Bioestatística para Enfermagem – mad125 – Prova 2- padrão de resposta



Baixar 6.65 Kb.
Encontro06.01.2018
Tamanho6.65 Kb.

Bioestatística para Enfermagem – MAD125 – Prova 2- Padrão de resposta

  1. O coeficiente de incidência leva em conta, no numerador, o número de casos NOVOS de uma doença numa área em determinado período. Já o coeficiente de prevalência, leva em conta o número total de casos, não apenas os novos, da doença numa determinada área num determinado período de tempo.

  2. A tábua de vida de uma geração mostra a verdadeira experiência de morte da coorte, do nascimento até a morte de seu último membro. A tábua de vida de uma coorte sintética mostra uma projeção da experiência de morte de uma coorte hipotética, baseada nas informações sobre média de óbitos por idade que estão disponíveis.

  3. As sete colunas que compõem a tábua de vida são:

C1- idade ou faixa etária;

C2- probabilidade de morte na idade ou faixa etária correspondentes;

C3- número de sobreviventes que iniciam a faixa etária ou idade correspondentes;

C4- número de mortes na idade ou faixa etária correspondentes;

C5- total de anos vividos na idade ou faixa etária correspondentes;

C6- total de anos vividos a partir da idade ou faixa etária correspondentes;

C7- esperança de vida observada na idade ou faixa etária correspondente.

Observação: nessa questão devem ser apresentados apenas três dos conteúdos das sete colunas.



  1. a) As distribuições dos pacientes mesmo que sejam similares em idade e gênero não são similares quanto ao tipo de atendimento. É razoável pensar que os atendimentos em Pronto Socorro referem-se a situações mais graves comparados aos atendimentos na Clínica Médica. Podemos perceber que no Hospital II cujo coeficiente de mortalidade hospitalar por mil pacientes parece ser maior que o do Hospital I houve mais atendimentos no Pronto Socorro (6000) do que no Hospital I (4000).

b) Tomando por base um total de atendimentos igual a 6000 na Clínica Médica e 10000 no Pronto-Socorro para cada Hospital, mantendo-se Oe coeficientes específicos por tipo de atendimento, obtemos um valor de 120 mortes na Clínica Médica 2500 mortes no Pronto Socorro paras o Hospital I e um valor de 150 mortes na Clínica Médica 21500 mortes no Pronto Socorro paras o Hospital II. Esses números levam a coeficientes padronizados de 163,75 por mil no Hospital I e 124,375 por mil no Hospital II, mostrando que após a padronização o coeficiente de mortalidade hospitalar no Hospital II é inferior ao coeficiente de mortalidade hospitalar no Hospital I.

  1. Sensibilidade de um teste é a probabilidade de ocorrer um resultado positivo (o teste acusa a doença), quando de fato, a pessoa submetida ao teste tem a doença. Especificidade de um teste é a probabilidade de ocorrer um resultado negativo (o teste não acusa a doença), quando de fato, a pessoa submetida ao teste não tem a doença.

  2. Para resolver essa questão é necessário o uso da tabela da distribuição normal padrão.

a) P(X>140)=P(Z>(140-114,8)/13,1)P(Z>1,92) 0,0272 ou 2,72%

b) P(100

c) P(X>p)=0,01 se e só se, P(Z>(p-114,8)/13,1)=0,01, se e só se, (p-114,8)/13,1  2,33 se e só se p145,3 mm Hg.





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal