Boletim oficial prefeitura municipal de guarulhos nº 057/2006-gp de 21/07/2006


CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS, LEGISLAÇÃO E BIBLIOGRAFIA



Baixar 1.39 Mb.
Página14/20
Encontro18.09.2019
Tamanho1.39 Mb.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   20

CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS, LEGISLAÇÃO E BIBLIOGRAFIA

TEMAS


1 – Concepções de educação e escola.

2 – Função social da escola e compromisso social do educador.

3 – A construção de identidades nas interações.

4 – A ludicidade como dimensão humana.

5 – A arte como fundamento da educação.

6 – Educação: cuidado educa e toda educação cuida.

7 – Políticas educacionais.

8 – Projetopolítico-pedagógico: fundamentos para orientação, planejamento e implementação de ações para a criação de condições para o desenvolvimento humano, com foco no processo ensino-aprendizagem.

9 – Currículo como construção sócio-histórica e cultural.

10 – Avaliação e registro.

11 – Organização da escola centrada no processo de aprendizagem e desenvolvimento do educando: ciclos – os tempos da vida humana.

12 – Educação inclusiva.

13 – Gestão participativa na escola.

BIBLIOGRAFIA


1. LEGISLAÇÃO

1.1. LEGISLAÇÃO FEDERAL

- Constituição da República Federativa do Brasil – artigos 205 a 214.

- Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990 – Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, e dá outras - providências – arts. 7º a 24; 53 a 69; 86 a 89; 131 a 140.

- Lei Federal no 9394, de 20 de dezembro de 1996 – estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

- Resolução CNE/CEB no 01, de 07 de abril de 1999 – Institui as Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil.

- Resolução CNE/CEB no 02, de 07 de abril de 1998 – Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental.

- Resolução CNE/CEB no 1, de 05 de julho de 2000 – Estabelece Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos.

- Resolução CNE/CEB no 02, de 11 de setembro de 2001 – Institui diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica.

1.2 LEGISLAÇÃO ESTADUAL

- Deliberação CEE nº 09, de 30 de julho de 1997 – Institui, no sistema de ensino no Estado de São Paulo o regime de progressão continuada no Ensino Fundamental.

- Indicação CEE nº 08, de 30 de julho de 1997 – Progressão Continuada.

- Indicação CEE nº 22, de 17 de dezembro de 1997 – Avaliação e Progressão Continuada.

1.3 LEGISLAÇÃO MUNICIPAL

- Lei Orgânica do Município, de 05 de abril de 1990 – Artigos 187 a 215 – Da Educação.

- Decreto Municipal no 21.208, de 26 de março de 2001 - “Autoriza a Secretaria de Educação, implantar no ano letivo de 2001, o ensino fundamental, com estrutura curricular flexível, integralizando um mínimo de duzentos dias letivos anuais e uma jornada escolar que resguarde a ressalva dos cursos noturnos quanto à obrigatoriedade de quatro horas diárias” – EJA

- Decreto Municipal no 21209, de 26 de março de 2001-Ementa: “Autoriza a Secretaria de Educação a incorporar o ensino fundamental e considerar como matrículas no primeiro estágio do 1º ciclo, alunos de seis anos de idade” * Vide Decreto nº 21397/01

- Decreto Municipal no 21397, de 14 de novembro de 2001 - Ementa: “Dispõe sobre a organização do Ensino Fundamental no Município de Guarulhos e revoga o Decreto nº 21209/01”.

- Decreto no 22.558, publicado em 30/03/2004 – Institui novo Estatuto padrão das Associações de Pais e Mestres - APM

- Decreto Municipal no 23.798, de 15 de maio de 2006 - “Dispõe sobre instituição do “CONSELHO ESCOLAR” na Rede Municipal de Ensino de Guarulhos”

- Lei no 6.058, pub em 08 de março de 2005 – “Dispõe sobre a estrutura, organização e funcionamento da carreira e remuneração do Magistério Público do município de Guarulhos.

2. LIVROS

ARROYO, MIGUEL G. Ofício de Mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

GENTILLI, Pablo e FRIGOTTO, Gaudêncio - A cidadania negada: políticas de exclusão na educação e no trabalho. São Paulo: Cortez, 2001.

DUARTE Jr., João Francisco. Por que Arte Educação? Campinas, SP: Papirus, 1991

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

___. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

CORTELLA, Mário Sérgio. Escola e Conhecimento. Cortez, 1998.

SOARES, Magda. Alfabetização e Letramento. São Paulo: Contexto, 2003.

FERRETI,Celso. Trabalho, formação e currículo: para onde vai a escola. São Paulo: Xamã, 1999.

GARCIA, Regina Leite. Revisitando a pré-escola. São Paulo: Cortez. 2001.

LA TAILLE, Ives de & OLIVEIRA, Marta Kohl & DANTAS, Heloísa. Piaget, Vygotsky e Wallon – Teorias psicogenéticas em discussão.São Paulo: Summus. 1992.

MANTOAN, Maria Teresa Egler e colaboradores. A integração de pessoas com deficiência. São Paulo: Memnon. 1997.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização & Lingüística.São Paulo: SCIPIONE.2002.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação mediadora – Uma prática em construção da Pré-escola à Universidade. Porto Alegre: Mediação, 1998.

LIMA, Elvira Souza. Ciclos de Formação: uma reorganização do tempo escolar. São Paulo: GEDH, 1998.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. Políticas e práticas. Campinas: Papirus, 1999.

OLIVEIRA, Marta Kohl de, Aprendizagem e desenvolvimento – um processo sócio-histórico. São Paulo: Editora Spcione, 2003.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS (1ª a 4ª série) Brasília: ME/SEF, 1997

REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

VASCONCELLOS, Celso S. Vasconcellos. Planejamento - Projeto de Ensino Aprendizagem e Projeto Político-Pedagógico, São Paulo: Libertad, 2002.

__Avaliação da aprendizagem: Práxis de mudança – Por uma práxis transformadora, São Paulo: Libertad, 2003.

PARO, Vitor H. Gestão Democrática da Escola Pública, São Paulo, Ática, 1998.

___. Reprovação Escolar – renúncia à educação, São Paulo: Xamã, 2001.

VYGOTSKY, L.S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

___. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

Conhecimentos Específicos

Temário:


1. Concepções de Educação e Escola

2. Função social da escola e compromisso social do educador

3. Educação inclusiva (concepção, diferenças e preconceitos na escola, transtornos emocionais na escola, necessidades educativas especiais e aprendizagem)

4. Educação Especial/Inclusiva: história e políticas públicas

5. Organização de escola centrada no processo de desenvolvimento do educando : ciclos, os tempos da vida humana.

6. Parâmetros Curriculares Nacionais – Adaptações curriculares.

7. Avaliação

BIBLIOGRAFIA

1. Arroyo, Miguel G. Ofício de Mestre – Imagens e auto-imagens. Petrópolis: Vozes. 1998.

2. Cortella, Mário Sérgio. A Escola e o Conhecimento – fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo: Cortez, 1998.

3. La Taille, Yves de & Oliviera, Marta Kohl de & Dantas, Heloisa. Piaget, VygotskY e Wallon – Teorias Psicogenéticas em Discussão. São Paulo: Summus, 1992.

4. Hoffman, j. Avaliação mediadora – Uma Prática em construção da Pré-escola à Universidade. Porto Alegre: Ed. Mediação, 1998.

5. Sawaia, Bader (org.). As Artimanhas da Exclusão. Petrópolis: Vozes, 1999.

6. Mantoan, Maria Teresa Égler (org.). Caminhos Pedagógicos da Inclusão. Como estamos implementando a educação de qualidade) para todas as escolas brasileiras. São Paulo – editora Memnon, 2001.

7. Mantoan, Maria Teresa Égler. Inclusão Escolar. O que é? Por quê ? Como fazer? São Paulo – editora Moderna, 2003.

8. Carvalho, Rosit Edler, A Nova LDB e a Educação Especial. Rio de Janeiro – Editora WVA, 2000.

9. Sassaki, Romeu Kazumi. Inclusão: Construindo uma Sociedade para Todos. Rio de Janeiro – WVA, 1999.

10. Aquino, Júlio Groppa (org.) Diferenças e Preconceitos na Escola. Alternativas Teóricas e Práticas. São Paulo – editora Summus, 1998.

11. Aquino, Júlio Groppa (coord.) e Alsop. Pippa e Trisha, McCaffrey (org.). Transtornos Emocionais na Escola – Alternativas Teócias e Práticas. São Paulo – Editora Summus, 1999.

12. Coll, César, Palácios, Jesus, Marchesi, Álvaro. Desenvolvimento Psicológico e Educação: necessidades educativas especiais e aprendizagem escolar. Porto alegre – Editora Artes Médicas, 1995 (v. 3).

13. Mazzota, M. J. da S. Educação Especial no Brasil: histórias e políticas públicas. São Paulo – editora Cortez, 1996.

14. Mendes, Enicéia Gonçalves. Perspectiva para a Construção da Escola Inclusiva no Brasil. In Palhares, Marina Silveira e Marins, Simone Cristina Fanhani (orgs.). Escola Inclusiva. São Carlos – editora: EdufsCar, 2002.

15. Dossiê: Educação & Inclusão Escolar

Estilos da Clínica – Revista sobre a Infância com Problemas. Vol. V. nº 9, 2º semestre de 2000.

16. 16.LIMA, Elvira Souza. Ciclos de Formação: uma reorganização do tempo escolar. São Paulo: GEDH, 1998. EDITORA SOBRADINHO 107. www. Editorasobradinho107.com.br.

BIBLIOGRAFIA GERAL

1 - Declaração de Salamanca www.mec.gov.br

2- PATTO, Maria Helena de S. A produção do fracasso escolar.São Paulo, Casa do Psicólogo. 2002.

3- SEVERINO, A. J. Educação, Sujeito e História. São Paulo, Olho d’água, 2002.

4- MEIRA, M. E. M. e ANTUNES, M.A.M. Psicologia Escolar: práticas críticas. São Paulo, Casa do Psicólogo, 2003. – artigos: A Psicologia Escolar na implementação do Projeto Político-Pedagógico da Rede Municipal de Ensino de Guarulhos: Construindo um trabalho coletivo (pág. 105 a 128) – Mitsuko Aparecida Makino Antunes (org.) e colaboradores.

5- VÁRIOS Arti & Manhas dos Projetos Políticos e Pedagógicos, in Cadernos Cedes 61. São Paulo: Cedes; Campinas: 2003

6- VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

LEIS


- Constituição Federal de 1988 – Educação Especial

- Lei nº 9.394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB.

- Lei nº 9.394/96 – LDB – Educação Especial.

- Lei nº 8.069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente – Educação Especial.

- Lei nº 7.853/89 – CORDE – Apoio às pessoas portadoras de deficiência.

- Lei nº 10.845, de 5 de março de 2004 – Programa de Complementação ao Atendimento Educacional Especializado às Pessoas Portadoras de Deficiência.

- Plano Nacional de educação – Educação Especial.

DECRETOS


- Decreto nº 2.208/97 – Regulamenta Lei 9.394 que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

- Decreto nº 3. 298/99 – Regulamenta a Lei nº 7.8533/89.

RESOLUÇÕES

- Resolução CNE/CEB º 2/01 – Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.



PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA I PARA ATUAÇÃO NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL, NAS DISCIPLINAS:ARTES CÊNICAS, ARTE MUSICAL, ARTES PLÁSTICAS, DANÇA, CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS,

GEOGRAFIA, HISTÓRIA, LÍNGUA E CULTURA PORTUGUESA, MATEMÁTICA, LÍNGUA E CULTURA ESPANHOLA

LÍNGUA E CULTURA FRANCESA, LÍNGUA E CULTURA INGLESA E LÍNGUA E CULTURA ITALIANA



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   20


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
Universidade estadual
união acórdãos
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande