Antibióticos



Baixar 47.51 Kb.
Encontro11.06.2018
Tamanho47.51 Kb.

Antibióticos

Noções Básicas

Doenças Bacterianas – Importância


3 milhões de mortes/ano por tuberculose

infecções bacterianas responsáveis pela maior parte de óbitos em crianças desnutridas

3 milhões de crianças morrem/ano por Pneumonia por S.pneumoniae e H.influenzae

5 milhões de crianças morrem/ano por diarréia por E.coli e Shigella sp

Infecção hospitalar - endêmica

Sepse - 25% pcts em CTI - mortalidade até 50%




E
strutura das Bactérias


Bact. C/ capsula- Pneumococo

Bact c/ fimbrias- Shigella e Escherichia coli


P
arede Celular

GRAM + possui = paredes de peptideoglicano que a GRAM –

LPS estimula o processo de inflamação por meio do aumento dos níveis de TNF-


B
actérias Gram-negativas

Mecanismos de Ação dos Antibióticos

PAREDE CELULAR

RIBOSSOMAS

CROMOSSOMAS




Agentes que agem na formação da parede

• ligam-se nas PBP (penicillin-binging proteins):
1) Penicilinas

PNC naturais

PNC resistentes à Penicilinase - Stafilo e Strepto

AminoPNC


Ureido-PNC

Carboxi-PNC - Pseudomonas



2) Cefalosporinas – 1a. ger.- Cefazolina, Cefalotina, Cefalexina

2a. ger.- Cefamandol, Cefaclor (anti-Haemofilus) / Cefoxitina (anti-Bacterioide)

3a. ger.- Ceftriaxona, Ceftazidima( anti-Pseudomona)

4a. ger.


3) Carbapenens - Imipenen e Meropenen

4) Monobactâmicos - Aztreonam
S
íntese dos Peptidoglicans

A transpeptidase que liga a molécula de peptídeo a outra é inibida pela Penicilina. Logo, a importância deste antibiótico contra GRAM +, rico em peptideoglicano.

Mecanismos de resistência aos antibióticos beta-lactâmicos

• destruição dos antibióticos pelas β-lactamases

–cromossômicas ou plasmidianas



• falha em penetrar nas PBPs alvo

–membrana externa, exclusão do ATB pelas porinas



• baixa afinidade do ATB à PBP
Agentes que agem na formação da parede
Glicopeptídeos – Vancomicina, Teicoplanin

• inibem a síntese do peptidoglicam quando entram na cadeia no lugar do Ac. Acetil murâmico, paralizando a alongação da cadeia.


Mecanismo de Resistência

• produção de excesso de PBPs que dificultam o acesso ao sítio de ligação : plasmídio-mediado
Agentes que agem estrutura da parede e nos ribossomas
Aminoglicosídeos- Gentamicina, Estretomicina, Neomicina, Amicacina, Metilmicina

• Removem Mg++ e Ca++ da membrana externa

• Ligam-se irreversivelmente a sub-unidade 30S (síntese proteica)- efeito bactericida

Agentes que agem nos ribossomas
• Inibem síntese protéica

Tetraciclinas

Cloranfenicol

Macrolídeos- Eritromicina, Claritromicina

Clindamicina

Streptograminas (Quinupristina-Dalfopristin)

Oxazolidinonas ( Linezolida)
Agentes com ação citotóxica
Metronidazol

- após reação de redução seus produtos são muito tóxicos a célula


Agentes que agem sobre o DNA
Quinolonas- Ciprofloxacina, Norfloxacina, Levofloxacina

- inibem a DNAgirase e topoisomerase IV, quebrando a molécula de DNA bacteriano



Mecanismo de Resistência

• mutação cromossômica do alvo do antibiótico no sítio de ligação nas topoisomerases
Agentes que inibem a síntese do ácido fólico
Sulfonamidas e Trimetroprim/Pirimetamina

-
são alotóxicos e destroem a medula óssea. Logo, administrados juntamente com acido folínico.


Uso de Antibióticos



• Terapêutico

–baseado em identificação do agente + TSA

–baseado em diagnóstico sindrômico e topográfico

–empírico – ex. Leucopênico febril. Tratamento empírico, c/ cobertura p/ Pseudomonas, senão morre.



• Profilático

–cirurgias

–endocardite, febre reumática, erisipela repeticão, ITU de repetição

Q
ual o melhor antibiótico?



1) Identificação do organismo infectante

M
etodologia para o diagnóstico dos Agentes Infecciosos


2) Teste de sensibilidade

Qual é o Agente Infeccioso?
Coco gram-positivo

Staphylococcus aureus Oxacilina/Vancomicina

β-Streptococcus grupos A,B,C e G Penicilina

α-Streptococcus (viridans) Penicilina

Streptococcus pneumoniae Penicilina

Enterococcus Penicilina + Gentamicina

Cocos gran-negativo

Neisseria meningitidis Penicilina

Neisseria gonorrhoeae Ceftriaxone/Quinolona
Bacilo gram-negativo

Acinetobacter spp Imipenem/ Meropenem

Brucela spp Doxicilina c/ Aminogl.

Campilobacter jejuni Eritromicina

Escherichia coli SMX-TMP/ AMX-Clavul / Cefalosporina 3a.

Haemophylus influenzae Ampicilina/ Amoxacilina

Legionella Macrolideo

Klebsiella/ Proteus Cefalosporina

Pseudomonas aeruginosa Quinolona/ Ceftazidima/ Cefepime/ Imipenem
Bacilo gram-negativo

Salmonella spp Quinolona/ceftriaxona

Shigella spp Quinolona
Anaeróbios

Streptococcus anaeróbios Penicilina

Bacteroides spp Metronidazol

Clostridium spp Penicilina
Espiroquetas

Leptospira, Treponema palidum, Borrellia spp Penicilina
3) História de alergia

Alergia ao antimicrobiano

penicilinas

– varia de rash cutâneo à anafilaxia imediata (0,2% de 10.000 tratamentos)

cefalosporinas

– em 1 - 7% dos pacientes c/ alergia às PNC

carbapenens

– contra-indicação relativa na alergia à PNC

sulfamídicos -

– eritema nodoso a eritema multiforme

vancomicina

– febre, calafrios, flebite de infusão, rash eritematoso (4-5%)


4) Idade




Idade Interfere na Ação do Antibiótico

RN - pH das secreções gástricas é mais ácido

–penicilina oral

RN - função hepática imatura

–cloranfenicol - síndrome cinzenta

–sulfonamidas - kernicterus

Crianças até puberdade

–tetraciclinas – remove o esmalte dos dentes

–quinolonas - pode retardar o crescimento

Idoso – diminuem função renal

– Aminoglicosídeos e Vancomicina – surdez no feto (Estreptomicina)



OBS: Antib. que não necessitam de ajuste pois possuem metabolismo hepático

Cefalosporina- atravessa BHE / Quinolonas- penetra em osso, próstata, bile



5) Doenças de base

Anormalidades metabólicas ou genéticas
• Deficiência de G6PD

- hemólise com o uso de sulfonamidas, nitrofurantoína, cloranfenicol

Diabetes em uso de Clorpropamida

- hipoglicemia com uso de cloranfenicol e sulfonamidas

Diabetes e uso IM de antibióticos

Rifampicina

- diminui a ação dos anticoagulantes orais, contraceptivos e barbitúricos



6) Gravidez




Uso de Antibióticos na Gestante
• Uso liberado - Penicilinas, Cefalosporinas e Eritromicina

Teratogênicas em cobaias - Metronidazol e Ticarcilina

Duvidoso - Quinolonas , Rifampicina e Trimetroprim

Uso Não Permitido - Tetraciclinas e Streptomicina

7) Gravidade da infecção

8) Função renal e hepática



Disfunção renal versus antibióticos

Não necessitam de ajustes

- Anfotericina B, macrolídeos, ceftriaxona, cefoperazona, quinolonas, metronidazol, etc
Necessitam de ajustes de acordo com função renal

- aminoglicosídeos, imipenen, vancomicina, etc


Não devem ser usados em insuficiência renal

- Sulfas de ação longa, nitrofurantoína, tetraciclina


Disfunção hepática versus antibióticos

Uso criterioso com monitorização:



- Rifampicina e Isoniazida

- Metronidazol,

- Cetoconazol

- Fluconazol

- Pirazinamida



9) Sítio da infecção
Muito importante para a escolha do antibiótico

Ajuda a definir o provável agente infectante, a via de administração e a dose.

- antibióticos que cruzam BHE, ossos, próstata , que alcançam a bile

- malha de fibrina de uma vegetação valvar, áreas de tecido desvitalizados.



Presença de corpos estranhos dificultam a ação do antibiótico
1
0) Características farmacológicas










©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal