Cateter central de inserção periférica: análise do uso na unidade de tratamento intensivo neonatal do Hospital Universitário do Oeste do Paraná



Baixar 20.02 Kb.
Encontro24.11.2017
Tamanho20.02 Kb.



Cateter central de inserção periférica: análise do uso na unidade de tratamento intensivo neonatal do Hospital Universitário do Oeste do Paraná
Maycon Hoffmann Cheffer(ICV/Unioeste/PRPPG), Michelle de Marchi Sanches, Mayara Aparecida Passaura da Luz, Roseli Inês Rezende, Maria Aparecida Baggio(Orientador), e-mail: mariabaggio@yahoo.com.br
Universidade Estadual do Oeste do Paraná/Centro de Ciências Biológicas e da Saúde/Cascavel-PR
Grande área e área: Ciências da Saúde - Enfermagem
Palavras-chave: Cateterismo periférico, Cateterismo venoso central, Enfermagem pediátrica.
Resumo
O cateter central de inserção periférica (PICC) é um dispositivo intravenoso de inserção periférica com localização central. O estudo objetivou analisar a utilização do PICC em unidade de tratamento intensivo neonatal (UTIN) do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP). O estudo foi de caráter documental, retrospectivo, avaliando-se prontuários de crianças internadas na UTIN do HUOP, no período de 2009 a 2014. Como resultado obtivemos 357 prontuários avaliados (44% meninas; 56% meninos), sendo a maior parte do grupo de crianças de até 12 meses de idade (76%). Constatamos que: o principal diagnóstico médico foi à prematuridade; a indicação de maior necessidade foi a antibioticoterapia; o calibre do cateter mais utilizado foi de 1,9 mm; os principais vasos puncionados foram a Veia Cefálica e a Veia Safena; as medicações mais utilizadas para controle da dor foram Fentanil EV (50%) e Dormonid EV (11%); o período médio de permanência foi de 16+13 dias; apenas 3% realizou cultura de ponta de cateter e destes apenas 18% apresentaram resultado positivo para bactérias e/ou leveduras. Conclui-se que o PICC possui elevada taxa de sucesso na inserção e baixo risco de complicações. Todavia, implica à enfermagem atenção ao período de permanência do cateter, requerendo-se capacitação e educação permanente da equipe de enfermagem para manutenção do cateter por período prolongado.
Introdução
O cateter central de inserção periférica (PICC) é um dispositivo que permite administração de soluções e drogas, utilizado como método de acesso vascular prolongado (Camara, 2001). Em razão da sua elevada taxa de sucesso na inserção e baixo risco de complicações, o PICC passou a ser utilizado como método de primeira escolha de acesso vascular prolongado em neonatos prematuros (Barria et al., 2007). Dentre os profissionais de saúde, o Enfermeiro possui competência técnica e legal para inserir o PICC, aparado pela Resolução número 258/2001, do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN, 2001).

O estudo objetivou analisar a utilização do PICC em unidade de tratamento intensivo neonatal (UTIN) do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP).


Materiais e Métodos
O estudo é do tipo exploratório, descritivo, retrospectivo, de levantamento documental. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, sob o número 861.914.

Foram consultados prontuários de pacientes, da unidade de tratamento intensivo neonatal (UTI-N), do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP), que continham o IPRAPICC (instrumento elaborado por enfermeiros com a finalidade de documentar, acompanhar e avaliar o uso dos cateteres PICC inseridos em neonatos), relativos ao período de julho de 2009 a julho de 2014.

Foram incluídos no estudo os prontuários de pacientes que continham o IPRAPICC do neonato, o qual contêm as variáveis do estudo, devendo este estar preenchido. Foram excluídos do estudo os prontuários que não continham o IPRAPICC e ou que as variáveis não preenchidas não pudessem ser localizadas nem no IPRAPICC, nem no prontuário, por meio dos registros de enfermagem.

Compõem o estudo, variáveis quanto à: identificação da criança: sexo, idade, peso no momento de instalação do PICC, diagnóstico médico, indicação do cateter; à identificação do cateter (calibre); inserção do cateter: data de inserção, produto utilizado para degermação da pele, duração do procedimento, número de tentativas de punção, vaso puncionado, local, medicações utilizadas para controle da dor, intercorrências durante o procedimento (dificuldade de acesso, dificuldade na progressão, sangramento), localização radiológica/posicionamento; remoção do cateter: data de remoção, motivo, período de permanência; remoção por suspeita de infecção do sítio de inserção: solicitação de cultura da ponta do cateter, resultado da cultura da ponta do cateter. Essas variáveis foram analisadas por meio de análise estatística descritiva.


Resultados e Discussão
As variáveis qualitativas foram avaliadas por meio da distribuição de suas frequências e comparadas entre os grupos por meio do teste de Qui Quadrado para k proporções. Diante disso, obtivemos a amostra com os seguintes resultados: foram avaliadas 357 crianças (44% meninas; 56% meninos), sendo a maior parte do grupo de crianças de até 12 meses de idade (76%).

Considera-se recém-nascido pré termo aquele que nasce com idade gestacional menor do que 37 semanas. Estes representam a principal população atendida em UTI-N, apresentando características fisiológicas e patológicas muito variáveis. O emprego do PICC tornou-se rotina na prática assistencial, principalmente para esta população, em particular os de muito baixo peso ao nascer, pois necessitam do cateter para receber nutrição parenteral e antibioticoterapia (Costa et al., 2012). Corroborando o exposto, a maioria da população do estudo teve diagnóstico de prematuridade (55%), a principal indicação do cateter foi para administração de antibióticos (67%) e o peso no momento de instalação do PICC variou entre 350– 6660g.

Dados encontrados na literatura sugerem que os locais mais adequados para inserção do PICC são as veias basílica e cefálica, por apresentarem menor número de válvulas, maior calibre, ter anatomia favorável e facilitar a realização e troca de curativos. Por sua vez, as veias jugular externa, auricular, temporal e safena são consideradas como de segunda escolha (Baggio et al., 2010). No presente estudo, os principais vasos puncionados foram a veia cefálica (30%) e a veia safena (17%), com localidades situadas nos membros superiores direito (29%) e esquerdo (36%). E, quanto ao posicionamento central do cateter, é o exame radiológico que certifica a sua localização. No estudo, confirmou-se a posição do PICC através do raio X em 91% da amostra (Baggio et al., 2010). Quanto às características do cateter, a maior parte da amostra recebeu o PICC com calibre de 1,9 mm (90%), o mais indicado de acordo com o peso dos neonatos.

As principais medicações utilizadas para controle da dor foram Fentanil EV (50%) e Dormonid EV (11%). A maioria das crianças não apresentou intercorrências durante o procedimento (90%). Quanto à remoção do cateter, o principal motivo foi o término do tratamento (38%) ou alta hospitalar (20%), mas 29% apresentaram outros motivos ou foram a óbito (13%). Dentre os outros motivos, estão: perda acidental, obstrução, infiltração e até mesmo ruptura do cateter.

O período médio de permanência do PICC foi de 16+13 dias. Quanto à cultura da ponta do cateter, apenas 3% a realizou, e destes apenas 18% apresentaram resultado positivo para bactérias e/ou leveduras. Referente aos dados sobre a cultura de ponta de cateter se constata que não há uma rotina de encaminhamento para análise microbiológica na UTIN estudada. Por isso, nesse e em outros estudos verifica-se a escassez de informações sobre infecção da ponta do cateter no contexto de UTIN (Baggio et al., 2010).
Conclusões
Conclui- se que o PICC é utilizado em neonatos prematuros, principalmente para administração de antibioticoterapia, sendo os principais vasos puncionados a veia cefálica e safena, com baixo índice de intercorrências no procedimento e de complicações. Todavia, o período de permanência ainda é inferior ao recomendado, não sendo rotina a realização de cultura da ponta do cateter após a sua retirada. Sugere-se constante capacitação da equipe de enfermagem para evitar perdas acidentais do cateter, obstrução, infiltração ou a sua ruptura, aumentando o período de permanência do cateter em uso.
Agradecimentos
À equipe técnica administrativa do HUOP que disponibilizou os prontuários para consulta.
Referências
Baggio, M.A., Bazzi, F.C.S. & BILIBIO, C.A.C. (2010). Cateter central de inserção periférica: descrição da utilização em UTI neonatal e pediátrica. Rev Gaúcha Enferm 31, 70-76.
Baiocco, G.G. & Silva, J.L.B. (2010). A utilização do cateter central de inserção periférica (CCIP) no ambiente hospitalar. Rev. Latino-Am. Enfermagem. Disponível: http://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/bde-2178. Acesso em 08 de julho de 2014.
Barria, R. M., Lorca, P., Muñoz, S. (2007). Randomized controlled trial of vascular access in newborns in the Neonatal Intensive Care Unit. J Obstet Gynecol Neonatal Nurs 36, 450-6.
Camara, D. (2001). Minimizing risks associated with peripherally inserted central catheters in the NICU. J Mat Child Nurs 26, 17-22.


Conselho Federal de Enfermagem (2001). Inserção de Cateter Periférico Central, pelos Enfermeiros. Resolução COFEN-258/2001. 12 de julho de 2001, Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-2582001_4296.html. Acesso em 09 de julho de 2014.

Conselho Federal de Enfermagem (2012). Dispõe sobre o registro das ações profissionais no prontuário do paciente, e em outros documentos próprios da enfermagem, independente do meio de suporte - tradicional ou eletrônico. Resolução COFEN-429/2012, 30 de maio de 2012. Publicada no DOU   11º, de 8 de junho de 2012, pág.288-seção 1. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-n-4292012_9263.html. Acesso em 10 de agosto de 2015.





: eventos -> eaicti -> eaictiAnais -> arquivos
arquivos -> Avaliação do efeito da clorexidina e do hipoclorito de sódio na cimentação adesiva de pinos – estudo in vitro
arquivos -> Análise clinicopatológica de tumores malignos de glândula salivar provenientes de uma casuística de Cascavel (PR) diagnosticados entre os anos de 2001 a 2015
arquivos -> Análise morfométrica dos tecidos gengivais de ratos castrados e com periodontite experimental
arquivos -> Eletrodo de hidroxiapatita para determinação de matéria orgânica
arquivos -> Aplicabilidade da acupuntura auricular no controle da dor, depressão e incapacidade em pacientes portadores de disfunção temporomandibular
arquivos -> Avaliação clínica comparativa entre duas técnicas cirúrgicas para recobrimento radicular em classes I e II de Miller
arquivos -> Análise do conhecimento a respeito da psiconeuroimunologia e do uso da abordagem holística pelos enfermeiros do município de Foz do Iguaçu-pr na prática diária
arquivos -> Estudo morfométrico do plexo submucoso do jejuno de ratos em modelo experimental de câncer tumor de Walker-256
arquivos -> Avaliação da compactação do solo em sistema semeadura direta submetido ao trafego de conjuntos de transbordos graneleiros
arquivos -> Avaliação de um verniz experimental a base de própolis aplicado sobre resina acrílica macia. Efeito sobre Candida albicans




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal