Cadastrado: Adriana Fonseca Borges


- Exodontia de terceiro molar incluso



Baixar 491.95 Kb.
Página6/11
Encontro21.10.2017
Tamanho491.95 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11

120 - Exodontia de terceiro molar incluso


Lilian Caldas Quirino, Roberto Henrique Barbeiro, Jackeline Ferrari Jorge, Mario Henrique Arruda Verzola

As exodontias de Terceiros Molares são procedimentos rotineiros nas clínicas odontológicas e são indicadas por razões ortodônticas, prevenções de: cistos, pericoronarite, cáries dentárias, reabsorções radiculares, mas tem contra indicações relativas em pacientes muito jovens ou idosos ou ainda com condições médicas comprometidas.Por ser o último a dente a erupcionar, o mesmo pode não encontrar espaço suficiente para irromper, ficando retido.O diagnóstico é feito tradicionalmente pela radiografia panorâmica.Os autores apresentam um caso clínico do dente 38 com íntima relação de contato com o nervo alveolar inferior, para o qual foi realizada uma tomografia computadorizada volumétrica.Este trabalho ressalta a importância desse recurso para a visualização tridimensional do dente e estruturas vizinhas, facilitando o diagnóstico e o planejamento correto, para se evitar acidentes e complicações. Palavras-chave: Exodontia; terceiro molar incluso; tomografia computadorizada volumétrica.


121 - O uso da Prótese Parcial Removível como ancoragem para tracionamento radicular

Lívia Etchebehere de Loiola, Francisco de Assis Mollo Júnior, Ângelo Vicentini Loiola, Ana Bárbara de Araújo Loiola, Alejandro Muñoz Chavez

O uso de próteses dentárias é uma alternativa eficiente para restituir a estética e a manutenção das funções normais da boca em pacientes que sofreram perdas dentárias provocadas pela cárie, doenças gengivais ou traumatismos. Muitas vezes, a prótese aliada à técnicas ortodônticas mostra-se eficiente no restabelecimento das funções citadas. Paciente LB, 40 anos, com estado de saúde geral apresentou-se a clínica para reabilitação da coroa do incisivo central superior direito danificado por uma extensa lesão de cárie. Foi proposto o tracionamento radicular deste elemento a fim de realizar-se o preparo protético adequado para o caso. Como havia perdas dentárias extensas na arcada da paciente, esta utilizava uma prótese parcial removível, o que prejudica a instalação de elementos ortodônticos para o tracionamento. Como via alternativa, os braquetes ortodônticos foram adaptados na própria prótese, viabilizando desta forma a extrusão dentária, possibilitando assim, o preparo protético e devolvendo as funções orais normais à paciente. Palavras-chave: Tracionamento dentário; reabilitação oral; lesão coronária.
122 - Efetividade da terapia fotodinâmica na nativação de C. albicans ATCC e resistente a fluconazol

Lívia Nordi Dovigo, Ewerton Garcia de Oliveira Mima, Vanderlei Salvador Bagnato, Carlos Eduardo Vergani, Ana Lúcia Machado, Ana Cláudia Pavarina

A Terapia Fotodinâmica (PDT) tem sido sugerida como método para a inativação microbiana. Este estudo avaliou a efetividade da PDT na inativação de uma cepa padrão (ATCC) e três cepas fluconazol-resistente (R) de C. albicans. Suspensões celulares de 100 µL, das 4 cepas, foram transferidas para placas de orifícios, tratadas com 5 soluções do fotossensibilizador (Fs) Photogem® (2,5; 5; 10; 25 e 50 mg/L) e expostas a 4 doses de luz (10,5; 18; 25,5 e 37,5 J/cm2), do tipo LED (λ ± 455 nm). Suspensões adicionais foram tratadas somente com Fs ou luz. O controle constitui-se de amostras que não receberam Fs nem luz. Diluições seriadas das amostras foram plaqueadas em Agar Sabouraud Dextrose. Após 48h a 37ºC, as colônias viáveis foram quantificadas. Os dados obtidos foram submetidos ao teste t de Student (p<0,05). Observou-se que a inativação fúngica foi dependente da concentração de Fs e dose de luz aplicada. A dose de luz mínima para a completa inativação celular foi 18 J/cm2, associada a 50mg/L de Fs. Após 25,5 e 37,5 J/cm2, as cepas R necessitaram de maiores concentrações de Fs para sua inativação, em relação à cepa ATCC. Concluiu-se que, embora as cepas R tenham sido menos susceptíveis a PDT, este método foi efetivo para inativação de todas as cepas de C. albicans avaliadas. Palavras-chave: Cândida; fotoquimioterapia. FAPESP 05/03226-3

123 - Tratamento multidisciplinar dos traumatismos dentários: relato de caso


Lucas de Souza Kussano, Marcos Heidy Guskuma, Wilson Roberto Poi, Flávia Priscila Pereira, Célia Tomiko Matida Hamata Saito, Catarina Soares Silveira, Idelmo Rangel Garcia Júnior
Os traumatismos dentários atingem até 30% da população e apresentam situações que desafiam o clínico. Ao mesmo tempo que necessitam de procedimentos emergenciais, em muitos casos precisam ser acompanhados por um longo período e, além da evidente perda funcional das estruturas afetadas possuem um componente emocional importante. Entre as principais causas dos traumatismos dentários estão os acidentes esportivos, automobilísticos e ciclísticos, além de quedas e agressões. As fraturas corono-radiculares complicadas são assim classificadas por atingirem o esmalte, a dentina, o cemento e a polpa e compreendem até 40% das injúrias aos tecidos duros dentários. O tratamento é complexo, exigindo um envolvimento multidisciplinar, e o prognóstico considerado duvidoso. O propósito deste trabalho é relatar um caso de fratura corono-radicular complicada desde o seu atendimento emergencial até a sua reabilitação, dando ênfase à importância do tratamento multidisciplinar instituído. Palavras-chave: Traumatismos dentários; tratamento de emergência; periodonto.
124 - Cicatrização óssea em calvárias de ratos com faixas etárias distintas. Estudo histomorfométrico
Lucas de Souza Kussano, Flávia Aparecida Chaves Furlaneto, Michel Reis Messora, Tatiana Miranda Deliberador, Maria José Hitomi Nagata
Indivíduos imaturos e adultos possuem habilidades diferentes na cicatrização óssea de defeitos amplos criados em calvária. A calvária de ratos adultos possui vantagens como modelo experimental em testes de biomateriais para reparo ósseo. Entretanto, faltam informações sobre a influência da idade de ratos neste processo. O objetivo deste estudo foi avaliar a cicatrização óssea em defeitos criados em calvárias de ratos Wistar com duas faixas etárias distintas. Os ratos foram divididos em 2 grupos: A:12 semanas de idade (n=16); B:40 semanas (n=15). Um defeito de 5 mm de diâmetro foi criado em cada calvária e preenchido com coágulo sangüíneo. Cada grupo foi dividido em dois para eutanásia aos 30 e 90 dias pós-operatórios. Foi realizada análise histomorfométrica da área de osso neoformado. Os dados foram submetidos à análise estatística (Teste t, p<0,05). Os Grupos A e B não apresentaram diferenças significativas em relação à quantidade de osso neoformado, tanto aos 30 (22,04%+/-5,42 e 19,88%+/-4,56, respectivamente) como aos 90 dias (26,88%+/-11,83 e 22,32%+/-3,39, respectivamente). Conclui-se que ratos Wistar com 12 e 40 semanas de idade não diferem entre si quanto à habilidade de cicatrização óssea em defeitos em calvárias. Palavras-chave: Regeneração óssea; ratos; grupos etários.
125 - Avaliação da microdureza Knoop de compósito fotoativado por LED com diferentes potências da bateria

Lucia Trazzi Prieto, FO Mota, LAMS Paulillo

Este estudo avaliou o efeito de diferentes níveis de carga da bateria, 100% (G100), 80%(G80), 60%(G60), 40%(G40) e 20%(G20), de um aparelho LED Radii na microdureza (KHN) da resina composta Charisma. Foram confeccionadas em forma de disco (n=5) com 2mm de espessura e 3mm de diâmetro, sendo que foi utilizado o aparelho de lâmpada halógena Optilux 501 como grupo controle (GC). Após a fotoativação as amostras foram armazenadas na ausência de luz por 24 horas. Em seguida, foram realizadas 15 endentações na superfície irradiada e na não irradiada (base e topo). Os dados foram submetidos = 0,05). Os resultados mostrarama Anova dois fatores e o teste de Dunnett ( que não houve interação significativa, a face irradiada foi sempre maior que a não-irradiada independentemente da carga. E as cargas também não diferiram entre si,ou seja, com qualquer carga os valores de dureza foram semelhantes à carga a 100%.Todas as amostras fotoativadas pelo Radii apresentaram valores de dureza inferiores ao grupo controle, fotoativado pelo aparelho Optilux. Assim pode-se concluir que a fotoativação da resina composta Charisma foi dependente da fonte de luz e não da potência da fonte de energia do aparelho.
126 - Hipoplasia de molares e incisivos (Molar Incisor Hypomineralisation- MIH ): relato de caso clínico

Luciana Fernandes Ballan, Sâmia Cruz Tfaile Corbi, Lourdes dos Santos-Pinto, Rita de Cássia Loiola Cordeiro

Hipoplasia de molares e incisivos é definida como uma hipomineralização envolvendo de um a quatro primeiros molares permanentes e/ou incisivos. Clinicamente observa-se um padrão atípico de manifestação da alteração do esmalte com linhas opacas, desenvolvimento rápido de lesões de cárie e extrema hipersensibilidade ao ar, frio, calor e estímulos mecânicos. O tratamento é dificultado pela pouca eficiência da anestesia e da adesividade do material restaurador ao esmalte. Apresentamos um quadro de MIH com lesões incipientes nos incisivos e severas nos molares que, frente a grande sensibilidade foram inicialmente tratados com aplicações tópicas de NaF 5%. Posteriormente, os molares superiores receberam restaurações temporárias de cimento ionomérico. Diante da presença dos sulcos escurecidos e lesões de cárie, uma das opções de tratamento nos dentes 36 e 46 foi a utilização das pontas CVDentus para confecção dos preparos cavitários e restaurações com cimento ionomérico. Apesar do paciente ser pouco cooperativo, o tratamento foi realizado sem a necessidade de anestesia infiltrativa. Consideramos que o sucesso do caso deve-se à seqüência de procedimentos realizados, facilidade da técnica de preparo cavitário e possibilidade de preservar o máximo de estrutura dentária sadia. Palavras-chave: Hipoplasia; CVDentus; preparo cavitário.

127 - Alteração da posição dos dentes artificiais de próteses totais com diferença na profundidade do palato


Luciana Mara Negrão Alves, Cristina Ramos da Silva, Eduardo Vedovatto, José Vitor Quinelli Mazaro, Marcelo Goiato, Humberto Gennari Filho
Um grande problema em reabilitação de pacientes edêntulos são as alterações que as próteses totais sofrem durante as etapas laboratoriais, em especial, a alteração da oclusão preestabelecida em cera. O objetivo deste estudo foi avaliar a modificação do padrão oclusal de próteses totais com diferenças no contorno do palato, utilizando duas técnicas de inclusão (gesso ou silicone). Selecionamos uma maxila com palato raso e outra com palato profundo. Esses modelos foram duplicados permitindo a obtenção de 14 réplicas de cada maxila. Um guia de silicone foi realizado para que a montagem dos dentes sobre as réplicas respeitasse um padrão. Os grupos testados foram divididos de acordo com o formato do palato e tipo de inclusão. As próteses foram digitalizadas antes e depois do processamento. As mensurações entre os dentes foram realizadas no programa AutoCAD. Os dados foram submetidos ao ANOVA e teste de Tukey (p<0,05). Observamos alterações maiores para o grupo palato raso associado ao gesso, com diferença estatisticamente significante. O estudo mostrou que houve diferença entre as próteses com palato profundo e raso e que essa alteração pode ser compensada pelo método de inclusão correto para cada tipo de palato. Palavras-chave: Resinas acrílicas; dente artificial; prótese total superior.
128 - Análise das alterações produzidas em próteses totais superiores imersas diretamente em água e pela termociclagem
Luciana Mara Negrão Alves, Cristina Ramos da Silva, Eduardo Vedovatto, José Vitor Quinelli Mazaro, Humberto Gennari Filho
O objetivo deste trabalho foi observar se ocorrem alterações dimensionais de bases de resinas acrílicas, quando as mesmas são submetidas à imersão direta em água por tempos predeterminados e à simulação de uso por termociclagem, Foram confeccionadas 24 réplicas em cera de uma prótese total superior, divididas em 3 grupos onde o após a polimerização e separação dos modelos as próteses foram imersas em água destilada a temperatura ambiente durante 7 dias (Grupo1) permaneceram em água destilada em estufa a temperatura constante de 36ºC por 7 dias (Grupo2), processo de termociclagem com temperatura variando de 5º a 55º (Gupo3). As próteses foram digitalizadas em cera, após a demuflagem e ao tratamento,As mensurações entre os dentes foram realizadas no programa AutoCAD. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente. Não houve diferenças estatisticamente significante quando comparamos em cada grupo, os segmentos nas fases polimerizadas e após os teste. Foi observado que as alterações dimensionais ocorridas nas próteses do grupo3 foram estatisticamente significantes quando comparadas com as alterações dos grupos 1 e2. Tais alterações têm repercussão clínica na inter-relação dental, pois representam contato prematuro, promotores do desajuste oclusal. Palavras-chave: Resinas acrílicas; dente artificial; prótese total superior

129 - Ceratocisto odontogênico tratado por meio descompressão

Luis Carlos Gonçalves Figueira, Shajadi Carlos Pardo Kaba, Marcelo Zillo Martini, Maikon Nahurito Tanabe, Elio Hitoshi Shinohara

O ceratocisto odontogênico, deriva da lâmina dentária. Com características particulares, apresenta aspecto histológico específico, alto índice de recidiva e comportamento clínico agressivo. Em 2005, a OMS reclassificou os ceratocistos como tumores benignos, São tipicamente assintomáticos, podendo atingir tamanho considerável, uma vez que se desenvolvem num sentido ântero-posterior, dentro do osso esponjoso. Podem ser observados em radiografias intrabucais e nas panorâmicas que, são de grande valia na descoberta destas lesões. A tomografia computadorizada permite a avaliação da extensão da lesão e sua relação com estruturas anatômicas importantes, auxiliando no planejamento cirúrgico. O objetivo deste trabalho é relatar o caso de paciente que foi diagnosticado com Tumor Odontogênico Ceratocistico em Corpo, Ângulo e Ramo Mandibular esquerdo e que tinha como indicação de tratamento a ressecção parcial da mandíbula, contudo recebeu tratamento conservador, por meio de descompressão com o auxilio de um dreno instalado cirurgicamente. Como resultado deste tratamento foi observado durante o período de 20 meses a regressão progressiva do tumor, bem como neoformação óssea na região que antes eram os limites da lesão e também em seu interior, isso foi observado através de radiografias panorâmicas e também por tomografias. Palavras-chave: Tumor odontogenico; descompressão; ceratocisto.


130 - Pino anatômico: uma alternativa viável em dentes com raízes fragilizadas
Luiz Rafael Calixto Lima, William Kabbach, Victor Grover Rene Clavijo, Renato Souza Queiroz, Marcelo Ferrarezi de Andrade
A perda de grande parte da coroa dental implica, na maioria das vezes, num tratamento restaurador indireto (coroa). Nesses casos, geralmente há a necessidade de uma ancoragem radicular, o qual pode ser feita através da colocação de um pino pré-fabricado ou personalizado. Em raízes extremante fragilizadas recomenda-se a colocação de um pino ou núcleo personalizado.Na literatura, tem-se recomendado a colocação de um núcleo metálico fundido para essas situações. Porém, apesar de ter uma alta resistência, este núcleo, devido a sua alta rigidez, pode levar a uma fratura irreversível da raiz, com conseqüente perda do elemento dental. A colocação de um material com um módulo de elasticidade (rigidez) semelhante ao da dentina radicular parece diminuir esse problema. O pino anatômico constitui uma nova alternativa de pinos personalizados para esses casos de raízes fragilizadas, onde é colocado um pino estético de fibra de vidro, preenchido externamente por resina composta direta, obtendo-se uma perfeita adaptação. O objetivo deste trabalho é apresentar uma sequencia clínica de confecção do pino anatômico, apresentando suas indicações, contra-indicações, vantagens e desvantagens desta técnica. Assim, obtem-se uma estrutura de reforço com características estéticas, físicas e biológicas favoráveis. Palavras-chave: Pinos; núcleo de preenchimento; resinas compostas.

131 - Tratamento da hipoplasia de terço médio da face utilizando osteotomia Le Fort III modificada

Maira Lupatelli Mendonça, Mario Henrique Arruda Verzola, Roberto Henrique Barbeiro

Os pacientes portadores de má oclusão tipo classe III podem ter associado, a hipoplasia do terço médio da face. O diagnóstico pode ser feito pela análise facial e cefalométrica onde podem ser observados: a deficiência da área paranasal e antero –posterior do terço médio e excesso vertical da maxila. As deformidades dentofaciais quando acometem o terço médio da face exigem do cirurgião o uso de técnicas cirúrgicas não utilizadas como rotina no tratamento das alterações faciais. O planejamento para um tratamento cirúrgico integrado requer do profissional uma detalhada análise facial, avaliação cefalométrica e análise dos modelos de gesso montados adequadamente em articulador semi-ajustável. Desta forma para os casos de hipoplasia de terço médio da face, a associação da osteotomia Le Fort I para reposicionamento da maxila, associada a oeteotomia Le Fort III modificada e osteotomia sagital bilateral do ramo mandibular, garantem resultados estéticos satisfatórios e estáveis. O objetivo deste trabalho será expor um caso clínico de hipoplasia do terço médio da face tratado com osteotomias Le Fort I para reposicionamento da maxila, osteotomia Le Fort III para reposicionamento da porção fixa do esqueleto facial e osteotomia sagital bilateral do ramo mandibular para correção mandibular. Palavras-chave: Hipoplasia; osteotomia; má oclusão.


132 - Fraturas radiculares em preparos apicais com ultra-som: avaliação das raízes em microscopia eletrônica de varredura

Marcela Borgo, Ivaldo Gomes de Moraes, Norberti Bernardineli, Roberto Brandão Garcia, Melina Vieira Bortolo, Cláudio Urra, Clóvis Monteiro Bramante

O objetivo deste estudo foi avaliar, in vitro, a presença de fraturas radiculares após preparo de cavidade apical com ultra-som. Foram utilizadas 20 raízes palatinas de molares superiores, as quais foram moldadas com silicona de adição após a apicetomia e após o preparo da cavidade. Posteriormente, essas raízes foram divididas em dois grupos. No grupo 1, o preparo apical foi realizado com a ponta lisa S12/90 (Satelec, Merignac, França) e, no grupo 2, com a ponta diamantada S12/90D (Satelec, Merignac, França). O aparelho de ultra-som utilizado foi o Jet-Sonic Four Plus (Gnatus, Brasil). A avaliação foi feita em microscopia eletrônica de varredura, através da qual se quantificou a presença, extensão e número de fraturas. Verificou-se que nas raízes preparadas com a ponta lisa, houve maior número de fraturas do que nas preparadas com a ponta diamantada. Também se observou maior quantidade de fraturas nas raízes do que nos moldes, provavelmente em decorrência de uma susceptibilidade das raízes de sofrerem fraturas durante o processo de metalização, necessário para a realização da microscopia eletrônica de varredura. Palavras-chave: Ultra-som; preparo de canal radicular; fratura radicular.
133 - Estudo comparativo das tensões ósseas induzidas por diferentes tipos de conexão protética para implantes – análise pelo método de elementos finitos

Marcela Muzetti Daloia, Roberto Sales e Pessoa, Naiara Cristina da Silva, Romeu Belon Ferandes Filho, Sônia Aparecida Goulart de Oliveira, Luís Geraldo Vaz

A concentração e magnitude das tensões induzidas por implantes no osso podem causar reabsorções e a perda da osseointegração. Neste sentido, o presente estudo tem o objetivo de avaliar as tensões no osso induzidas pelo carregamento de implantes comparando as conexões hexágono externo, hexágono interno e cone-morse. Uma tomografia computadorizada da região do alvéolo de extração de um incisivo central superior foi realizada. Modelos em CAD das estruturas ósseas do alvéolo com um implante cônico de 13 mm inserido foram gerados. Os modelos foram importados pelo programa de elementos finitos ANSYSTM 10.0. Um carregamento palatino-vestibular de 20 N foi aplicado com 40° de inclinação em relação ao longo eixo do alvéolo. As tensões de Von Mises (Tensão EQV) foram calculadas em 84 pontos no osso ao redor da superfície do implante. Os três tipos de conexão protética seguiram um padrão de distribuição de tensões semelhante, com exceção para o hexágono externo que teve um pico de tensão EQV significativamente alto na região da crista óssea (32.73 MPa). O maior pico de tensão EQV do hexágono interno e do cone-morse foram de 13.429 MPa e 11.943 MPa, respectivamente. A conexão cone-morse parece ser um design biomecanicamente favorável para implantes. Palavras-chave: Implantes; elementos finitos; estética.
134 - Mordida aberta anterior:eletromiografia e eficiência mastigatória antes e após uso da placa oclusa

Marcelo Palinkas, César Bataglion, Simone Cecílio Hallak Regalo, Mariângela Salles Pereira Nassar, Selma Siéssere, Sérgio Olavo Petenusci, Patrícia Tiemy Hiron Hotta, Takami Hirono Hotta

Disfunção temporomandibular (DTM) caracteriza-se por uma série de sinais e sintomas como dor muscular e articular, limitação dos movimentos mandibulares e ruídos na ATM. Acredita-se que a etiologia seja multifatorial com preponderância de alguns fatores dependendo do caso avaliado. Neste caso clínico de mordida aberta anterior, o fator oclusal e o apertamento dental foram relevantes para o aparecimento dos sintomas. Utilizou-se a eletromiografia e a eficiência mastigatória como exames complementares do tratamento. Este caso é de uma paciente, 27 anos, com movimentos mandibulares limitados e quadro álgico crônico intenso. Havia sintomas dolorosos no lado esquerdo da face, sensação de ouvido tampado e visão dupla. Notou-se estalos, crepitações, presença de todos os dentes e interferências oclusais. Os procedimentos foram exodontias dos terceiros molares, avaliação eletromiográfica dos músculos masseter e temporal, teste de eficiência mastigatória, radiografia panorâmica , radiografia transcraniana e placa oclusal. Pela análise dos exames e com resultados demonstrados por meio de gráficos, percebeu-se que após o uso da placa oclusal houve alterações positivas quanto atividade muscular avaliada. Os autores concluíram que o uso da placa oclusal foi efetivo neste caso clínico. Palavras-chave: Dor; EMG; placa oclusal.
135 - Estudo em microscopia de força atômica da microinfiltração de restauração de resina composta: efeito do método de inserção e fotoativação

Guilherme José Pimentel Lopes de Oliveira, José Ivo Limeira dos Reis, Lucineide de Melo Santos, José Ginaldo da Silva Junior, Josealdo Tonholo, Luiz Henrique Carvalho Batista, Marcos Aurélio Bomfim da Silva

O objetivo deste estudo foi avaliar por meio da Microscopia de Força Atômica (AFM) a influência do método de inserção e fotoativação de resina composta na microinfiltração. Foram obtidas 40 cavidades padronizadas em blocos de dentes incisivos bovinos. Foi usada a resina composta Glacier (SDI) e o adesivo Alloybond (SDI). Os blocos foram divididos em quatro grupos com dez unidades: A–cavidades restauradas com incremento único e fotoativadas pela luz halógena (Optilight Digital, Gnatus); B – cavidades restauradas com incremento único e fotoativadas pelo LED (Optilight LD II, Gnatus); Grupo C- cavidades restauradas pela técnica incremental e fotoativadas pela luz halógena; Grupo D – cavidades restauradas pela técnica incremental e fotoativadas pelo LED. Após a conclusão das restaurações, os blocos foram analisados por meio do AFM (Shimadzu SPM-9500J30). A análise dos dados pelo teste estatístico não paramétrico de Mann-Whitney, com nível de significância de 5% revelou diferença estatisticamente significativa entre os Grupos A e B (p<0,05) e A e C (p<0,05). Todos os métodos empregados neste estudo revelaram a existência de microinfiltração. Entretanto, o com incremento único fotoativado com LED, resultou em menor microinfiltração. Palavras-chave: AFM; resina composta; microinfiltração.

136 - Fratura orbitária do tipo Blow-out – relato de caso clínico

Marcos Vinícius Mendes Dantas, Nicolau Conte Neto, William Morais de Melo, Eduardo Hochuli Vieira

As fraturas de órbita do tipo Blow-out ocorrem quando há colapso do assoalho ou da parede medial da órbita, gerando perda do conteúdo ocular, conseqüente da herniação da gordura infra-orbital para o seio maxilar ou para a região das células etmoidais. Esse tipo de fratura é resultante de traumas diretos sobre o globo ocular ou os rebordos orbitários, causando sua distorção e aumento da pressão intra-orbitária. Existem duas classificações para as fraturas Blow-out: as puras, caracterizadas pela ausência de fratura do rebordo orbital, ocorrendo herniação da gordura infra-orbital através do assoalho fraturado. Por outro lado, as denominadas não-puras se caracterizam pela ocorrência de fratura da borda infra-orbitária junto com a explosão do assoalho, ocasionando perda do conteúdo ocular. Para avaliar a extensão do defeito e o possível pinçamento das estruturas orbitárias, é necessário um minucioso exame clínico e diagnóstico por imagem, especificamente tomografia computadorizada. Os defeitos significativos requerem reparo cirúrgico para prevenir enoftalmia pós-traumática. Considerando essas informações, o objetivo do presente trabalho é relatar um caso clínico relacionado à fratura do tipo Blow-out, demonstrando os critérios diagnósticos, o tratamento executado e o acompanhamento pós-operatório. Palavras-chave: Fraturas Blow-out.

137 - Programa odontológico educativo-preventivo às crianças da “Chácara Ranchinho” da cidade de Araraquara (SP)


Margareth da Mata, Denise S. Matos, Patrícia Dezem Amorim, Juliana Trosdorf Nogueira, Sara Monteiro de Castro , Jorge A P. Júnior, Marcella Petrocheli, Mariana F. Maniero, Mário S. Rossi, Paolla M. Leite, Rubens Moreno de Freitas , Jackeline N. Tsurumaki, Alexandre Z. Pereira, Roger D. Monteiro, Mayco Aurélio Somensi, Paulo R. Balan, Andressa R. P. Leite, Eduardo Buozzi Moffa, Lígia N. M. Ribeiro, Angela Cristina Cilense Zuanon
Embora apresente alta prevalência em países em desenvolvimento, levantamento realizado em 1999 demonstrou declínio desta doença no município de Araraquara (SP) Mesmo assim, muitos esforços ainda devem ser despendidos na busca de saúde bucal e qualidade de vida, por meio da educação da população. O Grupo PET-ODONTO realiza programa odontológico educativo, preventivo, atendendo 50 crianças carentes e suas mães freqüentadoras da Chácara Ranchinho, desenvolvendo escovação, bochechos com solução fluoretada, jogos e atividades educativos, voltados para o aprendizado do conceito de saúde bucal. Realiza também atendimento e acompanhamento odontológico. As mães das crianças também participam dos ensinamentos por meio atividades grupais sobre amamentação, higiene bucal e promoção de saúde, quando procura-se desenvolvimento de habilidades para o desenvolvimento de autocuidados e  intervenção sobre os fatores que interferem no processo saúde-doença. Após 9 anos de programa, pode-se observar que as crianças possuem a cavidade bucal com a função e estética restabelecidas. Evidenciação de placa demonstra diminuição em seu índice e hoje observa-se a presença de um vínculo de respeito, confiança e amizade entre o grupo e a população assistida, que leva ao desenvolvimento de potencialidades e capacidades, as quais permitem que as crianças e suas mães participem ativamente na busca de melhor qualidade de vida. Palavras-chave: Educação; saúde bucal; prevenção.
138 - Parâmetros estéticos dento-gengivais: uma visão da dentística

Maria Emília Carregaro Pontes, Osmir Batista de Oliveira Junior, Darlon Martins Lima, Adriano Augusto Melo de Mendonça, Milko Villarroel

A Odontologia Restauradora contemporânea caracteriza-se pela interação das múltiplas especialidades, contemplando o tratamento restaurador de maneira integrada. Particularmente no campo da Odontologia Estética, isso se faz muito presente, visto que, não se concebe atualmente procedimentos restauradores, que devolvam apenas estética dental. A necessidade de integrar estética gengival nos procedimentos restauradores dentários é de suma importância, dado o fato de que o conceito de estética é amplo, não contemplando a unidade dentária isoladamente, pelo contrário, um tratamento considerado altamente estético, devolve estética dental tão quanto estética gengival. Nesse sentido, determinados parâmetros devem ser meticulosamente avaliados e discutidos quando da necessidade de um tratamento restaurador que englobe a região ântero-superior, visto que, em determinadas situações clínicas, a altura do sorriso pode comprometer negativamente o completo sucesso restaurador. O desalinhamento, posicionamento e altura de zênites gengivais, na quase totalidade das vezes, comprometem o tratamento restaurador. Assim, é objetivo do presente trabalho, chamar a atenção para os parâmetros dento-gengivais a serem observados quando da necessidade de intervenção restauradora na bateria de dentes superiores. Palavras-chave: Estética gengival; estética dental; odontologia integrada.
139 - Estudo anatômico do sulco palato radicular

Maria Fernanda da Costa Albaricci, Elisangela Partata Zuza, Débora A.S. Gomes, Benedito Egbert Corrêa de Toledo

A presença do defeito morfológico denominado sulco palato-radicular (SPR), é considerado um fator etiológico predisponente importante da periodontite crônica localizada, por favorecer o acúmulo de placa e a sua atuação em profundidade no periodonto; na presença de sulcos profundos, congênita pode apresentar comunicação com a polpa, levando à formação de uma lesão periodontal-endodôntica combinada. Este estudo teve como objetivo avaliar a prevalência e características do SPR de 376 dentes superiores do acervo de dentes da Disciplina de Anatomia do Curso de Odontologia da UNIFEB - Barretos, que foram examinados por um único examinador, quanto à sua presença, localização, ponto de origem de sua formação, extensão e profundidade em milímetros. Os resultados mostraram uma prevalência do SPR em 9,31% dos dentes (IL:11,05%; IC:6,91) destes 97,14% (IL:95,83; IC:100,00%) foram considerados rasos (< 1 mm); quanto as características 62,87% (IL:66,6%; IC:54,54%) com localização mais proximal, 57,14% (IL:66,66%; IC:36,36) de origem na fossa central, 62,85% (IL:75,0%; IC:36,35%) predomínio de trajeto oblíquo e 8,57% (IL:8,30% e IC:9,09%) que atingiam o ápice radicular. Pôde-se concluir que apesar da pequena prevalência do sulco palato radicular e da pouca profundidade existe uma grande variação nas características anatômica dos mesmos. Palavras-chave: Periodontite; sulco; anatômico. CEP- Protocolo no 017/2003
140 - Efeito da desinfecção de próteses totais por microondas no tratamento da estomatite protética

Mariana Montenegro Silva, Ewerton Garcia de Oliveira Mima, Ana Cláudia Pavarina, Eunice Teresinha Giampaolo, Ana Lúcia Machado, Carlos Eduardo Vergani

Os antifúngicos utilizados no tratamento de estomatite protética podem apresentar-se deficientes. A irradiação de próteses por microondas tem sido relatada como um método efetivo para esse tratamento. Assim, este estudo avaliou o efeito da irradiação de próteses totais por microondas como tratamento da estomatite protética. Vinte indivíduos foram distribuídos em 2 grupos. Os pacientes do Grupo Controle receberam Nistatina por 15 dias. No Grupo Experimental, as próteses foram irradiadas em microondas (3 minutos a 650 W) 1 vez por semana por 15 dias. Após o tratamento (15 dias) e nos períodos de avaliação seguintes (30, 60 e 90 dias) foram realizadas culturas micológicas quantitativas dos indivíduos submetidos aos tratamentos. Os dados numéricos 2. Não houve efeito diferenciado entre osobtidos foram submetidos ao teste de grupos Controle e Experimental (p>0,05) quanto à proporção de indivíduos com ausência de colônias viáveis de Candida spp. ao final do tratamento (15 dias). No Grupo Controle, a recidiva ocorreu para todos os pacientes até 60 dias. No Grupo Experimental, ainda havia pacientes que não apresentaram recidiva de estomatite protética aos 90 dias. A desinfecção de próteses totais por microondas no tratamento da estomatite protética foi similar à utilização da Nistatina. Palavras-chave: Microondas; prótese total. FAPESP 05/03211-6
141 - Uso de osso homógeno em implantodontia: relato de caso clínico

Mariana Nogueira de Figueiredo, Alliny de Souza Bastos, Rubens Spin-Neto, Wagner Nunes de Paula, Cristina Volpe Lopes Cardoso, Elcio Marcatonio Júnior

O uso de osso proveniente de bancos de tecidos tem aumentado nos últimos anos, embora a literatura ainda não explique completamente a incorporação deste biomaterial. Sua indicação deve-se, sobretudo à ausência de osso autógeno para captação. Neste caso clínico, uma paciente do sexo feminino, 28 anos de idade, apresentou-se à clínica da FOAr-UNESP com espessura óssea insuficiente para a instalação de implante do elemento 22, perdido por problemas endodônticos. No intuito de corrigir este defeito, realizou-se uma cirurgia na qual um retalho mucoperiostal expôs o leito receptor, um bloco de tecido homógeno proveniente da cabeça femoral foi adaptado ao defeito, fixado com dois mini-parafusos e recoberto com membrana de cortical óssea. Após 7 dias realizou-se o pós-operatório. Esse trabalho, além de demonstrar a facilidade de se trabalhar com o osso homógeno, torna nítida a redução do tempo operatório e da morbidade cirúrgica quando necessária enxertia óssea. Histologicamente esse tipo de enxerto também se mostra promissor. Conclui-se que esse biomaterial é de utilização simples e, quando usado de maneira correta e consciente pelo operador, reduz consideravelmente os inconvenientes de uma cirurgia de enxerto ósseo autógeno. Contudo, estudos de proservação após a colocação dos implantes nesses pacientes devem ser realizados. Palavras-chave: Enxerto homógeno; biomaterial; defeito ósseo.
142 - Forma, contorno e pontos de contato previsíveis com resinas compostas em dentes posteriores

Mariana Seixas Cioffi, Darlon Martins Lima, Adriano Augusto Melo de Mendonça, Osmir Batista de Oliveira Junior, Milko Villarroel

As resinas compostas vêm sendo indicadas em variadas situações, entre elas, a utilização em dentes posteriores. Um fator de muita importância que atinge a maioria dos clínicos que utilizam resina composta em dentes posteriores é a falta ou deficiência na obtenção de pontos de contato. A ausência deste gera impactação alimentar, inflamação gengival, acúmulo de placa e movimentação dentária, além do desconforto ao paciente. Em cavidades de classe II é indispensável a utilização de matrizes que possuem como objetivo devolver contorno, pontos de contato e conter o material restaurador. A falta de resistência à compactação da resina composta constitui uma dificuldade na obtenção de um correto ponto de contato, sendo a escolha de uma matriz adequada de suma importância para o sucesso da restauração. Como alternativas, temos as matrizes metálicas unitárias pré-contorneadas que têm demonstrado fácil técnica de execução, obtenção de corretos contornos e contatos proximais. Este trabalho objetiva discutir aspectos relacionados à restauração de dentes posteriores com resinas compostas mediante a apresentação de uma técnica de obtenção de forma, contornos e ponto de contato proximal adequados, utilizando-se matrizes metálicas unitárias pré-contorneadas. Palavras-chave: Resinas compostas; matrizes; ponto de contato.

143 - Atendimento hospitalar à pacientes especiais

Marilis Despósito Conti; Camila Fávero de Oliveira, Paloma Gagliardi Minotti, Elisa Maria Aparecida Giro

O atendimento odontológico de pacientes especiais exige do profissional conhecimentos técnicos e científicos, além de espírito humanitário. Na primeira consulta é feita a detecção do problema de ordem geral, por meio de anamnese bem direcionada, avaliando também, o comportamento do paciente e seu relacionamento com familiares. O exame bucal deve ser rápido e eficiente e o plano de tratamento seguir os padrões estabelecidos para pacientes normais, considerando, no entanto, a cooperação, a deficiência motora e a expectativa de vida. Pacientes com severa restrição física e mental, com graves distúrbios de conduta ou com desordens psiquiátricas são algumas das indicações para o atendimento sob anestesia geral, o qual exige uma avaliação pré-operatória detalhada do estado geral, incluindo os exames laboratoriais para determinação do risco cirúrgico. Essa avaliação deve ser realizada em conjunto com médico que acompanha o paciente e com o anestesiologista, para prevenir problemas no ato operatório. A proposta desse trabalho é apresentar o caso de uma paciente de 24 anos, portadora de paralisia cerebral, alterações da tireóide e anemia, a qual foi indicada para atendimento hospitalar devido ao comportamento não colaborador frente ao tratamento ambulatorial e às necessidades de tratamento acumuladas. Palavras-chave: Criança excepcional; pessoas portadoras de deficiência; odontologia.


144 - Alteração dimensional de três métodos de indexação de transferentes para próteses sobre implantes

Marinaldo Henrique Zampieri, Luiz Gustavo Dias Daroz, Guilherme Elias Pessanha Henriques, Marcelo Ferraz Mesquita, Vanessa Silva Tramontino, Rafael Leonardo Xediek Consani

O sucesso de reabilitações sobre implantes depende da precisão das técnicas de moldagem e indexação para a captação da posição correta das fixações. Este estudo avaliou a alteração dimensional de diferentes técnicas de indexação para próteses sobre implantes: união dos transferentes com fio dental e resina acrílica(G-I); união dos transferentes com fio dental e resina acrílica seguida do corte e reunião dos segmentos com acréscimo da mesma resina acrílica(G-II); união dos transferentes com bastão acrílico pré-polimerizado fixado aos transferentes por incrementos de resina acrílica(G-III). A partir de um modelo-mestre contendo 2 implantes posicionados em bloco de resina de poliestireno, foram obtidos 10 modelos em gesso especial para cada uma das técnicas de indexação. A avaliação da alteração dimensional foi feita utilizando-se microscópico acoplado a unidade de medição. As médias das diferenças entre o valor das distâncias de centro-a-centro dos implantes no modelo-mestre e dos análogos nos modelos de gesso foram comparadas utilizando-se análise de variância e teste de Tukey (α=5%). Para a técnica G-III (+0,0150) houve tendência de aumento das distâncias, enquanto em G-I (-0,0543) e G-II (-0,0245), de diminuição. Verificou-se que as técnicas G-II e G-III foram mais precisas que G-I. Palavras-chave: Alteração dimesional; indexação; implante.
145 - Reconstrução óssea de maxila atrófica posterior: Sinus Lift com colocação imediata de implantes osseointegráveis

Mario Henrique Arruda Verzola, Flávia Regina Medeiros, Maira Lupatelli Mendonça, Roberto Henrique Barbeiro

Após a perda dentária na região posterior de maxila inicia-se a reabsorção óssea alveolar em espessura e em altura devido a pneumatização do seio maxilar tornando essa região um desafio para a reabilitação com implantes osseointegráveis.A qualidade óssea da maxila posterior é considerada uma área de baixa densidade óssea a qual precisa de um adequado planejamento. O procedimento de Sinus Lift é uma opção de aumento ósseo com alta previsibilidade que permite a colocação de implantes de maior altura, melhorando a biomecânica da região posterior, aumentando o índice de sucesso dos tratamentos. O objetivo deste caso clínico é apresentar uma alternativa para colocação de implantes osseointegráveis na região posterior em casos com limitações ósseas, após o restabelecimento da arquitetura através de técnicas de enxertia. Os resultados satisfatórios neste tipo de procedimento são altamente previsíveis desde que seja indicado e executado corretamente, proporcionando ao paciente uma alternativa segura para reabilitação de maxila posterior. Os autores ressaltam a importância do sinus lift, como alternativa para reabilitação de pacientes através dos implantes osseintegráveis. Palavras-chave: Implantes osseointegráveis; Sinus Lift; enxertos.
146 - Avaliação da sintomatologia dolorosa em portador de disfunção temporomandibular (DTM) tratado com laser de baixa intensidade

Mateus Sgobi Cazal, Marco Antônio Moreira Rodrigues da Silva



Introdução As desordens temporomandibulares são desconforto ou disfunção musculoesqueletal do sistema mastigatório, agravado pela mastigação ou outro uso da mandíbula. A característica das desordens da articulação temporomandibular (ATM) é a dor provocada pela função. O laser de baixa intensidade é uma terapia bastante eficiente para casos de DTM. Constatou-se que o laser de baixa intensidade possui efeito terapêutico analgésico e antiinflamatório. Metodologia Realizou-se terapia laser de baixa intensidade em portador de DTM com o aparelho TWIN SET (MM Optics), 780nm, potência 70mW, dose 105,0 J/cm², tempo 60 s. As aplicações foram realizadas na região da ATM duas vezes por semana por 10 sessões, totalizando cinco avaliações durante e após o tratamento, mensurou a medida de abertura bucal máxima e da percepção da dor (Escala Visual Analógica - VAS). Resultados Houve diminuição da sintomatologia dolorosa na 2ª, 3ª, 4ª e 5ª avaliações quando comparadas à 1ª; e aumento da amplitude dos movimentos mandibulares, inclusive 30 dias após a última aplicação. Conclusão Concluiu-se que de acordo com os resultados clínicos, a laserterapia de baixa intensidade é uma importante ferramenta de suporte para o tratamento das DTMs. Palavras-chave: Laser; DTM; dor orofacial. APOIO FINANCEIRO: COSEAS/USP
147 - Efeito de dentifrícios contendo 0,50 e 0,75% de clorexidina em pacientes ortodônticos

Mauricio Donalonso Spin, Marília Afonso Rabelo Buzalaf, Paula Vanessa Pedron Oltramari, Juliana Mára Titarelli, Juliane Avansini Marsicano, José Fernando Castanha Henriques

Avaliou-se o efeito do uso de dentifrícios com clorexidina em pacientes ortodônticos, em relação à gengivite, sangramento gengival, manchamento extrínseco do esmalte e tártaro. Dividiram-se os pacientes igual e aleatoriamente em três grupos: A(1100 ppm F(NaF), B(1100 ppm F(NaF) e 0,50% de clorexidina) e dentifrício C(1100 ppm F(NaF) e 0,75% de clorexidina). Examinaram-se os voluntários antes do início da escovação e nos intervalos de 6 e 12 semanas. Avaliou-se os efeitos dos dentifrícios utilizando-se os testes ANOVA e Kruskal-Wallis. Os índices de gengivite e sangramento melhoraram em todos os grupos, mas após 12 semanas os dentifrícios contendo clorexidina demonstraram desempenho melhor. Apenas o dentifrício contendo 0,75% de clorexidina demonstrou aumento significante do manchamento extrínseco do esmalte (P=0.0005), embora a maioria dos pacientes não percebeu as alterações. O índice de tártaro diminuiu nos três grupos, mas os grupos A (P=<0.0001) e B (P=0.0037) demonstraram melhora significante. Concluímos que o uso de dentifrícios contendo clorexidina é efetivo no tratamento da gengivite em pacientes ortodônticos, especialmente os dentifrícios contendo 0,50% de clorexidina, os quais não provocaram manchamento extrínseco do esmalte significante. Palavras-chave: Ortodontia; dentifrício; clorexidina.
148 - Utilização da acupuntura no tratamento das desordens temporomandibulares

Mayco Aurélio Somensi, Tatiana Carolina de Aguiar, Nilton Alves

As dores da articulação temporomadibular e dos músculos da mastigação, ao lado das dores odontogênicas, correspondem a uma das queixas mais freqüentes de dor na região orofacial. Os tratamentos conservadores para a desordem temporomandibular (DTM) são: uso de medicamentos, placas de mordida, relaxamento, fisioterapia, estimulação neural elétrica transcutânea (TENS) e mais recentemente, embora considerada por alguns uma terapia alternativa, tem sido indicado o uso da acupuntura. A acupuntura é uma terapia originada da Medicina Tradicional Chinesa que consiste na inserção de finas agulhas bem como de outros métodos de estimulação sensorial aplicados em locais especialmente determinados do corpo, visando a prevenção ou o tratamento de inúmeras patologias e sintomas. Neste trabalho foi realizado um levantamento de dados na literatura, a partir de 1980, sobre o uso da acupuntura nas desordens temporomandibulares. As fontes de pesquisa foram os meios impressos (livros, artigos, periódicos de revistas e jornais, teses) e sites eletrônicos. A revisão de literatura permitiu concluir que acupuntura é efetiva no alívio da sintomatologia associada as DTMs. Palavras-chave: DTM; acupuntura; dor orofacial.




1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal