Associação Brasileira de Enfermagem Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem cepen



Baixar 3.08 Mb.
Página33/58
Encontro18.09.2019
Tamanho3.08 Mb.
1   ...   29   30   31   32   33   34   35   36   ...   58

Nº de Classificação: 5239
ALMEIDA, Luciana Pavanelli Von Gal de. Política de recursos humanos em saúde: análise de documentos do Ministério da Saúde. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2007. 94 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): FERRAZ, Clarice Aparecida
RESUMO: A reforma do setor saúde no Brasil levou à criação do Sistema Único de Saúde que contemplou a saúde como um direito social. Dessa forma, na atualidade, a saúde é tratada como um bem universal a ser provido para todos os cidadãos, implicando no princípio da equidade, em que cada cidadão tem direito a ações e serviços requeridos para manutenção e recuperação de sua saúde. Esse ideário tem forte implicação com os recursos humanos em saúde, em termos de definições políticas e técnicas relacionadas à gestão do trabalho e à formação profissional. A construção de uma política de recursos humanos, na perspectiva do gestor do sistema de saúde leva em conta a noção de política de governo como processo de escolhas públicas direcionado à razão pública e ao interesse público. Em especial, a política nacional de recursos humanos em saúde tem forte relação com o processo de construção do Sistema Único de Saúde. A capacidade institucional dos sistemas de saúde em gestão de recursos humanos tem sido insuficiente para assegurar as condições institucionais para que o desempenho humano contribua com eficácia, qualidade e produtividade para o alcance dos objetivos dos serviços de saúde e das reformas setoriais. Esse estudo tem como objetivo identificar no marco das Conferências Nacionais de Saúde e de Recursos Humanos em Saúde, no período de 1986 a 2005, as políticas públicas que direcionam a gestão do trabalho dos profissionais de saúde, no Brasil. Trata-se de pesquisa documental com análise categorial de dados históricos oficiais do Ministério da Saúde. Os dados foram coletados através do site oficial do Ministério da Saúde e da biblioteca da Faculdade de Saúde Pública de São Paulo. O material foi submetido à técnica da análise de conteúdo conforme os pressupostos de Laurence Bardin. A análise dos dados revelaram duas categorias de grande importância uma referente A formação e capacitação de recursos humanos em saúde que revelou quatro sub-categorias: os marcos legais da formação em saúde; a dimensão curricular na formação em saúde; a perspectiva das metodologias de ensino-aprendizagem; capacitação de recursos humanos em saúde. A outra categoria denominada Gestão do trabalho em saúde configurou duas sub-categorias: a regulação do trabalho em saúde e a precarização do trabalho no SUS. Os excertos dos documentos revelam que no final da década de 90 algumas recomendações começam a expressar com mais nitidez a preocupação com as políticas de recursos humanos tendo em vista as pressões sociais para assegurar as políticas de saúde no país. A temática de recursos humanos em saúde na atualidade tem repercussão nacional e internacional mediante a crise de valorização instalada ao longo das duas últimas décadas, o que culminou com o posicionamento político da Organização Mundial de Saúde, ao decretar em 2006, o Decênio de Recursos Humanos em Saúde, com o objetivo de valorizar os profissionais da área tendo como objetivo a sustentabilidade dos sistemas de saúde.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-13112007-162850/

Nº de Classificação: 5240
FERREIRA, Adriano Menis. Avaliação da segurança microbiológica das luvas de látex para procedimentos em uma unidade de terapia intensiva. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2007. 125 f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)



Orientador(es): ANDRADE, Denise de
RESUMO: Introdução: a utilização de luvas de látex para procedimentos é essencial nas atividades que envolvem risco biológico no cuidado à saúde, no entanto ainda é controversa a segurança microbiológica das luvas de procedimento, considerando sua exposição ambiental. Objetivos: quantificar as Unidades Formadoras de Colônias (UFC) das luvas de látex para procedimentos em momentos distintos (início, meio e fim das caixas) na situação real e controle de enluvamento; avaliar a contaminação das luvas conforme o tempo de exposição ambiental das caixas; isolar o microrganismo mais freqüente e determinar o perfil de sensibilidade aos antibióticos. Material e Método: trata-se de um estudo comparativo e prospectivo realizado em uma unidade de terapia intensiva de um hospital-escola. Após aprovação do comitê de ética em pesquisa, procedeu-se à coleta das amostras microbiológicas das luvas de látex por meio da digito-pressão em placas de Petri, preparadas com meio de cultura Mueller Hinton (MH). Esse procedimento foi realizado em 31 caixas de luvas de látex para procedimentos em diferentes momentos (início, meio e fim das caixas) e em situação real de enluvamento e controle. O Etest® foi utilizado na determinação do perfil de sensibilidade aos antibióticos (Ciprofloxacina®, Oxacilina®, Cefepime®, Gentamicina®, Amicacina® e Vancomicina®). Os dados foram submetidos a análise estatística por meio do Teste de Cochran e Spearman, considerando nível de significância de á=0,05. Para comparação do número de UFC, realizou-se análise de variância (ANOVA) com medidas repetidas. Resultados: totalizaram-se 372 placas de Petri, das quais 186 foram obtidas na situação real de enluvamento e 186 no controle. A média de UFC foi de 4,7, na situação controle, e de 6,2 na situação real de enluvamento, não demonstrando diferenças estatisticamente significantes (p=0,601). Em relação à avaliação dos pares de luvas no início, meio e fim da caixa na situação real de enluvamento e controle, não foram evidenciadas diferenças significantes no crescimento microbiano (UFC). Na associação entre o tempo de abertura ao término da caixa de luvas e o número de UFC, tanto na situação real de enluvamento quanto no controle, não houve correlação (p=0,63). Quanto aos microrganismos, a bactéria Staphylococcus spp. foi a mais freqüente. Com relação ao perfil de sensibilidade, 13 cepas (24,8%) apresentaram resistência a pelo menos 2 antibióticos; destas, 3 (5,5%) tiveram resistência a vancomicina. Conclusão: os resultados corroboraram a hipótese inicial da pesquisa quanto à segurança microbiológica das luvas de látex para procedimentos considerando os baixos valores de UFC.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-13112007-152702/

Nº de Classificação: 5241
LIMA, Célia Mara Garcia de. A saúde bucal da criança na primeira infância: o olhar do cuidador familiar. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2007. 208 f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)

Orientador(es): PALHA, Pedro Fredemir
RESUMO: Este estudo teve como objetivo compreender as experiências do cuidador familiar de crianças na primeira infância, relativas ao cuidado à saúde bucal, e identificar em seu cotidiano os elementos que interferem nesse cuidado. O quadro teórico da vulnerabilidade foi escolhido para qualificar o cuidado em saúde. O substrato empírico consistiu em doze entrevistas gravadas com cuidadores familiares de crianças menores de seis anos, moradoras do Distrito de Saúde Leste no município de Ribeirão Preto-SP. Complementar à entrevista utilizaram-se a estratégia de observação e a pesquisa aos prontuários das crianças. A partir da abordagem qualitativa, apoiada na perspectiva hermenêutica, o material empírico foi interpretado e discutido. Identificaram-se cinco categorias empíricas: quem são os cuidadores, as crianças e suas famílias; os significados do cuidado à saúde bucal; as interações no cuidado à saúde bucal da criança; em busca das causas e da prevenção do adoecimento bucal e a realidade dos serviços de saúde e da odontologia. A análise permitiu apreender a vulnerabilidade da criança ao adoecimento bucal por meio da identificação de outros elementos, que não biológicos, presentes no cotidiano dos cuidadores familiares que potencializam sua vulnerabilidade ou protegem-na do adoecer, de acordo com a dinamicidade e a complexidade com que interagem. As experiências dos cuidadores trouxeram contribuições para a revisão das estratégias de prevenção e de promoção à saúde bucal, até então, voltadas para o enfoque do risco e responsabilização individual, fornecendo elementos para auxiliar os serviços de saúde a reorganizarem o cuidado à saúde bucal de crianças na primeira infância. Se de fato se deseja contribuir para a atenção integral à saúde da criança, deve-se, em conjunto com as demais áreas do conhecimento e prática, voltar para outras dimensões da existência humana. Mostra-se imprescindível o reconhecimento do Outro na sua singularidade, respeitando suas vivências e sentimentos e buscando, por meio de escolhas compartilhadas e responsáveis, o verdadeiro encontro que é o sentido essencial do cuidado.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-13112007-142123/

Nº de Classificação: 5242
ROSSINI, Fernanda de Paula. A influência do perfil demográfico e epidemiológico das internações de urgência na gestão hospitalar. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2007. 87 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): FERRAZ, Clarice Aparecida
RESUMO: As temáticas da qualidade, avaliação e gestão hospitalar, na atualidade, têm pautado as transições demográficas e epidemiológicas como elementos fundamentais de análise organizacional tendo em vista reorientar a gestão da qualidade hospitalar. Tal perspectiva é importante para os gestores que devem buscar desenvolver uma visão que inclua em suas análises administrativas as características da clientela atendida, uma vez que trazem implicações para a gestão do espaço físico, dos recursos materiais, equipamentos médicos, dos recursos humanos, entre outros. Desse modo, nosso estudo tem como objetivo caracterizar o perfil demográfico e epidemiológico das internações e identificar os eventos adversos relativos a infecção hospitalar segundo as topografias do trato urinário, do aparelho respiratório e da corrente sangüínea, na especialidade de clínica médica de um hospital de urgência e emergência de alta complexidade. Trata-se de estudo exploratório, retrospectivo com foco em análise de dados secundários, do tipo individual, o que possibilitou realizar associações das características das internações estudadas. A população de estudo constituiu-se de todas as internações de pacientes adultos, na especialidade de clínica médica no período de 1999 a 2005. As variáveis de interesse para o estudo foram as variáveis demográficas, as epidemiológicas e as relativas a eventos adversos de infecção hospitalar. Os dados foram coletados do Sistema de Informação Gerencial Hospitalar – SIGH e dos arquivos da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar – CCIH. Os resultados revelaram que com a implantação da Central Única de Regulação Médica houve uma reorganização do atendimento no hospital de estudo, priorizando-se o acesso a pacientes que demandam atenção de nível terciário, assim ocorreu diminuição de 32,6% das internações do ano de 1999 para 2000. Os dados demográficos revelaram que as internações de 60 anos ou mais, nos anos de 1999-2003, obtiveram percentual superior a 40%. Em relação ao estado civil o maior percentual por ano foi da categoria casados com variação no período de 33,2% a 46,8%, houve predomínio da raça branca com média de 76,5% e o grau de instrução preponderante foi o 1º grau com média de 76,4%. Quanto aos dados epidemiológicos, as doenças do aparelho circulatório participaram do quantitativo de internações com o maior percentual, com uma média de 26,1%, seguida das doenças do aparelho respiratório com média de 12,2% e doenças infecciosas e parasitárias com 11,9%. Nota-se no decorrer dos anos aumento no percentual de pacientes com diagnósticos de neoplasias, doenças do sangue, dos órgãos hematopoéticos e transtornos imunitários e, dos casos de lesões, envenenamento e outras causas externas. Cabe destacar que a maioria, média de 77,6% das internações no período retratam co-morbidades com associação de 2 a 7 diagnósticos médicos. Em relação ao evento adverso infecção hospitalar a pneumonia mantêm padrão em elevação atingindo 57,1% em 2002, sendo a ocorrência mais freqüente das infecções ao longo do período. As infecções da corrente sangüínea nos dois últimos anos apresentam elevação significativa de 8,3% em 2003 para 36,4 em 2005 e as infecções urinárias demonstram uma trajetória de alternância de ocorrências, atingindo o patamar máximo de 41,6% em 2003 declinando para 18,2% em 2005. Acreditamos que o estudo do perfil demográfico de uma clientela internada, também contribui para o delineamento de planos de ações de saúde e de enfermagem, cabendo destacar que as co-morbidades, a faixa etária de 60 anos ou mais, o rebaixamento do grau de instrução implicam em um maior número de fatores de risco à saúde exigindo direcionalidade na atuação dos gestores e profissionais de saúde. A análise dos resultados conforma o contexto de atuação do enfermeiro no que refere a gerência de cuidados à pacientes de alta complexidade, cabendo destacar o foco prioritário da gerência clínica, inicialmente no que concerne à dimensão biológica uma vez que as situações de urgência colocam em risco a vida do paciente, para então, ir ampliando a fim de acolher as necessidades integrais da pessoa hospitalizada.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-13112007-153951/

Nº de Classificação: 5243
JORDÁN JINEZ, Ma. Lourdes. Intervenção preventiva do uso de drogas entre estudantes de ensino médio em uma amostra mexicana. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2007. 110 f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)



Orientador(es): PILLON, Sandra Cristina
RESUMO: A adolescência é um período de crescimento e desenvolvimento muito rápido em todos os aspectos, físicos, emocionais e sociais, de busca de identidade e de independência, respeito aos pais, da busca a aceitação dos pares e ampliação do âmbito social, fatos que podem estar gerando conflitos psicológicos e condutas de risco. O objetivo do estudo foi avaliar a efetividade da intervenção para fortalecer os fatores de proteção entre os estudantes de ensino médio de Comonfort, Guanajuato, México. O desenho metodológico foi do tipo transversal e quase-experimental, sendo que o estudo foi realizado em duas etapas. Na primeira, identificaram-se os fatores de risco e proteção e a freqüência do consumo de drogas lícitas e ilícitas por meio do questionário Drug User Screening Inventory (DUSI) para adolescentes, em uma versão em espanhol. E na segunda etapa, foram estruturados dois grupos: um experimental e outro controle; no primeiro se implementou uma estratégia de intervenção preventiva para o fortalecimento dos fatores de proteção. Nesse sentido foram realizadas duas mensurações, na pré e pós-intervenção. A amostra foi composta por 695(43%) estudantes do primeiro ao terceiro ano, sendo 325(52,8%) do sexo feminino e 290(47,2%) do masculino, com média de idade de 13,03 anos (,99 Dp). No que refere ao uso de drogas, 20,3% dos adolescentes já usaram álcool e tabaco. Os fatores de risco identificados na amostra foram: pertencer o sexo masculino, ter idade maior de 13 anos, estar na segunda ou terceira série, viver com familiares, ter um relacionamento ruim e apresentar curiosidade, conflitos familiares, influência dos amigos, prazer que as drogas produzem e por solidariedade. Os fatores de proteção presentes nos estudantes: são falta de oportunidade, medo de sentir os efeitos da droga, medo de tornar-se dependente, medo de morrer por overdose, falta de oportunidade e medo de decepcionar a alguém no caso de ser descoberto. A média da densidade global absoluta foi de 23,1 (Dp 14,1) maior entre os adolescentes que usam drogas quando comparados com os que não usam drogas que foi de 13,6 (Dp 11,2). Todas as áreas têm maior escore da densidade absoluta entre os adolescentes que usam drogas (p<,01). Ainda, as áreas com densidade absoluta com maiores fatores de risco, foram as áreas de padrão de conduta, estado emocional e competência social. Na segunda etapa as áreas que apresentaram diminuição nos escores dentro do grupo experimental foram: o padrão de conduta, o estado emocional, a competência social, sistema familiar, situação acadêmica e relação com pares (p<,05). Na comparação dos escores pré e pós entre grupos, observa-se uma diminuição dos fatores de risco no grupo experimental nas áreas de situação acadêmica e relação com pares (p<,05).

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-19122007-153527/

Nº de Classificação: 5244
OLIVEIRA, Janaina Mayer de. Avaliação do efeito do tipo de parto sobre a força muscular do assoalho pélvico de primíparas. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2007. 105 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): MAMEDE, Marli Villela
RESUMO: A força dos músculos do assoalho pélvico e as estruturas de sustentação dos órgãos pélvicos são afetadas por vários acontecimentos durante toda a vida da mulher. A gravidez e o parto são situações que influenciam a anatomia e fisiologia materna causando efeito sobre o assoalho pélvico e suas estruturas. A literatura que trata da avaliação da função da musculatura do assoalho pélvico no ciclo gravídico-puerperal é escassa. Este trabalho teve como finalidade analisar o efeito do tipo de parto sobre a força muscular do assoalho pélvico de primíparas com os seguintes objetivos específicos: identificar a presença de alterações na força muscular do assoalho pélvico após o parto; verificar a existência de correlação entre alterações na força muscular do assoalho pélvico após o parto de acordo com o tipo de parto; identificar a presença de fatores que contribuem para a diminuição da força muscular do assoalho pélvico pós-parto correlacionando-os com o tipo de parto. Metodologia: Trata-se de um estudo de coorte prospectivo, em que participaram 43 mulheres primíparas, em sua maioria jovens com menos de 25 anos de idade, as quais foram avaliadas por meio da perineometria em dois momentos distintos: antes do parto (a partir da 32ª semana gestacional) e, entre 45 e 75 dias após o parto. Foram utilizados formulários de avaliação como instrumentos de coleta de dados os quais foram complementados com dados de prontuários. Resultados: houve redução da força do assoalho pélvico após o parto, independentemente do tipo de parto. Após o parto vaginal a força muscular do assoalho pélvico diminuiu significativamente (p<0,01) e apesar de ter ocorrido redução desta força também após o parto cesárea, esta não se mostrou estatisticamente significante (p=0,94). Verificou-se uma diferença estatisticamente significante (p=0,01) entre os tipos de parto com relação à diminuição dos valores da mediana da força muscular do assoalho pélvico após o parto. As variáveis: cor branca, presença de doença respiratória, obstipação intestinal e retorno à atividade sexual contribuíram para a diminuição da força muscular do assoalho pélvico das primíparas após o parto vaginal. E o peso do recém-nascido teve associação estatisticamente significativa (r=0,42; p=0,04) com a diminuição da força muscular do assoalho pélvico após o parto vaginal. Conclusões: O efeito do parto vaginal sobre a musculatura do assoalho pélvico apontou uma redução significante na sua força. Fatores como cor branca, presença de doença respiratória, obstipação intestinal, retorno à atividade sexual e peso do recém-nascido contribuíram para a diminuição da força muscular do assoalho pélvico das primíparas após o parto vaginal. Embora tenha ocorrido uma diminuição da força do assoalho pélvico após a cesárea esta não foi estatisticamente significativa.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-18122007-142128/

Nº de Classificação: 5245
DÍAZ OVIEDO, Aracely. A pessoa com diabetes: do enfoque terapêutico ao existencial. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2007. f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)

Orientador(es): BOEMER, Magali Roseira
RESUMO: O presente estudo busca lançar luz ao significado de ser uma pessoa diabética sob a ótica de quem vivencia essa situação. Para tanto, dirigiu-se para as experiências vividas por essas pessoas, em seu conviver com a doença. Fundamentada no referencial teórico-metodológico da investigação fenomenológica, a pesquisa direcionou-se para essas pessoas, entrevistando-as e obtendo depoimentos à uma pergunta norteadora: “O que é isto, ser uma pessoa diabética? Descreva para mim.” Na busca pela subjetividade do existir dessas pessoas, o estudo propôs, assim, a um deslocamento de análise da diabetes sob a ótica de um fato para a de um fenômeno. A coleta de dados ocorreu na cidade de San Luis Potosí, no México,no Instituto Mexicano de Seguro Social “Francisco Padrón Poyuo”, envolvendo pacientes que participavam de um grupo de apoio. A análise dos depoimentos foi realizada conforme o preconizado pelos fundamentos da fenomenologia, possibilitando a construção de categorias temáticas que apontaram para a essência do significado do conviver com a doença. Os resultados abrem perspectivas para transformações em várias esferas de assistência a essas pessoas, o que inclui o resgate da subjetividade, o repensar a formação dos profissionais de saúde e posturas mais efetivas de acolhimento e construção de políticas de saúde.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-18122007-155625/

Nº de Classificação: 5246
CARMO, Lilian Sheila de Melo Pereira do. O uso de suplemento a base de ferro e os níveis de hemoglobina identificados durante o período gravídico-puerperal. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2007. 91 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): GOMES, Flávia Azevedo
RESUMO: O uso de suplemento a base de ferro é fundamental para profilaxia e tratamento da anemia ferropriva, agravo freqüente em gestantes que vivem em paises em desenvolvimento, e que se não for tratada, pode ter conseqüências tanto para mulher quanto para o feto. Entretanto, muitas mulheres não aderem a terapêutica. O objetivo deste estudo foi identificar a utilização de suplemento à base de ferro no ciclo grávido-puerperal, em um grupo de mulheres.Trata-se de um estudo descritivo com abordagem quantiqualitativa realizado em uma Unidade Básica e Distrital de Saúde (UBDS) de Ribeirão Preto, e que teve como sujeitos um grupo de mulheres, usuárias de um serviço de saúde, que compareceram a UBDS para consulta de puericultura. A coleta foi realizada através de entrevista, coleta de sangue para dosagem de hemoglobina e consulta aos prontuários. A idade das mulheres variou entre 19 a 24 anos, sendo que destas 36,3% apresentaram ensino fundamental incompleto e 75% referiu não trabalhar. Quanto a realização de pré-natal, 75% realizou em Centro ou Posto de Saúde tendo como média de consultas durante a gestação oito. Durante a gestação e o puerpério o valor médio de hemoglobina encontrado nas entrevistadas foi de 12,1 g/dl e 12 g/dl, respectivamente. Quanto ao uso de suplemento a base de ferro na gestação e puerpério, 81,8% referiu ter usado durante a gestação e 66,9% no puerpério. Assim, conseguimos identificar que a maioria das gestantes fez uso do suplemento durante a gestação e puerpério e que apresentaram hemoglobina maior que 11 g/dl, ou seja, não apresentavam anemia. Os dados qualitativos revelam que as mulheres desconhecem a importância do uso do suplemento neste período, sendo mais evidente a preocupação com a saúde do feto.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   29   30   31   32   33   34   35   36   ...   58


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
Universidade estadual
união acórdãos
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande