Odontologia Bigode de broxa

Lygia Fagundes TellesLygia Fagundes Telles
Bom, mas eu dizia que no tal frege-mosca eu era volante. A comida, uma bela porcaria e como se não bastasse ter que engolir aquelas lavagens, tinha ainda os malditos anões se enroscando nas pernas da gente. E tinha a música do saxofone. Bigode de broxa
143.08 Kb. 4
ler
Capa do LivroCapa do Livro
Estranho esse jeito de acordar após os 45 anos e descobrir estar no outono. Solo lavrado, filha criada e a constatação do ciclo da vida, em permanente continuidade, borbulhando. Bigode de broxa
0.53 Mb. 11
ler
A casa do SrA casa do Sr
Ira de balanço, morava sozinho, mas, não se sentia solitário. Nas tardes dos finais de semana, crianças, filhos de seus amigos, iam visitá-lo, para ouvir suas histórias, eram contos nada provincianos, mas os tempos são outros e a garotada. Bigode de broxa
416.48 Kb. 7
ler
Incidente em AntaresIncidente em Antares
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta edição pode ser utilizada ou reproduzida em qualquer meio ou forma, seja mecânico ou eletrônico, fotocópia, gravação etc nem apropriada ou estocada em sistema de banco de dados. Bigode de broxa
1.71 Mb. 34
ler
Autora: Lygia Fagundes TellesAutora: Lygia Fagundes Telles
Bom, mas eu dizia que no tal frege-mosca eu era volante. A comida, uma bela porcaria e como se não bastasse ter que engolir aquelas lavagens, tinha ainda os malditos anões se enroscando nas pernas da gente. E tinha a música do saxofone. Bigode de broxa
22.96 Kb. 1
ler

  1


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal