Associação Brasileira de Enfermagem Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem cepen



Baixar 3.08 Mb.
Página6/58
Encontro18.09.2019
Tamanho3.08 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   58

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=91549

Nº de Classificação: 5003
BARBOSA, Tânia Santana Menezes. Repercussões da dor neonatal no desenvolvimento neuromotor de infantes. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 95 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): CAMARGO, Climene Laura de
RESUMO: A dor experenciada pelo prematuro durante a fase neonatal pode trazer alterações neurocomportamentais tardias. Uma coorte retrospectiva foi realizada com objetivo de avaliar o desenvolvimento neuromotor dos infantes submetidos a procedimentos dolorosos repetidos em unidade de terapia intensiva neonatal e determinar a incidência das alterações neuromotoras encontradas. Foram estudados 41 (38,7%) infantes prematuros moderados num total de 106 recém-nascidos identificados através do livro de registro e prontuários. Uma perda de seguimento de 65 (61,3%) recém-nascidos ocorreu devido a informações incorretas de endereços e telefones que inviabilizaram sua localização. As informações foram obtidas com os responsáveis pelos infantes através de um formulário para Avaliação Neurológica (Gesell, 2003). Os dados foram armazenados e analisados utilizando o programa Epi Info Windows e pacote estatístico R. Observamos que 20 (48,8%) infantes são do sexo masculino, 10 (24,4%) nasceram com peso =1500g, 21 (51,2%) tinham 01 ano de idade. A incidência de alterações neuromotoras foi de 39%. O risco de ter alteração foi 1,35 (IC 95% 0,62- 2,93) vezes maior para infantes do sexo masculino comparados aos do sexo feminino e ser submetido a cem ou mais procedimentos dolorosos aumentou o risco de alterações neuromotoras, tais como inabilidade na aquisição motora no andar, RR=2,56 (IC 95% 0,73-8,84 p=0,12) e do “pegar em forma de pinça” 2,13 (0,58-7,75 p=0,22), embora nenhum tenha alcançado significância estatística. Os fatores de risco independentemente associados à alteração neuromotora no modelo de regressão logística foram asfixia perinatal 13,85 (1,28 – 149,42), Apgar no primeiro minuto 6,37 (1,33 – 30,56) e Apgar no quinto minuto 2,21 (1,12 – 4,34; p=0,07). É fundamental que os profissionais de saúde saibam valorizar a dor do recém-nascido, buscando prevenir os possíveis prejuízos no desenvolvimento da criança a longo prazo.

Acesso ao texto integral:

http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=91551

Nº de Classificação: 5004
SILVA, Iranete Almeida Sousa. Trabalho em unidade de tratamento intensivo: representações sociais de enfermeiras. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 162 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): CRUZ, Enêde Andrade da
RESUMO: A Teoria das Representações Sociais (TRS) propicia estudos dos fenômenos construídos e partilhados nos grupos sociais, por possibilitar o conhecimento das idéias, valores e crenças de um grupo de pertença. Objetivou-se apreender e analisar as representações sociais (RS) elaboradas pelas(os) enfermeiras(os) atuantes em UTI de adulto sobre o seu trabalho, com a finalidade de oferecer subsídios para a reflexão desse trabalho, compreensão do valor e importância atribuídos por essas(es) profissionais. Trata-se de um estudo descritivo, exploratório com abordagem quantitativa e qualitativa que ressalta o trabalho da enfermeira em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) fundamentado na TRS. A pesquisa de campo foi realizada em cinco UTIs de adulto de dois hospitais de grande porte com finalidades de: ensino, pesquisa e assistência, prestadores de serviços aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo um público e o outro filantrópico que atende também à rede privada na cidade de Salvador (BA). Para a coleta de dados, utilizou-se a entrevista semi-estruturada, gravada após anuência das informantes. Participaram desta pesquisa 90 enfermeiras(os) para o teste ALP e destas 24 foram escolhidas aleatoriamente para as entrevistas. Para análise dos elementos obtidos no teste ALP foi usado o software EVOC; para as entrevistas, a análise de conteúdo, atribuindo a unidade de enumeração às unidades temáticas, o que possibilitou a análise quantitativa e qualitativa dos dados, por meio da categorização do conjunto de núcleos de significados. Os resultados do teste ALP evidenciaram que a estrutura da RS tem como elementos centrais duas categorias: trabalho estressante de responsabilidade e trabalho de assistência integral gratificante. Como elementos periféricos, também foram identificadas duas categorias de elementos atitudinais relacionadas a atributos profissionais e pessoais. As entrevistas evidenciaram núcleos de significados organizados em cinco categorias com distribuição em vinte subcategorias: descrição do trabalho, atributos associados, valorização, viabilidade do trabalho e aspectos psicossociais. Concluiu-se que as RS envolvem elementos contraditórios e conflituosos entre os profissionais e usuários do setor, especialmente no que se refere às atividades e condições estressoras, à assistência integral, à satisfação e ao sofrimento. Tornam o trabalho desgastante, exaustivo acompanhado de sentimentos negativos, insatisfações, comportamentos indesejáveis e dificuldades, que interferem no trabalho das enfermeiras. Essas situações evidenciam necessidades de mudanças, no sentido de reduzir o estresse, o sofrimento e elevar as aspirações do grupo.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=91536

Nº de Classificação: 5005
CORDEIRO, Rosa Cândida. Práticas de discriminação racial e de gênero na atenção à saúde de mulheres negras com anemia falciforme. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 89 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): FERREIRA, Sílvia Lúcia
RESUMO: Esta dissertação tem como objetivos: analisar práticas de discriminação racial e de gênero nos serviços de saúdes relatadas por mulheres negras com anemia falciforme e identificar e descrever práticas de discriminação racial e de gênero relacionadas ao acesso e a permanência de mulheres negras com diagnóstico de anemia falciforme nos serviços de saúde. A pesquisa foi de natureza qualitativa descritiva. O campo empírico foi a cidade de Salvador e o lócus da pesquisa foi o Distrito Sanitário Cabula/Beiru. Foram entrevistadas dez mulheres com anemia falciforme que se auto-declararam pretas ou pardas. Para coleta de dados utilizou-se a entrevista semi-estruturada e a observação participante, orientada por roteiros específicos. Os dados foram organizados utilizando-se a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), que consiste em agregar num só discurso-síntese conteúdos discursivos semelhantes. Os depoimentos foram analisados e destes extraídos as idéias centrais equivalentes e respectivas expressões chave para posteriormente com a organização dos depoimentos construir os Discursos do Sujeito Coletivo que descrevem as marcas da anemia falciforme no corpo e na vida dessas mulheres, o tratamento injusto, descortês ou humilhante percebido nas práticas e na organização dos serviços, a conversa depreciativa e a internalização da opressão nos fornecendo pistas de como se concretiza a discriminação racial e de gênero nos serviços de saúde. Os resultados mostram como a vida dessas mulheres foi fortemente marcada pela doença e pelas questões de gênero, raça e classe. Nos fornecem também pistas de como a discriminação racial e de gênero se concretiza dificultando o acesso e a permanência dessas mulheres nos serviços de saúde.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=83920

Nº de Classificação: 5006
ZATTI, Maria Laura Rebouças. Vínculos empregatícios e comprometimento da enfermeira no trabalho hospitalar. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 200 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): MENDES, Vera Lúcia Peixoto Santos
RESUMO: Este trabalho objetiva descrever o grau de comprometimento das enfermeiras com diferentes vínculos empregatícios, em relação à organização hospitalar e a profissão/carreira. Analisa-se o comprometimento na vertente organizacional, buscando-se identificar como os indivíduos podem comprometer-se a partir de diferentes processos psicológicos que lhes dão embasamento, nas bases afetiva, instrumental e normativa atitudinais. A análise da perspectiva atitudinal permite compreender como se articulam os vínculos dos indivíduos com diferentes focos (organização, trabalho, carreira). Trata-se de um estudo de caso, de abordagem quantitativa, com método descritivo, analítico - dedutivo desenvolvido em um hospital público, de grande porte, situado em Feira de Santana, Bahia – Brasil. De um universo constituído de 146 enfermeiras, selecionou-se uma amostra de 90 enfermeiras, sendo 45 com contrato de trabalho permanente, denominadas estatutárias, e 45 com contrato de trabalho por prazo determinado, denominadas contratadas pelo Regime Especial de Direito Administrativo (REDA). O instrumento de coleta de dados foi o questionário, composto de nove itens que integram o Organizational Commitment Questionnaire (OCQ), acrescentandose dados pessoais e profissionais para identificar o perfil de cada grupo. A análise deu-se com a utilização do programa Statistical Porckarge for Social Science (SPSS) versão 11.0, submetendo-se à prova estatística teste t de Student para a comparação entre os grupos. Os resultados demonstram que nos dois grupos analisados predominam moderados escores de comprometimento. Com a organização hospitalar, as enfermeiras com vínculo de estatutárias apresentam-se mais comprometidas do que com vínculo de contrato REDA, sendo que dentre as estatutárias, as com idade maior, casadas, sem pós-graduação, que trabalham na assistência, com jornada de trabalho de 30 horas semanais, e com um único vinculo de trabalho apresentaram as maiores médias de comprometimento. Ao se caracterizarem as bases afetiva, instrumental e normativa do comprometimento das enfermeiras com a organização, observase que as contratadas são mais comprometidas com a base instrumental, enquanto que as estatutárias comprometem-se mais com a base normativa, comprovando-se uma das hipóteses deste estudo. Em relação à carreira, as enfermeiras contratadas apresentam-se mais comprometidas do que as estatutárias, embora estes resultados não revelem diferenças estatisticamente significantes entre os dois grupos, na maioria das variáveis estudadas. Os resultados delineiam o perfil dos grupos, encontrando respaldo na literatura examinada e em algumas semelhanças com estudos realizados sobre a temática. Ao se investigar o micro espaço organizacional hospitalar, conclui-se que os resultados do presente estudo podem contribuir na formulação de Políticas de Gestão do Trabalho em Servi;os de Saúde que estimulem o comprometimento das trabalhadoras da enfermagem com a organização hospitalar, o que significa remover possíveis entraves na consolidação do Sistema Único de Saúde brasileiro.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=83917

Nº de Classificação: 5007
MELO, Mônica Cecília Pimentel de. Cuidado pré-natal a adolescentes sob o olhar da integralidade. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 98 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): COELHO, Edméia de Almeida Cardoso
RESUMO: A gravidez na adolescência tem sido considerada um problema de saúde pública, haja vista ser fenômeno crescente, sobretudo entre as adolescentes pobres, sendo associada à falta de oportunidades sociais, no que se inclui a ausência de educação sexual na família, na escola e nos serviços de saúde. Portanto, no pressuposto que o redirecionamento das políticas de saúde na atualidade vem provocando mudanças na qualidade da atenção em saúde, que subentende o cuidado pré-natal com adolescentes, cujas especificidades requerem um olhar mais diferenciado e que à atenção destinada a esse grupo tem se desenvolvido por meio do Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS)/Programa de Saúde da Família (PSF), principalmente em áreas interioranas, decidimos por uma investigação científica, ao qual tem como objeto o cuidado pré-natal à adolescentes. O estudo busca responder a seguinte questão: Como os(as) profissionais do PACS/PSF vêm concretizando as práticas de cuidado as adolescentes grávidas? O estudo tem como objetivos: analisar os condicionantes da gravidez na adolescência, segundo a visão dos(as) profissionais do PACS/PSF; conhecer o processo de cuidado pré-natal a adolescentes grávidas desenvolvido por profissionais da rede básica de saúde e analisar o cuidado pré-natal a adolescentes, valorizando limites e possibilidades de efetivação da integralidade. Trata-se de um estudo qualitativo com enfoque teórico em gênero e integralidade. Foi desenvolvido em unidades de PACS/PSF, no interior da Bahia com profissionais que cuidam de adolescentes durante a gravidez. O material empírico foi produzido por meio de entrevista semi-estruturada e de observação não-participante em consultas de enfermagem e médicas e mediante visitas domiciliares realizadas por agentes comunitários de saúde. Foi analisado por meio da técnica de análise do discurso, segundo Fiorin, entendendo-se o discurso como uma posição social, cujas formações ideológicas são materializadas na linguagem. À medida que são estudados os elementos discursivos é revelada a visão de mundo dos sujeitos inscritos nos discursos, sendo esta determinada socialmente. A análise revelou que, na visão dos(as) profissionais, a gravidez é utilizada como estratégia de defesa de jovens contra adversidades sociais, buscando uma oportunidade de união com parceiros idealizados como protetores e provedores, reproduzindo, assim, um modelo de mulher-mãe, doméstica e dependente de outrem. No tocante às ações concretas de cuidado às adolescentes grávidas, o trabalho profissional é orientado pelo modelo biomédico, em que as ações de saúde concentram-se, essencialmente, na clínica distanciando-se das necessidades mais amplas das adolescentes. Existem modos diferenciados de perceber o fenômeno da gravidez na adolescência, mas, na prática, todos operacionalizam suas ações pela visão tecnicista. Portanto, o cuidado pré-natal à adolescente, distancia-se da perspectiva da integralidade, na medida em que as(os) profissionais, embora inseridas(os) em programas que valorizam as relações de cuidado, mantêm-se presas(os) às bases de formação, orientadas por sujeições ideológicas a um modelo que nega, às adolescentes grávidas, a oportunidade de serem sujeitos.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=91534

Nº de Classificação: 5008
MIRANDA, Jaqueline Amorim Gomes de. Cirurgia bariátrica: demandas bio-psico-sociais. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 169 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): TAVARES, José Lucimar
RESUMO: Trata-se de uma pesquisa que teve como objeto de estudo as demandas bio-psico-sociais de pessoas obesas frente a cirurgia bariátrica.O seu objetivo foi conhecer e identificar essas demandas, no período pré-operatório. Sua natureza qualitativa, descritiva, estando embasado em pressupostos sobre Imagem Corporal, Necessidades Humanas Básicas e obesidade. O grupo foi composto por doze sujeitos, nove mulheres e três homens, que estavam na faixa etária compreendida entre 18 e 71 anos. Foram atendidas em um consultório de cirurgia de um hospital geral, de grande porte, na cidade de Salvador-Bahia. Tomamos como técnica de coleta de dados a entrevista semi-estruturada, compreendendo seis questões norteadoras, referentes aos motivos que levaram essas pessoas a decidirem pela cirurgia da obesidade e como a obesidade interferiria em sua imagem corporal e, em sua qualidade de vida e as expectativas em relação a cirurgia . Da análise apreendemos três categorias e nove subcategorias referentes as demandas bio-psico-sociais. As entrevistas foram gravadas e transcritas. Fizemos ainda pesquisas em prontuário para identificação dos sujeitos. Tínhamos o preconceito de que o maior fator motivador para o tratamento era a busca pela estética, porém constatamos uma grande preocupação com a saúde, sendo este o principal motivo para realização da cirurgia. Ressaltamos que a obesidade traz alterações importantes, apresentando grande impacto na imagem corporal, na saúde mental, nas atividades físicas e laborais cotidianas, no vestuário, na sexualidade, enfim, na qualidade de vida dessas pessoas. Acreditamos que este estudo traz subsídios para melhor se compreender as dificuldades dessas pessoas, despertando um olhar mais sensível e menos preconceituoso da enfermagem, para que se possa prestar um cuidar mais humanizado, integralizado e verdadeiro.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=91547

Nº de Classificação: 5009
TORRES, Jaci Lopes. Regulação dos leitos hospitalares no Sistema Único de Saúde na cidade de Salvador-BA. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 98 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): TAHARA, Ângela Tamiko Sato

COSTA, Ester de Souza


RESUMO: A regulação da assistência é uma das estratégias utilizadas pelo MS, para o fortalecimento da gestão pública do SUS, para a organização da atenção à saúde, como forma de garantir o acesso dos usuários aos serviços de saúde. Tem um fazer específico de ordenamento da demanda e oferta de saúde entre indivíduos e comunidade. Esta dissertação caracteriza-se como um estudo de caso descritivo com abordagem qualitativa, que teve como objetivos compreender o funcionamento de regulação dos leitos hospitalares no Sistema Único de Saúde (SUS), realizado na cidade do Salvador-BA, de acordo com a percepção dos funcionários da Central Estadual de Regulação, e identificar as dificuldades enfrentadas pelos profissionais na Central Estadual de Regulação para viabilização do serviço de acordo com as necessidades dos usuários. Os dados foram obtidos por meio de entrevista semi-estruturada realizada com 15 profissionais que trabalham na Central Estadual de Regulação (CER), da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB). Para complementar o presente estudo foram pesquisados os dados documentados no serviço, referentes às regras para Controle, Regulação e Avaliação de Sistemas no setor saúde, definidas pelo Ministério da Saúde (MS), através da Política de Regulação. Os dados foram analisados seguindo e adaptando a análise de conteúdo. Os resultados obtidos evidenciaram que os gestores da CER em Salvador passam por uma série de dificuldades relacionadas à sua organização e funcionamento, dentre essas o quantitativo insuficiente de leitos hospitalares e as deficiências de especialidades que, por sua vez, também dificultam o acesso do usuário aos serviços de saúde. Concluiu-se que a CER tenta facilitar de alguma forma o acesso dos pacientes aos serviços de saúde, na tentativa de consolidar a proposta do SUS, assegurando os princípios de universalidade, integralidade e equidade de todos os indivíduos. E ainda que os profissionais atuantes na CER convivem com limitada autonomia e compartilham a escassez de recursos e limitações organizacionais.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=91544

Nº de Classificação: 5010
SANTOS, Ana Carla Petersen de Oliveira. Significado da denúncia de violência intrafamiliar: história oral de idosas. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 154 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): MENEZES, Maria do Rosário de
RESUMO: Esta dissertação propõe-se apresentar, através da história oral temática, os relatos de idosos sobre o que significou para os mesmos ter que denunciar o seu familiar-agressor, no entendimento de que somente quem vivenciou esta situação poderá ser capaz de trazer elementos fundamentais à compreensão das questões envolvidas nos contextos e significados das denúncias, bem como os conflitos experimentados pelo idoso quando da iniciativa de buscar ajuda nas Instituições Públicas voltadas para a proteção e segurança dos cidadãos. Como objetivo geral busca analisar o significado da denúncia da violência intrafamiliar contra idosos, a partir das experiências vivenciadas e descritas pelos mesmos. Como objetivos específicos, foram delimitados: descrever e compreender o significado da denúncia da violência intrafamiliar em relatos de idosos violentados. A metodologia envolve investigação de caráter qualitativa, descritiva, em que foram entrevistadas 10 idosas vítimas de violência intrafamiliar, que tinham prestado queixa formal contra seus familiares agressores em delegacia de polícia no município de Salvador - Bahia. Foram utilizados, como instrumento de coleta de dados, a entrevista semiestruturada e a observação direta. As categorias de análise foram agrupadas em quatro grandes temas, sujeitos à análise de conteúdo: a relação da idosa com sua família, percebendo a violência intrafamiliar, denunciando o familiar-agressor e convivendo após a denúncia. Os resultados indicam que para as senhoras idosas a denúncia de um familiar agressor constitui um verdadeiro dilema, associado aos sentimentos de culpa, resignação e esperança, que vão além das medidas de intervenção penal. Existe fundamental necessidade que os serviços de saúde e de segurança realizem juntos o atendimento, encaminhamento e acompanhamento dos idosos vítimas, como também dos agressores, visando cessar ou minimizar os efeitos nocivos do comportamento violento de familiares contra pessoas idosas.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=91540

Nº de Classificação: 5011
CIRCUNCIZÃO, Jucimara dos Santos. Aspectos éticos da participação de pais no cuidar intensivo neonatal. Salvador. Universidade Federal da Bahia. Escola de Enfermagem, 2007. 77 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): VIEIRA, Therezinha Teixeira
RESUMO: Este estudo é o resultado das reflexões como profissional de enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), durante 14 anos. As inquietações e reflexões sobre a relação da enfermeira com os pais participando do cuidar do recém-nascido (RN) na UTIN levaram-me às questões éticas que permeiam esta relação e a atuação profissional enfermeira de neonatologia. Considerando tratar-se de um estudo exploratório descritivo, estabeleci como objetivo geral: conhecer os aspectos éticos que permeiam a participação dos pais no cuidar/cuidados de enfermagem em UTIN e como objetivos específicos: apreender os aspectos éticos que permeiam a participação de pais no cuidar/cuidados de enfermagem em UTIN e descrever os aspectos éticos que permeiam o atuar das enfermeiras durante a participação de pais no processo de cuidar/cuidados de enfermagem em UTIN. Foram utilizados como referencial teórico a literatura sobre o Sentido do processo de cuidar em enfermagem, o Cuidar do recém-nascido na UTIN, a Participação dos pais no cuidar intensivo neonatal e a ética no processo de cuidar. Utilizei na trajetória metodológica uma abordagem qualitativa e análise de conteúdo. Realizei a coleta de dados através de uma entrevista semiestruturada com 08 enfermeiras de UTIN de um hospital privado de Salvador. Na compreensão dos dados pelo modelo de analise de conteúdo de Bardin, surgiram categorias empíricas: a enfermeira e a participação dos pais na UTIN e aspectos éticos que permeiam a participação dos pais nos cuidados de enfermagem na UTIN: princípios e valores, e subcategorias: as enfermeiras avaliam o seu desempenho; as enfermeiras expressam dilemas que emergem do cuidado na UTIN; sentimentos das enfermeiras e as relações que estabelecem com os pais; as enfermeiras e os conflitos que emergem nas relações com os pais; as enfermeiras identificam as expectativas dos pais quanto ao estado do bebê; as enfermeiras desenvolvem ações diante das manifestações de medo dos pais; responsabilidade de enfermeiros e pais nos cuidados desenvolvidos na UTIN; respeito à participação dos pais; alteridade nas relações entre pais e enfermeiras; os direitos dos pais, dos filhos e das enfermeiras; autonomia dos pais e das enfermeiras; a relação de poder das enfermeiras com os pais; e a confiança dos pais na equipe da UTIN. É possível depreender que a experiência deste trabalho significou a compreensão da realidade que as enfermeiras experimentam em relação à presença dos pais em UTIN, sobre os seus compromissos em seguir a Ética profissional, seus dilemas e seus acertos na assistência aos pais durante a internação da criança na Unidade. Compreendi que a responsabilidade da enfermeira na participação dos pais nos cuidados ao filho em UTIN vai além do seu preparo técnico, é uma questão de consciência e comportamento ético, de abertura para o novo e respeito às diferenças. E, já existe um pensar e atuar em favor de uma adequada assistência ao paciente como também de sua família, aqui restrito aos pais. Espero que este estudo possa contribuir para um repensar ético da assistência de enfermagem e que outros profissionais possam se interessar pelo estudo das relações éticas na assistência de enfermagem.



1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   58


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal