Atestado de matrícula



Baixar 9.12 Kb.
Encontro30.06.2019
Tamanho9.12 Kb.



CURSO DE MESTRADO EM BIOTECNOLOGIA E RECURSOS NATURAIS – MBT
Aluno: CARLOS CLEOMIR DE SOUZA PINHEIRO

Projeto: “Estudo químico e farmacológico das raízes de Zingiber Zerumbet (L) Smith (Zingiberaceae), cultivada em Manaus/Am”


Data da defesa: 22/03/2005 Hora: 9:00 h

RESUMO

O Zingiber é um gênero de cerca de 1200 espécies de plantas perenes nativas da Ásia tropical sendo algumas espécies cultivadas e adaptadas no Brasil, as quais são conhecidas como gengibre. No estado do Amazonas as plantas conhecidas como gengibre ou mangarataia são pertencentes à espécie Zingiber officinale, utilizadas na medicina popular bem como na culinária regional especialmente como condimentos e na fabricação de bombons caseiros. A literatura tem citado o uso das raízes dessa espécie na medicina tradicional da Indonésia e Japão nos tratamentos de dores, aumento do apetite, antiespasmódico e na alimentação. E no, entanto, na região (Amazônica ou no Brasil) é apenas usada como ornamental. Os estudos científicos mostram que alguns compostos isolados (zerumbona, humuleno e canfreno) dos óleos essenciais, possuem atividades: antiulcera, antioxidante, citotóxica, antimicrobiana e antiviral. Plantas de Zingiber zerumbet foram cultivadas em área particular e sua exsicata está depositada no herbário do INPA. As raízes de Zingiber zerumbet foram extraídas, utilizando-se os solventes diclorometano e metanol obtendo-se os extratos diclorometânico (DCM) e metanólico (MeOH). Outras raízes foram submetidas a hidrodestilação utilizando-se o aparelho Clevenger, fornecendo os percentuais de (4,08-6,96%) de rendimento de óleo essencial. De cerca de 97,0% do óleo obteve-se por recristalização um material cristalino puro. Juntando as informações dos espectros de RMN de 1H e de 13C, aliado aos espectros de IV; UV; EM, foi possível propor a estrutura 3,7,11,11 - tetrametil-cicloundeca-2,7,9 – trien-8-ona (Zerumbona). A partir dos dados especificados nos espectros e confirmada através de comparações com os dados das literaturas: IV, EM, UV dos óleos essenciais de Zingiber zerumbet, foi possível identificar como principal constituinte o composto denominado Zerumbona (86,9-97%). Os estudos farmacológicos de Zerumbona (ICSP13A) e dos extratos diclorometânico (DCM), metanólicos (MeOH), obtidos das raízes de Zingiber zerumbet, não revelaram toxicidade por via oral em dose de 5 g/Kg, mostraram atividade antiinflamatória para edema de pata produzido pela carragenina em cAMundongos, revelaram um potencial citotóxico expressivo para Artemia salina e atividade antimicrobiana, contra as cepas: Staphylococcus aureus, Escherichia coli “C,” Candida albicans, Salmonella London, Shigella sonnei, Micobacterium smegmatis.


Palavras chave: Zingiber zerumbet, raízes, Zerumbona, citotóxica, hidrodestilação, antibacteriana, antiinflamatória, toxicidade.
Programa: Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e Recursos Naturais

Orientador: Drª. Cecília Verônica Nunez
Banca Examinadora: Drª. Cecília Verônica Nunez (Presidente)

Dr. Emerson Silva Lima (Membro)

Dr. Ézio Sargentini Júnior (Membro)



Universidade do Estado do Amazonas - UEA - www.uea.edu.br - Mestrado em Biotecnologia – MBT

Avenida Carvalho Leal, 1777, Cachoeirinha – Manaus - Amazonas



CEP: 69065-170 - Tel. (92) 3214.9700 mbt@uea.edu.br






©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal