Biologia Tecidual aplicada à implantodontia



Baixar 25.23 Kb.
Encontro21.10.2017
Tamanho25.23 Kb.



Biologia Tecidual aplicada à implantodontia




Paula Cristina Ferreira Bicudo

Questão 1:


O ectoderma é uma das 3 partes que compõem o folheto embrionário (endoderma, mesoderma, ectoderma). No mesoderma, há o notocorda, que induzirá a invaginação do ectoderma para para haver a formação do tubo neural. Quando essa invaginação do ectoderma começa a acontecer,as cristas neurais presentes no ectoderma começam a “contaminar” o mesoderma ou mesênquima, formando assim o que denominamos de ectomesênquima.

A maxila,assim com os ossos da face, provém da crista neural; a mandíbula provém do 1º arco branquial,cuja superfície externa e interna é revestida por ectoderma. Os outros ossos do corpo, assim como os ossos longos, serão originados a partir do mesoderma.


Questão 2:
Na 5 ª semana IU os processo maxilares que localizam-se nas laterais da face movem-se para a parte frontal da face. O processo frontonasal migra em direção inferior formando o processo nasal medial (filtrum) e o palato primário (pré-maxila).Dos processos maxilares desenvolvem-se os processos palatinos laterais que formam o palato secundário (maxila propriamente dita).Da fusão do palato primário com o secundário, temos a formação do canal nasopalatino. O seu conteúdo se dá devido a uma confluência de nervos e vasos vindo dos dois lados do palato e da pré-maxila.

Questão 3:


A explicação biológica basea-se na velocidade com que o cementoblasto forma o cemento. O cemento é celular, quando o cementoblasto forma cemento rápido demais; e este então acaba ficando preso dentro da sua própria matriz celular (cementócitos). Essas células serão nutridas através dos seus prolongamentos citoplasmáticos que farão com outras células até chegarem a um vaso sanguíneo mais próximo. O cemento acelular é aquele que é formado baseado na deposição lenta de matriz celular. Neste caso, o cementoblasto deposita a matriz colagenosa vagarosamente, e essa matriz se tornará secundariamente mineralizada.
Questão 4:

Glicosaminoglicano



---------- -------- = Proteoglicano

A função das proteoglicanas no ligamento periodontal, assim como a água e as glicoproteínas, é nutrir as células com elementos vitais que surgem dos capilares sanguíneos e devolvem catabólicos dessas células para os vasos. Tem como função suportar as forças de compresao no ligamento periodontal.

Questão 5:
Essas células vão dar origem aos fibroblastos, osteoblastos e cementoblastos. Os fibroblastos farão a renovação do colágeno, os osteoblastos sintetizarão a proteína óssea necessária para a produção dos osteóides e também mineralizarão a matriz óssea, e os cementoblastos atuarão na reabsorção óssea.
Questão 6:
A vascularização do local a ser formado osso é o que determinará se a formação será intramembranosa ou endocondral. Em uma fratura óssea ou na osseointegração, o que determinará se a formação óssea será intramembranosa ou endocondral será a estabilidade mecânica dada ao coto ósseo (fratura) ou ao implante (osseointegração), não deixando que ocorra movimentação. Se a movimentação ocorrer, tecidos competidores (tecido conjuntivo) com alto poder mitótico, irão ocupar o local onde ocorreria a formação óssea. Nesse caso, vasos serão rompidos tornando o meio avascular e formando assim um tecido cartilaginoso que posteriormente será osso(endocondral).
Questão 7:
Modelação óssea é formação óssea que vai desde a vida intra-uterina até a vida adulta do ser humano, quando este pára de crescer (aproximadamente 22 anos).A remodelação óssea não cessa quando a maturidade é alcançada, embora ela ocorra mais lentamente. A remodelação só ocorre nos envelopes esqueletais que é onde ocorre a nutrição. A remodelação serve para renovar a massa óssea para evitar o acúmulo de microfraturas, para suportar a carga de stress e para alterar o volume ósseo de acordo com a carga funcional. Modelação: alteração da forma e tamanho dos ossos durante o processo normal de crescimento, através dos processos de formação e reabsorção óssea em diferntes superfícies e velocidades. Remodelação: processo de substituição na qual a absorção e aformaçao óssea acontecem no mesmo local; sendo assim, o osso velho será substituído por osso novo sem alteração do seu formato e tamanho.
Questão 8:
O osso esponjoso por ser mais vascularizado e mais celularizado, ele é um osso metabolicamente mais ativo. O osso cortical possui em sua unidade básica o sistema de Harvers; sistema lamelar orientado em 3 direções (intersticiais ou intermediarias, circunferenciais interna e externa, concentricas) e seu volume de tecido mole é de 10%. O osso esponjoso não possui canal harversiano, pois é altamente vascularizado; possui sistema lamelar longitudinal e seu volume de tecido é de 75%.
Questão 9:
Para que ocorra o sucesso de qualquer metodologia de regeneração óssea, deve-se obedecer alguns pré requisitos. Deve haver no local uma vascularização ampla, células osteoprogenitoras, um suporte mecânico eficiente para não deixar que ocorra mobilidade (estabilidade mecânica) e espaço para aumento.
Questão 10:
ROG  osteopromoção

EOA  osteogênese

Biomateriais  osteocondoção

FC  osteoindução



Distração osteogênica  distração
Questão 11:
O plasma rico em plaquetas é um produto derivado do processamento laboratorial de sangue autógeno, colhido no período pré-operatório e rico em fatores de crescimento.Sua estratégica terapêutica fundamenta-se na aceleração da cicatrização por meio da concentração desses fatores de crescimento,que são os iniciadores universais de quase todos os eventos cicatriciais.Os processos de obtenção do PRP permitem a concentração de grande número de plaquetas, com seus fatores de crescimento, em pequenos volumes de plasma. Acredita-se que essa concentração de fatores de crescimento do PRP seja capaz de iniciar uma atividade das células ósseas indiferenciadas de forma mais completa do que normalmente ocorreria.Os fatores de crescimento se encontram em enxerto ósseo autógeno, processos extrativos (não é viável), engenharia genética e plaquetas.
Questão 12:
Os fatores de crescimento são mediadores biológicos naturais que exercem vários efeitos sobre os processos de reparo e regeneração.Esses polipeptídeos são a chave para regular diversos eventos celulares,tais como síntese de DNA, quimiotaxia, citodiferenciação e síntese da matriz.Atua como mitogênio para a citodiferenciação e para a cicatrização das feridas, acelerando a regeneração óssea.
Questão 13:
Durante as duas primeiras semanas de consolidação de um enxerto ósseo autógeno ou cortical, ocorrerá a presença do coágulo sanguíneo interposto. Na primeira semana, brotamentos vasculares invadem a superfície do tecido ósseo enxertado. Na segunda semana, tecido de granulação fibroso torna-se dominante no leito do enxerto. O número de células inflamatórias diminui e a atividade osteoclástica aumenta. No interior do transplante continua acontecendo a autólise osteocítica, levando à formação de lacunas ósseas vazias. A revascularização do enxerto esponjoso se inicia após algumas horas do transplante, como resultado de anastomoses terminais dos vasos do enxerto com os vasos do leito receptor, e pode estar completa em aproximadamente 2 semanas. Juntamente com a revascularização, ambas as populações de células (do enxerto e do leito receptor) vão contribuir para formação de uma nova população de células formadoras de osso. Inicialmente, osteoblastos nas margens das trabéculas ósseas necróticas depositam um osteóide nas proximidades dessas trabéculas. Posteriormente, as trabéculas de osso são gradualmente reabsorvidas por osteoclastos. Assim o enxerto ósseo esponjoso é consolidado principalmente por um fenômeno de neoformação óssea aposicional. Em poucos mêses as áreas necróticas podem ser completamente substituídas por um novo tecido ósseo vivo. No início, com baixa resistência mecânica, mas com o passar do tempo e com a estimulação adequada, a resistência mecânica da área enxertada tende a aumentar. Na maioria das vezes o osso cortical não é revascularizado até o 6º dia após a enxertia e dependendo das dimensões do enxerto e da área receptora, este enxerto poderá estar completamente revascularizado somente após dois meses. Nesse enxerto, a invasão vascular deve ser precedida pela reabsorção osteoclástica. Além disso, temos uma limitada quantidade de células endoteliais que participam da formação de anastomoses terminais, vistas nos enxertos esponjosos. Entretanto, quando a revascularização da periferia ocorrer, a revascularização do interior da cortical avança rapidamente.
Questão 14:
Se o paciente estiver com o acompanhamento médico e devidamente controlado, ele poderá ser submetido à cirurgia de implantes.O risco cirúrgico relacionado aos fatores de rico endógeno pode ser minimizado através de algumas estretégias: realização de uma anamnese detalhada, aplicação de questionário para avaliação do estado de saúde do paciente, avaliação medica, solicitação de exames pré-operratórios,utilização de medicação pré-cirúrgica e diagnóstico e atendimento à emergências medicas. Os pacientes idosos podem ser submetidos à cirurgia de instalação de implantes com o protocolo usual sendo sempre recomendado o monitoramento dos sinais vitais. O paciente diabético apresenta um alto risco de complicações trans-operatórias, pela possibilidade de hipoglicemia compotencial fatal. Em todos os casos, o médico deve ser consultado a respeito do estado geral do paciente, e deve programar junto com o dentista o melhor protocolo medicamentoso para o paciente. Atenção especial deve ser dada ao uso de corticóides por período prolongado,uma vez que esses podem levar a um descontrole da glicose sérica. Genericamente, a perda óssea na osteoporose é mais associada com o osso esponjoso, devido às características de remodelação, e por isso, os sintomas iniciais afetam ossos com grande quantidade de organização esponjosa,tais como a coluna vertebral e a cabeça do fêmur. Estudos clínicos sugerem que a osteoporose sistêmica não reduz o índice de sucesso do tratamento com implantes.
Questão 15:
Distração osteogênica: alongasmento para levar a um crescimento ósseo através do ewstiramento lento e controlado, aumento vertical da região anterior da boca, uso de distratores para o alongamento ósseo.

Enxerto ósseo autógeno: transplante de osso de regiões intra ou extra-oral do mesmo paciente,só aumento ósseo,aumento de altura e/ou espessura e enxerto sinusal de todo processo alveolar, preparo da área doadora e receptora.


Questão 16:


Titânio Óxido de titânio Gel de titânio Proteoglicanos Colágeno Osso
Cemento Ligamento periodontal* Osso
* No ligamento periodontal há:

céls. de formação (fibroblastos e progenitoras de osteoblasto e cementoblasto)

céls. de reabsorção (osteoclastos e cementoclastos)

céls. do sistema imune



matriz extracelular (colágeno + vasos + nervos)
: downloads
downloads -> 1. As figuras abaixo mostram esquema tridimensional e cortes histológicos da odontogênese. Entenda as figuras e responda as questões abaixo. Identifique as estruturas apontadas e as fases do desenvolvimento dentário
downloads -> 1997, Secretaria de Estado da Saúde do Paraná
downloads -> Pré-Avaliação de Geografia – Prof. Nivaldo 8º Ano ef – IV bimestre Data
downloads -> Reposicionamento do nervo inferior alveolar em conjunção com o posicionamento de implantes ósseo integrados: Relatório de um ca
downloads -> Hemorragia do soalho da boca, resultado da perfuração lingual durante o implante
downloads -> 100 motivos para ir ao dentista parte 07 Antônio Inácio Ribeiro 2001 odontex
downloads -> ReconstituiçÃo de defeitos maxilares alveolares com enxerto de sinfisis mandibular para implantes dentarios
downloads -> Artigo Gabi: Pág: 222




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal