Ata da 1ª Reunião Solene da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, referente ao 1º Período da 1ª Sessão Legislativa da 5



Baixar 165.31 Kb.
Página1/5
Encontro08.10.2019
Tamanho165.31 Kb.
  1   2   3   4   5

Ata da 8ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, referente ao 2º Período da 2ª Sessão Legislativa da 7ª Legislatura, realizada no dia 23 de setembro de 2014. __________________


Aos vinte e três dias do mês de setembro do ano de dois mil e quatorze, sob a Presidência do Vereador Júlio César Ferrare Cecotti, realizou-se a Oitava Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim–ES, referente ao Segundo Período da Segunda Sessão Legislativa da Sétima Legislatura, com início às quatorze horas e trinta minutos, ocasião em que não foram constatadas ausências. / Na abertura dos trabalhos, o Edil Rodrigo Pereira Costa fez a leitura da passagem bíblica. / Logo após, o secretário procedeu a leitura do Expediente da Mesa, que se constou do seguinte: Indicações: 1368, 1369, 1370, 1371, 1372, 1384, 1385, 1386, 1387, 1388, 1389, 1390, 1391 e 1392/2014 – José Carlos Amaral; 1373, 1376, 1416, 1417 e 1418/2014 – Brás Zagotto; 1375, 1377, 1379, 1380, 1381, 1382, 1383 e 1393/2014 – Wilson Dillem dos Santos; 1394, 1395, 1396, 1397, 1398, 1399, 1400, 1401, 1402, 1403 e 1404/2014 – Alexandre Valdo Maitan; 1405, 1406, 1407, 1408, 1409, 1410, 1411, 1412 e 1428/2014 – Josias Pereira de Castro; 1413, 1415, 1424, 1425, 1426 e 1427/2014 – Júlio César Ferrare Cecotti; 1414/2014 – Alexandre Andreza Macedo; 1419, 1420, 1421, 1422, 1423 e 1432/2014 – Luis Guimarães de Oliveira. Requerimentos: 1017/2014 – Josias Pereira de Castro; 1018/2014 – Alexandre Valdo Maitan; 1019/2014 – Delandi Pereira Macedo; 1020 e 1021/2014 – Alexandre Andreza Macedo; 1023, 1024, 1025, 1026, 1027, 1028, 1029, 1030, 1031, 1032 e 1034/2014 – José Carlos Amaral. Ofícios: 503/2014 – Ministério da Educação; 113, 114, 115, 116, 117, 118, 119, 120, 121, 122, 123, 124, 125, 126, 127 e 128/2014 – PMCI – Umberto Batista da Silva Júnior – Coordenador Executivo de Relações Políticas. Projetos de Decreto Legislativo: 284 e 286/2014 – Rodrigo Pereira Costa; 285/2014 – Alexandre Andreza Macedo. Projetos de Lei: 225, 226 e 227/2014 – Poder Executivo. / Júlio César Ferrare Cecotti (Presidente): — Vamos interromper a sessão para realizar as homenagens desta tarde. / Mestre de Cerimônia: — Boa-tarde a todos! O Presidente da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, Vereador Júlio César Ferrare Cecotti, e demais vereadores sentem-se honrados em recebê-los nesta tarde. Hoje, a Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim concede homenagens especiais em comemoração ao Dia Municipal do Agente de Trânsito, instituído pela Lei 6.690/2012, e também a um graduando em Geologia pela Universidade Federal do Espírito Santo. Convidamos os seguintes homenageados para tomarem assento nas poltronas ao lado da tribuna: Agentes Fiscalizadores de Trânsito: André Luis Fortuna Portinho e Carlos Alberto de Carvalho Filho, e o graduando em Geologia Felipe Alves Mendes. Solicitamos que todos se coloquem de pé para acompanharmos a execução dos Hinos Nacional Brasileiro e o do Município de Cachoeiro de Itapemirim. / Mestre de Cerimônia: — Passamos a palavra ao Presidente da Câmara Municipal, Vereador Júlio César Ferrare Cecotti, que fará uma saudação aos homenageados. / Júlio César Ferrare Cecotti (Presidente): — Boa-tarde a todos! Hoje, comemoramos o Dia Municipal do Agente de Trânsito. Essa data foi escolhida, porque a lei que criou o Código de Trânsito Brasileiro é do dia 23/09/1997. Portanto, essa data acaba sendo lembrada como símbolo daqueles que fiscalizam e organizam o trânsito da nossa cidade. A justificativa da nossa lei diz o seguinte: “A Semana do Trânsito é realizada entre os dias 18 a 25/09; assim, ter o dia 23/09 como Dia do Agente de Trânsito só enaltece a categoria, dando força para essa batalha diária que é a fiscalização do trânsito de Cachoeiro de Itapemirim”. É exatamente assim. Sabemos que os agentes fazem um trabalho difícil. Cachoeiro é uma cidade antiga, com morros, vias estreitas e sem muitas possibilidades de construção de alternativas. Por outro lado, vivemos uma época difícil, em que a educação social parece estar em baixa, e a do trânsito não fica atrás. Temos motoristas agressivos, pedestres indisciplinados, uma guerra constante entre todos os que precisam se mover em Cachoeiro. As pessoas atravessam fora da faixa, motoristas param em local proibido, enfim, todos acreditam que a lei vale apenas para o outro. Cabe justamente aos agentes de trânsito essa missão não apenas de punir, mas de educar nossos motoristas e pedestres; por isso, seu trabalho é fundamental. Sabemos que vocês precisam de uma constante qualificação e investimento em sua remuneração, e esta Casa tem estado ao lado da categoria sempre que é chamada a apoiá-la. Continuaremos agindo da mesma forma, porque não há cidade boa para se viver quando o trânsito é um caos. Não há qualidade de vida sem um trânsito decente. Educação, fiscalização e punição são ferramentas importantes nesse cenário. O agente de trânsito é o elo que faz tudo isso funcionar de maneira organizada e humana. Parabéns pelo seu trabalho, André Luis, Carlos Alberto, Fernanda, Ana Lúcia, Flávio e todos os agentes presentes aqui, representando a categoria. Continuem sempre contando com esta Casa. Quero também aproveitar o momento para parabenizar o formando em Geologia, o Felipe Alves Mendes, que será homenageado hoje por esta Casa, por sugestão do Vereador Lucas Moulais. O Felipe apresentou um brilhante Trabalho de Conclusão de Curso, que vem colaborar para o estudo das condições geológicas de nosso Município. É um trabalho que merece o nosso reconhecimento, e, daqui a pouco, o próprio Felipe vai nos trazer mais informações sobre esse TCC. Parabéns, Felipe! Temos a certeza de que Cachoeiro e o Espírito Santo estão ganhando um brilhante profissional. Muito obrigado! / Mestre de Cerimônia: — Passamos a palavra ao Vereador Rodrigo Pereira Costa. / Rodrigo Pereira Costa: — Boa-tarde a todos! É uma grande satisfação ter proposto esta homenagem aos agentes de trânsito do Município de Cachoeiro. Tive a oportunidade de conviver com o pessoal da Guarda Municipal, quando trabalhei lá. Esse convívio não se perdeu, pois ainda existe uma ligação entre mim e os parceiros da Guarda. Na semana passada, encontrei com a Fernanda, agente de trânsito, que me chamou a atenção para a lei, aprovada nesta Casa, criando o Dia Municipal do Agente de Trânsito. Fui solícito ao pedido dela, porque acho que é importantíssima a luta que a Fernanda tem em prol da sua categoria. Também é importante a competência e a dedicação com que os agentes fazem o seu trabalho, cuidando do trânsito de Cachoeiro. Então, nada mais justo e louvável do que conceder essa homenagem ao André e ao Carvalho, representando toda a categoria. Esses dois profissionais se destacam e trabalham com sinceridade e honestidade em nosso Município. A escolha dos dois nomes foi feita pelo grupo. André e Carvalho, é uma felicidade homenagear vocês dois. O papel desses agentes, entre os quais trabalham a Fernanda e a Ana Lúcia, é fazer facilitar a mobilidade urbana e a educação no trânsito. Sei o quanto é difícil educar os motoristas e pedestres, a fim de tornar a mobilidade urbana em Cachoeiro cada vez melhor. Dados estatísticos mostram que, hoje, os acidentes de trânsito matam muito mais do que o câncer e os homicídios. Muitas vezes, esses dados não chegam até todos, mas essa é a realidade. É preciso que haja uma política mais forte e firme com relação ao trânsito no Brasil. As estatísticas em outros países, como Alemanha e China, mostram que avançaram muito no que diz respeito à mobilidade urbana e a diminuição dos acidentes de trânsito. Ontem, o jornal mostrou que houve um acidente em que o carro bateu em um poste, em frente à Viação Itapemirim. Os acidentes são constantes, às vezes, por falta de prudência dos motoristas. A Santa Casa sofre com isso, porque os acidentados acabam sendo levados para lá. As estatísticas daquele hospital mostram que o número de acidentes motociclísticos é altíssimo. Volto a falar da importância dos agentes municipais de trânsito no processo de educação e formação dos condutores e na orientação dos pedestres. Isso é fundamental para termos um plano de mobilidade urbana com êxito. Cachoeiro precisa incentivar cada vez mais uma política de mobilidade firme, educando o condutor e o pedestre. Enalteço o trabalho das senhoras e senhores agentes de trânsito e coloco-me à disposição. Esta homenagem é muito merecida. Parabenizo as atividades que estão ocorrendo na Praça Jerônimo Monteiro, que procuram educar as crianças, inclusive os agentes de trânsito estão ajudando nesse trabalho. Esse é o caminho certo, pois é preciso educar as crianças; se elas não forem educadas para o trânsito, no futuro, teremos homens e mulheres totalmente desinformados com relação a essa área. Parabéns pela iniciativa, pois é preciso investir na educação para o trânsito. Se esse processo continuar, acredito que o trânsito de Cachoeiro e do Brasil poderá melhorar, chegando a se igualar aos países de primeiro mundo, que têm menos mortes. Que vocês continuem trabalhando com seriedade e se dediquem a essa farda que usam, respeitando a sociedade cachoeirense. Espero que os condutores e pedestres sejam formados para que tenham mais responsabilidade quanto ao trânsito em nosso Município. Todos os agentes têm um papel fundamental nessa questão. Que Deus abençoe a cada um de vocês. Esta Casa está à disposição para ajudar no que for possível, de maneira a termos um trânsito de alto nível em Cachoeiro. Muito obrigado! / Mestre de Cerimônia: — Passamos a palavra ao Vereador Lucas Moulais. / Lucas Moulais: — Boa-tarde a todos! Quero comungar com as brilhantes palavras do Vereador Rodrigo sobre os agentes de trânsito, que serão homenageados aqui. Também gostaria de falar sobre o Felipe, que conheci hoje. Conheço o Rômulo, que é pai do Felipe e dono de duas casas lotéricas de Cachoeiro. Ele solicitou um tempo para que o Felipe fizesse uma explanação aqui sobre o trabalho que trata do Parque do Itabira. Um pedido do Rômulo é uma ordem, e o acatei. Agradeço as presenças da Luiza, irmã do Felipe, e da Mariana, namorada dele. O Felipe é um orgulho para os cachoeirenses. Eu ainda não li todo o trabalho dele, mas é importante fazer isso. Ninguém melhor do que o Felipe para explanar sobre o seu TCC. Parabéns pelo grande trabalho! Devemos nos orgulhar de sermos cachoeirenses, pois vemos um jovem, como o Felipe, que fez um trabalho que é referência em nível nacional. Muito obrigado! / Mestre de Cerimônia: — Passamos palavra ao homenageado Carlos Alberto de Carvalho Filho. / Carlos Alberto de Carvalho Filho: — Boa-tarde a todos! Fazendo uso desta sessão solene, eu, Agente Fiscalizador de Trânsito Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, venho representar essa honrosa categoria e agradecer, em nome dos agentes, o reconhecimento por parte desta Casa de Leis. Agradecemos também ao Senhor Prefeito Municipal, Carlos Casteglione, e ao Secretário da SEMDEF, Sr. Fabrício Ferreira Soares. Hoje, 23/09, faz alusão à Semana Nacional de Trânsito e ao Dia Municipal do Agente Fiscalizador de Trânsito desta cidade. O Contran, órgão máximo executivo, define um tema para cada ano. Este ano, o tema foi: “Proteção e prioridade ao pedestre em consonância com o artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro”. De acordo com o CTB, artigo 280, parágrafo 4º, o agente da autoridade de trânsito competente para lavrar o auto da infração poderá ser servidor civil, estatutário ou celetista ou, ainda, policial militar designado pela autoridade de trânsito com jurisdição sobre a via no âmbito de sua competência. O agente da autoridade de trânsito é o responsável pelo exercício das atividades de fiscalização, operação, policiamento ostensivo de trânsito ou patrulhamento. Entendemos, então, que o agente de trânsito é o profissional que age em função da lei, que busca a sua aplicação da forma mais adequada, produzindo um efeito positivo no trânsito. Vale ressaltar que, recentemente, tivemos uma grande conquista nacional, pois fomos reconhecidos por parte do Governo Federal e incluídos no artigo 144 da Constituição Federal, em seu parágrafo 10, que inclui a educação e a engenharia de trânsito ao lado da fiscalização. Essa conquista representa um momento importante para a categoria e para a segurança viária, e passamos a fazer parte da segurança pública, unindo forças para o combate à violência no trânsito. O agente de trânsito é o profissional que visa, de forma segura e eficiente, a locomoção de pessoas e bens para o crescimento de uma nação, de uma cidade. Mantendo a responsabilidade e o compromisso, cada profissional busca, por meio de suas ações, proporcionar à sociedade um trânsito mais seguro, equilibrado e dinâmico. Nós, agentes de trânsito, somos muitas vezes observados e caracterizados de forma maldosa, mas o nosso papel vai além de operar e fiscalizar o trânsito. Também desempenhamos o papel de educador, através de orientação e conscientização de condutores e pedestres que utilizam nossas vias. Trabalhamos para organizar e disciplinar o espaço do ambiente trânsito. Damos suporte em casos de acidentes ou na realização de eventos. Assim, trabalhamos para melhorar a fluidez do tráfego de nossa cidade e proporcionar qualidade de vida à população, oferecendo segurança ao pedestre e aos demais usuários da via. Nós, como profissionais fiscalizadores de trânsito, estamos sempre em contato direto com a população, expondo a nossa integridade física e moral. Diante dessas palavras, deixo aqui os meus parabéns pelo Dia do Agente Fiscalizador de Trânsito deste Município. Muito obrigado! / Mestre de Cerimônia: — Agora, passamos a palavra ao Felipe Alves Mendes. / Felipe Alves Mendes: — Boa-tarde a todos! Antes demais nada, quero agradecer as Secretarias de Agricultura e Meio Ambiente e a de Cultura de Cachoeiro de Itapemirim pelo acervo histórico e o plano de manejo disponibilizados para a minha pesquisa. Gostaria de agradecer também aos Vereadores Júlio Ferrare, Lucas Moulais e demais edis. Quero mostrar o meu trabalho, que tem como título “Cartografia geológica com base para a geoconservação do Parque Municipal do Itabira.” Esse trabalho foi doado para a biblioteca municipal para que qualquer pessoa possa vê-lo. O Pico do Itabira é um corpo rochoso que se destaca na região. Todo cachoeirense conhece, e quem passa pela BR também pode observá-lo. Além disso, o Itabira tem uma importância histórica, cultural e esportiva muito grande para a região, mas nenhum estudo geológico havia sido feito sobre ele. Observei que a Região Sul do Espírito Santo foi muito estudada geologicamente por autores do Brasil e de fora também. Então, essa foi a minha motivação para realizar esse trabalho. Apurei que a história do Pico do Itabira começa em 1812, quando foi iniciado o projeto de desenvolvimento do Sul do Estado em busca de ouro no Rio Itapemirim. A área ao redor do Pico do Itabira foi utilizada para o cultivo de café e criação de gado, como subsídio para a extração de ouro no Rio Itapemirim. Posteriormente, com a criação da estrada de ferro e o começo da navegação a vapor no Rio Itapemirim, a economia da região foi alavancada e cresceu; assim, a utilização da área do pico foi muito maior. Se compararmos as imagens atuais com as antigas, veremos que o desmatamento e o uso do solo foram muito grandes, e a paisagem sofreu uma mudança enorme. Além da importância histórica, existe a esportiva do Pico Itabira, principalmente no que diz respeito às escaladas. Em 1947, o Pico do Itabira foi escalado pela primeira vez por um grupo de alpinistas do Rio de Janeiro. Fiz contato com o clube desses alpinistas, e algumas dessas pessoas ainda estão vivas, e pude conversar com elas. Em relação à parte prática do estudo, fiz o mapeamento geológico de campo e um estudo estrutural das rochas do parque, através do uso de bússola e GPS, de várias inscrições de campo e de fotografias para definir as citologias existentes lá. Também coletei as amostras, que foram levadas para a Universidade Federal de Ouro Preto, onde fizeram três lâminas. Analisei essas lâminas nos microscópios da UFES para ter um novo grau de abordagem em campo e também microscopicamente. Os resultados do meu estudo mostraram que a formação do Itabira aconteceu no mesmo momento de colisão e separação das placas sul-americana e africana, que concordam com a formação do Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, toda essa parte da costa brasileira. Pude delimitar dois tipos de rochas existentes dentro do parque: tonalitos e sienogranitos. O Pico do Itabira, propriamente dito, é formado pelo tonalito, e as rochas ao redor por sienogranito. Os tonalitos são tipos específicos de granito; por isso, são mais resistentes. A maior resistência associada à tectônica local e também os processos de intempéries, como ação de chuvas, ventos e mudança de temperatura, fizeram com que as rochas ao redor fossem mais erodidas, o que não aconteceu com o Pico do Itabira, que é mais resistente; por isso, ele ficou com o formato mais alongado. Além disso, pude observar que toda a região tem uma tendência à formação desses picos alongados. No futuro, aqueles morros que existem ao redor vão se transformar em novos Picos do Itabira. Essa é uma tendência normal na evolução do terreno. Não observei placas indicativas dos caminhos para chegar ao parque, de trilhas, de escaladas ou de informações sobre o Itabira. Acredito que o local tem grande potencial turístico, mas não é aproveitado por pessoas daqui nem de fora. Todos os que trafegam na BR 101 passam em frente ao Itabira, e poderia haver mais atração, principalmente quanto à localização do parque. Espero contribuir com o meu estudo para o desenvolvimento de Cachoeiro e do Parque Municipal do Itabira, além de sua conservação. Muito obrigado! / Mestre de Cerimônia: — Agora, passaremos à entrega das homenagens, convidando os vereadores e os homenageados: Júlio César Ferrare Cecotti, David Alberto Lóss, Alexandre Bastos Rodrigues, Neusa Sabadini Lemos Dardengo e Wilson Dillem dos Santos – Carlos Alberto de Carvalho Filho; Rodrigo Pereira Costa, Carlos Renato Lino, Alexandre Valdo Maitan, Ely Escarpini e Josias Pereira de Castro – André Luiz Fortuna Portinho; Lucas Moulais, Elias de Souza, Leonardo Pacheco Pontes, Delandi Pereira Macedo, Brás Zagotto, Osmar da Silva, José Carlos Amaral e Luis Guimarães de Oliveira – Felipe Alves Mendes. Convidamos os vereadores, os homenageados e os agentes de trânsito presentes para vierem à frente do plenário para o registro de uma fotografia oficial com os vereadores. Encerrada a solenidade, agradecemos a presença de todos e os convidamos para que continuem prestigiando os trabalhos desta Casa de Leis. / Na sequência, passamos ao Pequeno Expediente, quando usaram a tribuna os seguintes Edis: / Júlio César Ferrare Cecotti (Presidente): — O advogado Ozires Prates Chamoun entregou um livro para a Câmara com uma carta, que diz o seguinte: “Ao Senhor Presidente da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim e demais vereadores. Esta obra se destina a integrar o acervo da biblioteca dessa Casa de Leis. Este livro tem como título ‘Chicrala, um homem de bem’. No dia 17/09/1914 nascia José Felix Cheim, chamado carinhosamente de Chicrala. Certamente, se ele estivesse vivo, comemoraria essa data que, para a família, é um marco de alegria e, ao mesmo tempo, de imensa saudade. Para homenageá-lo, um antigo projeto foi retomado, a biografia de um homem, empresário, pai, amigo e avô. Ninguém melhor do que as filhas Rosa Marta, Maria Lúcia e Zeni para fazer desse antigo sonho uma realidade.” Este livro estará no acervo da biblioteca da Câmara para quem quiser lê-lo. / David Alberto Lóss: — Boa-tarde a todos! Anteontem, Cachoeiro perdeu uma funcionária muito antiga do Departamento Pessoal da prefeitura, a Rosane Felix Paiva. Senhor presidente, como homenagem desta Casa à memória dela, peço que seja feito um minuto de silêncio. / Júlio César Ferrare Cecotti (Presidente): — Pedido acatado. / A seguir, foi observado um minuto de silêncio, conforme solicitado. / David Alberto Lóss:Senhores, quando terminou o mandato do Prefeito Roberto Valadão, em 1988, Theodorico de Assis Ferraço foi eleito o novo prefeito e me convidou para ser secretário Municipal de Planejamento, pasta na qual atuei durante um ano. Na época, junto com a Rosane, diretora do Departamento Pessoal, e a DATACI fizemos rodar a primeira folha de pagamento e contracheques totalmente informatizados da Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim. A Rosane prestou muitos serviços à prefeitura. Gostaria de dizer que a Câmara tem vários candidatos a cargos do Poder Legislativo Estadual e Federal, que são os Vereadores Delandi, Brás, Osmar, Alexandre, Ely, Léo e Neuza, e quem sabe tenhamos esses sete amigos eleitos. Parodiando o bom ladrão, digo: “Não se esqueçam de mim quando estiverem no paraíso”. Desejo sucesso a todos! Há um projeto tramitando na Câmara, declarando de utilidade pública o Lions Clube Rubem Braga, e peço que os colegas vereadores votem a favor dele. Esse projeto não trará nenhum prejuízo ao Município, e sim permitirá que o Lions possa obter recursos financeiros fora daqui. Essa entidade é considerada a mais antiga ong do mundo em atividade e fará cem anos em 2017, com um milhão e quatrocentos e cinquenta mil filiados espalhados por duzentos e sete países. Cachoeiro tem três células, e a mais nova é o Lions Clube Rubem Braga para a qual estou pedindo utilidade pública, sendo que as outras duas já o são. Quero dizer que a lei que trata da castração dos animais foi sancionada e publicada. Estive no Centro de Controle de Zoonoses, que foi construído no governo de Ferraço e, na época, os cachorros eram pegos na rua, ficavam lá e, se não aparecesse ninguém para adotá-los, eram mortos. Hoje, a lei proíbe a prática de eutanásia; então, é preciso que o Centro de Zoonoses seja adequado para a atual realidade. Trabalhei no projeto para que seja feita a esterilização dos animais e estou interessado que esse problema seja resolvido, porque as populações canina e felina em Cachoeiro são de quase trinta e três mil animais, e a procriação continua. O método utilizado antes, da era medieval, matando-se os animais, não pode mais ser utilizado; hoje, deve ser feita a esterilização científica, e o Centro de Zoonoses precisa ser adaptado à realidade, além de colocar gente lá, através de parcerias. É preciso que seja feita uma reunião com o Ministério Público e a AMACAXU para que tudo seja bem organizado. Já apareceram médicos veterinários para fazer as esterilizações gratuitamente; então, é preciso adequar aquele espaço para atender ao que a lei manda. A lei foi feita para ser cumprida. No Grande Expediente, falarei sobre as eleições nacionais e tentarei explicar os gargalos históricos que nos fizeram chegar até a situação em que estamos agora, pois o povo tem dificuldades de saber em quem votar para presidente da República, o cargo mais importante do país. Muito obrigado! / Luis Guimarães de Oliveira: — Boa-tarde a todos! Quero agradecer ao Secretário Romário pelo atendimento prestado a Córrego dos Monos, onde está sendo feita uma limpeza. Fico satisfeito, porque, durante o período em que estive afastado, o Distrito de Córrego dos Monos esteve jogado às traças, abandonado e sujo. Logo que fiz o pedido, o Secretário Romário me comunicou que estava mandando uma equipe para fazer a limpeza, sendo que é obrigação do Município cuidar dos bairros e distritos, trazendo bem-estar para a população. As pessoas acham que, quando o Vereador Josias pede algo para Córrego dos Monos, está me afrontando; pelo contrário, é dever e obrigação de cada vereador procurar atender às comunidades. Eu não sou vereador só de Córrego dos Monos, e sim de todo o Município de Cachoeiro. Não vou me furtar ao direito de fazer pedido para os bairros e distritos de Cachoeiro por pensar que determinado vereador ficará aborrecido. Eu sempre fiz pedido para o Bairro Vila Rica, e o Vereador Brás assinou junto comigo. Fazia isso justamente para evitar que alguém quisesse jogar um vereador contra o outro. Quero agradecer ao Vereador Josias, em nome da minha comunidade, pelo carinho que tem para com aquele distrito. Devemos deixar as nossas vaidades de lado e procurar atender às comunidades, já que é essa a nossa obrigação. O vereador é eleito para fiscalizar, ver o que está parado e colocar para funcionar. Fico feliz de ter mais um vereador ajudando Córrego dos Monos. Então, agradeço mais vez ao companheiro. Muito obrigado! /


  1   2   3   4   5


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal