Autobiografia


Meu bisavô, pai da avó Glória com dois dos filhos



Baixar 3.37 Mb.
Página2/15
Encontro18.09.2019
Tamanho3.37 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15

Meu bisavô, pai da avó Glória com dois dos filhos.

De 1920, foto com dedicatória, assinada e datada pelo próprio. A fotografia mais antiga dos meus antepassados na minha posse.

asci, segundo as crónicas, ali no Hospital de S. João, acabado de construir, na tarde do dia 7 de Julho de 1960. Filho da Carolina, ex-funcionária ou operária numa fábrica de camisas, que tinha deixado de trabalhar quando casou, e do José, tipógrafo; neto de Eufrazina e de Joaquim, a avó operária numa fábrica, o avô mineiro de S. Pedro da Cova, e também neto da avó Glória, modista que nunca conheci (morreu em 1938) e de António, meu avô - natural de Viseu, o que me confere sangue Lusitano - cuja lembrança que dele tenho é de o ver preso a uma cama em casa do tio Carlos, irmão do meu pai, falecendo sem que eu tivesse tempo de o conhecer melhor. Deram-me o nome de António Manuel, Leite Lima de apelidos.

Segundo contam, o Hospital, novinho em folha, proporcionava às mamãs óptimas condições e nas enfermarias onde hoje têm 8 camas, tinham 4 e uma atenção personalizada em que se incluía um rádio a cada cabeceira...



N
O protagonista
esse tempo os meus pais, recém-casados (sou primeiro e único filho) viviam ali num Bairro de nome Caixa Têxtil, em S. Mamede de Infesta, onde permaneceram até aos meus 2 anos de idade, mudando-se então para uma casa bem mais perto do Porto, num pequeno bairro, onde cresci até aos 10 anos e construí as minhas primeira recordações de infância. Apesar de muito do meu tempo também se ter passado no local da primeira residência, onde ainda viviam a tia São e o tio Carlos, irmãos do meu pai...e por isso também os meus primos.

Assim (como acho que com todos) as primeiras brincadeiras foram com os primos, o Ismael, a Antonieta, que eram praticamente da mesma minha idade, e se juntavam a mim para atazanar a alma dos mais velhos, a Lela e o Manel, que na falta dos pais tínhamos respeito, e eles faziam questão de nos lembrar disso! A Mina, a Linda, o Carlos e a Lola que por serem mais próximos de nós nem fazíamos caso ao que diziam...e os mais novos, o Marito e o Zé que eram os alvos das brincadeiras que um dia nos fizeram a nós...e ainda o Quim e o Pedro, namorados da Lela e da Mina que por tabela também participaram na nossa educação...

M

1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal