Condições que favorecem o crescimento bacteriano



Baixar 45.51 Kb.
Encontro21.10.2017
Tamanho45.51 Kb.

Infecções da cavidade bucal



A orofaringe é um dos locais mais sépticos do corpo humano

Condições que favorecem o crescimento bacteriano


  • humidade

  • temperatura

  • pH 6,8 - 7,2

  • pressão em oxigénio



Ecosistemas principais


  • mucosa lingual

  • placa bacteriana

  • silo gengival






Carie dentária


infecções que resultam da destruição do esmalte dentário, por acção dos ácidos provenientes da degradação dos hidratos de carbono alimentares por algumas estirpes bacterianas:

Streptococcus mutants

Lactobacillus

Periodontites e infecções alveolares


infecções polimicrobianas, por bactérias anaeróbias estritas ou por bactérias do género Streptococcus, nas estruturas que sustêm os dentes:

  • gengiva

  • ligamentos alveolo-dentários

  • osso alveolar

  • cimento


Infecções do aparelho digestivo





Enterocolites agudas


Infecções do intestino delgado ou do cólon devidas a bactérias entero-invasivas, bactérias toxinogénicas não invasivas e a exotoxinas bacterianas produzidas nos alimentos.

Enterocolites necrosantes


A necrose é causada por uma isquemia intestinal que favorece a proliferação bacteriana
  • enterocolites do recém-nascido


Escherichia coli ECEP

Klebsiella pneumoniae

Pseudomonas aeruginosa

Clostridium butyricum
  • enterocolites do adulto


Clostridium perfringens

Enterocolites pseudo-membranosas


Infecções desencadeadas por uma antibioterapia prolongada

Enterocolites crónicas


Infecções pouco dolorosas com evolução lenta, com crises febris levando a uma má absorção e perda de peso, devidas principalmente ao Mycobacterium tuberculosis

Mecanismos fisiopatológicos das enterocolites



Flora intestinal

Flora comensal


Bactérias anaeróbias estritas, aero-anaeróbias facultativas e leveduras que se encontram em quantidade abundante e de um modo constante.

Flora "em trânsito"


Espécies provenientes da alimentação ou de outros locais do corpo que em quantidade excessiva podem levar a manifestações infecciosas


Barreira natural


As bactérias comensais em equilíbrio ecológico, protegem o hospedeiro impedindo, por inibição competitiva, que uma bactéria potencialmente patogénica se fixe aos receptores específicos da mucosa.


Mecanismos de ordem imunológica a mucosa intestinal, rica em plasmócitos que secretam IgA, IgG e IgM, constitui, também, um obstáculo à implantação de bactérias potencialmente patogénicas.

Modalidades da infecção




  1. Processo invasivo


As bactérias com características invasivas, capazes de destruir a mucosa, aderem às células epiteliais, penetram e multiplicam-se, síndroma desintérico - ulcerações características, que dão origem a fezes múltiplas com sangue e pus.

    • Shigella

    • Salmonella

    • Campylobacter jejuni

    • Yersinea enterocolitica

    • Escherichia coli ECEI


  1. Processo tóxico


As bactérias produtoras de exotoxinas ou enterotoxinas fixam-se à superfície da mucosa (factores de colonização), mas não penetram no epitélio e produzem uma exotoxina do tipo A+B responsável por uma vaso dilatação capilar e perturbações do metabolismo celular. Verifica-se um fluxo de líquidos através da parede celular com aumento de secreção dos sucos digestivos ou seja uma secreção de sódio e de água aumentada por estimulação da adenilciclase membranária.

    • Vibrio cholerae

    • Escherichia coli (ECET, ECEH, ECEP)

    • Clostridium perfringens

    • Clostridium difficile

    • Bacillus cereus enterotoxina termolábil

    • Campylobacter jejuni





Modalidades da infecção (continuação)



  1. Intoxicações alimentares


A toxina é produzida no alimento, a bactéria não é, por si só, a principal interveniente na infecção, mas sim a toxina.

    • Staphylococcus aureus enterotoxina termoestável

    • Clostridium perfringens

    • Clostridium botulinum

    • Bacillus cereus enterotoxina termoestável


  1. Dismicrobismo


Desequilíbrio da flora intestinal, após uma antibioterapia prolongada, pode levar a um estado infeccioso no qual a estirpe Clostridium difficile é a principal responsável.

Epidemiologia


  • transmissão via oral-fecal

  • contacto com doente ou portador são

  • surto epidémico e/ou esporádico

  • fontes de infecção

alimentos: água, leite e derivado, marisco, ovos, carne e arroz



Exame bacteriológico das fezes




todos os processos diarreicos não são infecciosos

todas as diarreias infecciosas não são bacterianas (vírus, parasitas, leveduras)

todas as diarreias bacterianas não são devidas a bactérias específicas


Colheita


  • recipiente estéril

  • zaragatoa rectal

  • papel de filtro (fezes muito líquidas)



Transporte


  • imediato e conservar a + 4ºC


Métodos analíticos



Exame a fresco

  • indispensável para a pesquisa de parasitas

  • pesquisa de leucócitos e de hemácias


Exame cultural ou Coprocultura

1 - Coprocultura sistemática


  • Salmonella spp.

  • Shigella spp.

  • Yersinia enterocolitica

  • Campylobacter spp.



2 - Coprocultura dirigida


  • Escherichia coli enteropatogénicas

  • Vibrio cholerae

  • Clostridium difficile

  • Listeria monocytogenes


Escherichia coli enteropatogénicas




Escherichia coli enterotoxinogénica (ETEC)

Produzem dois tipos de enterotoxinas termo-lábil LT ou termo-estável ST, têm um mecanismo de acção tóxico, com diarreia aquosa devido à hipersecrecção de água e electrólitos.





Escherichia coli enteroinvasiva (EIEC)

Invadem e destroem o enterócito, por um mecanismo invasivo, ocasionando uma diarreia aguda com sangue e pus.





Escherichia coli enteropatogénica (EPEC)

Associadas à diarreia do recém-nascido e caracterizam-se porque têm um mecanismo invasivo diferente do anterior, ou seja aderem ao enterócito promovendo a fusão das vilosidades o que leva à formação de filamentos de actina polimerizada, provocando a destruição do enterócito.



Escherichia coli enterohemorrágica (EHEC)

Produz uma endotoxina vulgarmente conhecida como verotoxina que provoca a morte do enterócito dando origem a diarreias com sangue.






Meios de cultura


Meios selectivos para bacilos de Gram negativo - Drigalsky

Identificação Serológica


Pesquisa dos Ag O e B para as estirpes ECEP (bebés até 3 anos)

Pesquisa dos Ag O e H para as estirpes ECEH (O157:H7)



Pesquisa de enterotoxinas toxina LT


Método ELISA

Doseamento radio-imunológico




Yersinia enterocolitica




Meios de cultura


Os meios utilizados para a pesquisa de Salmonella e Shigella, incubados a 37ºC durante 24h e na ausência ou presença de colónias muito pequenas, deixar à temperatura ambiente durante 24 h.

Meio de enriquecimento


Água peptonada colocada a +4 durante 3 semanas

Todas as semanas passagem para meio selectivo



Identificação


Pesquisa da produção de urease a partir de colónias suspeitas

Identificação bioquímica API System 20E



Campylobacter spp.

Bactérias que colonizam a mucosa intestinal dos animais mamíferos e aves


Poder patogénico

No homem as espécies C. jejuni e C. coli são os principais responsáveis por enterocolites por um processo tóxico e/ou invasivo.


Factores de virulência

Dose infectante ID50 é muito baixa, a infecção pode resultar pela ingestão de 500 a 1000 bactérias.



Meios de cultura


Meios selectivos ou Mueller-Hinton suplementado com antibióticos, incubados em microaerófilia (5% de O2+ CO2) a 43ºC durante 48 h

Identificação


Bacilos de Gram negativo, encurvados e móveis, produtores de oxidase e catalase

Vibrio cholerae



Poder patogénico

Enterocolites por um processo tóxico

Diarreia profusa aquosa, que pode ser mortal por colapso cardiovascular com acidose e insuficiência renal, devido à desidratação causada pela perda de 1 litro de água por hora
Factores de virulência


  • Adesinas do tipo IV

  • Enterotoxina cholera toxin



Meios de cultura


Gelose nutritiva pH 9

Meio selectivo - TCBS



Meio de enriquecimento


Água peptonada pH 9 passagem para meio selectivo após 3 a 6 h de incubação a 37ºC

Identificação


Bacilos de Gram negativo, encurvados móveis, produtores de oxidase

Identificação bioquímica API System 20 NE



Clostridium difficile



Poder patogénico

Enterocolites


Factores que favorecem

  • Alteração da flora intestinal normal por dismicrobismo

  • Alterações do estado imunológico do individuo

  • Enterotoxina e citotoxinas



Meios de cultura


Gelose de sangue suplementado com antibióticos, incubado em atmosfera de anaerobiose a 37ºC durante 48 h

Pesquisa da citotoxina


Métodos imunológicos


Listeria monocytogenes



Poder patogénico

Enterocolites

Meningites no recém-nascido e nos individuos imunocomprometidos

Nascimento prematuro quando a mãe é infectada durante a gravidez


Pesquisa

  • no adulto como portador são

  • pesquisa no mecónio



Meios de cultura


Gelose de sangue suplementado com antibióticos

Meio de enriquecimento


Caldo nutritivo colocado a +4ºC durante 6 semanas

Todas as semanas passagem para meio selectivo



Identificação


Bacilos de Gram positivo, produtores de catalase

Identificação bioquímica API System Listeria

Identificação serológica


Aida Duarte



FFUL





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal