Complexo leucótico aviário



Baixar 9.22 Kb.
Encontro11.01.2018
Tamanho9.22 Kb.

COMPLEXO LEUCÓTICO AVIÁRIO

Daniel de Almeida Balthazar

Universidade Castelo Branco




  • Histórico

  • Roloff ralatou pela primeira vez uma doença leucótica em 1868.

  • Em 1921 foi feita a primeira distinção entre leucose mielóide, eritróide e linfóide

  • Em 1989 foi feito o primeiro isolamento viral




  • Agente etiológico

  • Família Retroviridae

  • Gênero Retrovirus

  • Divididos em 6 subgrupos (A,B,C,D,E e J)

  • Subgrupo J é o mais comum

  • Vírus RNA, envelopado




  • Patogenia

  • Podem afetar galinhas, perus, faisões, codornas e perdizes.

  • Transmissão horizontal e vertical

  • 4 classes sorológicas virológicas

> Sem viremia e sem anticorpos (V-A-)

> Com viremia e com anticorpos (V+A+)

> Sem viremia e com anticorpos (V-A+)

> Com viremia e sem anticorpos (V+A-)



- Fontes de infecção: saliva e fezes


  • Patogenia




  • Sinais clínicos

  • São inespecíficos

  • Anemia (cristas e barbelas pálidas)

  • Anorexia

  • Prostração

  • Emaciação e desidratação

  • Diarréia

  • Abdômen aumentado

  • Queda na produção de ovos




  • Achados anatomopatológicos

  • Tumores em vários órgãos

  • Em casos de leucose linfóide, predominância de tumores na bolsa de fabrício

  • Em casos de leucose mielóide, predominância de tumores nas superfícies ósseas




  • Diagnóstico

  • Clínico




  • Sorológico




  • Isolamento viral




  • Molecular (PCR)



  • Tratamento e profilaxia




- Evitar transmissão vertical


  • Vacinação

- 7 dias para resposta vacinal efetiva




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal