Associação Brasileira de Enfermagem Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem cepen



Baixar 3.08 Mb.
Página49/58
Encontro18.09.2019
Tamanho3.08 Mb.
1   ...   45   46   47   48   49   50   51   52   ...   58

Acesso ao texto integral: não localizado e não temos o CD

Nº de Classificação: 5369
SAMPAIO, Francisca Aline Arrais. Caracterização do estado de saúde referente à integridade tissular e perfusão tissular em pacientes com úlceras venosas segundo a NOC. Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, 2007. 68 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): LOPES, Marcos Venícios de Oliveira
RESUMO: Os enfermeiros têm responsabilidade específica, junto aos pacientes com riscos de lesão de pele, pois são eles que, em diversas situações, iniciam e controlam o cuidado da ferida. De forma particular, as úlceras venosas são lesões crônicas que acarretam prejuízos significativos. Assim, a Classificação dos Resultados de Enfermagem (NOC) pode ser um instrumento relevante, a fim de avaliar o estado de saúde referente aos aspectos da pele e circulação em pacientes com esta alteração. O estudo teve como objetivo caracterizar o estado de saúde referente à integridade e perfusão tissular dos membros inferiores de portadores de úlceras venosas com base nos indicadores da NOC. O estudo é transversal exploratório e descritivo. A população constituiu-se de pacientes com úlceras venosas e a amostra obteve 49 indivíduos. A coleta de dados deu-se por meio de um formulário fechado e exame físico, em um ambulatório situado na região metropolitana em Maracanaú-CE. Todos os itens do instrumento foram descritos baseados na NOC e literatura. Utilizou-se o programa estatístico SPSS versão 13.0, para armazenamento e avaliação dos dados. O projeto obedeceu aos aspectos da Resolução 196/96. Os achados da amostra mostraram predominância do sexo feminino com idade acima de 60 anos. A maioria dos participantes eram aposentados ou pensionistas e viviam com companheiros. A hipertensão arterial sistêmica assumiu destaque entre as demais co-morbidades. O índice tornozelo-braquial, de forma geral, assumiu um valor normal; 75% dos sujeitos eram obesos. As caracteristicas mais presentes das úlceras venosas foram bordas irregulares, exsudato seroso e em pouca quantidade, tecido de granulação e extensa área da ferida. A geléia de metronidazol foi muito utilizada nos curativos. Entre os indicadores operacionais que mostraram-se mais comprometidos estão crescimento de pêlos e edema periférico. Os Resultados de Enfermagem Integridade e Perfusão Tissular apresentaram moderado comprometimento. A variável idade mostrou ter relação inversa com a Integridade Tissular. Evidenciou-se que a presença de doença cardíaca exerce influência sobre o resultado integridade tissular, assim como a presença da hipertensão arterial sistêmica interfere negativamente na perfusão tissular. A variável pressão arterial diastólica mostrou correlação negativa com o resultado perfusão tissular. Foi possível desenvolver parâmetros de classificação para os indicadores propostos pela NOC e verificar sua aplicabilidade. Um instrumento clínico com termos claros e bem definidos pode ser um guia para dispor eficazmente os recursos físicos e humanos.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1059

Nº de Classificação: 5370
SOUZA, Ana Paula Marques Andrade de. Construção e validação de um instrumento de coleta de dados para clientes adultos em unidade cirúrgica. João Pessoa. Universidade Federal da Paraíba. Centro de Ciências da Saúde, 2007. 123 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): SOARES, Maria Júlia Guimarães
RESUMO: O Histórico de enfermagem constitui uma ferramenta fundamental para viabilizar a implantação da primeira fase do processo de enfermagem: a coleta de dados. Visando contribuir com a implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) na Clínica Cirúrgica do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), a presente pesquisa teve como objetivo principal construir e validar um instrumento de coleta de dados para cliente adulto cirúrgico. Utilizou-se a pesquisa do tipo metodológica, constituída por quatro fases: 1º Fase: Identificação dos indicadores empíricos – realizada através do levantamento bibliográfico sobre o modelo da Teoria das Necessidades Humanas Básicas, de Horta. Nesta fase foi registrada cada necessidade humana básica, culminando em um instrumento com 367 indicadores. 2º Fase: Estruturação do instrumento – foi realizado um levantamento, na literatura, de instrumentos de coleta de dados para clientes cirúrgicos, utilizando-se a Teoria das Necessidades Humanas Básicas, de Horta. Foi feita a verificação dos indicadores empíricos através da aplicação do instrumento, construído anteriormente, em 61 clientes internos na clínica cirúrgica. Após essa verificação, 30 indicadores apresentaram freqüência de surgimento ¡Ý 50%, distribuídos nas necessidades psicobiológicas e psisossociais, Foram incluídos 55 indicadores que apresentaram percentual abaixo de 50%, levando-se em consideração a relação entre os indicadores, tipo de cirurgia e o período de coleta de dados. Ao término dessa fase, foi elaborada a primeira versão do instrumento de coleta de dados para cliente adulto cirúrgico, de acordo com a estruturação do modelo do Projeto de Sistematização da Assistência de Enfermagem do HULW. 3º Fase: Validação do Conteúdo - A primeira versão do instrumento de coleta de dados foi validada por enfermeiras assistenciais e docentes que atuam na unidade de clinica cirúrgica do HULW. O conteúdo do instrumento foi validado através do índice de concordância. Foram considerados os itens que apresentaram índice de concordância ¡Ý 0,80. Após a validação, foi elaborada a segunda versão do instrumento. 4º Fase: Operacionalização do Instrumento – a segunda versão do instrumento foi aplicada pelas enfermeiras assistenciais da clínica cirúrgica em clientes cirúrgicos, com a finalidade de verificar a viabilidade de operacionalização do mesmo. Como resultado, obteve-se um instrumento viável de ser aplicado ao cliente cirúrgico. Após a operacionalização, foi elaborada a versão final do instrumento e o guia instrucional. Finaliza-se com a certeza de que esta pesquisa contribuirá para a melhoria da qualidade da assistência de enfermagem da clínica cirúrgica do HULW, que este instrumento seja utilizado na docência, mostrando aos discentes a importância da utilização de uma prática assistencial embasada num referencial teórico e que sirva de parâmetro para que outras instituições de saúde desenvolvam seu próprio instrumento de coleta de dados.

Acesso ao texto integral: http://www.ccs.ufpb.br/ppge/dissertacoes2007/dissertacaoanapaula.pdf

Nº de Classificação: 5371
FLORÊNCIO, Márcia Virgínia Di Lorenzo. Violência contra idosos e risco de adoecimento mental em João Pessoa-PB. João Pessoa. Universidade Federal da Paraíba. Centro de Ciências da Saúde, 2007. 98 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): FERREIRA FILHA, Maria de Oliveira
RESUMO: O fenômeno da violência contra os idosos tem sido motivo de preocupação por parte dos profissionais de saúde e de outros setores da sociedade que lidam com os direitos humanos. Além dos malefícios imediatos, suspeita-se que ela possa trazer conseqüências a médio e longo prazo, prejudiciais à saúde mental do idoso e à sua qualidade de vida. Neste estudo, objetivou-se investigar a associação epidemiológica entre a violência contra o idoso e o risco de adoecimento mental por transtorno da ansiedade e depressão, bem como caracterizar sócio-epidemiologicamente tal fenômeno na cidade de João Pessoa - PB (perfil dos agressores, dos idosos agredidos; tipo de violência mais comumente praticada). Trata-se de um estudo seccional, realizado em duas etapas. Na primeira investigou 127 casos de denúncias de violência contra idosos na Curadoria do Cidadão de João Pessoa, e, na segunda, aplicou o questionário SRQ-20 a 166 idosos, sendo 60 vítimas de violência. Encontrou-se um maior número de vítimas do sexo feminino, faixa etária de 60 a 79 anos, viúvas, economicamente improdutivas, com familiares dependentes de si. Os agressores mais freqüentes foram filhos e cônjuges, seguidos de outros parentes próximos, sendo que 45% residiam com o próprio idoso. As violências psicológica e financeira foram as mais identificadas. A Prevalência nos expostos foi de 75% contra 40% nos não expostos (RP = 1,84); p< 0,0005 para o risco de adoecimento mental em idosos vítimas de violência. Conclui-se que há forte associação entre as variáveis e recomenda-se a realização de estudos de coorte para classificar a violência sofrida como fator de risco para depressão e transtornos da ansiedade em idosos.

Acesso ao texto integral: http://www.ccs.ufpb.br/ppge/dissertacoes2007/dissertacaomarcialorenzo.pdf

Nº de Classificação: 5372
MARCOLINO, Alinne Beserra de Lucena. Ações de controle da tuberculose no contexto das equipes de saúde da família no Município de Bayeux-PB: avaliação dos componentes acesso e elenco de serviços. João Pessoa. Universidade Federal da Paraíba. Centro de Ciências da Saúde, 2007. 108 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): NOGUEIRA, Jordana Almeida
RESUMO: O processo de mudança no setor saúde, advindo da implementação do Sistema Único de Saúde, vem impondo reorientação das práticas para o âmbito da Atenção Primária à Saúde (APS). Nesta perspectiva, propôs-se a reorganização das ações de controle da Tuberculose (TB) nos níveis locais, descentralizando-se, gradualmente, a responsabilidade das ações para as Equipes de Saúde da Família (ESF). A incorporação de novas práticas sanitárias na rotina dos serviços vem requerendo a adoção de metodologias que permitam avaliar em que medida os componentes da APS estão sendo alcançados. Portanto, este estudo toma como recorte dois componentes da APS: acesso e elenco de serviços -, com o objetivo de analisar as ações de controle da Tuberculose no contexto das ESF no município de Bayeux-PB. Caracteriza-se como pesquisa exploratória com abordagem de predominância quantitativa, que envolveu 82 (oitenta e dois) profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiras, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde. O instrumento (questionário) utilizado continha 35 (trinta e cinco) perguntas fechadas, segundo possibilidades preestabelecidas produzidas a partir de uma escala intervalar do tipo Likert. Os dados foram tabulados utilizando um programa de computador - Statistical Package for the Social Sciences (SPSS, versão 11.5 for Windows), sendo apresentados sob a forma de tabelas. Os resultados evidenciaram que as ESF operam com capacidades distintas, revelando fragilidades e potencialidades na capacidade de organização das ações de controle da Tuberculose. Quanto às potencialidades, constatou-se que a descentralização do tratamento e do acompanhamento dos casos de TB vem se estabelecendo na prática das ESF; os medicamentos para o tratamento da TB apresentaram-se acessíveis para 64,6% das ESF; os insumos (pote de escarro) para baciloscopia de diagnóstico e controle foram mencionados como disponíveis para 74% das ESF; o tratamento supervisionado (TS) alcançou cobertura de 67,1% para o tratamento no domicílio e 73,2% para o TS na USF. Como fragilidades, verificou-se que 61% das ESF não realizam o procedimento de coleta de escarro na USF; o sistema de referência e contra-referência laboratorial foi referido como efetivo somente para 43,9% das ESF; apenas 42,7% das ESF disponibilizam a vacina BCG, e somente 7,3% a oferecem diariamente. Recomenda-se a adoção de mecanismos de gestão que viabilizem a uniformização e a utilização dos recursos existentes no município, que ampliem a capacidade resolutiva das ESF, promovendo eficiência na prestação de serviços, assegurando o acesso da população.

Acesso ao texto integral: http://www.ccs.ufpb.br/ppge/dissertacoes2007/dissertacaoalinnebeserra.pdf

Nº de Classificação: 5373
GARCIA, Sandra de Oliveira. As necessidades de saúde na assistência à criança vitimizada por violência doméstica em João Pessoa no contexto do SUS. João Pessoa. Universidade Federal da Paraíba. Centro de Ciências da Saúde, 2007. [147] f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): SILVA, Ana Tereza Medeiros Cavalcanti da
RESUMO: Estudo de natureza qualitativa que visa compreender o significado que as necessidades de saúde representam para os processos de trabalho da equipe de saúde do hospital, cenário deste estudo depois do advento da nova política de saúde, traduzida nos ideários do SUS. O material empírico foi obtido por meio de entrevistas e analisado através da técnica de Análise do Discurso, proposta por Fiorin. Nesse processo, o plano de maior abrangência alcançado foi traduzido na categoria: A dimensão dialógica da prática profissional como trabalho de saúde na assistência à criança vitimizada por violência doméstica que sintetiza, em duas subcategorias, os limites e as possibilidades que se apresentam, na atualidade, para a superação paradigmática da assistência à criança vitimizada por violência doméstica: As necessidades individuais/sociais das crianças; e Os desafios para a superação da assistência à saúde da criança vitimizada por violência doméstica.. Como fatores limitantes, verificamos que as necessidades de saúde mais compreendidas e identificadas pela equipe de saúde quando da assistência à criança vitimizada são as necessidades orgânicas, o que dificulta o trabalho transformador para uma aproximação com o princípio da integralidade. Outro fator que limita essa assistência, tematizado nos depoimentos foi a qualidade ineficaz da comunicação da equipe de saúde nos níveis intrainstitucional (integralidade focalizada) e interinstitucional no trabalho em rede (integralidade no plano macro). Entre as possibilidades de aproximação com a superação paradigmática, verificamos a importância da consciência crítica sobre a realidade e o reconhecimento do trabalho como categoria potente para as transformações, sobretudo, quando ele é acionado para realizar a satisfação de necessidades de saúde, além do reconhecimento da necessidade de um novo saber instrumental como orientador dos processos de trabalho, elemento essencial para a adequação do perfil profissional que o SUS requer e para uma aproximação com a transformação do modelo de assistência à saúde/saúde mental da criança vitimizada.

Acesso ao texto integral: http://www.ccs.ufpb.br/ppge/dissertacoes2007/dissertacaosandragarcia.pdf

Nº de Classificação: 5374
SALVIANO, Márcia Eller Miranda. Transplante hepático: diagnósticos de enfermagem segundo a NANDA em pacientes no pós-operatório na unidade de internação. Belo Horizonte. Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Enfermagem, 2007. 138 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): CARVALHO, Daclé Vilma
RESUMO: O transplante de órgãos e tecidos tem expandido em todo o mundo, desde a Conferência para Consenso em Desenvolvimento, em 1983, ocorrida nos EUA, quando este procedimento passou a ser considerado opção curativa. O enfermeiro incorporou com qualidade as demandas dessa especialidade. A etapa atual desta vivência é o da sistematização da assistência de enfermagem. Portanto, vê-se como oportuno o desenvolvimento de estudos sobre um método de cuidar em transplantes, com destaque para a fase essencial do mesmo que é a do diagnóstico de enfermagem. Este constitui a base para o planejamento das intervenções e avaliação dos resultados de enfermagem. Assim, este estudo foi desenvolvido com o objetivo geral de analisar os diagnósticos de enfermagem em pacientes de transplante hepático no pós-operatório na unidade de internação, de acordo com a taxonomia II da NANDA. É um estudo descritivo, quantitativo, exploratório e retrospectivo desenvolvido em um hospital universitário de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Foram incluídos 64 prontuários de pacientes transplantados de fígado no período de primeiro de setembro de 2005 a 30 de setembro de 2006. Considerando os critérios de exclusão: menores de 18 anos (9), em retransplante (5) e os que faleceram no CTI (7), a amostra constou de 43 prontuários de pacientes. O projeto desta pesquisa atendeu os preceitos ético-legais previstos na legislação vigente sobre pesquisa envolvendo seres humanos. A maioria da população estudada era do sexo masculino, com a idade média de 52 anos, leucoderma, proveniente do interior de Minas Gerais. A doença de base prevalente foi a cirrose hepática pelo vírus C. O estudo dos diagnósticos de enfermagem incidiu sobre 35 (81,4%) dos pacientes estudados que permaneceram até 22 dias na unidade de internação. Foram identificados 55 diagnósticos de enfermagem, estruturados conforme a taxonomia de referência e classificados em 11 domínios e 22 classes O modelo de Histórico de Enfermagem utilizado na unidade de transplantes do hospital, campo do estudo, é baseado na teoria das Necessidades Humanas Básicas de Wanda de Aguiar Horta. O mesmo possibilitou identificar 25 necessidades afetadas classificadas em psicobiológicas (83,6%), psicossociais (12,7%), psicoespirituais (3,7%). Foram discutidos os diagnósticos de enfermagem que incidiram em 40,0% ou mais na população estudada, quais sejam: perfusão tissular periférica, renal e cardiopulmonar ineficazes; integridade tissular prejudicada; déficit no autocuidado; diarréia; dor aguda; padrão de sono perturbado; ansiedade; disfunção sexual; mobilidade física prejudicada; riscos de desequilíbrio da temperatura corporal, de infecção e de quedas e conhecimento deficiente quanto aos cuidados pós-transplante. Mesmo diante das limitações do estudo foi possível traçar esse perfil diagnóstico que facilitará a revisão do protocolo assistencial de enfermagem para a clientela estudada. Sugere ainda estudos clínicos de validação de diagnósticos de enfermagem para pacientes no processo de transplante, não contemplados na taxonomia II da NANDA e conclui que a relevância dos diagnósticos se evidenciará no cotidiano da assistência direta ao paciente e não apenas no discurso do profissional.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=77664

Nº de Classificação: 5375
SANTOS, Camila Augusta dos. Gravidez e soropositividade para o HIV: vivências de mulheres atendidas em um centro de referência em HIV/aids. Belo Horizonte. Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Enfermagem, 2007. 126 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): FERRAZ, Aidê Ferreira
RESUMO: Este estudo etnográfico teve por objetivo compreender a vivência da gravidez associada à infecção pelo HIV por gestantes atendidas em serviços públicos de saúde. Desenvolvido junto a 13 informantes, com idade entre 19 a 45 anos, em acompanhamento no Centro de Treinamento e Referência em Doenças Infecciosas e Parasitárias (CTR/DIP) Orestes Diniz, em Belo Horizonte/MG, no período de Março a Junho de 2007. A pesquisa foi realizada segundo abordagem qualitativa, por incorporar a dimensão integral e favorecer o aprofundamento do tema. A coleta de dados constou da associação da observação participante, como preconizada por Leininger, e entrevista etnográfica, conforme Spradley. O número de entrevistas foi definido pelo critério de saturação de dados. A análise dos dados foi fundamentada na proposição de Leininger para a pesquisa etnográfica. Da análise dos dados, emergiram sete descritores culturais, que permitiram a identificação dos subtemas: “A falta de explicação sobre o teste anti-HIV na gestação implica em medo e desespero”; “Tornar-se gestante soropositiva para o HIV muda tudo”; e “Não amamentar significa a perda da identidade materna”. Esses subtemas constituíram o suporte para o tema central: “A impossibilidade da amamentação é o pior de tudo”. A leitura exaustiva e as reflexões feitas sobre as entrevistas, os subtemas e o tema central foram essenciais para aprofundar o conhecimento sobre crenças, valores, sentimentos e necessidades das gestantes soropositivas para o HIV participantes deste estudo. A descoberta da infecção pelo HIV na gravidez intensifica o medo da transmissão vertical do vírus, o que reforça o sentimento de culpa pela infecção nas gestantes. A vivência da impossibilidade da amamentação foi descrita pelas informantes como uma experiência marcada pelo sentimento de perda de uma etapa fundamental para o exercício pleno da maternidade. Não amamentar o filho foi relatado pelas informantes deste estudo como a denúncia de sua diferença em relação a outras mães. O referenciamento para o acompanhamento pré-natal e o controle da infecção pelo HIV em serviço especializado foi revelado como uma experiência positiva para a maioria das participantes.

Acesso ao texto integral: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=90106

Nº de Classificação: 5376
GONÇALVES, Jacqueline de Almeida. Acidente de trabalho entre a equipe assistencial multiprofissional: uma avaliação da subnotificação. Belo Horizonte. Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Enfermagem, 2007. 102 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): OLIVEIRA, Adriana Cristina de
RESUMO: Esta pesquisa, de natureza epidemiológica, com delineamento transversal, foi realizada no centro cirúrgico de um hospital geral, público e universitário, com atividades de ensino, pesquisa e assistência. Objetivou avaliar a notificação dos acidentes de trabalho entre a equipe assistencial multiprofissional de saúde de uma unidade do centro cirúrgico; identificar a incidência dos acidentes com material biológico entre a equipe assistencial multiprofissional de saúde; determinar a situação vacinal para hepatite B dos profissionais acidentados; e relacionar as condições que o trabalhador atribui a ocorrência do acidente. Os dados foram coletados no período de março a junho de 2007, por meio de um questionário, com questões relacionadas a aspectos demográficos (sexo, idade, profissão, tempo de serviço e tempo de setor de trabalho) e com questões voltadas para a adoção de medidas de precauções-padrão, ocorrência de acidentes, condutas tomadas após acidente de trabalho (notificação ou não) e esquema de vacinação. Para a análise dos dados, usou-se estatística descritiva, teste de Qui-quadrado, Exato de Fisher e Odds Ratio. Os 127 participantes da pesquisa foram distribuídos nas seguintes categorias: médicos (23,8%), residentes de medicina (30,1%), enfermeiros (1,6%), técnicos de enfermagem (20,9%), auxiliares de enfermagem (16,5%) e serviços gerais (7,1%). Na categoria médicos, predominou o sexo masculino (82,4%); na equipe de enfermagem, houve predomínio do sexo feminino (76%); e na serviços gerais, uma atuação exclusivamente feminina. A idade média dos profissionais foi de 34 anos, com tempo médio de formação de dez anos, atuação no hospital de estudo de oito anos e tempo de trabalho no setor de sete anos. De acordo com as respostas ao questionário, o descarte de material pérfuro-cortante foi relatado de forma adequada para 81,1% e o não reencape da agulha ocorreu em apenas 43,4%. Entre os profissionais, 48,8% não souberam o significado da sigla CAT e 98,9% atestaram o recebimento de informações sobre biossegurança em algum momento da formação ou atuação profissional. O esquema completo de vacinação para hepatite B foi verificado em 75,6% e a confirmação da viragem sorológica (anti-Hbs) em 40,2% para a totalidade dos participantes. A notificação do acidente de trabalho foi realizada por apenas 15,4% dos entrevistados, fato justificado por: irrelevância do acidente, desconhecimento do protocolo de rotina, displicência e sobrecarga de trabalho. A categoria profissional que mais se acidentou foi a médicos (46,6%), seguida de residentes de medicina (33,3%), auxiliares e técnicos de enfermagem (13,4%) e serviços gerais (3,3%). A imunização dos profissionais acidentados foi constatada em 80%, com realização do anti-Hbs em 56,7% dos relatos. As atividades que propiciaram a maioria das ocorrências dos acidentes foram: manipulação de agulha (73,3%) e procedimento cirúrgico (56,7%). A categoria médicos apresentou 6,3 (2,2-17,8) vezes mais chance de se acidentar e 3,8 (1,5-9,7) vezes mais chances de esse acidente ocorrer entre os homens. Para o descarte inadequado do material pérfuro-cortante, a chance de se acidentar nessa condição foi de 3,4 (1,2–9,3) vezes. Diante desses resultados, sugere-se a implementação de treinamentos dos profissionais acerca da adoção de medidas de biossegurança, através da realização de programas de educação permanente, palestras informativas sobre o fluxo da notificação dos acidentes e amparo legal do trabalhador, visando à redução dos acidentes envolvendo material pérfuro-cortante.



1   ...   45   46   47   48   49   50   51   52   ...   58


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal