Curso de capacitação em Dengue manejo clínico e diagnóstico



Baixar 31.9 Kb.
Encontro22.02.2018
Tamanho31.9 Kb.

Curso de capacitação em Dengue - manejo clínico e diagnóstico

Nome: ________________________________________________________
Profissão: ( ) Médico(a) ( ) Enfermeiro(a) ( ) Outros:_____________
Município onde reside: __________________________________________

1-Devemos suspeitar de dengue na presença dos seguintes sintomas e sinais, EXCETO:


a. Febre com duração de até sete dias, mialgia, cefaléia, prostração.

b. Febre com duração de pelo menos 10 dias, hepatoesplenomegalia, linfadenomegalia, epistaxe.

c. Febre de três dias de evolução, artralgia, dor retroorbitária, petéquias.

d. Febre com duração de dois dias de evolução, cefaléia, exantema maculopapular, petéquias.


2-A confirmação laboratorial do diagnóstico de dengue, conforme protocolo do Ministério da Saúde, é realizada por meio de:
a. Teste sorológico nos primeiros cinco dias de doença.

b. Teste sorológico a partir do sexto dia do início dos sintomas.

c. Dois testes sorológicos realizados no terceiro e no décimo dia de doença.

d. Isolamento viral após 12 dias de doença.


3-O hemograma dos pacientes com dengue pode mostrar as seguintes alterações, EXCETO:
a. Leucopenia.

b. Plaquetopenia.

c. Linfocitose.

d. Eosinofilia.


4-São sinais de alarme no dengue, EXCETO:
a. Febre contínua, acima de 39º C.

b. Dor abdominal intensa e contínua.

c. Vômitos persistentes.

d. Hipotensão postural.


5-Com relação ao dengue, assinale a proposição INCORRETA:
a. Apenas os casos confirmados devem ser notificados à Vigilância Epidemiológica.

b. As formas graves ocorrem geralmente entre o terceiro e o sétimo dia de doença, na defervescência da febre.

c. O exantema, quando ocorre, é maculopapular, podendo apresentar-se sob todas as formas, com ou sem prurido, precoce ou tardiamente.

d. O diagnóstico diferencial inclui doença de Kawasaki, meningococcemia, doenças exantemáticas, hepatites, febre amarela, síndromes purpúricas e farmacodermias.


6-Os seguintes medicamentos NÃO devem ser usados por pacientes com dengue, EXCETO:
a. Ácido acetilsalicílico

b. Ibuprofeno

c. Diclofenaco

d. Dexclorfeniramina


7-Diante de um paciente com dengue sem sinais de alerta ou sinais de choque, assinale a proposição INCORRETA:
a. A necessidade de internação será determinada pelo hemograma, porém o paciente deverá ser reavaliado e orientado para reconhecer os sinais de alerta em caso de acompanhamento ambulatorial.

b. Caso seja escolhido hidratação por via oral, deverá ser iniciada hidratação a 60mL a 80 mL/kg/ dia.

c. Poderá ser prescrito dipirona ou acetaminofen para febre ou dor.

d. A dieta deverá ser suspensa, inclusive o aleitamento materno nas primeiras 24 horas.


8-A prova do laço é positiva quando:
a. Em área de aproximadamente 2,5 x 2,5 cm de lado no antebraço do paciente, contam-se 20 ou mais petéquias (adultos) ou 10 (crianças).

b. Em área de aproximadamente 2,5 x 2,5 cm, contam-se 10 ou mais petéquias em adultos ou cinco ou mais em crianças.

c. Em área de aproximadamente 2,5 x 2,5 cm, não surgem petéquias.

d. Estando o manguito insuflado na pressão máxima, durante 5 minutos, surgem petéquias em todo o antebraço do paciente.


9-É de fundamental importância no manejo clínico e no controle do dengue, EXCETO:
a. Conscientizar a população sobre medidas de prevenção e controle do vetor.

b. Organizar os Serviços de Saúde que devem estar preparados para atuar em epidemias.

c. Formar especialistas em dengue que deverão atuar junto às equipes do Programa de Saúde da Família.

d. Treinar as equipes de saúde para detecção precoce e manejo correto dos casos de dengue.


10-Foi divulgado surto de dengue no seu município e você tem atendido, nos últimos 30 dias, pacientes apresentando quadro febril agudo, cefaléia e artralgia. Nessa situação, as seguintes condutas estão corretas, EXCETO:
a. Notificar todos os casos suspeitos de dengue.

b. Casos com diarréia não devem ser considerados casos suspeitos de dengue.

c. Solicitar exames específicos no momento do atendimento, independente do tempo de início de sintomas, para os casos graves, grupos C e D.

d. Solicitar sorologia específica para todas as gestantes.


11-Diante de um paciente com suspeita de dengue, no quinto dia de doença, apresentando sangramento intestinal, choque, derrame pleural e plaquetopenia, qual a melhor conduta:

a. É um paciente classificado como do grupo B, necessita de hemograma para definir a necessidade de internação.

b. Drenar o derrame pleural.

c. Solicitar acesso venoso calibroso, iniciar hidratação endovenosa e encaminhar o paciente com urgência para serviço capaz de oferecer suporte hemodinâmico e respiratório ao paciente, de preferência em leito de UTI.

d. Fazer prova do laço para definir o grupo clínico do paciente.
12-Você atende um paciente com dengue grave, com suspeita de extravasamento plasmático. Todos os exames abaixo podem evidenciar esse fato, EXCETO:
a. Contagem de plaquetas e leucograma.

b. Hematócrito, albumina sérica.

c. Estudo radiológico do tórax.

d. Ultra-som do tórax e do abdômen.


13-Você atende paciente que vem evoluindo há três dias com queixas de febre, dor retro orbitária e mialgia. Sua hipótese diagnóstica é dengue mesmo não havendo relato de casos dessa doença nos últimos meses na região. Qual exame você solicitaria naquele momento para o diagnóstico específico de dengue?
a. Por meia da detecção do antígeno NS1 por ELISA.

b. Pela sorologia (ELISA – IgM) para dengue.

c. Verificando a hemoconcentração por meio da elevação do hematócrito.

d. O quadro clínico é suficiente, não necessitando exames específicos.


14- Qual a afirmativa correta?
a. O paciente com dengue, sem febre após o terceiro dia de doença, pode receber alta do controle ambulatorial.

b. A prova do laço pode ser desnecessária em alguns casos.

c. Transfusão de plaquetas está indicada em todos os casos com manifestações hemorrágicas, independentemente do número de plaquetas.

d. Não ocorre dengue grave em crianças menores de seis meses devido à proteção pelos anticorpos maternos.



  1. ABC, Masc, 28 anos, há 05 dias com febre, cefaléia, mialgia, vômitos persistentes, dor abdominal contínua, sem sangramento espontâneo. Ao exame apresenta estado geral regular, hidratado, corado. Prova do laço negativo. Pressão normal. Ao analisar o caso, diga qual o estadiamento clínico do paciente.



  1. Grupo A

  2. Grupo B

  3. Grupo C

  4. Grupo D



  1. Baseado na sua classificação, qual a conduta terapêutica?

  1. Anti-emético, paracetamol ou dipirona e hidratação em casa.

  2. Hidratação ora supervisionada 80ml/Kg/dia, sendo 1/3 em 4 horas. Manter em leito de observação, com reavaliação clínica e de hematócrito em 4 horas após hidratação.

  3. Reposição volêmica: 20 ml/kg/h com soro fisiológico. Acompanhamento em leito de internação. Reavaliação clínica e de hematócrito a cada 2 horas. Repetir a fase de expansão até 03 fases se não houver melhora dos valores do hematócrito (hemoconcentração) e dos parâmetros clínicos.

  4. Hidratação IV: 20 ml/Kg em 20 minutos. Internar em serviço com leito de UTI. Repetir esta fase até três vezes. Reavaliação clínica a cada 15-30 minutos e hematócrito após 2 horas.



  1. Os sinais de alarme devem ser pesquisados e o Cartão da Dengue entregue aos pacientes com suspeita de dengue, liberados para casa de acordo com o protocolo do MS. Quais dos sintomas abaixo são considerados sinais de alarme?



  1. Vômitos persistentes, dor abdominal contínua; Hipotensão postural;

  2. Desconforto respiratório; sonolência e/ou irritabilidade; hepatomegalia dolorosa;

  3. Hemorragias importantes; Aumento repentino de hematócrito ou queda abrupta de plaquetas;

  4. Todas as respostas acima.

18. Paciente de 35 anos é atendido com quadro de cefaléia, febre, prostração e mialgia. Apresenta hematócrito de 48% e plaquetas de 15mil/mm3. Não apresenta sinais de alarme e não apresenta sinais de choque. O município onde reside esta em pleno surto de dengue. Qual é a melhor conduta:

  1. Transfusão imediata de plaquetas.

  2. Internação hospitalar com monitorização rigorosa com hemograma e contagem de plaquetas.

  3. Administrar imunoglobulina e corticóide.

  4. Acompanhamento ambulatorial com retorno diário.

19. Paciente de 72 anos de idade com cefaléia, prostração e febre. Sua principal hipótese diagnóstica é dengue. Não apresenta mais nenhuma alteração ao exame clínico ou anamnese. Qual o grupo de estadiamento clínico desta paciente:

a. A b. B c. C d. D

20. Os seguintes pacientes estão na triagem de uma unidade de saúde.

X – Homem de 22 anos com febre alta e mialgia. PA: 130/80 mmHg. FC: 90bpm. Queixa de intensa dor abdominal e diminuição da diurese.

Y – Mulher de 37 anos com intensa dor pelo corpo e febre alta. Normotensa com prova do laço positiva.

Z – Criança de 1 ano e 6 meses. Mãe relata que há 3 dias estava com febre. Hoje se tornou muito irritada e não queria alimentar. Há 30 minutos criança parou de chorar e esta gemente. Apresenta pele fria e pegajosa com pulsos finos de difícil detecção.



W- Senhora de 40 anos diabética. Veio à unidade de saúde para renovar a receita da metformina. Sem queixas no momento.
Assinale a alternativa que oferece a melhor ordem de prioridade de atendimento aos pacientes. Do mais prioritário para o menos prioritário.


    1. W, Z, Y, X.

    2. Z, Y, X, W.

    3. Z, X, Y, W.

    4. X, Z, Y, W.





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal