Analec e os mercadores de liçÕES



Baixar 2.76 Mb.
Página22/37
Encontro24.10.2017
Tamanho2.76 Mb.
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   37

Para o texto: BELA POESIA (T2472200)


De: Doce Anjo

Apagar

01/09/2010 18:47

É assim que se faz, prezada Amélia. Quando me encontro perdido eu clamo assim também. No seu caso, não é perdido/a no mato como já me encontrei muitas vezes, mas a direção do clamor é um só: Nosso Deus. Muitas vezes me desesperei, entretanto em todas Ele me deu uma saída. E assim será contigo! O Senhor vai lhe abrir uma porta, por seu clamor, tenha certeza. Todos temos oportunidades, o momento chega e passamos a dar glórias a Deus. - indico-lhe meu poema: "ONDE ENCONTRAR...". Abraços e desejo-lhe tudo de bom - filósofo Luzirmil

Para o texto: PERDIDA ! (T2472862)


De: AMELIA FERRAZ

Apagar

01/09/2010 18:28

Amo, ler poemas sobre as flores. Seu soneto ficou lindo. Peço me indicar outros, pois não sei escolher. Já que estamos no assunto indico-lhe minha prosa poética: "A FLOR FEITICEIRA". Olha, gostei de te ler. Vou faze-lo sempre e comentar toda vez que receber algum seu. Abraços de Luzirmil.

Para o texto: Soneto da Flor (T1742490)


De: Emileine Rosa

Apagar

01/09/2010 18:21

Caramba, que tristeza, Sílvia! Publicaste esse conto em setembro de 2009 e só agora fui chorar! Seria um conto verdade? Bem, mudando de assunto, digo que gostei da nova foto. Ficou linda ao lado desse ramalhete de flores. Meus parabéns por tudo, e aceite um novo abraço apertado do Luzirmil, pelos teus lindos poemas.

Para o texto: CARTA MARCADA - (Conto Minimalista n.38) - Silvia Regina (T1819862)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

01/09/2010 18:13

Olá Regina. Pesquei-te na Sílvia e vim comentar o seu "MEU DESPERTAR" recordando que isso sempre me acontece, em outras linhas que não a do sono. As vezes fico "dormindo de botina", (como dizem num ditado) de repente me desperto, e vejo que o "trem passou". Ah! Mundo atrapalhado! O bom despertar do sono no amanhecer de um dia, descansado e com a mente pronta a compor um poema de enlevo à alma, como fizeste. Indique-me textos seus, como faz a Sílvia. Assim a gente vai direto até aos mais antigos. Falando nisso aponto-lhe um meu, com o título "O ALTAR DA VIDA". Publiquei-o assim que descobri o Recanto e gostaria que fosse lido e comentado por poetas e poetisas de renome, assim será lembrado por pessoas valorosas como você. Abraços e parabéns pelo seus labores literários.

Para o texto: Meu despertar (T2471561)


De: Regina Coeli Carvalho

Apagar

01/09/2010 17:56

Puxa vida Helen! É isso mesmo! Escondemo-nos nosso rosto da luz e damos as costas para a sombra, aliás, é ela que vem à nossas costas e nada podemos fazer! Faça-me uma visita em "A REBELIÃO CONTRA ÁZUR" e assim poderás me ajudar a dissipar as sombras que nos envolvem pelas costas. Se você for lá em minha "A MISERICÓRDIA DE DEUS" poderá me ajudar a aprimorar o arco-íris da eternidade. Desculpe-me pelas indicações, mas indique-me textos seus também, pois dou prioridades para ler os que indicam. Abraços

Para o texto: Só por hoje... (T2472717)


De: Helen De Rose

Apagar
01/09/2010 12:32

Eu logo imaginei, Sílvia. Por isto não fiz um contra-ponto observativo direto. Deixei a variante para o mal do inferno ser absorvido pela Paz de Deus e a beneficência das flores. Mas você diz passar por todas as mazelas do passageiro equinócio astrológico? Tem misericórdia, querida! Olha. Vou pedir a Deus para mudar a rota de seu destino, sé é que tens mesmo estes inconvenientes planetários. Sorrimos. É tudo festa, Silvia. Abraços.

Para o texto: SETEMBRO - (Série Pequenos Poemas n.154) - Silvia Regina (T2471031)
De: Silvia Regina Costa Lima

~~~~~~~~


01/09/2010 12:20

Boa tarde Vallerie. Belo conto. Belas palavras. belo enredo e muito bom de ler, já que há citações de seres superiores, cujo envolvimeto poético, é Deus purinho. Que tenhas sobre você as maravilhas angelicais do nosso Criador, e que um dia tanto você, com os os demais poetas e eu, sejamos anjos de Deus. Abraços a você querida poetisa e obrigado pelo breve, porém carinhoso comentário em minha página. Beijos afetivos e fraternos pra você.

Para o texto: "Era uma vez...um lindo Anjo..." (T2466854)
De: Vallerie

01/09/2010 12:13

~~~~~~~~

Setembro chegou junto à sua visita, cara Sílvia. Gostei do poema que define a entrada da primavera lá pelo dia 21 e consequentemente o término do INVERNO. Entretanto observando o F, do vocábulo em questão, no seu belo poema, que a meu ver teria em seu lugar um V, penso que o inferno não termina com a alinhamento das constelações, entretanto termina com o sossego dos nossos corações tendo a paz de Deus no tempo e perfume das flores. Parabéns Sílvia, inclusive pelas belas fotos. Na condição de um peregrino ambientalista, digo que aprecio muito, todas fotos que contenham flores. Abraços e beijos afetivos pra você.

Para o texto: SETEMBRO - (Série Pequenos Poemas n.154) - Silvia Regina (T2471031)
De: Silvia Regina Costa Lima

~~~~~~~~

01/09/2010 11:26

Oi, Nerah. Taxativamente você faz um desabafo contundente. Que

01

bom! A gente não tem coragem, mas tem os fortes nas letras, que não se delimitam, antes avançam, atravessando as trincheiras da política, combatendo a baderna desses senhores, nos quais votamos nossa confiança. Estou contigo, nessas colocações. Meu pai sempre dizia que as pessoas honestas sempre tem oportunidade de atirar algum dardo com urare na ponta, que uma hora poderá atingir o coração da desonestidade e eliminá-la. Parabéns por sua tentativa. Qualquer hora vou tentar também. Abraços e desculpe-me por visitá-la sem convite, mas achei o seu texto muito bom para esse tempo.

Para o texto: Serra: é espantoso o grau de delinquência na campanha de Dilma (T2472063)
De: Nerah01/09/2010 08:19~

Olá Cristina. Parabéns pelo seu “TALENTO, FAMA E FORTUNA”. Você me fez lembrar dos anos sessenta, quando um irmão meu e eu cantávamos modas caipiras nos circos e rádios AM do interior. Eu tocava viola, ou acordeão e ele violão. Éramos bastante solicitados para apresentarmos nossas artes musicais, inclusive cantando modas de nossa autoria. O tempo passou; tornei-me num peregrino, mas não deixei a música, inclusive ainda possuo minha velha harmônica, já que assim que desfizemos da dupla eu passei a pegar uns bailes pra tocar, pois eu dominava também o acordeão, o qual ainda uso até nos dias de hoje, porém atualmente só toco hinos de louvores a Deus. Obrigado por me fazer recordar. Aceite um carinhoso abraço do artista Luzirmil do passado e filósofo no presente.

Para o texto: TALENTO, FAMA E FORTUNA! (T2235491)
De: Cristina Jordano

~~~~~~~~


01/09/2010 08:00

Bom dia Helio. Eis-me aqui pra agradecer sua vista e indicar-lhe meu cordel "TEMPO DAS GARRUCHAS". Meus parabéns pelas "batidas do coração" e um grande abraço de amigo. Até.

Para o texto: AS BATIDAS DO MEU CORAÇÃO (T2445397)
De: heliojsilva

~~~~~~~~


01/09/2010 07:56

Muito impressionante, caro Rogério! É de se meditar. Veio-me a mente uma citação, não sei de quem, que reza o seguinte: Há mais mistérios entre o céu e a terra, do que traduz a real filosofia! Abraços e parabéns pela impressionante composição.

Para o texto: Até quantas vezes devo perdoar meus inimigos? - Jesus (T2449175)
De: Rogério Vianna

Apagar

01/09/2010 07:43

Cê tá doido, Renato! Que sufoco! Engraçado, ontem eu estive dando uma assistência num cliente em Sertãozinho, quando uma vizinha foi até o muro e começou a me chamar de tudo quanto era palavrão. Eu quis perder a esportiva, quando meu cliente disse. Essa mulher é louca, ó Luzirmil. Ela só não chama as pessoas que aqui chegam, de santo e rapadura. Ela é pirada e todo mundo já a conhece. Ninguém liga para o que ela profere. Mas digo mesmo, caro Renato, me deu uma vontade revidá-la com palavrões também. Mas rapaz! O seu "MEU SUFOCO" foi terrível. No fim foi preciso de você até mudar de coletivo! Caramba! Bem, mudando de assunto, quero mais uma vez enviar-lhe meus agradecimentos pela nova visita e indicar-lhe meu cordel "A CADELA E A MATILHA". Desculpe por indicar-lhe, mas como eu gosto de ler artigos que me indicam, penso que há também os que optam por isto. Aceite meu abraço de amigo e admirador. Até.

Para o texto: Meu sufoco (T2462649)


De: Renato Lima

Apagar

01/09/2010 07:24

Minha cara Djanira. As sublime palavras dirigidas a Deus, jamais deixam de receber uma resposta do céu. Sua bela oração grafada e publicada terá a cada dia, seu poder aumentado. Eu não sou enfermeiro, porém constantemente visito os hospitais de Ribeirão Preto, no sentido de captar sentimentos, ver e fazer amizades com algum paciente,pois tenho percebido através dos tempos, que por mais arrogante que seja uma pessoa, quando ela se encontra em estado de dor e sofrimento no corpo, tem um grau de humilhação que as nivelam com os mais humildes, como a classe dos peregrinos. Tenha certeza, Aridne, sua "ORAÇÃO DE UM ENFERMEIRO" foi recebida no céu e muitos lenitivos já chegaram à Terra depois de abril de 2010. Não tenho palavras para dignificar as suas, não só dirigidas a Deus, mas também aos corações que as valorizam. Para quem tem no poder das orações, a crença no desvio das metas do destino, que só Deus pode fazer, suas humildes palavras, indubitavelmente foram aceitas pelo Criador e Ele certamente já fez alguma mudança de roteiro na vida de alguém, que da tristeza passou a ter alegria. Parabéns e obrigado por me visitar. Indico-lhe: "VISITA A UMA PACIENTE". Trata-se de uma entrevista que fiz com uma jovem que havia despencado numa ribanceira quando não conseguiu frear sua bicicleta. Ela quase morreu. Bem, vou terminando por aqui, enviando-lhe um abraço fraternal - Luzirmil.

Para o texto: Oração de um enfermeiro (T2201690)


De: Djanira Campos

Apagar

01/09/2010 06:55

Ah! Malu, Como é bom ler seus versos! Aliás, aqui no recanto a gente lê tantas coisas boas que nem temos mais vontade pender nossa atenção a outros modelos de literaturas, tais como livros caros, jornais, revistas, etc. Lendo seu "O GRANDE AMIGO" me senti participante de um carinho que só podemos encontrar entre nós, os poetas. Ainda que somos ocultados pelo desconhecido popular, contudo, pelo menos eu, sinto-me realizado com o círculo de amizade que encontrei aqui. Olha, mais uma vez receba meus parabéns pela continuação de seu trabalho e pela comunicação atenciosa para comigo. Gosto de te ler e vou continuar, pois me enriqueço, participando de sua integridade intelectual. Abraços, minha querida colega.

Para o texto: O grande Amigo (T2468823)


De: malu Dab

Apagar

01/09/2010 06:35

Querida Ariadne, só nesta manhã tive um tempo para responder através do espaço dos comentários, às várias visitas recebidas de meus nobres colegas. Para tanto sempre leio alguns textos, pois além de me recrear com as colocações poéticas, adiciono à memória reais valores literários. Em "MINHA ALMA EXAGERADA", por exemplo, descobri que o exagero é uma constante onde o *pensamento tem suas variações, encontra dúvidas, onde há certeza; mente, quando avilta (vitupera), afinal o lastro do desespero se apóia em pontos abstratos onde é impossível pisar, ou seja, apoiar. O exagero tem em suas palavras as indefinições indefinidas, entretanto num colorido criativo percebido pela razão, do próprio *exagero da alma. Meus parabéns!. Olha, digo-lhe que fiquei contente com sua apreciação aos meus colocados. Diante de sua inteligênciasem exageros, porém íntegra para a poesia, convido-te a visitar "ALÉM DOS MEUS PENSAMENTOS" pois tem sido essa superioridade, um dos grandes fundamentos que achei em todos os poemas seus que li. São de uma inteligência aprimorada. Muito obrigado por nos oferecer suas belas palavras, e mais do que isso: Sua meiga e valorosa atenção, principalmente para comigo, um mero peregrino. Fique com Deus e até um próximo contato. Aceite um abraço afetivo bem apertado deste sonhador.

Para o texto: Minha alma Exagerada (T1970924)


De: Ariadne Cavalcante

Apagar

31/08/2010 07:42

Eu li um caso semelhante num email que amigos meu me enviaram sobre um antigo colega nosso da escola primária lá pelos anos de 56. Chamava-se Valdo (e ainda chama). Nos dias atuais ele é um grande advogado, mas só ganha causas divertindo o juiz, e até os jurados, mesmo em sérios sérios julgamentos no Forum onde atua. Na classe ande estudávamos sempre ele aparecia com alguma piada que ele mesmo bolava. Nosso professor era baixinho e um dia ele disse: o senhor deveria ser pedreiro, assim iria ganhar bom dinheiro, já que a moda agora é construir muros na altura de um homem. No caso do senhor, iria gastar menos tijolos e menos tempo para construí-los. Nosso mestre ficava fulo da vida com as piadas dele, que as vezes não tinha muita graça mas fazia o pessoal rir. Ah! Quanto aos medicamentos, vou seguir seu conselho, porém confiando em Deus, e crendo que seja uma permissão Dele. Abraços e parabéns pelo seu "UM FARDO DE FENO". Até.

Para o texto: Um fardo de feno (T2464491)


De: Rogério Vianna

Apagar

31/08/2010 07:11

Olá, Pedra Preciosa. não encontrei a sua frase da tal cara metade de que falaste. Mas encontrei outras. Você é nota dez.diz que é simplesmente Poetisa, mas deve ser doutora das letras e possuir outros valores a mais. Fiquei feliz com sua visita. Abraços e volte sempre. Visite-me em "A feiticeira". Até mais.

Para o texto: FRASES PARA AMORES IMPOSSÍVEIS... (T2371754)


De: Pedra Preciosa verde

Apagar

30/08/2010 21:21

Cê tá loca, Carmem! Falô bem i falô mar, mar falô do ovo! Sua crônica é mesmo humorística. Se eu não tivesse visto sua categoria, eu iria ficar pensando que a talentosa Cameron Bispo de Cárceres, moradora em Camboriú, seria uma poetisa da classe das intelectuais piradas. Mas o tal de ovo é misterioso mesmo. Fico a perguntar se Deus teria criado ele antes da galinha, ou a galinha primeiro do que ele. O certo é que os cientistas da saúde descobriram uma fórmula de fabricarem minúsculos ovinhos ativos, microscópicos, com a clara do ovo aviário e fazem as famosas vacinas *antigripais. Olha, parabéns pela sua humorística crônica do ovo. Desculpe-me por visitá-la sem convite e além disso encher seu espaço de comentário. Ah! quero dizer-lhe ainda, que já estive em Camboriú, com minha esposa e dois filhos, na época, em janeiro de 1978. Da lá fomos para Jaguarão, conhecer o sul do nosso querido Brasil. Até mais, querida Cameron. Abraços do filósofo Luzirmil.

Para o texto: O OVO (T2469032)


De: CAMERON BISPO DE CÁRCERES

Apagar

30/08/2010 18:04

Querida Djanira. No intuito de pagar-lhe sua honrosa visita, vim aqui para te conhecer; de início lendo as palavras de seu perfil, já encontrando nelas o alicerce de sua inteligência. Depois abri sua página de sonetos e li todos os três, captando neles uma variedade de pontos luminosos. Meus parabéns, ó nobre poetisa. Quero lhe agradecer por ter me pescado, como disse em seu comentário no meu versinho de hoje. Vou continuar lendo seus artigos, pois me senti de bem com os que li. Sempre gosto de indicar algum meu, assim, se lhe interessar visite-me em "A FLOR FEITICEIRA" ou meu cordel "JOÃO BOA VIDA" para sentires as penas de um poeta. Até.

Para o texto: MENINO DOS OLHOS VERDES (T1848780)


De: Djanira Campos

Apagar

30/08/2010 17:44

Gostei de sua prosa poética, caro José. É claro que existem outros mundos! Tanto assim que vários cientistas tem se empenhado em construir potentes instrumentos, sejam telescópios, sejam sondas, para visualizá-los. Mas vou deixar este assunto, para comentar as palavras intermediárias de sua prosa. Entendi que você fez um alerta sobre programas de TV, assim como enfatizaste as palavras ditas por Nosso Senhor Jesus Cristo, apontando um reino que não é deste Universo em que habitamos. Você está certinho, rapaz! Você crê que os ovnis existem e estão por aí! Isto é uma realidade, como realidade é também, a existência de um sistema energético vitalício, onde só há coisas puras, inclusive anjos, arcanjos e o próprio Deus vivo, como sendo uma magna estrela de tríplice poder, traduzidos na fórmula humana de pai, filho e ser, ou ainda: corpo:luz; vida: continuidade no existir; espírito: ação. Enfim, nobre colega, é isso daí. Desculpe-me, não quero lhe confundir, entretanto penso no que você escreveu pela ação de uma introversão de sua mente com a realidade do tempo-espaço presente, já que estamos numa escalada ascendente ao encontro da ciência maior que está nos domínios além dos horizontes dos eventos. Busque em meus e-livros e leia um roteiro de ficção "VIAGEM COM O SENHOR TEMPO"; e breve vou publicar: OUVINDO O FALAR DO TEMPO". Meus pensamentos, assim como os seus, certamente estão alinhados com alguma ciência futurâmica, ainda ignorada atualmente. Olhando sua foto, pisicologicamente percebo que sua inteligência é voltada para o futuro. Seus olhos já viram coisas, eu acredito. Eu não as tenho visto na vida real, porém vejo muitas nas vias da transcendência. Enfim digo-lhe que talvez não me compreendas por este comentário, mas procurei transmitir-lhe uma forma de pensamento alinhado à sua prosa, muito boa, por sinal. Abraços e sucesso pra você. Usei 1964 caracteres nesta redação, mas satisfiz minha vontade de comentar seus assuntos.

Para o texto: "Cuidado com o Quarto Poder...!" (T2468622)


De: José Tadeu Alves

Apagar

30/08/2010 08:24

Caramba! Seu "Gato Preto" retratou toda a amargar pela qual o rapaz passou! Coitado! O que será que houve para colocá-lo em outra dimensão? Meus parabéns, cara Nívea, pela bela, porém impressionante história. Mas falando em gato preto, para mim e minha esposa, sempre foram os melhores, mais amorosos e fiéis moradores, que eu e a Nita tivemos nas casas em que moramos. Todos chegaram a mudar conosco em alguma mudança que fizemos. Gatos dificilmente aceitam mudanças da casa onde moram, mas os pretos que tivemos aceitavam; gostavam mesmo era dos donos. No tocante ao azar, se existe o vocábulo, é por que tem seu fundamento, mesmo por que, o tal de azar é um antônimo de muitas coisas boas. Assim sendo, eles pertencem às mazelas da vida, que obrigatoriamente tem que existir. Ah! Muito obrigado por me visitar tantas vezes, continue. Vá lá em "João Boa vida". E volte em minhas páginas. Vou ler mais textos seus, depois comento. Abraços a você e aos seus entes queridos. Até.

Para o texto: GATO PRETO (T2445305)


De: Nívea Sabino

Apagar

30/08/2010 07:41

Um país sem memória, caro Bosco, acaba sendo um país sem história! Envio-lhe meus parabéns por suas colocações. Tem muita gente revoltada em nossa nação por verem as tradições serem legadas ao esquecimento, enquanto se aviva a desonestidade e ambição dos supostos dirigentes, que ficam se mostrando em áudio e vídeo de propagandas políticas e se esquecem dos verdadeiros méritos daqueles que se se dão pela nação. Certamente estamos a caminho do "amor próprio instintivo" onde só há o interesse pessoal! e que se dane o semelhante e suas memórias futuras! Quero lhe agradecer, caro irmão de letras, também pelas outras visitas feitas em minha escrivaninha e pelo carinho com que tens me tratado. Aceite um abraço fraterno deste seu admirador - Luzirmil. Até.

Para o texto: PRACINHAS – PAÍS SEM MEMÓRIA (T2457925)


De: Bosco Esmeraldo

Apagar

30/08/2010 07:17

Que bacana, Lilu! Para um literário que tem vontade (pois escrevo sem saber profundamente) de aprender como eu, fiquei encantado com sua evasiva explicação gerundiana. Muito obrigado por isto, e mais ainda, por ter me enviado um comentário com alta performance de sinceridade! Puxa, vida! Você é nota dez! Muito obrigado mesmo, querida, por ter tirado seu precioso tempo para ler meu tratado particular sobre o C.E.U.. Olha, você sabia que crer em Deus é uma indefinição? porém...penso que indefinição também é não ter uma convicção! Admiro aqueles que tem uma, seja para crer ou duvidar. No meu caso é para crer, ainda que sob a sombra da descrença. Meu pai certa vez me disse: "Filho, se você ver um carneiro gordo de lã ao lado da estrada onde estiveres passando, e ao chegar em alguma comunidade alguém lhe perguntar se viu tal animal, cheio de lã, diga o seguinte: "Vi um sim, do lado de minha visão continha lã, do outro, porém, como não vi, não sei se havia". Aquilo por que poderia ter ocorrido de alguém ter começado a tosá-lo e por algum motivo parara para terminar depois e o animal fora para a beira da estrada. A sinceridade perfeita abrange os procedimentos de só dizermos a verdade e crermos naquilo que vemos. Mas cá entre nós, Malú: É compensador, nas horas em que nossos sentimentos estão em baixo nível, buscar um refúgio transcendente, não é mesmo? Eu sou mestre em fazer isso. Sou muito sentimental e as vezes, até uma palavra que ouço me joga numa fossa danada! Mas ali vou eu, dobrar meus joelhos, (cumprindo assim o que está escrito, que "diante de Deus todo o joelho se dobrará" - Não compreendi bem tal sentença, mas deve haver um fundamento voltado para a humildade) e pedir consolo a Deus. Olha, minha querida mestra. Gostei do trocadilho em seu perfil. Gostei de tudo, até seu sincero sorriso da foto. Aceite um abraço de um veterano das letras, mas que entende pouco sobre o arranjo delas. Até.

Para o texto: Gerundismo (T2459221)


De: lilu

Apagar

29/08/2010 22:43

É verdade, cara Igínia! Quando um homem, que se considera forte, descobre um trinco de fraqueza em seus atos, ele perde 50% de sua infragilidade. Experiência própria de alguém que ao se mirar no espelho da vida sentiu que ela era tão vazia, quanto a segurança de seu poder de viver! Abraços do filósofo Luzirmil

Para o texto: Fraquezas (T2467296)


De: Igínia Lima

Apagar

29/08/2010 22:33




1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   37


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal