Associação Brasileira de Enfermagem Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem cepen



Baixar 3.08 Mb.
Página9/58
Encontro18.09.2019
Tamanho3.08 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   58

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=667

Nº de Classificação: 5027
BEZERRA, Camilla Pontes. A vivência da sexualidade por adolescentes portadoras de deficiência visual. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Departamento de Enfermagem, 2007. [106] f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): PAGLIUCA, Lorita Marlena Freitag
RESUMO: A adolescência é uma fase da vida em que se dá a maturação sexual e é acompanhada por transformações psicológicas e sociais. As pessoas portadoras de deficiência visual estão sujeitas ao mesmo processo, mas este é um tema escassamente tratado pela literatura. Devido às transformações nesta fase da vida, as indefinições que as acompanham, somada à deficiência visual, justifica-se um estudo sobre a vivência da sexualidade das adolescentes portadoras de deficiência visual inseridas na sociedade e na comunidade escolar. Foram entrevistadas cinco adolescentes deficientes visuais em um Centro de Apoio Pedagógico (CAP) para cegos e ou deficientes visuais com questões que buscaram o conhecimento e a compreensão por parte das adolescentes sobre as causa da sua deficiência visual, seu grau de escolaridade, composição e orientações familiares, experiência afetivo-sexual, nível de conhecimento acerca de assuntos relacionados à sexualidade dentre eles métodos contraceptivos e doenças sexualmente transmissíveis. Os resultados permitiram perceber que as adolescentes deficientes visuais apresentam as mesmas características de desenvolvimento da sexualidade das demais pessoas, embora possuam características próprias. A falta da visão não diminui o interesse sexual, apenas faz com que a curiosidade sobre esse assunto torne-se diferenciada: elas querem conhecer seus corpos e seu funcionamento. Como todas as adolescentes, as jovens que não vêem também buscam definir sua identidade e seu lugar na sociedade. Além disso, querem descobrir sua própria sexualidade e encontrar meios adequados para expressar seus impulsos sexuais e vivenciar relacionamentos afetivos. Está presente o desconhecimento sobre métodos contraceptivos e DSTs, sendo as informações superficiais. Reflete-se que para gerar uma cultura de promoção da saúde é imprescindível que o conhecimento se faça de forma acessível para esta população. Acreditamos que as adolescentes deficientes visuais devem tomar suas próprias decisões exercendo assim seus direitos e deveres para o pleno exercício de sua cidadania.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=712

Nº de Classificação: 5028
BESSA, Maria Eliana Peixoto. Idoso institucionalizado e a compreensão do seu cotidiano. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Departamento de Enfermagem, 2007. 96 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): SILVA, Maria Josefina da
RESUMO: Muitos idosos ao entrarem em uma instituição asilar se deparam com uma de suas principais características: o caráter totalizador dessas instituições. Assim é necessário que adapte-se a uma nova rotina repleta de normas e regras. É preciso, agora, após passar toda a sua vida convivendo com pessoas conhecidas, com quem mantinha laços de amizade e consangüinidade, ter que aprender a conviver com pessoas totalmente desconhecidas, deixando para trás seu estilo de vida pessoal e de viver seu cotidiano. Este estudo tem como objetivo geral: compreender como os idosos (re)constroem o seu cotidiano dentro de uma instituição asilar, e específicos: 1) Identificar as motivações que levaram os idosos ao asilo; 2) Descrever o processo de adaptação ao contexto asilar elos idosos; 3) Explicar como os idosos se percebem e organizam as atividades cotidianas.; e 4) Explicar a dinâmica das relações interpessoais dos idosos no asilo. Este estudo teve como referencial teórico conceito de processo adaptativo do Modelo de Adaptação da teórica de enfermagem Callista Roy. O caminho metodológico escolhido foi a estratégia de pesquisa Estudo de Caso, já que esta pesquisa adentrou no universo natural da idosa institucionalizada e teve uma abordagem compreensiva. O estudo foi realizado em um asilo da cidade de Fortaleza-Ce que possui características filantrópicas e é mantida por uma ordem de religiosas. A instituição selecionada tem cerca de 60 idosas residentes, todas do sexo feminino. A amostra foi composta por saturação dos resultados sendo composta por 9 idosas. A unidade de análise desta pesquisa foi a (re) construção do cotidiano da idosa na instituição asilar selecionada e utilizou um protocolo de estudo de caso com o intuito de aumentar a confiabilidade da pesquisa. Para a coleta de dados utilizou-se a observação direta e a entrevista baseada no roteiro de história de vida. As observações foram escritas em diário de campo e as entrevistas foram gravadas em gravador digital sendo transcritas na íntegra, posteriormente codificadas e, em seguida analisadas. Como técnica para organização e análise dos dados utilizou-se da técnica de Análise de Discurso que visa a compreensão de como um objeto simbólico produz sentidos, como ele está investindo de significância para e por sujeitos. Este estudo foi submetido e aprovado à Comissão de Ética em Pesquisa do Complexo Hospitalar da UFC. As categorias, após a análise do sentido das falas foram:1) Vinda para o asilo – principais motivações:favorecimento de práticas religiosas, evitar a solidão, influencia de outras pessoas, acesso a recursos de saúde e exclusão familiar; 2) Processo adaptativo: senti-se produtiva, sentimentos de perda/ enfrentamento da realidade e conhecimento prévio do asilo; 3) Auto percepção do idoso no contexto asilar: pertença e autonomia, e satisfação/ insatisfação das necessidades humanas; e 5) Dinâmica das relações: respeito. Com este estudo percebe-se que a (re)construção do cotidiano do idoso no contexto asilar é uma atividade complexa que necessita de um esforços tanto do idoso como da instituição que o acolhe, sendo necessário estar atento ao processo adaptativo e às necessidades humanas do idoso.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=632

Nº de Classificação: 5029
VICTOR, Janaína Fonseca. Tradução e validação da Exercise Benefits/Barriers Scale: aplicação em idosos. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Departamento de Enfermagem, 2007. 139 f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)

Orientador(es): XIMENES, Lorena Barbosa

ALMEIDA, Paulo César de


RESUMO: Objetivou-se com esta pesquisa realizar adaptação transcultural da Exercise Benefits/Barriers Scale (EBBS) para a língua portuguesa e verificar as propriedades psicométricas da EBBS para detecção da percepção sobre os benefícios e barreiras para a pratica de atividade física em idosos. A EBBS foi submetida ao processo de adaptação transcultural proposto pelo Guidelines for the cross-cultural adaptation process. A confiabilidade da EBBS foi verificada pelo alfa de Cronbach e pelo teste-resteste por meio do coeficiente w de Kendall. A validade foi analisada pela validade de conteúdo (opinião de cinco especialistas) e validade de construto (associação entre os resultados da EBBS e as variáveis sociodemograficas, clinicas e de estilo de vida). A pesquisa foi do tipo metodológica com abordagem quantitativa, realizada em uma unidade básica de Saúde da Família (UBASF) em Fortaleza-CE. A amostra foi constituída de 214 idosos acompanhados pelos profissionais do Programa Saúde da Família (PSF). A coleta de dados ocorreu no período de setembro a dezembro de 2005, tendo sido utilizados como instrumentos a versão traduzida da EBBS e um formulário para caracterização dos idosos. Os resultados revelaram que, na adaptação transcultural, um item da escala foi retirado por apresentar ambigüidade e, dos 42 itens que compõem a EBBS, 12 tiveram que ser exemplificados para o entendimento pela população do estudo. O Alfa de Cronbach da escala total foi de (0,94) e o teste-reteste (0,60). A validade de conteúdo revelou que novos itens precisam ser inseridos. A validade de construto demonstrou que ocorreu associação estatisticamente significante entre a EBBS e as variáveis: escolaridade (p =0,0001), com quem reside (p= 0,03), estilo de vida (p= 0,0001), prática de atividade física (p = 0,0001) e que estes resultados são coerentes com a literatura. A aplicação da EBBS mostrou que os idosos deste estudo percebem mais benefícios do que barreiras para a atividade física; os benefícios menos percebidos foram os referentes a prevenção de doenças, e as barreiras identificadas foram relacionadas ao tempo para realizar atividade física, ao esforço físico e a falta de encorajamento familiar. Após a realização do estudo, obteve-se um instrumento confiável capaz de avaliar a percepção de benefícios e barreiras para a prática de atividade física em idosos. Este poderá ser utilizado amplamente por enfermeiros e demais profissionais de saúde, contribuindo, assim, para a realização de estudos futuros com a temática promoção da saúde e atividade física. Sugere-se, ainda, a aplicação da versão traduzida e adaptada da EBBS em populações distintas, a fim de verificar a confiabilidade e a validade do instrumento, isto porque com a adesão de novos pesquisadores se poderá chegar a uma escala estável e replicável.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=554

Nº de Classificação: 5030
MELO, Elizabeth Mesquita. Avaliação de orientações sistematizadas de enfermagem no pós-operatório de mulheres submetidas à mastectomia. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Departamento de Enfermagem, 2007. 111 f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)



Orientador(es): FERNANDES, Ana Fátima Carvalho
RESUMO: Enfatiza-se a importância do acompanhamento de enfermagem no pós-operatório de mastectomia, visando à identificação de problemas na busca da qualidade de vida da mulher e minimização de alterações físicas e psicológicas, para sua melhor readaptação ao ambiente social. O estudo teve como objetivo geral: avaliar a contribuição da assistência de enfermagem desenvolvida no pós-operatório, para a readaptação física, emocional e social da mulher mastectomizada e específicos: identificar diferenças nas respostas físicas, emocionais e sociais entre as mulheres que foram ou não submetidas à orientação sistematizada de enfermagem; conhecer as complicações pós-operatórias presentes nos dois grupos de mulheres; e detectar as dúvidas entre os grupos em relação aos cuidados necessários para a prevenção de complicações após a mastectomia. Estudo experimental, do tipo ensaio clínico randomizado controlado. Aplicou-se uma intervenção a um grupo de mulheres (grupo intervenção), no pós-operatório imediato de mastectomia, para a observação de seus efeitos, em relação a outro grupo em que não foi realizada (grupo controle). Dados coletados entre novembro de 2005 e março de 2006, em uma instituição especializada em oncologia, Fortaleza-Ceará. A população constou de portadoras de doenças da mama que realizaram cirurgia nesse período, sendo composta por 80 mulheres, 40 em cada grupo, selecionadas aleatoriamente. Dados organizados e analisados quantitativamente, submetidos à análise estatística. Utilizou-se o Programa Microsoft Office Excel 2003, para o banco de dados. Considerou-se o nível de significância dos testes igual a 5%. O projeto foi aprovado pelo comitê de ética da instituição. A faixa etária predominante foi 36 a 68 anos (87,5%); 60% procediam do interior do estado; 57,5% eram casadas. A mastectomia radical modificada com esvaziamento axilar foi o procedimento mais realizado (56%) e o diagnóstico mais comum carcinoma ductal infiltrante (58,8%). Identificou-se diferença estatisticamente significativa quanto à manifestação de desamparo, falta de forças, sensação de cansaço e tensão, com um índice de alteração emocional menor no grupo-intervenção. 57,5% do grupo intervenção, após a cirurgia, retomaram atividades que beneficiavam a recuperação, observado em 7,5% do grupo controle. Foram manifestadas dúvidas sobre as atividades por 57,5% das mulheres do grupo controle e 37,5% do grupo intervenção. Houve mais complicações cirúrgicas no grupo controle (92,5%) em relação ao grupo intervenção (57,5%). Este grupo apresentou menos dificuldades para manusear o dreno de sucção (7,5%), sendo 31,6% no grupo controle. O acompanhamento direcionado ao grupo intervenção contribuiu para a adoção de atitudes positivas relacionadas aos cuidados com o braço do lado operado. A orientação sistematizada de enfermagem no pós-operatório de mastectomia possui valor inestimável, visto que proporciona o esclarecimento de dúvidas a respeito da doença e da cirurgia, e possibilita a adoção de cuidados favoráveis à recuperação mais rápida da mulher e a sua readaptação.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=683

Nº de Classificação: 5031
MOURA, Ana Débora Assis. Educação em saúde com prostitutas na prevenção das DST/aids: reflexões à luz de Paulo Freire. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Departamento de Enfermagem, 2007. 110 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): BARROSO, Maria Grasiela Teixeira
RESUMO: As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são consideradas risco ocupacional para as prostitutas, podendo ser prevenidas com o uso do preservativo. Faz-se necessária uma conscientização acerca da sua importância mediante a Educação em Saúde, pois esta é a estratégia mais eficiente na prevenção das DST/Aids, trazendo mudança de comportamentos, valores e atitudes. Diante de toda a problemática que é a prostituição e sua relação com as DST, interessou compreender o trabalho realizado pelas prostitutas da Associação das Prostitutas do Ceará - APROCE no que se refere à prevenção das DST/Aids. Nesse contexto, este estudo objetivou analisar o trabalho educativo realizado pelas prostitutas da APROCE no que se refere à prevenção das DST e Aids, e verificar se essa Educação em Saúde estimula a reflexão, criticidade, mudança de comportamento, ou é somente um repasse de informações. Dessa forma, despertou-se para a relação do objeto de estudo com a abordagem teórica baseada nas reflexões de Paulo Freire, pois “mudança”, ao lado de “conscientização”, é um “tema gerador” da prática teórica de Paulo Freire. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, inspirada na teoria e prática de Paulo Freire e analisada segundo a Teoria Crítica. Os dados foram agrupados de acordo com as etapas em que foram coletados: Observando as Educadoras Sociais e Dialogando com as Educadoras Sociais. Posteriormente, dividida a segunda parte em duas categorias: o perfil e o diálogo com as educadoras sociais. No diálogo com as educadoras sociais, foram identificados seus sentimentos quanto ao trabalho realizado; as principais dificuldades; os pontos facilitadores; como percebem seus resultados; os pontos mais e menos importantes do trabalho que realizam. Conclui-se, portanto, que conscientizar-se da importância da prevenção das DST e Aids, e mudar de comportamento, não são tarefas simples, pois vários fatores interferem na vida da prostituta. As estratégias de Educação em Saúde utilizadas pela Associação não estimulam a reflexão, criticidade, mudança de comportamento, como se deseja e espera, mas já deu um grande passo, pois repassa informações e entrega freqüentemente o preservativo para as prostitutas, e, como essa é uma ação que acontece há alguns anos, muitas mulheres já mudaram de comportamento. Devem ser realizados projetos, estratégias mais eficazes, para que conscientização e mudança aconteçam em um menor espaço de tempo. Para obtenção desse fim, foram elaboradas estratégias metodológicas de Educação em Saúde na prevenção das DST/Aids para prostitutas.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=827

Nº de Classificação: 5032
PAIVA, Glaziane da Silva. Diagnósticos de enfermagem em infartados submetidos à angioplastia coronariana com stent. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Departamento de Enfermagem, 2007. 102 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): LOPES, Marcos Venícios de Oliveira
RESUMO: A terapia de reperfusão coronariana com angioplastia coronariana transluminal percutânea e colocação de stent constitui, atualmente, o tratamento preferencial ao paciente acometido por infarto agudo do miocárdio. No período pós-angioplastia, o paciente infartado exige cuidados da equipe de enfermagem peculiares devido ao comprometimento cardíaco e dependência física. A identificação dos diagnósticos de enfermagem direciona as ações de enfermagem assistidas e delegadas pelo enfermeiro. O objetivo do estudo foi analisar os diagnósticos de enfermagem em pacientes com infarto agudo do miocárdio submetidos à angioplastia transluminal percutânea primária com uso de stent coronariano. Estudo transversal de natureza descritivo-exploratória, realizado em um hospital público de Fortaleza-Ce. A população constou de 51 pacientes em seu primeiro episódio de infarto que realizaram angioplastia com sucesso na colocação de stent e internados nas enfermarias cardiológicas. Os dados foram coletados por meio de entrevista, exame físico e consulta ao prontuário do paciente durante os meses de janeiro a agosto de 2006. Os resultados mostraram predominância de homens, pardos, com média de idade de 54 anos e baixa escolaridade. Identificou-se maior freqüência de infarto anterior, com artéria descendente anterior esquerda culpada pela isquemia e classificação de killip I. Foram encontrados, em média, 11 diagnósticos de enfermagem, 28 características definidoras, 6 fatores relacionados e 5 fatores de risco por paciente. Os diagnósticos de enfermagem de maior freqüência foram: Risco de infecção, Dentição prejudicada, Intolerância à atividade, Déficits no autocuidado para banho/higiene, higiene íntima e vestir-se/arrumar-se, Padrão de sono perturbado, Deambulação prejudicada e Mobilidade física prejudicada. A variável número de diagnósticos apresentou associação estatisticamente significativa com os diagnósticos de déficit no autocuidado, deambulação e mobilidade prejudicadas. Houve associação estatisticamente significativa entre os diagnósticos relacionados ao autocuidado, mobilidade e locomoção, e destes com os fatores relacionados restrições de movimentos prescritas, limitação imposta pela retirada da bainha e estado de mobilidade prejudicada. Os dados revelaram predominância de fenômenos relacionados à ordem biológica e importância na identificação dos diagnósticos de enfermagem na clientela específica de modo a embasar um plano de atividades de enfermagem voltadas ao atendimento das necessidades fisiológicas de autocuidado e dependência física.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=669

Nº de Classificação: 5033
AGUIAR, Maria Isis Freire de. Transplante hepático: o significado para aqueles que vivenciam a espera pelo procedimento cirúrgico. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Departamento de Enfermagem, 2007. 135 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): BRAGA, Violante Augusta Batista
RESUMO: O objetivo do transplante de fígado é aumentar a sobrevida de pacientes portadores de doenças hepáticas irreversíveis agudas e crônicas, além de proporcionar melhor qualidade de vida. O interesse em prestar uma atenção em saúde mais qualificada ao paciente em espera pelo transplante de fígado nos instigaram a nos aproximar mais da realidade vivenciada por ele, considerando que a compreensão da situação vivida favorece uma assistência mais humanizada e individualizada, contribuindo, ainda, para a construção do conhecimento em enfermagem e para a transformação da prática do enfermeiro. Objetivamos apreender o significado do transplante de fígado para o paciente em pré-transplante, através da caracterização dos pesquisados nos aspectos sócio-demográficos e padrões clínicos; da identificação dos sentimentos, crenças, valores e atitudes vivenciadas; e da identificação de estratégias de enfrentamento para condição vivenciada. Pesquisa de abordagem qualitativa, tendo como referencial teórico-metodológico a Teoria Humanística de Paterson e Zderad. Participaram do estudo dezoito pacientes inscritos no programa de transplante de fígado e acompanhados no Centro de Transplantes de Fígado do Ceará – CTFC. Os dados foram coletados através de prontuários, observação não-participante e entrevista. A análise dos dados teve por base os preceitos do processo da Enfermagem Fenomenológica, utilizando quatro fases: a preparação para vir-a-conhecer os pacientes que aguardam um transplante de fígado, conhecendo intuitivamente os pacientes, conhecendo cientificamente os pacientes e síntese complementar das realidades conhecidas. Desse processo, emergiram as unidades temáticas com as categorias história da doença, sentimentos, enfrentando a condição vivenciada, significado, expectativas e percepção do futuro. Identificamos o termo “nova vida” como a unidade de sentido de maior significância para os informantes, designando um período diferente do que estão vivenciando atualmente e a necessidade de retornar suas atividades cotidianas e hábitos de vida relacionados à alimentação, educação, trabalho e lazer, resgatando assim sua autonomia e dignidade. O significado atribuído ao transplante foi desvelado não apenas como uma possibilidade de cura, mas a melhoria da qualidade de vida. Os pacientes revelaram o desejo de retribuir todo apoio recebido pela família durante esta fase crítica que vivenciam com a evolução da doença hepática. A insuficiência hepática irreversível é uma condição patológica de grande impacto na vida das pessoas, levando a necessidade de transplante de fígado como única possibilidade de reversão do quadro terminal, trazendo conseqüências diretas na qualidade de vida, com repercussões a nível biológico, psicológico e social. As transformações e limitações impostas pela condição crônica e pela necessidade de listagem para o transplante trazem a necessidade de adaptação a uma nova realidade, tendo que se ajustarem as mudanças nos vários campos da sua vida. Buscar o sentido e o significado que os pacientes atribuem à experiência vivida no período pré-transplante é de suma importância para o processo do cuidar, bem como conhecer suas histórias e experiências vividas transcorridas em seu mundo, promovendo um ambiente assistencial mais humano.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=626


Nº de Classificação: 5034
FORTES, Allyne Nóbrega. Diagnósticos de enfermagem em pacientes com angina instável internados em um hospital especializado. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem. Departamento de Enfermagem, 2007. 96 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): LOPES, Marcos Venícios de Oliveira
RESUMO: A identificação dos principais diagnósticos de enfermagem presentes nos pacientes com Angina Instável contribui para o conhecimento do perfil de respostas humanas destes pacientes, colaborando para o planejamento de intervenções mais adequadas, viabilizando a sistematização da assistência de enfermagem. O objetivo deste estudo foi analisar o perfil de diagnósticos de enfermagem apresentado por pessoas com Angina Instável internadas em um hospital especializado em doenças cardíacas. A população foi composta pelos clientes portadores do diagnóstico de Angina Instável, sob atendimento nesse hospital. Trata-se de estudo descritivo do tipo transversal, com abordagem de análise quantitativa. Foram avaliados 57 pacientes com Angina Instável, no período de janeiro a outubro de 2006. O instrumento de coleta foi um formulário preenchido durante entrevista e exame físico. Estes pacientes são predominantemente do sexo masculino, com média de idade de 61 anos, sem companheiro, originários do interior do estado do Ceará e procedentes da capital do estado. Têm renda familiar próxima a 650 reais, tendo estudado por volta de quatro anos, pertencentes à religião católica e a maioria está aposentada. O tempo de internamento desses pacientes até a coleta dos dados foi de, em média, cinco dias e estavam, em sua maioria, no primeiro episódio de Angina Instável. Verificamos que as principais características clínicas de base foram: Hipertensão Arterial, Fumo, Cateterismo cardíaco anterior e Menopausa. A média da Relação Cintura-Quadril desses indivíduos estava dentro do risco considerado alto, independente do sexo e da idade e a maior parte dos pacientes estava acima do peso ideal para a altura e a compleição corporal. Constatamos que esses pacientes apresentavam em média, cinco diagnósticos de enfermagem, doze características definidoras, quatro fatores relacionados, e sete fatores de risco. Examinamos que os diagnósticos de enfermagem mais freqüentes eram decorrentes do quadro anginoso ou favoreciam seu surgimento, sendo o diagnóstico de Risco de quedas o mais presente. Os fatores relacionados mais presentes eram relacionados aos diagnósticos de Dor aguda, Intolerância à atividade, Padrão de sono perturbado e Estilo de vida sedentário. Neste estudo tivemos a oportunidade de identificar aspectos do cuidado ao paciente anginoso possíveis de serem aprimorados, por meio da análise dos diagnósticos de enfermagem. Isso pode contribuir para conscientizar e incentivar a enfermagem na execução de mais estudos científicos não só com relação à Angina Instável, mas também alusivos a outras doenças isquêmicas miocárdicas, além de nortear a assistência de enfermagem à população.



1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   58


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal