Odontologia Di-hidroxiacetona

AçÚcares: estrutura e funçÃOAçÚcares: estrutura e funçÃO
C assimétrico e, por isso, não mostra esse tipo de isomeria. Os outros monossacarídeos podem ser derivados pelo crescimento da cadeia destas duas trioses. Di-hidroxiacetona
40.22 Kb. 1
ler
Bioquímica – Texto do cprBioquímica – Texto do cpr
A via dos ácidos urónicos ocorre no fígado e é uma via oxidativa alternativa para a glicose, no entanto, nesta via não existe produção de atp. Ela cataliza a conversão da glicose a ácido glicourónico, a ácido ascórbico e a pentoses. Di-hidroxiacetona
11.13 Kb. 1
ler
Biossíntese de lípidos neutros, fosfolípidos e glicolípidosBiossíntese de lípidos neutros, fosfolípidos e glicolípidos
Via comum: síntese começa com o glicerol-3-p que deriva da redução da di-hidroxiacetona-3-p ou da fosforilação do glicerol livre. Di-hidroxiacetona
10.24 Kb. 1
ler
Biossíntese de Lipídeos de membranas e EsteróidesBiossíntese de Lipídeos de membranas e Esteróides
Fosfatidatos: São intermediários comuns às sínteses de fosfolipídeos e triacilgliceróis. Di-hidroxiacetona
20.74 Kb. 1
ler
Lactato: Os eritrócitos produzem continuamente lactato e os músculos, durante exercícios, dependem da glicólise anaeróbia para realizarem esforços que consomem atp a uma velocidade maior que a velocidade de formação de atp na fosforilaçãoLactato: Os eritrócitos produzem continuamente lactato e os músculos, durante exercícios, dependem da glicólise anaeróbia para realizarem esforços que consomem atp a uma velocidade maior que a velocidade de formação de atp na fosforilação
E esse o nome dado ao processo de síntese de glicose realizado a partir de moleculas que nao apresentam a estrutura tipica de um açúcar, dai serem chamadas tais substancia de precursores nao-glicidicos. Di-hidroxiacetona
12.21 Kb. 1
ler

  1


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal