As contribuiçÕes de c. B. Macpherson no estudo movimentos sociais e educaçÃo vieira, Leonardo Cardozo



Baixar 18.88 Kb.
Encontro06.10.2019
Tamanho18.88 Kb.

AS CONTRIBUIÇÕES DE C. B. MACPHERSON NO ESTUDO MOVIMENTOS SOCIAIS E EDUCAÇÃO
VIEIRA, Leonardo Cardozo*, OLIVEIRA, Neiva Afonso
* Acadêmico do 10º semestre – Biologia – UFPel: e- mail: bio.leo.mat@gmail.com
Palavras-Chave: Movimentos Sociais, Educação, Macpherson
1 INTRODUÇÃO
O desafio de estudar Movimentos Sociais e Educação começou em agosto de 2009, com a proposta de uma pesquisa orientada pela Professora Neiva Afonso Oliveira, com o título “Movimentos Sociais e Educação, contribuições de Crawford Brough Macpherson”.

Dentre as diversas leituras nestes primeiros doze meses de pesquisa, muitas outras possibilidades surgem, como, democracia, participação e educação popular. Segundo Gohn (1992), os movimentos sociais não são invenções das classes populares, dos capitalistas ou mesmo de intelectuais; eles nascem da insatisfação por parte de determinada classe ou grupo social e demonstram uma rebeldia individual ou coletiva, um protesto diante do confronto ideológico entre um e outro segmento social.




2 METODOLOGIA
A pesquisa bibliográfica está sendo realizada através das fases:

Fase 1 - Levantamento das fontes

– Levantamento e catalogação de bibliografias relacionadas ao projeto e as obras de e sobre Macpherson;



Fase 2 - Pesquisa bibliográfica

– Análise e fichamento das obras disponíveis em português, com o auxílio dos alunos colaboradores voluntários dos Grupos de Pesquisas;

– Tradução de obras do autor ainda não disponíveis em português;

Fase 3 - Redação e divulgação

– Produção de textos e artigos, e divulgação em congressos científicos;

– Elaboração de relatórios.

3 RESULTADOS E DISCUSSÕES
Macpherson, sociólogo canadense falecido em 1987, foi um crítico da democracia liberal, incentivador da democracia participativa e um representante extraordinário da filosofia política contemporânea. De suas obras, três foram traduzidas e encontram-se publicadas em português: A democracia Liberal: origens e evolução (1978), A teoria política do individualismo possessivo (1979), Ascensão e Queda da justiça econômica (1985).

Neste primeiro ano de pesquisa, algumas considerações já puderam ser levantadas, e produzidas, a partir de alguns resultados prévios, conforme citamos abaixo as produções:


Primeira: CIC da UFPel de 2009, em que relatamos os objetivos da pesquisa, e descrevemos brevemente como a mesma está sendo desenvolvida.

Segunda: XII Fórum deE Estudo: Leituras de Paulo Freire, PUC/RS, com o trabalho intitulado “A democracia na escola atual e suas raízes na democracia protetora: modelo proposto por Macpherson.

Terceira: O VI Ciclo de Estudos: Educação e Filosofia (FAE/UFPEL) trouxemos o texto “Educação e Movimentos Sociais: um encontro a favor da cidadania”, onde o objetivo foi estabelecer o elo principal da pesquisa, relacionando os Movimentos Sociais e suas contribuições na Educação formal.

Quarta: X Encontro de Investigação na Escola”, FURG, com o texto: “Relacionando a prática Docente de estágio supervisionado com a Democracia Protetora”, descrevendo um dos modelos de democracia proposto por C. Macpherson, no livro Democracia Liberal: origens e evolução (1978), e estabelecendo vínculos com a prática democrática na sala de aula, e o papel do educador, diante da autonomia da/na Escola.
4 CONCLUSÕES

Macpherson trabalhou com conceitos pertinentes à Filosofia Política. Sua teoria, além de representar uma critica à democracia liberal, formula posições sobre conceitos como propriedade, democracia e classes sociais.

A pesquisa baseada na obra de Macpherson nos trouxe outras instigações como o estudo das relações entre Movimentos sociais e educação. A pesquisa muito tem contribuído para o meu crescimento enquanto pesquisador, para repensar o ser professor, e muito mais que isso, repensar o histórico da Educação. É preciso aprender com os movimentos sociais a pensar e a construir uma pedagogia crítica que se realize nas práticas da educação popular e da escola pública implica ter intencionalidade política e pedagógica. Pois o processo educativo se dá na participação, no movimento, na práxis. Educar nessa perspectiva é promover a participação numa corrente coletiva que humaniza as pessoas.

5 REFERÊNCIAS

MACPHERSON, C. B. A Democracia Liberal: origens e evoluções. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.


OLIVEIRA, N. A. Propriedade e Democracia Liberal: um estudo estribado em Crawford Brough Macpherson. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. (Coleção Filosofia, nº. 185.)
OLIVEIRA, N. A. Propriedade e Contrato Social: um breve discurso no relacionamento entre estado e associações de trabalhadores a partir de C. B. Macpherson. Civitas, Porto Alegre, v. 4, nº 1, jan.- jun. 2004, 57-71p.
GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais e educação. São Paulo, Cortez, 2005.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.



JENISE, Edineide. Currículo e Movimentos Sociais. Disponível em < http://br.monografias.com/trabalhos912/curriculo-e-movimentos/curriculo-e-movimentos2.shtml> Acesso em 20 de julho de 2010.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal