Clínica cirúrgica – otorrinolaringologia



Baixar 95.96 Kb.
Encontro28.10.2017
Tamanho95.96 Kb.

CLÍNICA CIRÚRGICA – OTORRINOLARINGOLOGIA


  1. Todas as estruturas abaixo possuem comunicação com o meato médio, exceto:




    1. Seio frontal

    2. Seio esfenoidal

    3. Seio maxilar

    4. Seio etmoidal anterior




  1. A zona responsável pela olfação localiza-se no(a):




    1. Meato médio

    2. Corneto inferior

    3. Coana

    4. Teto da fossa nasal




  1. Assinale a alternativa correta:




    1. Os seios paranasais são estruturas já formadas ao nascimento.

    2. A válvula nasal é importante na regulação do fluxo aéreo, já que apresenta o maior diâmetro dentre os componentes nasais.

    3. O septo nasal é uma estrutura bastante vulnerável a traumatismos, pois sua composição é exclusivamente cartilaginosa.

    4. O reflexo nasopulmonar é responsável por expansão mais adequada e eficiente dos alvéolos pulmonares.




  1. Criança de 03 anos com história de coriza hialina, espirros, obstrução e prurido nasais há 03 dias sem antecedentes médicos importantes. O diagnóstico mais provável é:




    1. Rinite alérgica

    2. Resfriado comum

    3. Rinite atrófica

    4. Rinite hipertrófica




  1. Paciente de 08 anos com história de febre, rinorréia purulenta unilateral e obstrução nasal há 05 dias. O exame mais indicado para o diagnóstico é:




    1. Tomografia computadorizada

    2. Raio-X de seios paranasais

    3. História e rinoscopia anterior

    4. Cultura de secreção




  1. Dentre os agentes etiológicos na rinossinusite aguda, o menos provável é:




    1. Haemophilus influenzae

    2. Micoplasma pneumoniae

    3. Staphylococcus aureus

    4. Moraxella catarrhalis




  1. São componentes da orelha média, exceto:




    1. Tuba auditiva

    2. Bigorna

    3. Cóclea

    4. Células mastóideas




  1. Sobre a fisiologia da audição pode-se afirmar:




    1. A tuba auditiva tem pouca participação, sendo mais importante para drenagem de secreções.

    2. O órgão de Corti é uma estrutura rudimentar, com função secundária nos processos auditivos.

    3. O mecanismo de amplificação sonora deve-se somente à participação da cadeia ossicular.

    4. Somente parte da membrana timpânica participa do mecanismo de transmissão sonora.




  1. Sobre o sistema vestibular e suas funções assinale a alternativa incorreta:




    1. O sistema visual e proprioceptivo têm participação importante.

    2. Os canais semicirculares, utrículo e sáculo são os principais componentes.

    3. Durante a situação de repouso da cabeça não ocorre atividade elétrica nos canais semicirculares.

    4. A presença de nistagmo deve ser correlacionada com disfunções deste sistema.




  1. Criança de 08 anos comparece ao consultório relatando otalgia à esquerda com otorréia escassa, afebril há 02 dias. Não foi possível realizar otoscopia devido a dor intensa na introdução do instrumento. Trata-se mais provavelmente de:




    1. Otite média aguda

    2. Otite secretora unilateral

    3. Otite externa aguda

    4. Mastoidite aguda




  1. Qual a principal orientação a ser feita aos pais da criança acima?




    1. Internação e utilização de antibióticos sistêmicos

    2. Isolamento e repouso no leito

    3. Proteção auricular contra entrada de água

    4. Evitar ambientes ruidosos durante o tratamento




  1. Adolescente de 15 anos com história de otorréia à direita de odor fétido há 08 anos, persistente, associado a hipoacusia e melhora parcial com uso de gotas otológicas. O diagnóstico mais provável é:

    1. Otite secretora crônica

    2. Otite média crônica simples

    3. Otite crônica colesteatomatosa

    4. Otite externa fúngica




  1. Qual o instrumento mais adequado ao diagnóstico do caso acima mencionado?




    1. Tomografia computadorizada

    2. Otoscopia

    3. Audiometria e Imitanciometria

    4. Cultura de secreção e Antibiograma




  1. Qual a forma de tratamento mais apropriada para o caso acima?




    1. Uso prolongado de antibiótico

    2. Corticóide e antibiótico

    3. Prótese auditiva após tratamento da infecção

    4. Tratamento Cirúrgico




  1. Em relação aos problemas de amigdalas e adenóide pode-se afirmar:




    1. Cirurgia está indicada somente em infecções de repetição.

    2. Por fazerem parte do anel linfático de Waldeyer não devem ser removidas, sob pena de prejuízo para função imunológica.

    3. Otite média secretora habitualmente não apresenta associação com hipertrofia adenoidiana.

    4. Rinite alérgica deve ser considerada em crianças com suspeita de hipertrofia adenoidiana.




  1. Paciente de 12 anos evolui com história de febre alta, dor de garganta e adinamia há 05 dias. Ao exame apresenta exsudato purulento em amigdalas, enfartamento ganglionar cervical importante e no hemograma linfocitose atípica. Está usando Amoxicilina há 72 h sem melhora do quadro. Qual a principal suspeita diagnóstica?




    1. Angina estreptocócica

    2. Mononucleose infecciosa

    3. Difteria

    4. Abscesso amigdaliano




  1. Em relação à anatomia e fisiologia da laringe escolha a opção correta:




    1. É formada por um grupo de quatro cartilagens principais, sendo uma delas em número par.

    2. Sua principal função é a fonatória (produção da voz).

    3. È um órgão praticamente destituído de musculatura.

    4. Todos os músculos são inervados pelo nervo laríngeo recorrente.




  1. Qual músculo intrínseco é o mais importante para função respiratória?




    1. Cricotireóideo

    2. Cricoaritenóideo lateral

    3. Interaritenóideo

    4. Cricoaritenóideo posterior




  1. Qual o principal agente etiológico da epiglotite?




    1. Staphylococcus aureus

    2. Streptococcus pneumoniae

    3. Haemophilus influenzae

    4. Klebisiella pneumoniae




  1. Criança de 07 anos apresentou febre, coriza hialina e tosse seca há 05 dias. Evoluiu então com quadro de disfonia e persistência da tosse (seca), sem estridor ou dispnéia. Qual sua suspeita e conduta diante da evolução apresentada?




    1. Crupe – Corticoterapia

    2. Epiglotite – Antibioticoterapia

    3. Laringite viral – Hidratação

    4. Laringotraqueíte - Broncodilatador




  1. Sobre a anatomia do anel linfático de Waldeyer assinale a alternativa errada:

a. As tonsilas palatinas são em número de 2 e estão localizadas na parede lateral da faringe.

b. A principal irrigação da tonsila palatina é a artéria tonsilar, ramo da palatina ascendente que é ramo da facial.

c. O sistema venoso é formado por 2 plexos, um anterior e outro posterior.

d. As tonsilas palatinas possuem de 10 a 20 criptas.

e. A inervação da tonsila palatina é feita através do plexo tonsilar, constituído apenas pelo nervo lingual.


22. Sobre a microbiologia do anel linfático de Waldeyer assinale a alternativa errada:

a. Os vírus são os agentes mais comuns e o Sincicial é o principal agente etiológico.

b. Os vírus acometem principalmente crianças menores de 3 anos.

c. A Cândida albicans afeta crianças pequenas, diabéticos, imunocomprometidos e pacientes que receberam antibioticoterapia de largo espectro por tempo prolongado.

d. O Streptococcus β-hemolítico do grupo A pode levar a febre reumática e mais raramente a glomerulonefrite aguda.

e. O sinergismo das bactérias anaeróbias com aeróbias potencializam as infecções faríngeas.


23. A presença de pseudomembranas aderidas a amigdala, sangrante à remoção, invadindo pilares e úvula sugere:
a. Angina de Plaut-Vicent.

b. Monilíase oral.

c. Difteria.

d. Mononucleose infecciosa.

e. Angina de Ludwig.
24. Laringomalácia e estenose subglótica estão entre as principais causas de estridor laríngeo:

a. Neonatal.

b. Entre 1 e 3 anos.

c. Entre 5 e 10 anos.

d. Entre adultos e idosos.

e. Entre adolescentes.


25. Traqueostomia localizada entre a cartilagem cricóide e o 1º anel traqueal é:

a. Procedimento de eleição em situações emergenciais, pela facilidade de identificação da cricóide.

b. Chamada também de cricotirostomia.

c. Frequentemente complicada por estenose subglótica.

d. Menos propensa a complicação que a traqueostomia baixa.

e. Útil em indivíduos com pescoço curto.


26. Em relação a disfonia assinale a alternativa falsa:
a. O abuso vocal é um dos principais causadores da disfonia e pode determinar nódulos vocais.
b. O tabagismo é um dos fatores etiológico do edema de Reinke.
c. O refluxo gastro-esofágico não afeta a voz.
d. Em relação à qualidade vocal podemos classificar a voz como: áspera, soprosa, rouca, dentre outras.
e. São exemplos de lesões fonotraumáticas: nódulos e pólipos.
27. Quais seios paranasais são mais acometidos por sinusite bacteriana aguda?

a. Maxilar e frontal.

b. Etmoidal anterior e posterior.

c. Maxilar e etmoidal anterior.

d. Esfenoidal e etmoidal posterior.

e. Frontal e esfenoidal.


28. O diagnóstico das sinusites agudas é realizado:
a. Somente com auxílio do Rx de seios da face.

b. Somente com tomografia computadorizada.

c. Na rinoscopia anterior, com observação de secreção amarelada nos meatos médio e/ou superior.

d. Pela presença de secreção hialina.

e. Pela apresentação clínica bilateral e com prurido nasal intenso.
29. Num paciente com sinusite maxilar anterior crônica sem nenhum fator predisponente (ambiental, nutricional, doença sistêmica), devemos encontrar alterações morfofuncionais no:

a. Teto da cavidade nasal.

b. Assoalho da cavidade nasal.

c. Meato superior.

d. Meato médio.

e. Meato inferior.


30. Achados físicos mais sugestivos de rinite alérgica são:

a. Pólipos nasais.

b. Secreção purulenta no meato médio.

c. Mucosa nasal pálida e cornetos depressíveis ao toque.

d. Sangramento nasal.

e. Formação de crostas nasais.


31. Na rinopatia alérgica, o exame citológico do muco nasal revela grande quantidade de:

a. Neutrófilos.

b. Linfócitos.

c. Monócitos.

d. Eosinófilos.

e. Basófilos.


32. Qual desses sintomas não está relacionado a patologia labiríntica?

a. Vertigem.

b. Náuseas e vômitos.

c. Hipoacusia.

d. Otalgia.

e. Zumbido.


33. A lesão auditiva por drogas ototóxicas é causada por comprometimento:
a. Do córtex cerebral.

b. Das células ciliadas do órgão de Corti e membrana timpânica.

c. Do sistema tímpano-ossicular.

d. Do ducto coclear.

e. Nenhuma acima.

34. O agente etiológico mais comumente encontrado na otomicose é:
a. Cândida albicans

b. Aspergillus

c. Actinomices

d. Dermatophitos

e. Mycosporum
35. Paciente de 8 anos apresentando hipoacusia bilateral, plenitude aural, sem otalgia, que na otoscopia observa-se nível líquido no ouvido médio, sem hiperemia ou abaulamento da membrana timpânica, sugere:
a. Otite média aguda.

b. Otite média secretora.

c. Otite média crônica simples.

d. Otite média colesteatomatosa.

e. Otite média aguda exsudativa.
36. A otite média aguda bacteriana é mais comum na criança que no adulto porque:
a. A tuba auditiva do adulto é mais larga e longa.

b. A tuba auditiva da criança é mais curta e larga.

c. Na criança a cadeia ossicular ainda não está bem desenvolvida.

d. A membrana timpânica da criança é mais delgada.

e. As células da mastóide da criança não estão bem desenvolvidas.

37. Qual o agente etiológico mais comum na otite média aguda bacteriana?

a. Staphilococcus aureus

b. Streptococcus pneumoniae

c. Moraxella catarralis

d. Pseudomonas aeruginosa

e. Streptococcus viridans
38. Presença de perfuração na membrana timpânica de Shrapnell associada a otorréia fétida e contínua, presença de descamação epidérmica dentro da perfuração sugere:
a. Otite média aguda exsudativa.

b. Otite média aguda necrosante.

c. Otite externa necrosante (maligna).

d. Otite média crônica colesteatomatosa.

e. Otite secretora.


  1. A lesão auditiva por drogas ototóxicas é causada por comprometimento:




  1. Do córtex cerebral;

  2. Das células ciliadas do órgão de Corti e membrana timpânica;

  3. Do sistema tímpano-ossicular;

  4. Do coclear

  5. Nenhuma acima;




  1. O diagnóstico das sinusites agudas é realizado:




  1. Somente com auxílio do Rx de seios da face;

  2. Somente com tomografia computadorizada;

  3. Na rinoscopia anterior, com observação de secreção amarelada nos meatos médio e superior;

  4. Pela presença de secreção hialina;

  5. Pela apresentação clínica bilateral e com prurido nasal intenso;




  1. Num paciente com sinusite maxilar anterior crônica sem nenhum fator predisponente (ambiental, nutricional, doença sistêmica), devemos encontrar alterações morfofuncionais a nível do:

a. Teto da cavidade nasal;

b. Assoalho da cavidade nasal;

c. Meato superior;

d. Meato médio;

e. Meato inferior;




  1. Em relação a amigdalite aguda é correto afirmar:




  1. A amigdala faríngea (adenóide) é a mais acometida ficando recoberta com secreção, hiperemia e febre;

  2. Acomete mais freqüentemente as amigdalas tubárias e linguais;

  3. Apresenta estafilococos como bactéria mais comum;

  4. Amigdalite aguda de repetição ocorre, no mínimo, 7x/ano em 1 ano, 5x/ano em 2 anos ou 3x/ano em 3 anos consecutivos;

  5. Para o diagnóstico, a orocultura é fundamental;




  1. Qual desses quadros corresponde a uma otite média aguda?




  1. Hipoacusia, otorréia, ausência de otalgia, perfuração ampla da membrana timpânica;

  2. Plenitude aural, hipoacusia, nível liquido em ouvido médio, sem otalgia;

  3. Otalgia, hipoacusia, hiperemia e abaulamento da membrana timpânica;

  4. Otalgia intensa, hipoacusia, edema e hiperemia da pele do meato acústico externo, impedindo a visualização da membrana;

  5. Otorréia contínua, fétida, presença de perfuração ampla da membrana timpânica com descamação epitelial do ouvido médio;




  1. Quais dos seios paranasais são mais acometidos na sinusite aguda bacteriana?




  1. Maxilar e frontal;

  2. Etmoidal anterior e posterior;

  3. Maxilar e etmoidal anterior;

  4. Esfenóide e etmoidal posterior;

  5. Frontal e esfenoidal;




  1. Achados físicos mais sugestivos de rinite alérgica são:




  1. Pólipos nasais;

  2. Secreção purulenta no meato médio;

  3. Mucosa nasal pálida e cornetos depressivos ao toque;

  4. Sangramento nasal;

  5. Crostas nasais;




  1. Presença de perfuração na membrana timpânica de Shrapnell associada a otorréia fétida e contínua, presença de descamação epidérmica dentro da perfuração sugere:




  1. Otite média aguda exsudativa;

  2. Otite média aguda necrosante;

  3. Otite externa necrosante (maligna);

  4. Otite média crônica colesteatomatosa;

  5. Otite secretora;




  1. Paciente de 8 anos apresentando hipoacusia bilateral, plenitude aural, sem otalgia, que na otoscopia observa-se nível líquido no ouvido médio, sem hiperemia ou abaulamento da membrana timpânica, sugere:




  1. Otite média aguda;

  2. Otite média secretora;

  3. Otite média crônica simples;

  4. Otite média colesteatomatosa;

  5. Otite média aguda exsudativa;




  1. A sintomatologia clássica do comprometimento labiríntico é:

  1. Cefaléia, tontura, desmaio;

  2. Cefaléia, zumbido e otalgia;

  3. Zumbido, tonturas e disacusia;

  4. Todas acima;

  5. Nenhuma acima;




  1. Laringomalácia e estenose subglótica estão entre as principais causas do estridor laríngeo:




  1. Neonatal;

  2. Entre 1 e 3 anos;

  3. Entre 5 e 10 anos;

  4. Entre adultos e idosos;

  5. Entre adolescentes;




  1. Traqueostomia deve ser preferencialmente realizada;




  1. Na membrana cricotireóidea;

  2. No 1º anel traqueal;

  3. Acima do hióide;

  4. No 2ºou 3º anel traqueal;

  5. No 4º ou 5º anel traqueal;




  1. A otite média aguda bacteriana é mais comum na criança que no adulto, por quê?




  1. A tuba auditiva do adulto é mais larga e longa;

  2. A tuba auditiva da criança é mais curta e larga;

  3. Na criança, a cadeia ossicular ainda não está bem desenvolvida;

  4. A membrana timpânica da criança é mais delgada;

  5. As células da mastóide da criança não estão bem desenvolvidas;




  1. Na otite média secretora, qual desses sintomas nunca está presente:




  1. Hipoacusia;

  2. Plenitude aural;

  3. Otalgia;

  4. Qualquer sintoma acima pode estar presente;

  5. Nenhum sintoma acima está presente na otite secretora;




  1. Qual o agente etiológico mais comum na otite externa necrosante?




  1. S. aureus;

  2. S. pneumoniae;

  3. M. catarralis;

  4. P. aeruginosa;

  5. S. viridans




  1. A presença de pseudomembranas aderidas a amigdala, sangrante à remoção, invadindo pilares e úvula sugere:




  1. Angina de Plaut-Vicent;

  2. Monilíase oral;

  3. Difteria;

  4. Mononucleose infecciosa;

  5. Angina de Ludwig;




  1. Em relação ao meato acústico externo, assinale a alternativa correta:

  1. A parede anterior relaciona-se com a mastóide;

  2. A parede superior relaciona-se com a parótida;

  3. A parede posterior relaciona-se com a parótida;

  4. A parede posterior relaciona-se com a mastóide;

  5. A parede inferior relaciona-se com a carótida;




  1. O agente etiológico mais comumente encontrado na otomicose é:

  1. Cândida albicans;

  2. Aspergillus;

  3. Actinomices;

  4. Dermatophitos;

  5. Mycosporum;


3- Qual o músculo que é o único abdutor da laringe:

a. Cricotiróideo;

b. Cricoaritenóideo posterior;

c. Tiroaritenóideo;

d. Ari- aritenóideo;

e. Cricoaritenóideo lateral;


4- Qual o único músculo que é inervado pelo ramo motor do nervo laríngeo superior:

a.Cricotiróideo;

b.Cricoaritenóideo posterior;

c. Tiroaritenóideo;

d. Ari- aritenóideo;

e. Cricoaritenóideo lateral;


5- A região mais indicada para realização de traqueostomia é:

    1. Membrana cricotireoideana;

    2. Entre o 1º e 2º anéis traqueais;

    3. Entre o 2º e 3º anéis traqueais;

    4. Entre o 3º e 4º anéis traqueais;

    5. Qualquer anel abaixo do 2º anel traqueal;

6- Qual destes quadros clínicos corresponde a uma otite média aguda:

a. Hipoacusia, otorréia intermitente, ausência de otalgia, perfuração ampla da membrana timpânica;

b. Plenitude auricular, hipoacusia, presença de nível líquido em ouvido médio, sem otalgia;

c. Otalgia, hipoacusia, hiperemia e abaulamento da mebrana timpânica;

d. Otalgia intensa, hipoacusia, edema e hiperemia da pele do meato acústico externo impedindo a visualização da membrana timpânica;

e. Otorréia continua, fétida, presença de perfuração ampla em membrana timpânica com descamação epitelial dentro do ouvido médio;



7- Qual desses seios paranasais não drena para o meato médio?

  1. Seio maxilar;

  2. Seio etmoidal anterior;

  3. Seio frontal;

  4. Seio etmoidal posterior;

  5. Todos esses seios paranasais drenam para o meato médio;


8- Quais seios paranasais são mais acometidos por sinusite bacteriana aguda?

a. Maxilar e frontal;

b. Etmoidal anterior e posterior;

c. Maxilar e etmoidal anterior;

d. Esfenoidal e etmoidal posterior;

e. Frontal e esfenoidal;


9-Qual o agente etiológico mais comum na otite externa necrosante?

  1. Staphilococcus aureus;

  2. Pneumococo;

  3. Moraxella catarralis;

  4. Pseudomonas aeruginosa;

  5. Streptococcus viridans;


10- Achados físicos mais sugestivos de rinite alérgica são:


  1. Pólipos nasais;

  2. Secreção purulenta no meato médio;

  3. Mucosa nasal pálida e cornetos depressíveis ao toque;

  4. Sangramento nasal;

  5. Formação de crostas nasais;


11- A presença de pseudomembranas aderidas à amigdala, sangrante à remoção, invadindo pilares e úvula, sugere:


  1. Angina de Plaut-Vicent;

  2. Monilíase;

  3. Difteria;

  4. Mononucleose infecciosa;

  5. Angina eritemato-pultácea;


12- Presença de perfuração timpânica na membrana de Shrapnell associada a otorréia contínua e fétida, presença de descamação epidérmica dentro da perfuração sugere:


  1. Otite média crônica simples;

  2. Otite média aguda necrosante;

  3. Otite média crônica secretora;

  4. Otite média crônica colesteatomatosa;

  5. Otite média aguda exsudativa;


13- Na rinopatia alérgica, o exame citológico do muco nasal revela grande quantidade de:

  1. Neutrófilos;

  2. Linfócitos;

  3. Monócitos;

  4. Eosinófilos;

  5. Basófilos;


14- Traqueostomia localizada entre a cartilagem cricóide e o 1º anel traqueal é:

a. Procedimento de eleição em situações emergenciais, pela facilidade de identificação da cricóide;

b. Chamada também de cricotirostomia;

c. Frequentemente complicada por estenose subglótica;

d. Menos propensa a complicação que a traqueostomia baixa;

e. Útil em indivíduos com pescoço curto;


15- Qual dos seguintes músculos laríngeos é impar?

  1. Cricoaritenóideo posterior;

  2. Cricoaritenóideo lateral;

  3. Cricotiróideo;

  4. Ari- aritenóideo;

  5. Tireoaritenóideo;


16- No meato inferior localiza-se qual orifício de drenagem?

  1. Antro-maxilar;

  2. Bulla etmoidal;

  3. Ducto nasolacrimal;

  4. Seio esfenóide;

  5. Óstio do seio frontal;


17- Qual dessas não é indicação absoluta de adenoamigdalectomia?

  1. Malignidade;

  2. Síndrome da apnéia obstrutiva do sono;

  3. Halitose;

  4. Abscesso periamigdaliano;

  5. Cor pulmonale;


18- Qual desses sintomas não está relacionado a patologia labiríntica?

  1. Vertigem;

  2. Náuseas e vômitos;

  3. Hipoacusia;

  4. Otalgia;

  5. Zumbido;


19- Qual o agente etiológico mais comum na otite média aguda bacteriana?

  1. Staphilococcus aureus;

  2. Streptococcus pneumoniae;

  3. Moraxella catarralis;

  4. Pseudomonas aeruginosa;

e. Streptococcus viridans
20- Paciente de 8 anos apresentando hipoacusia bilateral, plenitude auricular, sem otalgia, que à otoscopia observa-se nível líquido no ouvido médio, sem hiperemia ou abaulamento da membrana timpânica, sugere:

a. Otite média crônica simples;



  1. Otite média aguda necrosante;

  2. Otite média crônica secretora;

  3. Otite média crônica colesteatomatosa;

e. Otite média aguda exsudativa

QUESTÕES ABERTAS


  1. Discorra suncitamente sobre o quadro clínico da otite externa aguda.




  1. Descreva de forma resumida os principais sinais e sintomas da rinite alérgica.


3. Cite 3 indicações absolutas de amigdalectomia.
4. Descreva o quadro clínico da otite média aguda.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal