituída de uma série de organizações dentro das quais o ser humano vive e depende delas para nascer, sobreviver e morrer. Como cada uma dessas organizações apresenta estrutura, função, objetivo e papéis variados, vão exigir do indivíduo um grande poder de adaptação flexibilidade e resistência à frustração, trabalhando basicamente com o desejo de realização não imediato.
Avanço: tratamento do conflito que não é feito pelas
Escola Científica - identidade de interesses

Escola de Relações Humanas - harmonia via compreesão



Escola Comportamental - percebe que pode existir uma diferença entre as necessidades individuais e as organizacionais, resolvida através da integração das necessidades.
Escola Estruturalista da Teoria de Administração enfoca o conflito como processo social. Conflito entre grupos é inerente às relações de produção.
Destaca as relações entre organização e ambiente, preparando, assim, o caminho para a inclusão da Teoria Geral dos Sistemas.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal