Associação Brasileira de Enfermagem Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem cepen



Baixar 3.08 Mb.
Página38/58
Encontro18.09.2019
Tamanho3.08 Mb.
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   ...   58

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-20042007-134835/

Nº de Classificação: 5281
SODRÉ, Paula Canova. Estudo sobre a disfunção sexual de mulheres com lesão medular. São Paulo. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem, 2007. 154 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): FARO, Ana Cristina Mancussi e
RESUMO: O sexo é inerente ao ser humano e através dele é que se gera uma vida. Em se tratando da sexualidade de uma pessoa que sofreu um trauma raquimedular com lesão na medula espinhal, é ainda maior o tabu por haver uma certa de dose de desinformação e preconceitos que são gerados por culpa de uma cultura em relação ao sexo complicando-se ainda mais quando este indivíduo é do sexo feminino. Há circunstâncias agravantes como a desinformação sobre o tema, o próprio tabu, sobre sexo e sexualidade e os preconceitos inerentes a uma sociedade ainda machista em relação a mulher, a sua sexualidade e a sua deficiência física. É sabido que qualquer pessoa que sofreu algum dano na medula, além de comprometimento da sensibilidade, locomoção, funções intestinais e urinárias, independente da região lesionada, também acomete a função sexual. Cada pessoa reage de maneira diferente por mais semelhante que seja a lesão. O presente estudo exploratório, descritivo, transversal, aplicado de campo, de natureza quantitativa realizado em 3 hospitais e duas clínicas de fisioterapias na cidade de Ribeirão Preto, S.P., com a finalidade de se conhecer as mulheres vítimas de Trauma Raquimedulares (TRM) com lesão neurológica atendidas no período compreendido entre 1º de janeiro de 2000 a 31 de julho de 2004. Foi identificada uma população de 81 mulheres. Deste total, foram excluídas 30 que não atenderam os critérios de inclusão, 12 delas com diagnósticos não relacionados à lesão medular, 11 não localizadas, seis que faleceram e uma que se recusou a participar da pesquisa. A faixa etária que predomina mais o ocasionamento de lesões medulares é dos 18 aos 37 anos (38%), Após a lesão, 27% permaneceram solteiras, 28% com seus companheiros e 44% apresentam cuidadores do sexo feminino na composição familiar; 55% de mulheres L.M. são praticantes, a evangélica (47%); 53% são da raça branca; predomínio da escolaridade nível de ensino fundamental (49%), analfabetismo (9%). Observamos mudanças profissionais de antes da LM e pós, de operacionais para manuais. 75% não fumam, 61% fazem uso de bebidas alcoólicas. Apresentaram etiologia traumática (100%), nível lombar (53%), seguido do cervical (27%), torácica (16%) e sacral (4%,). Das causas, acidente automobilístico (29%), 12% de queda, em terceiro encontra-se o FAF, levantamento de peso, atropelamento e acidente de motocicleta 8% cada, a quarta foram mergulho em águas rasas e espancamento e, com 2% cada, FAB, práticas de atividades esportivas e queda de objeto sobre a cabeça práticas de esportes radicais, e até espancamento, queda da própria altura, 16% das mulheres, e dentre estas mulheres 94% são idosas. 77% sofreram lesão a mais de quatro anos e apenas 22% abaixo de três anos. 78% das mulheres não utilizam anticoncepcionais. 31% apresentam hipertensão, 22% colesterol e ou trigliceres alterados, 11% diabetes, O aborto foi o de maior prevalência das complicações gestacionais, 6%. Outras doenças, a depressão, com 14% seguida de problemas hormonais e a síndrome do pânico com 6%, em terceiro a talacemia com 4% e câncer de mama, anóxia neonatal, problemas respiratórios e retardo mental com 2% cada. Quanto a escala MIF, níveis de dependência destacam-se as atividades de nível 1 (ajuda total), o item locomoção (36%), o controle de esfincteriano (12%), as transferências (10%), a independência completa do item interação social está com escore baixo, 69%, comprovando a exclusão social do deficiente. Independência completa sonora (71%), visual (73%), independência completa para a resolução de problemas (74% apenas), 88% para memória, 90% expressão não vocal e 92% expressão vocal respectivamente. Quanto à escala CSFQ, 90% da população apresenta disfunção sexual em relação a variável prazer, disfunção do orgasmo (90%) disfunção do desejo/freqüência (76%) e 72% disfunção do interesse sexual (72%) e a variável excitação (92%). Através do Instrumento IV, observamos os relatos das mulheres com lesão medular entre eles surgiram comentários sobre alterações da sexualidade, da sensibilidade, na vida conjugal, da libido, do orgasmo, da lubrificação vaginal, na percepção da auto-imagem, presença de dor neuropática e no período menstrual; a não busca de auxílio de profissionais; homossexualismo; problemas sexuais do parceiro (companheiro); áreas erógenas sexuais; situações constrangedoras; expectativa de vida sexual, visão da vida sexual; religiosidade na vida sexual.O paciente com lesão espinhal, principalmente a mulher, é um tipo de paciente que, pela sua complexidade, suas peculiaridades e escassez de estudos sobre sexualidade feminina, demanda um cuidar específico que permeie as diferentes dimensões sociais, psicológicas e físicas, assegurando um cuidado holístico e a continuidade deste cuidar em domicílio estabelecendo um cuidar e um processo de reabilitação de qualidade.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-24042007-163408/

Nº de Classificação: 5282
CAMARGO, Tamara Carolina de. Eficácia da esterilização a vapor de instrumental laparoscópico montado versus desmontado: um estudo experimental. São Paulo. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem, 2007. 120 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): GRAZIANO, Kazuko Uchikawa
RESUMO: A vídeo-laparoscopia é uma inovação tecnológica que trouxe indiscutíveis vantagens e também novos desafios, incluindo nestes, as diretrizes para o reprocessamento adequado dos instrumentais e seus acessórios. A autoclavação dos instrumentais laparoscópicos desmontados é mais segura, uma vez que a condução térmica é facilitada. No entanto, são artigos complexos, compostos por múltiplas peças e a sua remontagem no momento da cirurgia traz transtornos às equipes cirúrgicas, correndo o risco do não funcionamento ou de danos às peças pela montagem inadequada. Existe um arraigado conceito, entre os profissionais da saúde, que para o sucesso da esterilização ser alcançado, é necessário o contato direto do vapor com todas as superfícies dos materiais submetidos à autoclavação sem considerar também o raciocínio do calor latente. A destruição microbiana por meio da esterilização pelo vapor está essencialmente relacionada ao calor latente, gerado pela condensação deste em contato com a superfície fria do material, promovendo a termocoagulação das proteínas microbianas. É uma prática comum nos hospitais brasileiros a realização da autoclavação de instrumentos previamente montados, apesar de não haver comprovação científica consistente dessa prática. Isto posto, esta investigação teve o objetivo de avaliar a eficácia do processo de esterilização a vapor dos instrumentais laparoscópicos previamente montados, comparando os seus resultados com os desmontados, considerada neste estudo a melhor prática. Tratou-se de uma pesquisa experimental, laboratorial, com abordagem quantitativa. Foram selecionados dois modelos de maior complexidade dentre os instrumentos laparoscópicos para realização do estudo, sendo eles: trocarte com válvula tipo janela rosqueada de 5mm, composto por cinco peças desmontáveis e pinça para dissecção de 5mm, composta por quatro peças desmontáveis. Cada peça dos instrumentais foi considerada como uma unidade amostral na análise microbiológica. Este estudo teve então como Grupo Montado: instrumentais laparoscópicos montados; Grupo Desmontado: instrumentais laparoscópicos desmontados; Grupo Contagem Microbiana: instrumentais laparoscópicos submetidos aos procedimentos de contaminação desafio, encaminhados diretamente para o teste de contagem microbiana. O inóculo para a contaminação desafio constitui-se de suspensão do Geobacillus stearothermophilus, na forma esporulada, acrescido de sangue de carneiro desfibrinado esterilizado. Todos os instrumentais foram contaminados desmontados com o inóculo desafio. Os grupos Montado e Desmontado foram submetidos aos processos de limpeza manual, complementada pela limpeza automatizada em lavadora ultra-sônica com retrofluxo, enxágüe em água corrente e sob pressão. Por fim, foi realizado o enxágüe com água destilada esterilizada e secagem com ar comprimido medicinal. Na seqüência, foi realizado sorteio para composição dos Grupos Montado e Desmontado. Os instrumentais foram embalados individualmente em papel grau cirúrgico e submetidos à esterilização a vapor em autoclave com pré-vácuo. Após a esterilização, os instrumentais foram avaliados quanto à eficácia da esterilização, por meio dos resultados dos testes de cultura microbiológica, utilizando o método de inoculação direta. No Grupo Montado foram recuperados os microrganismos teste em três peças de uma mesma pinça (3/48) e em três peças de um mesmo trocarte (3/60), enquanto que no Grupo Desmontado o microrganismo teste não foi recuperado nas unidades amostrais estudadas. Nas condições desse experimento, os resultados obtidos refutaram a hipótese inicial da pesquisa quanto à segurança da autoclavação das pinças e dos trocartes utilizados em cirurgia laparoscópica previamente montados.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-20042007-140745/

Nº de Classificação: 5283
SILVA, Magda Aparecida dos Santos. Efeitos da intervenção treinamento, avaliação e registro sistematizado no controle da dor pós-operatória de cirurgia cardíaca. São Paulo. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem, 2007. 129 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): PIMENTA, Cibele Andrucioli de Mattos
RESUMO: Trata-se de um ensaio clínico com três Grupos. Avaliaram-se os efeitos da intervenção “Treinamento, Avaliação e Registro Sistematizado de Dor” sobre a intensidade da dor, o consumo suplementar de morfina, o tratamento de efeitos colaterais e a satisfação com a analgesia dos doentes, no pós-operatório de cirurgia cardíaca. Foram estudados 182 doentes, no Grupo I (GI, N=55), Grupo II (GII, N=66) e Grupo III (GIII, N=61). Todos receberam a mesma orientação pré-operatória e submeteram-se ao mesmo protocolo medicamentoso para o controle de dor e dos efeitos colaterais. No GI a equipe de enfermagem não recebeu Treinamento e realizou a avaliação da dor conforme rotina da instituição. Nos GII e GIII toda a equipe de enfermagem participou do Curso de Capacitação Sobre a Dor e Seu Controle (Treinamento). No GII a equipe de enfermagem utilizou a Ficha Sistematizada sobre Dor e seu Controle, a cada duas horas. No GIII a equipe de enfermagem não utilizou esta Ficha. Os doentes dos três Grupos também foram avaliados pela pesquisadora nas primeiras 30 horas, a cada 6 horas (6 Momentos). Os resultados foram analisados pelos testes de Kruskal-Wallis, Dunn, Friedman, Qui-quadrado e Verossimilhança. O nível de significância adotado foi de 5%. Os Grupos foram semelhantes quanto à idade, sexo, escolaridade, tipo de cirurgia, tipo de dreno e estado físico. A dor ao repouso e à tosse foi menos intensa no GII. Ao repouso observou-se diferença no Momento 2 (p=0,012) e à tosse, nos Momentos 2, 3, 4 e 6 (p=0,021, p=0,005, p=0,048 e p=0,001, respectivamente). Na dor à inspiração profunda não houve diferença intergrupos. No GII observou-se maior uso de morfina suplementar (p=0,002), maior número de doentes recebendo morfina (p=0,002) e maior média na relação dose de morfina/doente (p=0,022). O GI foi o que menos recebeu antiemético (p=0,019, Momento 2) mas teve a maior ocorrência de náusea e vômito (p=0,032, Momento 6). Prurido ocorreu somente uma vez e não houve depressão respiratória. A satisfação com a analgesia foi mais elevada no GII nos Momentos 2 e 3 (p=0,001 e p=0,012). O Treinamento associado à Ficha Sistematizada sobre a Dor e seu Controle incitou os enfermeiros a intervirem mais vezes para o ajuste da analgesia, melhorou o controle da dor e a satisfação dos doentes com a analgesia. Mostrou-se a melhor opção para o controle da dor no pós-operatório de cirurgia cardíaca.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-17052007-111100/

Nº de Classificação: 5284
CARRIJO, Alessandra Rosa. Registros de uma prática: anotações de enfermagem na memória de enfermeiras da primeira escola nightingaleana no Brasil (1959-1970). São Paulo. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem, 2007. 143 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): OGUISSO, Taka
RESUMO: O presente estudo foi elaborado a partir dos depoimentos orais de sete enfermeiras, sendo uma ex-diretora e seis ex-alunas, da Escola de Enfermagem Lauriston Job Lane, do Hospital Samaritano, criado em 1894, na cidade de São Paulo. Essa instituição de ensino funcionou de 1959 a 1970. Os depoimentos revelaram inúmeras situações vividas por essas mulheres inseridas em uma categoria profissional historicamente identificada como feminina, vale dizer, a Enfermagem. Teve como objetivos: apresentar como essas narradoras vivenciaram o processo de sua formação profissional nessa escola, revelando como os registros (anotações) de enfermagem eram ensinados e realizados na década de 1960. Os dados coletados nas entrevistas foram analisados com base nas propostas da Análise de Conteúdo de Bardin (1977) e Minayo (1989), distribuídos em duas principais categorias: Trajetória Acadêmico-Profissional das Colaboradoras e Registros de Enfermagem - Histórico dos Registros. A discussão sobre os registros de enfermagem torna-se relevante na medida em que a formação profissional privilegia a técnica, sobrepondo os conteúdos dos fundamentos da enfermagem, negligenciando, em muitos casos, a teorização do cuidado. Pelo conteúdo dos depoimentos orais foi possível identificar a importância das anotações de enfermagem para uma assistência de qualidade, suas características e transformações ao longo dos tempos.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7131/tde-17052007-095948/

Nº de Classificação: 5285
OLIVEIRA, Alfredo Almeida Pina de. Análise documental do processo de capacitação dos multiplicadores do Projeto "Nossas Crianças: Janelas de Oportunidades" no Município de São Paulo à luz da promoção da saúde. São Paulo. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem, 2007. 190 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): CHIESA, Anna Maria
RESUMO: A Promoção da Saúde representa um novo paradigma na organização dos serviços de saúde e na estruturação do cuidar no processo saúde-doença ao reconhecer e intervir nas potencialidades existentes nos modos de viver e de trabalhar em um determinado momento histórico e social. Para tanto, um dos desafios para a consolidação do Sistema Único de Saúde refere-se à capacitação da força de trabalho em saúde a fim de rever o emprego da pedagogia tradicional nos processos educativos e contribuir na superação do modelo biomédico, especialmente, na Atenção Básica da Saúde. Nesta perspectiva, o projeto “Nossas crianças: janelas de oportunidades”, vinculado ao Programa de Saúde da Família, realizou oficinas de capacitação que extrapolaram a atenção ao corpo biológico, englobando também a dimensão afetiva e social no cuidado da criança por meio do fortalecimento das competências familiares. Foram objetivos deste estudo: analisar o conteúdo, as estratégias e os métodos avaliativos da capacitação à luz da Promoção da Saúde e identificar as tendências pedagógicas que permeiam tal processo. Recorreu-se à análise documental deste processo, cujos diferentes registros foram categorizados, respectivamente, a partir da perspectiva freireana e das Dimensões de Saúde e Bem Estar de Ronald Labonte. Resultados: os conteúdos da Promoção da Saúde difundidos na capacitação incorporaram conceitos como eqüidade, resiliência, defesa dos direitos, emancipação, autonomia, patrimônio, redes sociais, cooperação e participação na abordagem dos profissionais de saúde para o cuidado infantil através da família. A capacitação dos multiplicadores realizada foi embasada em vertentes críticas da pedagogia e representadas pelas categorias freireanas: autonomia e liberdade dos sujeitos, bem querer aos educandos, complementaridade objetiva e subjetiva, compromisso com a mudança, educação permanente dos seres humanos, horizontalidade das relações de poder, práxis dialógica e reflexão crítica da realidade. Conclui-se que, processos educativos embasados em pedagogias críticas favorecem a incorporação de um novo referencial para o cuidado infantil à luz do conceito positivo de saúde e a criação de um espaço acolhedor capaz de emancipar sujeitos para transformar os perfis de saúde-doença da população.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7137/tde-17052007-101339/

Nº de Classificação: 5286
MARTINHO, Maria Antonieta Velosco. Eficácia dos integradores químicos x indicadores biológicos no monitoramento dos ciclos de esterilização a vapor: revisão sistemática da literatura. São Paulo. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem, 2007. 82 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): TURRINI, Ruth Natalia Teresa
RESUMO: Este estudo trata-se de uma revisão sistemática cujo objetivo foi levantar as evidências na literatura científica da eficácia dos integradores químicos no monitoramento dos ciclos de esterilização a vapor. As estratégias de busca foram realizadas nas bases de dados MEDLINE, LILACS, CINAHL, DEDALUS, OVID, Cochrane e Google Acadêmico, através de combinações dos termos esterilização (sterilization), integrador químico (chemical integrator), indicador químico (chemical indicator), indicador biológico (biological indicator), monitoramento (monitoring) e reagente (reagent). Foi realizado ainda busca em árvore das referências dos artigos selecionados. Os estudos foram selecionados sem restrições quanta a data de publicação e a língua, com critérios de inclusão de estudos básicos experimentais comparativos quanto ao desempenho dos indicadores químicos frente a cinética de morte microbiana ou resultados obtidos por meio de indicadores biológicos em ciclos de esterilização a vapor e exclusão de estudos realizados com métodos de esterilização que não a vapor e estudos que evidenciam utilização de indicadores químicos classes 1, 2, 3 e 4. No total foram selecionados 7 estudos, sendo que o mais antigo data 1975 e o mais recente 2006, 6 destes estudos compararam indicadores químicos à indicadores biológicos e 1 estudo comparou indicadores químicos frente a curva da cinética de morte microbiana dos Bacillus stearothermophilus. Em relação à origem dos estudos 1 é europeu e 6 americanos, sendo 1 destes brasileiro. Para análise e avaliação dos estudos utilizou-se a seguinte categorização: escopo, tipo de estudo, unidades amostrais, amostra, esterilizador utilizado, procedimentos, análise dos dados, limitações, resultados, conclusões e comentários. Observou-se uma tendência de utilização de temperaturas de 132º e 121ºC para a realização dos experimentos. O tamanho amostral variou de 1 a 47 indicadores por ciclo e o número de ciclos reproduzidos de 1 a 12. Não houve uma tendência em relação aos esterilizadores utilizados e tempos de exposição adotados. 4 estudos utilizaram integradores químicos nos experimentos, sendo que 2 destes utilizaram indicadores não classificados, concomitantemente. Analisando os resultados dos estudos conclui-se que nenhum integradores classe 5 nem indicadores biológicos apresenta respostas 100% sensíveis ou 100% específicas quanto ao desempenho esperado e que Integradores químicos classe 5 e indicadores biológicos apresentam variações de sensibilidade e resistência muito próximos uns dos outros, não cabendo neste momento classificá-los numa escala de efetivos a não efetivos. Os resultados obtidos dos integradores classe 6 mostram 100% de viragem dentro do tempo estimado, sugerindo que estes integradores são efetivos para o monitoramento dos ciclos a vapor.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-17052007-112405/

Nº de Classificação: 5287
LEON, Maria Denise. Ansiedade e medo no pré-operatório de cirurgia cardíaca: intervenção de enfermagem na abordagem psicossocial. São Paulo. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem, 2007. 108 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): PUSCHEL, Vilanice Alves de Araújo
RESUMO: O investimento dessa pesquisa foi colocar em evidência os sentimentos de ansiedade e medo, encontrados em pessoas que se submeteriam à cirurgia de revascularização do miocárdio, por meio da aplicação de uma estratégia de intervenção grupal, na abordagem psicossocial. Os objetivos foram: identificar os níveis de ansiedade e medo nas pessoas que iriam se submeter à cirurgia de revascularização do miocárdio (RM); implementar uma estratégia de orientação grupal na visita pré-operatória, na abordagem psicossocial, para as pessoas que apresentaram medo e ansiedade no pré-operatório de cirurgia de RM; comparar os níveis de ansiedade e medo entre as pessoas que receberam as orientações tradicionais da instituição e aquelas que participaram da estratégia de orientação grupal na visita pré-operatória; apreender o significado das orientações pré-operatórias segundo a percepção das pessoas participantes dos grupos de intervenção. A pesquisa, de natureza quantitativa e qualitativa, foi realizada em um hospital especializado em cardiologia, no município de São Paulo no período de abril a agosto de 2006. Das pessoas abordadas para avaliação (109), 60 participaram efetivamente do estudo, sendo 30 no grupo de intervenção e 30 no grupo controle. Foi realizado um ensaio clínico controlado randomizado. Os dados foram analisados por meio de análise estatística e de análise de conteúdo, segundo Bardin. No grupo de intervenção foram utilizadas dinâmicas grupais para promover um ambiente relaxante e possibilitar aberturas para livre expressão das pessoas participantes. A maioria dos participantes era do sexo masculino, com Ensino Fundamental Incompleto, com nível sócio-econômico médio, com idade média de 62,02 anos. Verificou-se que as pessoas que participaram do grupo de intervenção tiveram redução nos níveis de ansiedade e o medo de forma clínica e estatisticamente significantes. As dinâmicas proporcionaram um momento lúdico e expressivo, além do significado cognitivo/afetivo e relacional, sendo alcançada. a segurança e a tranqüilidade que levaram à redução da ansiedade e do medo. Os resultados indicam que as orientações pré-operatórias realizadas de forma grupal, na abordagem psicossocial, produzem resultados efetivos e, portanto, recomenda-se que essa estratégia seja implementada nas instituições hospitalares.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-17052007-113555/

Nº de Classificação: 5288
BARBOZA, Tatiane Aparecida Venâncio. Dimensões tecnológicas presentes no processo de reestruturação das práticas de enfermagem no PSF: estudo de caso à luz da promoção da saúde. São Paulo. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem, 2007. [83] f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): CHIESA, Anna Maria
RESUMO: Introdução: A partir da implantação do PSF como estratégia de operacionalização das diretrizes do SUS, surgiu a necessidade de reorganização da assistência, principalmente, em relação às demandas até então desconhecidas pelos profissionais. No caso específico da UBS Jd. Boa Vista, os usuários portadores de lesões de pele crônica, demandou uma reestruturação das práticas de cuidado. O presente estudo, portanto, foi desenvolvido no âmbito das tecnologias na atenção para o cuidado de famílias com pessoas portadores de lesões de pele, tendo como objeto, a reconstrução das práticas de enfermagem na UBS Jd. Boa Vista à luz da Promoção da Saúde. Objetivo: Descrever as tecnologias presentes na intervenção de enfermagem realizada na UBS Jd. Boa Vista. Caminho Metodológico: A metodologia escolhida para desenvolver a pesquisa insere-se na abordagem qualitativa, a partir de dois casos selecionados do projeto de intervenção realizado na UBS Jd Boa Vista. O método escolhido para o desenvolvimento do trabalho foi o “fluxograma analisador”, um diagrama muito usado por diferentes campos de conhecimento, com a perspectiva de "desenhar" um certo modo de organização de um conjunto de processos de trabalho. A escolha desse método para o tema em questão, diz respeito à perspectiva de compreensão e análise com vistas aos processos emancipatórios do campo da promoção da saúde. Resultados e Discussão: Considerando a complexa configuração tecnológica do trabalho em saúde, este estudo evidenciou que somente as tecnologias-duras (equipamentos, materiais e infra-estrutura) não são suficientes para se transformar a realidade. Ao realizar uma intervenção em saúde, é essencial a utilização dos nossos conhecimentos de como trabalhar a relação de cidadania entre o usuário e o serviço (tecnologias leves), além de incorporar às ações, conceitos como empowerment, advocacy, educação em saúde e abordagem familiar.




1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   ...   58


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal