Analec e os mercadores de liçÕES



Baixar 2.76 Mb.
Página21/37
Encontro24.10.2017
Tamanho2.76 Mb.
1   ...   17   18   19   20   21   22   23   24   ...   37

Para o filósofo, a voz da consciência é uma espécie de ponteiro, que além de apontar, pode perturbar nossa cabeça ao nosso travesseiro, atrapalhando nosso sono. Suas bem colocadas palavras me abriram as portas para lhe enviar este comentário, a princípio lhe dando os parabéns, não só pelas palavras relativas à consciência, mas também aos demais textos seus que li; inclusive as palavras de seu perfil. Me senti honrado com sua visita, ó querida matogrossence! Estive em Três Lagoas algumas vezes, porém na década de oitenta, portanto já faz um bom tempo, mas vivi bons momentos na região a partir de Andradina. Tive apenas um mal estar na travessia da barragem, num de meus retornos, quando sem perceber, acelerei o carro um pouco mais, ultrapassando o limite de velocidade, ocorrendo de ao chegar na base da Polícia Rodoviária Federal, ali do lado paulista, estavam me aguardando com armas pesadas e malducamente me disseram palavras que me fez ficar revoltado. Eu lhes disse que me faltara um pouco de atenção nas placas de velocidade, e assim passou dos sessenta, pelo que me disse um dos policiais, com cara de matador: nós também podemos ficar desatenciosos e desferir alguns tiros em você! Fiquei fula com aquilo; mas engoli, desejando dar parte aos superiores, pois na qualidade de jornalista a gente não consegue ficar numa boa com fatos como aquele. Mas no transcorrer dos quilômetros aos poucos fui refrescando a idéia e me contentei em escrever apenas uma contundente crônica num de nossos jornais. Mas depois fiquei com a consciência presa nas palavras, pois poderia haver alguma represália, por parte dos agredidos por minhas letras. Mas tudo passou, entretanto te lendo hoje me recordei das peripécias nas regiões de Andradina e Três Lagoas. Aceite um abraço do filósofo Luzirmil. E se quiser me visitar mais, vá lá em "CORAÇÃO FIRME" ou "COMO CONSEGUIR RIQUEZA". Até.

Para o texto: CONSCIÊNCIA! (T2262976)


De: Angel Mag

Apagar

05/09/2010 06:20

É Patrícia. Alguns vocábulos dão origens a tantas coisas. Parabéns. Eu por exemplo, se for colocar aqui o mundão véio de coisas que já manuseei, dois mil caracteres não dá nem pro cheiro. Mas tem coisa que a gente tem que cortar no princípio,pois a coisa pode se alastrar e se tornar numa coisa fora de série. Abraços pela criatividade, coisas simples, mas difíceis da gente atinar em escrever. Visite-me. Hoje coloquei um cordel completo "ZECA LADÃO" com um bom casamento ao final. Abraços a você e ao povo de Olinda.

Para o texto: A coisa (T2479223)


De: Patrícia Correia

Apagar

04/09/2010 22:13

Isolda, Kalena disse que seu sorriso a cativou. Mas onde está ele? quero ser cativado também, ora! Vejo na foto, apenas as pernas de um/a caminhante descalço. Até parece eu, em tempos que peregrinava! Eu só vivia andando a pé pelas estradas desertas! Desculpe-me pela brincadeira do sorriso. O importante aqui no RL são suas letras, montando palavras que traduzem seu talento e dignidade. Visite-me em duas formas de ficar rico: "COMO ENRIQUECER" e "COMO CONSEGUIR RIQUEZA". Se você já é rica, poderá a partir dali começar a repartir, pois ficar mais rica ainda não é uma boa, não. Poderás também me visitar no poema "CÂNTICO PARA A NOITE" e depois evidentemente, me enviar um comentário, uai! Abraços de Luzirmil.

Para o texto: PSICOLOGIA JURÍDICA - ESTUDO INICIAL 001 (T1494217)


De: Ysolda Cabral

Apagar

04/09/2010 21:44

Li seus cinco pensamentos e me quedei neste: "O HOMEM VERDADEIRO". Só mesmo quem tem o dom da verdade, circundada pelo poder do caráter, para se equilibrar na corda bamba do mundo em que estamos vivendo, caro Dalmo. Antes de qualquer assunto, dou-lhe meus parabéns pelo talento poético que possuis, além, é claro, de ser inclinado também para literaturas diversas. Falando sobre nossa cidade, eu já estive em seu bairro algumas vezes. No meu caso, faço morada nas imediações Jardim Mosteiro, bem ao alto do grande bairro Campos Elíseos. Eu era de Franca, vim com meus pais para Ribeirão em janeiro do ano 1970. Aqui me casei e tenho vivido uma vida simples. Trabalhei como técnico viajante vinte anos na 3M DO BRASIL, vindo a me aposentar, mas trabalhando ainda, hora como voluntário ecológico, hora para ganhar alguns trocados, pois o benefício é irrisório. Quanto a escrever, faço-o autodidatamente desde os meus dez anos. Acredito que minha alma se enlaça com a poesia da vida. Já escrevi muitos livros, embora tenha editado e publicado apenas 25, isto por que, após encontrar o RL, perdi a vontade de escrever livros, o que sempre foram minhas reportagens de minhas aventureiras viagens e crônicas da vida real. Afinal nunca auferi lucros com a venda deles; entretanto, gastar sim, mais de trinta mil reais em poucos anos, e só doando livros, já que isto tem satisfeito minha vaidade de escritor. No RL gasto menos e sou mais lido, além de ler muito, também gratuitamente. Olha, qualquer dia destes poderemos nos encontrar por aqui e comentar verbalmente nossas letras. Se quiser passar-me seu email envie-me pelo meu contato no RL. Abraços a você e aos seus entes queridos.

Para o texto: O Homem verdadeiro... (T2248797)


De: Dalmo arraes

Apagar

04/09/2010 21:11

Boa noite Stella. Vim ler o seu: "DE POETA E LOUCO,...TAMBÉM QUERO UM POUCO). Parabéns, achei-o muito elegante e nada de louco, entretanto muito lindo, extraído da inteligência de uma artista das letras. Bem, geralmente só leio textos sob indicação de seus autores, mas de vez em quando tiro um tempo para ler os que pesco nos comentários de alguns já meus conhecidos poetas. No seu caso, acho que é o segundo comentário que lhe envio, pois me parece já ter recebido algum seu também. Hoje escrevi um longo cordel, porém em seriado para não cansar o leitor. Dei-lhe o título de "ZECA LADÃO". Vá lá e mande-me algumas palavras e indicativos para que eu possa ler seus textos com mais direção. Abraços.

Para o texto: De poeta e louco...também quero um pouco (T1609503)


De: Stella Bernardes

Apagar

04/09/2010 21:00

Olá Edson. Lindo cordel, que ao final me fez lembrar de um meu que também tem uma cadela no enrosco1 Faça lá uma visita em ("A CADELA E A MATILHA") Se puder indique-me mais textos seus, pois sob indicação a gente vai direto nas preferências do compositor. Abraços, caro colega.

Para o texto: PAPAGAIO FOFOQUEIRO (T2478640)


De: Edson dos Santos

Apagar

04/09/2010 20:53

Poema solto, mas com profundeza clássica, ó nobre Ivan. Suas palavras bem colocadas com vocábulos de nobreza erudita, soaM como o badalar de um sino afinado no alto de um campanário, repercutindo no entardecer, a melodia da saudade. Eu poderia dissertar aqui, com mil palavras, a formosura literária de seu poema, mas basta você saber que a apreciação dada por quem entende é nota dez. Abraços, caro amigo, e se gostar de cordel, indico-lhe um meu, de hoje, composto num seriado, cujo título é Zeca Ladão. Peço indicar-me literaturas suas, para que vá direto nas de sua preferência. Caso queira me visitar também em "O MENINO DO RIO E A BÍBLIA) ficarei feliz. Um abraço a você e a todos os cidadãos de Catalão, onde estive por diversas vezes. Até.

Para o texto: UM POEMA É UM MISTÉRIO... (T2478634)


De: IVAN CORRÊA

Apagar

04/09/2010 12:57

Olhar triste beleza na alma! Vim te ler por sua indicação na página do venerável Tristão. Entretanto acredito que quem compõe uma poesia a altura da que criaste, "TRISTES OLHOS TRISTES" Precisa alegrar o olhar. Ah! mas eu também passei por isto, leia em "A FLOR FEITICEIRA" e veja, através do assunto o quanto de tristeza houve em meu olhar, por algum tempo! Indico-lhe tal leitura, como também os seis capítulos do cordel que escrevi hoje: "A VIDA DE ZECA LADÃO). Alegra-te ó Maria do Céu! Sua benção virá logo, do C.E.U. (Círculo da Eternidade Universal) Um existente arco-íris ao qual futuramente nos integraremos como seres celestes que seremos. Abraços do filósofo Luzirmil.

Para o texto: Tristes olhos tristes (T2459019)


De: maria do céu cunha

Apagar

04/09/2010 10:03

Ora! Não acredito que uma simples lagartixa causou-lhe tanto medo! Pensar que eu as pego na mão, porém não pelo rabo, pois um dia ao tentar fazer isto ele ficou e ela foi embora! Mas as histórias das lagartixas são boas. Era uma uma vez... uma cobra e uma delas conversavam sobre as perseguições pelas quais a serpente passava, pois todos que a viam logo queriam matá-la. Sendo que única coisa que havia era o medo do veneno da cobra, que segundo ela não matava ninguém, era a auto sugestão que fazia mal. A lagartixa não concordava, por conseguinte a cobra quis fazer uma demonstração, assim combinaram: As duas ficaram escondidas à beira do caminho e a primeira pessoa que ali transitou a cobra picou e a lagartixa saiu correndo pelo caminho. Tal pessoa vendo que era uma lagartixa nem ligou. Passando, depois outra pessoa a lagartixa mordeu e a cobra saiu serpenteando pelo caminho, no entanto a pessoa logo morreu! A lagartixa então concluiu que o susto é a auto sugestão é que matava! Ah! você já deve saber dessa história! se não não teria medo de lagartixa! Abraços.

Para o texto: A LAGARTIXA E EU (T1903890)


De: Ysolda Cabral

Apagar

04/09/2010 08:50

Lindo poema, Dalmo. As estrelas também me encantam. Sua colocações nesse soneto, tem algo de misterioso e transcendente. Lido por um filósofo,ele irá encontrar vestígios da inteligência divina nas mínimas obras e composições primárias, entretanto revestidas de uma fundamental inteligência, esta, nesse tempo, transcrita no papel através de suas meditações poéticas. Meus parabéns, nobre colega. Precisamos nos encontrar, afinal moramos na mesma terra, e não é tão grande assim. Pena que nossa cidade está mergulhada numa intensa fumaça...fumaça mesmo! De tudo que se queima por aqui. Penso que nossos pulmões não vão aguentar muito tempo, se não chover para anular um pouco esses nefastos poluentes, que por ser Ribeirão uma cidade de baixada, não tem ventos para dissipá-los. Vamos ver como fica para ver como estará! Abraços a você e a seus entes queridos, caro Dalmo. Até.

Para o texto: Euvoluindo... (T2471983)


De: Dalmo arraes

Apagar

03/09/2010 19:33

Tu não é fácil, caro tristão! Nunca me passou tantas coisas sobre o pé. Pesquei-te na Ysolda, num comentário seu sobre fogo!...fogo!... Quando a mulher apanha do marido e sai gritando! Achei naquilo uma piada tão boa quanto a da Ysolda, sobre o bombeiro frustrado! Parabéns caro Tristão. Faço questão que me visites. Será uma grande honra. Vá lá, num cordel meu "A CADELA E A MATILHA" ou "O ARTISTA". Indique-me algum seu também, assim poderei ler com mais atenção. Abraços, nobre colega de letras.

Para o texto: O PÉ (T2476680)


De: Tristão de Alegrette

Apagar

03/09/2010 19:20

Olá Ysolda, você foi fazer um comentário na página de um poeta que gosta de escrever! Cliquei em seus textos de humor e encontrei um divertido conjunto de frases humorísticas, entre elas, duas, que me incentivaram a digitar este: foram os casos da dentadura e do bombeiro. Bem, venho agradecer-lhe pela preciosa atenção ao meu recente cordel, o qual, para não cansar o leitor, pretendo publicá-lo capitulado, isto é, repartido em diversos textos. Contudo pretendo levar um entendimento terminante para cada capítulo, isto para, caso leitor interrompa a leitura da série, não fique insatisfeito. Quanto ao fato de eu gostar de escrever cordel, talvez seja (embora eu tenha nascido ao sul do estado de Minas) por ter um coração nordestino, pois sempre fui um grande admirador desse povo sofrido, porém honrado. Tenho muita vontade de conhecer Recife. Em Julho de 2009 estive por vinte dias em Petrolina e região, onde fiz amizades, (pelas minhas contagens na reportagem da viagem) com cerca de 780 pessoas. Eu sou do tipo que basta alguém me olhar respeitosamente eu já procuro tê-lo como amigo. Assim estive em Lagoa Grande e diversas cidades, descendo pelas margens direita do São Francisco. Comecei por Sobradinho, Petrolina, Lagoa Grande, etc. Contudo não consegui chegar em Recife. Mas graças a Deus, Recife veio hoje ao meu encontro na tela de meu Tino (meu PC) sobre as asas de seu site, no Recanto. Olha, Ysolda, fiquei muito contente em receber sua colaboração comentarista. Foram poucas palavras mas encheram meu coração de alegria! Muito obrigado, nobre Poetisa. Vou ler mais textos seus, e se não ficar magoada com este, lhe escreverei outros, comentando poesias e outros colocados literários seus. Envio-lhe abraços fraternos para você e seus entes queridos. Até.

Para o texto: SESSÃO BESTEIROL (T2458495)


De: Ysolda Cabral

Apagar

03/09/2010 15:58

Gostei de seu pensamento, professora Malu. Você sabia que Deus está em tudo e em todos? É claro que sabe. Sua frases denotam essa grandeza de alma que possuis. Obrigado pela visita. Ah! quanto ao cordel seriado, estou criando-o a pedidos, com passagens de minha vida real. Na verdade o tal de Zeca Ladão não passa de ser eu mesmo, lá pelo início e até o sexto ano da década de sessenta, quando vivi alguns anos fora da casa de meus pais para ter a experiência do mundão. Foi um tempo difícil, porém divertido...Vá lendo e dando suas notas. Abraços.

Para o texto: Espiritualidade (T2464081)


De: malu Dab

Apagar

03/09/2010 03:22

Só mesmo com a esperança de que um dia tudo vai mudar, caro Helio. Seu soneto nos leva a sonhar com uma sociedade mais justa e até um mundo melhor. Penso que esses conceitos deveriam ter dos governos uma atenção mais profunda, principalmente na área da saúde. Tenho feito algumas reportagens em pronto-socorros e outros pontos de atendimentos humanitários e percebido a angustia das pessoas, seja na espera de serem atendidas, seja na falta de recursos por parte das instituições atendentes; enfim, quem não tem um plano médico passa por muitas aflições, quando não, dores e mal estares pela espera de algum socorro. Seu "SONHANDO COM DIAS MELHORES" também faz parte de meus sonhos. Ah! mas acredito que dias piores virão. Não devemos ser pessimistas, porém a cada dia, com o aumento da carga poluente e a diminuição do ar respirável a coisa está é ficando preta, meu caro Helio. Mas fazer o que? Estamos num barco sem segurança, num mar, cujas ondas estão se levantando pela tempestade da ambição e do amor próprio. Este está cada vez mais valorizado pelos usineiros e produtores de petróleo, que sob a tendência das pessoas em dirigir carro, moto ou caminhão, dão suas manutenções a partir da produção de combustíveis. As queimadas e indústrias tem gerado uma fumaça na qual o horizonte já se tornou invisível. A sujeira da atmosfera, sem dúvida, está gerando as mazelas das doenças. Só nos resta aguardar, com nossos pulmões sentindo a contundência da falta de ar puro, um desfecho, que certamente será infeliz. Que Deus tenha misericórdia da humanidade e nos prepare uma rota para dias melhores. Abraços a você e aos seus entes queridos. Até.

Para o texto: "SONHAMOS COM DIAS MELHORES" (T2395702)


De: heliojsilva

Apagar

02/09/2010 19:07

Que linda oração, cara poetisa Maria Aparecida! Oh! nome! Se você tivesse outro sobrenome eu diria que terias o apelido de Cidoca, diminuindo mais ainda, para Doca. Desculpe-me, pela brincadeira, querida. É que em décadas passadas tive uma noiva com o mesmo nome seu, porém todos a chamavam de Doca. Nosso noivado terminou por motivos inexplicáveis, pois tanto ela como eu, nos correspodíamos afetivamente. Acho que era a rota do destino que tanto enfatizo em meus pensamentos publicados no Recanto. Mas digo, cara Maria Aparecida, seu nome tem algo de precioso e profundo sentimento divino, pois engloba dois nomes venerados pelos fiéis seguidores de Jesus Cristo, cuja mãe chamava-se Maria. Olha, senti-me honrado com sua visita e assim sendo, indico-lhe mais publicados meus para que ao ler algum venhas novamente fazer o seu comentário. Vá lá em "O MENINO DO RIO E A BÍBLIA". Há também um cordel: "AS MARGENS CALCINADAS". Peço mil perdões por minhas colocações sentimentais dos anos sessenta em sua página. Caso se sinta ofendida apague, entretanto queira receber meus sinceros votos de felicidades na vida e sucessos no Recanto.

Para o texto: Me proteja Senhor ... (T2469817)


De: Maria Aparecida A da Silva

Apagar

02/09/2010 18:41

Olá Dr. Márcio. Vim aqui para lhe agradecer pela nova e prestimosa visita e dar-lhe os parabéns pela publicação desta magnífica "PALAVRAS DE SÁBIO". O que mais encanta um filósofo é ler colocações que transcendem às comuns. Vemos que tudo em nosso mundo tende a declinar para o rasteiro, obedecendo a lei da gravidade, inclusive a social, que foi deixada por Deus como forma de relacionamento humano. Entretanto tal gravidade, atualmente perdeu a força do caráter e com isto se igualou com as coisas baixas da terra! No parágrafo final de seu "PENSAMENTOS" o leitor encontra pontos a ponderar, isto fazendo, colheremos sadios frutos da filosofia divina, proferida por Nosso Senhor Jesus Cristo na maioria de Seus ensinos. Abraços pra você e a todos seus entes queridos, caro Márcio. Visite-me em "UM TEMPO MAU". Bem, paro por aqui. Até outro, ó erudito amigo.

Para o texto: PALAVRAS DE SÁBIO (T2418624)


De: MÁRCIO GOMES

Apagar

02/09/2010 12:56

Muito bem. Devolver o que nos é devido é sempre o certo! Cobre mesmo, Linny. Muito belas suas palavras exigentes, compostas certamente com razões de sobra! Parabéns. Abraços de Luzirmil - visite-me em "A flor feiticeira".

Para o texto: Devolva-me (T2474285)


De: Linny

Apagar

02/09/2010 12:04

Parabéns por todos os poemas seus que li até aqui, ó cara Margareth. Parei neste, "O CÉU É REAL" para lhe enviar meu comentário de agradecimento pela nobre visita feita em minhas páginas. Parabenizo-lhe também por eu ter encontrado em todas as suas literaturas, palavras que dignificam a Deus, que embora não vemos, mas cremos, ainda que seja uma crença não fundada na percepção material, porém na visão do pensamento esperançoso, de que haverá uma transcendente vida a nos enlaçar futuramente. Envio-lhe meus efusivos votos de amizade e consideração. Aceite um abraço fraterno do filósofo Luzirmil. Até.

Para o texto: ***O céu é Real*** (T2373058)


De: Margareth D S Leite

Apagar

02/09/2010 11:44

Puxa, vida! Vanessa! Seu perfil deu-me um diagnóstico completo de sua pessoa. Encontrei-te em minhas páginas, pelo que me vi no dever de procurar seus textos e através de um deles, lhe enviar meu primeiro comentário. Lendo todo seu perfil, como primeiro achado, senti-me enriquecido por sua prestimosa visita. Confesso que além do enriquecimento advindo de tão eclética e valorosa pessoa, me vi em vias paralelas às suas palavras, no tocante aos meus procedimentos de vida! Para tanto indico-lhe "A BIGRAFIA DE LUZIRMIL" no sentido de que tenhas as coordenadas para o conhecimento deste autor, que não passa de um peregrino em terra estranha, mesmo aqui na Internet. Meus parabéns pela nobre descrição de sua maneira maravilhosa de ser. Comportas em ti todas as filosofias de vida, nas quais também procuro me nortear. Reforço suas palavras em relação ao caráter, que no meu entender é o dom mais precioso que possuímos. No fim arremataste dizendo acreditar no destino, entretanto mais em Deus. Isso é muito bom, pois eu também acho que tudo está predestinado, mas por ser Deus, mais forte do que o Destino Ele pode mudar seu traçado, ou querendo, ou ouvindo nossas humildes orações; único poder dado aos homens, mas até hoje não compreenderam o fundamento desse fator. Olha, não sou religioso, porém tive da parte de Deus a convicção de Sua existência, sempre lastreada nas magníficas obras da natureza, que o acaso jamais poderia arranjar. Bom, vou terminando, dizendo-lhe que tenho por costume escrever longos comentários, isto talvez por gostar de ler os longos que também recebo, desde que estejam dentro da ética e do carinho que cada um de nós, poetas, merecemos. Envio-lhe um respeitoso abraço o qual deverás repartir com seus entes queridos. Até.

Para o texto: Eu? Quem sou eu? (T1285978)


De: Vannessa Adriana Butterfly

Apagar

02/09/2010 03:46

Eram lindinhos! Pela disposição e aparência dessas inocentes bonequinhas, o poeta vê, através do prisma colorido de sua vivência, a quantidade de amor materno que há em seu coração de mãe, de professora e além disso de poetisa carismática. Parabéns, professora Regina. Quanto a localizar textos de algum autor, há duas maneiras:Clic em textos e escreva o título no espaço que surge, a seguir clic para abrir a página, certamente aparecerão diversos títulos iguais, pois há muitas composições com nomes idênticos. Você deve procurar o nome do autor, no nosso caso: Luzirmil. Então no que lhe indiquei seria O ALTAR DA VIDA - Luzirmil. Bem, posso lhe indicar outros, poemas em cordéis rimados: (O AMOR E O VINHO),(BANCOS, CARRO E CP), Etc. Outra forma de procurar é clicar em autores e buscar o título na página do dito cujo. Abraços e obrigado pela atenção.

Para o texto: Minha criança (T2467484)


De: Regina Coeli Carvalho

Apagar

01/09/2010 20:35

Merecidos parabéns a tão belo soneto de amor! Pesquei-te na Sílvia e vim aqui te ler, nobre colega Arminda. Deus te abençoe sempre, e visite-me também. Indico-lhe meu sentimental poema "LUZ DE SONHOS". Abraços afetivos de Luzirmil.

Para o texto: O TÓQUE DAS TUAS MÃOS (T2472749)


De: Arminda

Apagar

01/09/2010 20:26

Epa! Cliquei em textos, e de repente apareceu Doce Anjo. A Internet tem dessas coisas, ou o meu TINO (nome do meu PC) está pirado! Seja como for. Para um peregrino, cuja experiência de vida tem relatividade com as coisas transcendentes, faço aqui um comentário, mesmo por que vai para a poetisa de uma cidade que me foi mui querida na década de sessenta, quando morei solitariamente por um ano, nos escritórios de numa fábrica de tacos (TACO BRILHO LTDA.) situada à rua rio Grande do Norte *número quinhentos e poucos; se não me falha a memória era 532. Na ocasião compus meu primeiro livro "CALENDAS DE UMA VIDA", além de um glossário composto de um longo cordel, haja vista minhas preferências em ler João Ferreira de Almeida, na época. Desculpe-me venerável poetisa - Doce Anjo - Parei aqui em sua "BELA POESIA" mas foi ela que apareceu em meu monitor, me chamando a atenção. Bem... visite "BIOGRAFIA DE LUZIRMIL" e assim terá minha identidade. Sou um peregrino poeta, sofrido, porém sentimental, embora tendo 66 anos, mas tendo ainda a vaidade de escrever poemas e literaturas diversas, pois as letras tem sido minha paixão através dos anos! Abraços fraternos a você, seu marido e demais entes queridos de sua estima. E visite-me por favor. Vá em minha crônica "O BODE VELHO" e divirta-se com a viagem de um peregrino ao nordeste da Bahia!




1   ...   17   18   19   20   21   22   23   24   ...   37


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal