AtençÃo farmacêutica I



Baixar 22.67 Kb.
Encontro29.12.2017
Tamanho22.67 Kb.

Morbidade e mortalidade por medicamentos
A farmacoterapia comporta riscos e benefícios. Os medicamentos são substâncias que podem ser perigosas, porem o perigo e o risco se encontra em seu emprego e não apenas em sua composição química. (Cipolle et all, 2000).
Efeitos negativos da farmacoterapia:

Enfermidade Iatrogênica – uma enfermidade que é independente da enfermidade subjacente e que ocorre devido à administração de um medicamento, a atos médicos ou cirúrgicos de profilaxia, ao diagnóstico ou a outros tratamentos. (Pepper, 1956).

Reações Adversas a Medicamentos – RAM
A prática da atenção farmacêutica faz com que um profissional seja responsável pelas necessidades dos pacientes em relação aos medicamentos, de modo que seu tratamento farmacológico possa ser controlado de forma detalhada e com um enfoque sistêmico e racional, objetivando identificar todos os problemas do tratamento reais ou possíveis, determinar suas causas e propor soluções para resolvê-los.
Magnitude do problema


  • Foram comunicadas em 1987 a FDA, cerca de 12 000 mortes e 15 000 hospitalizações devidas a reações adversas a medicamentos (RAM).

  • Em um estudo feito em julho e agosto de 1987 com 834 pacientes internados em um hospital de Ohio, 35 das internações (4,2%), estavam relacionadas com medicamentos, das quais 17 (2% do total) foram consideradas previsíveis.

  • Em 1997 Porter et Jick informaram que o índice de mortalidade relacionado com medicamentos nos Estados Unidos era de 1,2 mortes por internações hospitalares. O estudo mostrou que 1% das admissões hospitalares resultaram em morte devido a medicamentos, algumas delas evitáveis.

  • Em 1994 nos Estados Unidos as RAM representaram a 5ª causa de morte.

  • Na Espanha um estudo realizado em Madri durante 5 meses, demonstrou que 3,9% das internações hospitalares ocorridas através do serviço de emergência, foram por RAM. (De Abajo et al., 1989)

  • Um trabalho realizado na França estimou que entre 5 e 9% dos custos hospitalares estão relacionados, em maior ou menor medida, com ocorrência de RAM (Moore N. et al, 1998)

“A Atenção farmacêutica deve ser considerada como um exercício profissional, de forma muito semelhante ao da Medicina, Enfermagem, Odontologia, onde o profissional é responsável por satisfazer as necessidades de cuidados de saúde específicos de cada paciente“. (Cipolle et all, 1998)

“O exercício profissional pode ser visto como a aplicação criativa do conhecimento, guiado por uma filosofia e propósitos comuns para a resolução de problemas específicos que requerem um conhecimento especialista do profissional , utilizando meios e padrões aceitos tanto pelas entidades profissionais como pela aprovação social. Além disso uma prática envolve as experiências do profissional durante o processo de cuidar do paciente”. (Cipolle et all, 1998)
A Profissão Farmacêutica


  • Isolamento dos farmacêuticos em relação ao sistema de cuidados de saúde tem permitido a esses profissionais:

  • Criar seu próprio vocabulário

  • Estabelecer seu próprio padrão de exercício profissional

  • Determinar seu próprio conjunto de regras.

  • Conseqüências:

  • Os outros profissionais de saúde têm dificuldade em compreender o que é a farmácia, seu funcionamento e onde ela se “encaixa”.

  • O isolamento impediu que a profissão aprenda o conjunto de regras que se aplicam a todas as demais profissões de cuidado a saúde.

A prática da atenção farmacêutica faz com que um profissional seja responsável pelas necessidades dos pacientes em relação aos medicamentos, de modo que seu tratamento farmacológico possa ser controlado de forma detalhada e com um enfoque sistêmico e racional, objetivando identificar todos os problemas do tratamento reais ou possíveis, determinar suas causas e propor soluções para resolvê-los.



Filosofia da prática da Atenção Farmacêutica
A filosofia do exercício profissional deve ser vista como um conjunto de ideais, princípios, conceitos, valores e axiomas compartilhados por todos os profissionais que trabalham sobre esta estrutura para definir a natureza do seu exercício.

A filosofia da Atenção Farmacêutica descreve um método centrado no paciente, que atende a necessidade social de controlar a morbidade e mortalidade relacionada a medicamentos, com o objetivo de cuidar das necessidades do usuário em relação ao medicamento, mediante a responsabilidade de profissional, garantindo a correção, efetividade e segurança de todo tratamento farmacológico do paciente. (Cipolle et all, 1998)


Filosofia de uma prática profissional é uma serie de valores que orienta os comportamentos associados a determinados atos, no caso os da Atenção Farmacêutica. Define as regras, funções, relações e responsabilidades do profissional. (Cipolle et all, 2000).
Proposta.
“É a expressão máxima do compromisso do farmacêutico com o paciente, fruto do amadurecimento de uma prática que expressa sua potencialidade profissional, e do ponto de vista técnico-científico e humanístico. É um olhar diferenciado do tradicional, é um olhar na totalidade individual do ser humano considerado em seu contexto, com o objetivo de alcançar resultados que favoreçam o seu bem estar”. (Fórum Nacional de Atenção Farmacêutica- 2003)

Elementos da filosofia da Atenção Farmacêutica:

  • Afirmação de uma necessidade social

  • Enfoque centrado no paciente para satisfazer esta necessidade

  • Assistência a outra pessoa mediante o desenvolvimento e manutenção de uma relação terapêutica

  • Descrição das responsabilidades concretas do profissional.



Habilidades a serem desenvolvidas:

  • Dominar as técnicas de comunicação.

  • Conhecer e utilizar ferramentas que permitam desenvolver programas de Atenção

Farmacêutica.

  • Aprender a trabalhar em equipes multiprofissionais.

  • Adquirir conhecimentos sobre as Fontes de Informação e Documentação necessárias ao

farmacêutico para a prática da Atenção Farmacêutica.

  • Atualizar-se permanente em farmacoterapia e fisiopatologia.

  • Desenvolver hábitos de auto-aprendizagem, pensamento crítico e resolução de problemas.



Princípios da prática da Atenção Farmacêutica:

  • Interagir diretamente com o paciente.

  • Estabelecer uma relação terapêutica com o paciente.

  • Responsabilizar-se pelos resultados das suas ações.

  • Coletar, organizar e analisar os dados do paciente.

  • Considerar todos os problemas de saúde que o paciente possui e todos os medicamentos

que utiliza

  • Identificar, prevenir e resolver os problemas relacionados com medicamentos - (PRM)

  • Elaborar um plano de cuidado juntamente com o paciente.

  • Documentar todos os dados dos pacientes, ações dos farmacêuticos e

resultados obtidos.

  • Realizar o acompanhamento individual do paciente.


SERVIÇO DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA

Estrutura

  • Recursos humanos:

  • Pessoal motivado, qualificado e com disponibilidade de tempo para exercer Atenção Farmacêutica.

  • Recursos materiais:

  • Espaço adequado para atendimento individualizado ao paciente.

  • Documentação necessária: registros, bibliografia e material informativo para o paciente.

Organização

  • Metodologia e protocolos de procedimento.

  • Fluxo de trabalho definido para cada etapa.

  • Comunicação interna com sessões periódicas e externa direcionada aos pacientes e serviços de saúde.

  • Registros.

  • Controles de processo e resultados.

Diagnóstico do local de implantação


  • Âmbito de atuação

  • Perfil dos pacientes.

  • Perfil epidemiológico de patologias na região.

  • Farmacêuticos envolvidos no projeto.

  • Instalações físicas.

  • Fontes de informação

  • Protocolos de trabalho dos farmacêuticos.

(Bisson, 2003)




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal