Associação Brasileira de Enfermagem Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem cepen



Baixar 3.08 Mb.
Página22/58
Encontro18.09.2019
Tamanho3.08 Mb.
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   58

Acesso ao texto integral: não localizado e não temos o CD

Nº de Classificação: 5149
LIRA, Elisabeth Nascimento. Ocorrência de doenças transmitidas por alimentos no período de 1999 a 2003, em Guarapuava-PR: um levantamento epidemiológico. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2005. [103] f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): TAKAYANAGUI, Angela Maria Magosso
RESUMO: As doenças transmitidas por alimentos (DTA's), são comuns em nosso país e representam atualmente um sério problema para a saúde pública. Muitos embora a maioria dos casos seja considerada como leves e moderados, algumas infecções mais graves podem causar seqüelas e até mesmo óbitos, além dos gastos hospitalares, do afastamento de atividades profissionais e escolares. Estudos relacionados ao tema tornam-se necessários, não apenas para o conhecimento da doença e do ambiente, mas para aprimorar a segurança alimentar e as práticas de manipulação e comércio de alimentos para a população. O presente estudo foi realizado por meio de um levantamento de doenças transmitidas por alimentos no município de Guarapuava, dos anos de 1999 a 2003, identificando características de gênero, faixa etária, causas e contexto das ocorrências. Trata-se de pesquisa descritiva, do tipo transversal, baseada em variáveis quantitativas, a partir de um levantamento epidemiológico realizado junto às fichas de investigação epidemiológica e sanitária do setor de Vigilância em Saúde do Município de Guarapuava-PR. Concluiu-se que as ocorrências de DTA's no Município de Guarapuava caracterizaram-se por um predomínio em pessoas do sexo masculino, tendo como causa principal as intoxicações por alimentos sólidos suspeitos, como relacionamos saladas e grãos. Pelas características dos sintomas e do tempo transcorrido entre o acidente e sintomatologia descritos nas fichas, talvez os casos estejam relacionados à bactérias do tipo Clostridium perfringens e Salmonella sp, não comprovados devido a ausência de exames de laboratório. Os meses em que ocorreram a maior parte dos casos não indicam padrões de sazonalidade, nem mesmo em relação a festividades. Os resultados também revelaram um predomínio de ocorrência de casos em adultos jovens, do sexo masculino, e freqüentemente em restaurantes. A investigação também revelou uma inadequação no preenchimento das fichas, o que exigiu a busca de informações em diversos modelos de fichas para complementar todos os dados. Torna-se de fundamental importância para análises em saúde o correto preenchimento de todos os campos e dados das fichas utilizadas para a investigação de DTA's, aliado à integração das ações de Vigilância à Saúde, subdivididas em Epidemiológica, Sanitária e Ambiental. A integração das ações e dos setores na vigilância das DTA's, mais do que a retórica, deve ser capaz de produzir resultados eficazes no que diz respeito à tomada de decisões e definição de ações de prevenção.

Acesso ao texto integral: não localizado e não temos o CD

Nº de Classificação: 5150
ZAPPAROLI, Amanda dos Santos. Promoção da saúde do trabalhador de enfermagem: análise da prática segura do uso de luvas na punção venosa periférica. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2005. 87 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): MARZIALE, Maria Elena Palucci
RESUMO: Os trabalhadores da equipe de enfermagem estão amplamente expostos ao risco biológico pelas características peculiares de seu trabalho. Dentre as atividades desenvolvidas por esses trabalhadores, a punção venosa periférica os expõe ao contato com sangue dos pacientes atendidos sendo a inadequação do uso de equipamentos de proteção individual, particularmente as luvas de procedimento, objeto de inquietação. O estudo objetivou identificar o comportamento do uso de luvas de procedimento durante a atividade de punção venosa periférica pelos trabalhadores de enfermagem e os motivos que os levam a não utilizá-las; trata-se de uma pesquisa exploratória, com análise qualitativa e quantitativa dos dados, estudados na perspectiva do referencial teórico de Promoção da Saúde proposto por Pender. O estudo foi realizado com trabalhadores de unidade de internação de Clínica Médica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HC-FMRP-USP) em duas etapas que incluíram a observação e a entrevista semi-estruturada. Os dados foram analisados por meio de análise de conteúdo, baseados em categorias pré-estabelecidas: conduta prévia, percepção de benefícios para a ação, percepção de barreiras para a ação, percepção de auto-eficácia, influências interpessoais, influências situacionais e satisfação relacionada à atividade. Durante a atividade estudada a maioria dos trabalhadores não usaram luvas, referiram ter o hábito de realizar a atividade de maneira que os expõem a riscos e existe uma baixa adesão às orientações de precaução-padrão; os sujeitos relataram não acreditar na luva como barreira de proteção, apontaram as inadequações relativas ao tamanho e perda de sensibilidade tátil como barreiras; muitos acreditam em suas capacidades para realizar a atividade de punção venosa sem o uso de luvas e sentem-se seguros a partir de sua experiência pela prática de trabalho; mencionaram que a falta de sensibilidade tátil no momento da punção e a dificuldade no manuseio do esparadrapo para a fixação do cateter os levam a retirá-la, além do excesso de atividades e escassez de funcionários; relataram que os colegas de trabalho e a chefia influenciam de maneira positiva a conduta promotora de saúde; descreveram a atividade de punção venosa com grande satisfação, porém, quanto ao trabalho de enfermagem encontrou-se relatos de infelicidade e insatisfação na profissão. Conclui-se que há necessidade de implementar para mudança de comportamento visando a promoção da saúde e a segurança dos trabalhadores.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-17072006-150402/


Nº de Classificação: 5151
SOLER, Virtude Maria. O conhecimento produzido pela enfermagem em transplante de medula óssea no Brasil. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2006. 189 f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)



Orientador(es): ZAGO, Márcia Maria Fontão
RESUMO: O transplante de medula óssea (TMO) é um tratamento complexo e dispendioso, cujos conhecimentos foram muito ampliados. O procedimento envolve ações que precedem a infusão das células hematopoéticas e alterações e complicações que a sucedem, de alta complexidade, requerendo equipe multidisciplinar para assistência integral e humanizada ao paciente e à família. O objetivo deste estudo foi sintetizar o conhecimento na área do TMO já produzido pela enfermagem brasileira, por meio de publicações, produzidas no período de 1994 a junho de 2005, caracterizar e identificar os temas e conteúdos das pesquisas realizadas, analisar o delineamento empregado e o nível de evidência dos resultados. Utilizou o Método de Revisão Integrativa, proposto por Gannong (1987). Foram analisados 23 estudos nacionais, obtidos na íntegra das bases de dados LILACS, MEDLINE e CINAHL e do acervo da Sala de Leituras da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Identificou-se oito categorias temáticas, representando os focos dos estudos, que foram subdivididas em: organização dos centros e serviços de TMO, recursos humanos e dimensionamento de pessoal, assistência ao paciente - hospitalar, ambulatorial, e cuidados especiais, esses, subdivididos em: cateter venoso central, doador de medula óssea, home care e autocuidado, TMO pediátrico-adolescência, multidisciplinar, isolamento e complicações em TMO - pré- e pós-TMO, dor, sexualidade e infertilidade e vulnerabilidade, qualidade de vida, estresse e sofrimento psíquico-burnout em TMO. Os resultados evidenciaram que as produções de enfermagem ainda são inconsistentes, de nível IV quanto às evidências, desenvolvidos por pós-graduandos de enfermagem, sendo 22 estudos (95,65%) não experimentais, desses, 9 (39,13%) descritivo-exploratório qualitativos, 2 (8,69%) descritivo-exploratório quali-quantitativos, 5 (21,73%) de revisão de literatura, qualitativos, 2 (8,69%) estudos de caso, qualitativos, 2 (8,69%) histórico-social qualitativos, 1 (4,34%) descritivo correlacional qualitativo, 1 (4,34%) de revisão integrativa da literatura e 1 (4,34%) quase-experimental, tipo comparativo retrospectivo com abordagem quantitativa. Foram apontadas barreiras e dificuldades para a produção, divulgação e aplicação dos resultados das pesquisas, caracterizadas como institucionais, sociais e individuais, tais como falta de domínio da metodologia cientifica, incentivo, fomento e valorização da pesquisa, dentre outras. Esses fatores interferem na produção científica e na qualidade assistencial de enfermagem ao paciente transplantado de medula óssea. Concluiu-se que há necessidade de esforços conjuntos, para a aquisição de conhecimentos específicos de TMO e de metodologia científica, envolvimento dos enfermeiros assistenciais com a pesquisa científica e desenvolvimento de condições e ambiente de incentivo para que a produção científica de enfermagem aumente quantitativamente e modifique o cenário atual. Sugere-se o desenvolvimento de novos estudos e maior aproximação e auxílio dos docentes universitários aos enfermeiros assistenciais.

Acesso ao texto integral: não localizado e não temos o CD

Nº de Classificação: 5152
PEREIRA, Adriana Pelegríni dos Santos. Educação sexual de grupos de adultos portadores de estomas intestinais definitivos: processo da implantação em implementação. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2006. 216 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)

Orientador(es): PELÁ, Nilza Teresa Rotter
RESUMO: Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, do tipo descritivo exploratório, que teve como proposta descrever o processo de implantação e implementação de um grupo de pacientes portadores de estomas intestinais definitivos e identificar a percepção desses quanto à sexualidade como uma dimensão importante de suas vidas. Para a coleta de dados, foram utilizadas as falas dos sujeitos participantes do grupo durante os encontros realizados, transcritas na íntegra pela pesquisadora. As falas, posteriormente foram analisadas segundo a análise de prosa de André (1983). Foram realizados 14 encontros com 3 horas de duração cada, participaram do grupo 19 portadores de estomas definitivos de São José do Rio Preto e região, uma coordenadora (pesquisadora), um coloproctologista, uma psicóloga e uma observadora não-participante. Toda dinâmica do grupo obedeceu a uma programação feita previamente pela pesquisadora. Os dados obtidos permitiram concluir que essa atividade grupal proporcionou aos portadores um espaço no qual puderam trocar experiências, adquirir conhecimentos, criar vínculos, encontrar cumplicidade, companheirismo e aceitar a sua condição, pois ouviram as vivências dos outros e não se sentiram únicos a terem problemas, facilitando o sentimento de universalidade. Quanto à percepção da sexualidade como a dimensão importante em suas vidas identificou-se ser esse um tema pouco abordado pelos profissionais de saúde e necessário para o reajustamento sexual satisfatório. Evidenciou-se que a saúde sexual não foi inibida pela doença, pois quanto mais orientados adequadamente, e mais estimulados para a prática sexual, mais satisfeitos e interessados se mostraram para buscar caminhos, superando obstáculos como: a recusa do parceiro, disfunção erétil, alteração imagem e o próprio estoma. Alguns caminhos apontados para atingir a satisfação sexual foram a troca de parceiro, busca de profissionais especializados, criatividade no ato sexual e alguns cuidados com o dispositivo. Nesse espaço evidenciou-se que a prática sexual seja ela qual for, é importante e necessária para a vida de cada um. A experiência de vida de cada integrante permitiu o desenvolvimento da autonomia sexual e fez com que os portadores reconhecessem a necessidade de mantê-la ou buscar auxilio, para o alcance do prazer, satisfação e retorno à vida.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-17072006-150402/

Nº de Classificação: 5153
CRISTINA, Jane Aparecida. Vivências de uma equipe multiprofissional de atendimento avançado pré-hospitalar móvel ao adulto em situação de parada cardiorrespiratória. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2006. 137 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): DALRI, Maria Celia Barcellos
RESUMO: Este estudo de abordagem qualitativa, descritivo e de caráter exploratório tem como objetivo investigar a vivência da equipe multiprofissional na assistência ao adulto em situação de parada cardiorrespiratória, numa unidade de suporte avançado de vida de Atendimento Pré-Hospitalar móvel (APH) da Secretaria Municipal de Saúde de Ribeirão Preto-SP. Para a coleta de dados, foi utilizada a entrevista semi-estruturada que compreendeu questões sobre o perfil sociodemográfico, profissional e questão norteadoras sobre o tema. A amostra foi constituída por 16 profissionais, médicos, enfermeiros e condutores de veículo de urgência terrestre integrantes da Unidade de Suporte Avançado (USA). Os dados foram organizados por meio da análise de conteúdo proposta por Bardin (1977), sendo identificados quatro temas: o trabalho no APH móvel avançado, os sentimentos e emoções da equipe multiprofissional de APH móvel avançado frente ao atendimento à Parada Cardiorrespiratória (PCR), identificação dos agentes estressores ao atendimento à PCR e as reações de estresse no atendimento à PCR. Na presente pesquisa, a equipe multiprofissional relata a sua vivência nesse tipo de atividade com a visão de um serviço desafiante e difícil, por vivenciar diariamente situações inesperadas, desconhecidas e angustiantes, mas que, com tudo isso, também são capazes de perceber satisfações pessoais e realização profissional. Na análise, evidenciaram-se também nas demais categorias, as expressões: conhecimento e constante capacitação técnica e tecnológica, habilidade e agilidade, tomada de decisões, trabalho em equipe, a dificuldade de lidar com o sofrimento dos familiares na cena do agravo, envolvimento emocional em situações de grande sofrimento e dor, trabalhar em altas temperaturas, dificuldades em lidar com a morte, principalmente em situações inesperadas e com vítimas jovens, trazendo sentimentos de impotência, frustração e tristeza. Portanto, essa equipe multiprofissional vivencia diariamente a real possibilidade de sofrimento psíquico e mostra por meio deste estudo, a necessidade de que a equipe promova momentos para reflexão e discussão acerca dos aspectos técnicos, científicos e éticos referentes ao cuidado dos pacientes críticos, em parada cardiorrespiratória, quanto às diferentes possibilidades de situações que os envolva durante o atendimento, com vistas à melhoria da qualidade do atendimento e do relacionamento interpessoal. Levando em consideração os resultados e conclusões da nossa investigação, é relevante a questão da saúde mental desses profissionais no exercício de suas funções, diante do exposto nos seus próprios relatos, e até que ponto os mecanismos de enfrentamento utilizados pelos mesmos são eficientes, ou seja, são métodos eficazes de elaboração do estresse. Sugerimos como métodos que podem ser eficazes: buscar informações e discutir o assunto em grupos; aceitar os acontecimentos, buscando o lado positivo da situação, buscar auxílio de especialistas, psicólogos ou psiquiatras e seguir suas orientações. Diante da importância desse serviço, vemos a necessidade de propor formas alternativas dentro dessa equipe, para que ela alcance um equilíbrio no estresse individual e coletivo e que efetivamente não atinja os limites de sofrimento psíquico. Assim são necessárias outras investigações, porque as seqüelas advindas podem comprometer a vida social e pessoal do indivíduo.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-18012007-174313/

Nº de Classificação: 5154
BRÊDA, Mércia Zeviani. A assistência em saúde mental: os sentidos de uma prática em construção. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2006. 157 f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)

Orientador(es): PEREIRA, Maria Alice Ornellas
RESUMO: Esta pesquisa tem como objetivo investigar os sentidos construídos acerca da assistência prestada e recebida em Hospital Psiquiátrico e em Centro de Atenção Psicossocial, sob a ótica de usuários e profissionais de saúde deste último. Para tanto, adota a Estratégia Qualitativa de Pesquisa, dentro das perspectivas teóricas da pós-modernidade, do social construcionismo e da desinstitucionalização. Seus resultados foram ordenados sob dois eixos temáticos e respectivas categorias que emergiram da fala dos sujeitos. Seguindo a trajetória histórica da assistência em saúde mental, o primeiro eixo temático diz respeito à assistência em Hospital Psiquiátrico e, o segundo em serviço substitutivo do tipo CAPS. Em relação ao primeiro, na ótica dos usuários, este espaço assistencial é tido como aprisionamento, onde vêem perdida a sua autonomia e obrigados a seguir normas rígidas e repetitivas; espaço pobre em relações, afeto e escuta, mas rico em produção de violência. Para estes mesmos sujeitos, o CAPS surge como uma porta que se abre às relações, aos contratos, à convivência mais estreita e respeitosa, com possibilidades que podem ser ativadas para a maior compreensão da pessoa que vivencia o sofrimento psíquico e melhoria da assistência recebida. Entre os profissionais, apesar das experiências negativas no processo de formação em Hospital Psiquiátrico, há a defesa da sua manutenção para o atendimento do usuário em crise. Por outro lado, o CAPS, para a maioria destes profissionais, é uma nova e criativa experiência, com aprendizados e faltas sentidas que se traduzem ainda num processo incipiente, porém, em construção de uma nova prática em saúde mental. Ao final, é realizada uma análise das dimensões políticas, históricas e culturais locais que condicionam os sentidos produzidos acerca da assistência em saúde no serviço substitutivo em questão e, são apontados desafios a serem superados; responsabilidades a serem compartilhadas e, caminhos possíveis e necessários para a mudança paradigmática.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-15012007-172130/

Nº de Classificação: 5155
SAÚDE, Maria Isabel Borges Moreira. Interrogando a operação da rede de serviços de saúde. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2006. 249 f.

Tese (Doutorado em Enfermagem)



Orientador(es): MISHIMA, Silvana Martins
RESUMO: Este estudo qualiquantitativo teve por objetivo geral analisar a conformação da rede de serviços de saúde que fazem atenção à saúde da gestante em Uberaba - MG. Teve como suporte teórico as categorias rede, integralidade e poder. Foi realizado estudo de caso tomando por referência os serviços de atenção básica de um Distrito Sanitário, sendo os dados de fontes primárias obtidos por entrevistas semi-estruturadas de trabalhadores de unidades de saúde de diferentes níveis de densidade tecnológica e de gestantes, e realização de grupo de discussão com gestantes. As fontes secundárias foram representadas por documentos oficiais e informações de bancos de dados das três esferas de governo. Os dados quantitativos foram analisados considerando sua distribuição de freqüência, e o material empírico das entrevistas e do grupo de discussão foi submetido à análise temática. Na análise documental identificamos que a política de atenção à gestante tem acontecido principalmente pela indução do financiamento, ou pela necessidade de superação de situações emergenciais. Identificamos, entretanto, tentativas de articulação de serviços e de atores, trabalhadores e usuários nos distintos espaços de construção desta política. Os dados e as informações de bancos de dados municipais e nacionais apontam para baixa cobertura e qualificação da assistência pré-natal de baixo e alto risco, por deficiência de infra-estrutura e de profissionais qualificados para atenção básica e especializada, déficit de leitos obstétricos e de UTI. O impacto na atenção pode ser identificado a partir da alta freqüência de internações por complicação obstétrica e aborto, alta incidência de sífilis congênita e aumento da mortalidade infantil, com óbitos concentrados no período perinatal. Do material empírico analisado a partir da análise temática emergiu o tema: “O modelo operado na rede de serviços que fazem atenção à gestante no município”, que foi recortado em quatro subtemas: oferta de ações de saúde e a atenção às necessidades das gestantes; o encontro entre o trabalhador de saúde e a gestante no processo de atenção; espaços de atenção à saúde como espaços de aprendizagem; gestão da rede - a relação entre os serviços de saúde que fazem atenção à gestante no município. A articulação e interpenetração destes subtemas revelam dificuldade de acesso da gestante aos serviços, organização e planejamento centrados na necessidade dos serviços e instituições de ensino, fragmentação da rede e dos processos de trabalho em cada um dos serviços, e relação conflituosa entre oferta de serviços e demanda das gestantes; dificuldade de articulação serviço-ensino para educação na saúde. Por outro lado, também identificamos alguns espaços aonde acontecem práticas mais comprometidas com a tenção integral à gestante, e abertura de linhas de fuga para garantir atendimento.

Acesso ao texto integral: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-06072007-111424/

Nº de Classificação: 5156
SOUSA, Leandra Andréia de. Promoção-apoio ao aleitamento materno: binômio ou antítese?: caracterização das práticas do profissional de saúde na perspectiva da mulher no processo de aleitamento materno. Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2006. 197 f.

Dissertação (Mestrado em Enfermagem)



Orientador(es): PEREIRA, Maria José Bistafa
RESUMO: Os objetivos desta pesquisa constituíram-se em identificar, na perspectiva da mulher-nutriz, o que é apoio à amamentação e rituais da assistência em amamentação nos serviços de saúde, especificamente hospitais amigo da criança e equipes da saúde da família, que não são considerados apoio. Sob as lentes da integralidade, partimos dos pressupostos que uma prática se constitui em apoio à mulher que amamenta, a partir da identificação da necessidade expressa pela mulher; que práticas normativas, pré-estabelecidas podem não atender às necessidades da mulher na amamentação e que as formulações políticas acerca do aleitamento materno (AM) têm reforçado o paradigma hegemônico. Fizeram parte deste estudo todas as púerperas assistidas exclusivamente por equipes de saúde da família do Distrito Oeste no pré-natal e/ou puerpério e tiveram seus partos em instituições credenciadas como Hospital Amigo da Criança (HAC) do município de Ribeirão Preto no mês de fevereiro de 2006. Para este estudo descritivo de abordagem qualitativa utilizamos o questionário e a entrevista semi-estruturada como estratégias de investigação. A partir do questionário obtivemos o seguinte perfil dos sujeitos investigados: Quanto aos dados pessoais, 10% eram menores de 18 anos, 10% estavam entre 18 e 21 anos, 10% entre 27 e 31 anos e 70% tinham entre 22 e 26 anos de idade. Quanto a escolaridade, 50% cursaram o ensino médio completo, 30% o ensino fundamental completo, 10% ensino médio incompleto e 10% ensino superior incompleto. Sobre o estado civil obtivemos, 40% casadas, 40% mantenedora de união estável, 10% solteiras e 10% divorciadas. Nos dados obstétricos, 50% eram primigestas, 40% secundigestas e 10% tercigestas, 70% tiveram parto normal e 30% parto cesária, 100% fizeram pré-natal, com média de 9,6 consultas. Sobre a internação, 80% das mães não tiveram contato pele a pele com seu bebê após o parto e 20% das mães tiveram o contato pele a pele, 100% dos bebês não mamaram na sala de parto. Quanto ao conhecimento das mulheres sobre a maternidade ser HAC, 60% sabiam e 40% desconheciam, 100% não souberam dizer o que é HAC, 80% das puérperas não procuraram o hospital após a alta hospitalar, 20% procuraram, por motivos relativos a dores nos pontos e choro/fome do recém nascido. Para os dados qualitativos utilizamos o método da Análise de Conteúdo, cuja organização dos dados permitiu eleger uma Unidade Temática – o Acesso, que foi sub dividida em outras duas sub unidades: Acesso à Estrutura Física e Acesso à Escuta. Por gerar ruídos, convergentes e divergentes, o Acesso à Escuta foi subdividido em: Escuta Ampliada, Escuta Formatada e Escuta Virtual. Ressaltamos o processo de transformação do modelo de atenção ao AM em movimento, no entanto, o apoio à amamentação ainda é incipiente. Na perspectiva da integralidade no AM, a demanda complexa e singular da nutriz precisa se escutada, valorizada, traduzida e atendida nos serviços de saúde, como fruto do trabalho solidário das equipes de saúde na sua produção de cuidado, o que remete a uma dimensão da integralidade a ser apreendida e incorporada.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   58


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
Universidade estadual
união acórdãos
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande