Analec e os mercadores de liçÕES



Baixar 2.76 Mb.
Página2/37
Encontro24.10.2017
Tamanho2.76 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   37

Uau! Lendo seu texto pude entender! Em breve vou escrever meus sete fatores e sete amigos. Aguarde. Fui tomado de uma forte gripe em minha viagem para o Sertão Veredas, e enquanto não passar a dor de cabeça e a febre, não estou tendo ânimo para pensar e escrever. Muito obrigado querida Fernanda, por me relacionar entre seus sete amigos, mas acredito que tens centenas deles. Abraços.

Para o texto: JOGO DOS SETE (T2641799)


De: Fernanda Xerez

Apagar

04/12/2010 17:23

Junto minhas palavras com a dos nobres colegas, parabenizando a Neusa pelo aniversário e a você pelo empreendimento. Você esteve ausente e senti sua falta Neusi, embora eu também tenha ficado ausente por oito dias. Agora estou aqui, porém fui acometido por uma forte gripe por ter me molhado com muita chuva fria. Estou escrevendo aqui, mas com muita dor de cabeça e febre. Assim que me recuperar, voltarei a escrever meus textos. Um carinhoso abraço a você e a Neusa.

Para o texto: Feliz Aniversário Minha AMIGA Querida, Neusa Staut (T2652505)


De: Noeli Lazarotto

Apagar

04/12/2010 17:16

Oh! Que bom que tenhas se lembrado da Dolce Bárbara. Envio-lhe efusivos votos de um feliz aniversário e meus parabéns a você, cara Noeli, por este carinho que dispensas com todos nós. Estava com saudades de ti. Um grande abraço a você.

Para o texto: Parabéns Amiga, Dolce Bárbara, Feliz Aniversário! (T2652503)


De: Noeli Lazarotto

Apagar

03/12/2010 20:04

Boa noite, querida Mara. Vim aqui retribuir-lhe a visita, dizendo-lhe que mereces meus parabéns. Li diversos textos seus e achei a inteligência em palavras. São muito bons, esse do Salmos sempre me encanta, haja vista minha condições de ser um "CONVICTO". E o Cachoeiro do Roberto? Estive em sua cidade em 2007, fiquei encantado com as jazidas de mármores nessa região. Daquela minha passagem por Espírito Santo escrevi uma reportagem com o título "O VALE DAS CORREDEIRAS", em razão de ter feito um trajeto às margens de um rio corrente, até chegarmos num ponto alto, numa indústria de mármores; dali fomos para Cachoeiro do Itapemirim, onde pernoitamos. Quanto a escrever, também não sou bom nisso não, mas o editor do RL ajuda um pouco. Toda vez que aparece um traço vermelho sob a palavra eu verifico no que errei e reedito-a. Um abraço apertado pra você, minha querida, e mais uma vez parabéns por escrever.

Para o texto: MEU SENHOR. (T2049496)


De: mara

Apagar

03/12/2010 19:40

Ah! Tenho um livro de 200 páginas com o título: "OUVINDO O FALAR DO TEMPO". Já que nesse poema, cujo título é: "TEMPO" eu poderia lhe enviar (gratis) um exemplar pelo correio. É coisa de Louco! O Tempo é um velho, que tem duas filhas: Uma chama-se Ciência a outra, Comunicação. Seus interlocutores são cinco rapazes que desejavam descobrir os mistérios ambientais de um Rio, onde existe uma ponte natural, misteriosa. Há a lenda de que, se um homem ou mulher mergulhar nas águas que entram no solo, ao sair na desembocadura de afloramento das águas, se for homem, se tornou mulher, se for mulher se tornou homem. Mas os rapazes conseguiram descobrir outros segredos... mas que ainda persiste em nosso mundo. Bem, vamos ao meu agradecimento, cara Menina Descalso. Muito obrigado pela visita à minha página no RL. Volte mais vezes, viu. Um abraço e encantos mil pra você! Meu contato é icopere.literdivi@gmail.com

Para o texto: TEMPO (T2607602)


De: Menina Descalça

Apagar

03/12/2010 19:19

A secretária estava mais do que certa!! No entender dela, é claro. Olá Elenite. Obrigado pela visita. Cheguei agora a pouco, da viagem ao Sertão Veredas, onde pude servir dezenas de "copos d'água" para pessoas sedentas. Pude cumprir a Mensagem de Cristo que diz: AQUELE QUE DER UM COPO D'ÁGUA PARA UM DE MEUS PEQUENINOS NÃO PERDERÁ SEU GALARDÃO! Elenite quero lhe agradecer pela visita e dizer-lhe que já liberei meus comentários da moderação, pois quando faço minhas viagens, em razão de alguns comentários maldosos que porventura me enviam, eu opto pela moderação. Um abraço, minha querida poetisa.

Para o texto: sr. Gustavo Ioschpe e a secretária virtual iletrada. (T2624132)


De: elenite araujo

Apagar

03/12/2010 19:05

Comovente, prezada Solzy. Talvez não conseguiram encontrar o bandido do amor por ele ter achado as sentenças muito longas. Mas vão acabar encontrando-o e você o terá ao seu lado. Mas penso que vai enjoar, pelo tempo estipulado pelo Juiz. Olha miito obrigado pelo comentário. Vou tentar entender esse negócio de sete, não sei o que. A Fernanda Xeres também me pediu pra participar nessa tal contabilidade. Vou entender e depois lhe escreverei, mas desejo participar de tudo que for bom no recanto. Olha eu viajei oito dias, e por isto deixei minha página de comentários para ser moderada, mas a partir de minha estada em casa os comentários já serão publicados na hora que forem escritos. Vamos nos comunicar, sobre os sete. Eu não gosto é do número 6. Envio um abraço apertado pra você e a cada um dos seus entes queridos.

Para o texto: O amor e o acidente... (T2226511)


De: Flor da Vida

Apagar

03/12/2010 18:52

Oi querida Fernanda. Muito linda mensagem de oração. Ouro é valor, assim como também é de grande valor as instruções do Senhor. Acabei de chegar de uma longa viagem; assim que coordenar os arranjos por eu ter me ausentado de minha na cidade.lhe escreverei mais. Já suspendi a moderação de comentários, pois estando aqui posso examiná-los na hora. Paz dos céus pra você, e vou ver se entendo o tal de sete, não sei o que...

Para o texto: A REGRA DE OURO (T2460781)


De: Fernanda Xerez

Apagar

27/11/2010 18:36

Bola no pé, me lembra pelé. Bola na rede, me lembro da sede. Bola no peito, me lembra quando deito. Bola na grama, me lembro da camaA bola me faz lembrar, coisas que estive a chutar!Parabéns pelos humores, caro GDM.

Para o texto: O SOBE E DESCE DO FUTEBOL (T2528224)


De: o gozador de mesquita

Apagar

27/11/2010 18:27

RECOMEÇO tende a dar continuidade, numa forma de rimas que tanto aprecio. Ah! Voltei aqui para falar um pouco de Mauá. Caramba! fazem mais de quarenta anos que trabalhei muito aí em sua cidade! Éramos uma equipe que construia muros de cimento pré moldado. Durante a semana, de dia eu trabalhava na rádio Cacique de São Bernardo; a noite, nos projetores do cine Utinga, e aos sábados e domingos construíamos muros em Mauá. Recordo-me que eu passava em frente a indústria da Pireli e ficava admirado por ver onde eram fabricados as diversas formas de pneus, fios e sei lá mais o que! Talvez hoje tenha mudado tudo. O fato é que, Santo André, São Bernardo, Mauá e Ribeirão Pires ficaram gravados em minha memória, e toda vez que encontro aqui, alguém dessa região, a saudade me aflora à alma. Obrigado por isto também, minha querida poetisa. Visite minha "BIOGRAFIA DE LUZIRMIL". Está postada num texto. Tenho também alguns poemas declamados (de minha convicção para com Deus) em áudios no RL. Abraços.

Para o texto: Recomeço (T2640027)


De: Vania Vacholz

Apagar

27/11/2010 18:09

Vania! Que bom que você me visitou, assim pude ler novas poesias no Recanto; rimadinhas, belas e inteligentes. Li todos os seus textos uma vez que ainda são poucos e é a primeira vez que te encontro em meus publicados. Sempre faço isto com quem me visita a primeira vez. Li um deles que se intitula:"O AMOR E O ÓDIO". Puxa vida, Vania! ficou assentadinho, como os demais! Ah! eu escrevi um, cujo título é: "O AMOR E O VINHO". Procure-o em minha página de autores; Luzirmil, e vá lê-lo, assim você fará uma viagem em alto mar para saborear o vinho dos três amores e ver qual é o melhor.Bem, para não estender muito, venho lhe agradecer pelo elogio à minha poesia do "O APAIXONADO". Aquilo realmente aconteceu. Quase que um sujeito se suicidou por causa do desprezo de uma donzela, entretanto minha ideologia de "CONVICTO" fez o rapaz se encontrar. Ah! Tudo que você ler em meus publicados se relaciona com minhas aventuras de peregrino, mormente os cordéis em tercetos, que foi a forma que achei de relatar verdades históricas ocorridas comigo. Olha, envio-lhe abraços fraternos a serem distribuídos entre você e seus entes queridos. Até um próximo comentário. Luzirmil - O mensageiro do país das luzes.

Para o texto: Amigo (T2640029)


De: Vania Vacholz

Apagar

27/11/2010 17:33

Quem tem o principio do amor é por que recebeu parte mais densa do sopro de Deus! Então, cara Fernanda, você ainda fala que não és dada à filosofia!? Fizeste colocações dignas de uma grande mestra. Realmente Deus não se afasta de nada que tem vida. A interação Dele está neste fator, até dos seres mais simples do planeta, e por que não dizer do Universo. A vida é uma forma de energia que só o Criador pode repassar e administrar. Mas num sentido figurado, os nossos semelhantes que dizem não crer na existência de Deus, só O sentem nas horas de aflição e dores, com isso quero dizer que Deus se afasta, mas se aproxima com Seus domínios sobre a natureza das coisas, assustando e trazendo à mente dos incrédulos que Ele é real. Puxa vida! Fortaleza está tão distante! Ah! mas você está pertinho, aqui: dentro do meu CORAÇÃO! Que a Paz de Deus que nele habita te abrace sempre.

Para o texto: AMAR É BOM DEMAIS (T2598552)


De: Fernanda Xerez

Apagar

27/11/2010 10:42

Acrescentando as palavras do Jucimar, penso que caminhar com Cristo é andar de dia. Ele é também o inspirador dos poetas que o respeitam. Parabéns Graci. Abraços do peregrino Luzirmil.

Para o texto: PAZ DE ESPÍRITO (T2639720)


De: Graci

Apagar

27/11/2010 10:24

Quem ora, está sob uma luz, ó filha. Um certo dia, lá pelo ano de sessenta e sete saí de bicicleta com destino a um retiro qualquer nos campos nas regiões da cidade onde eu residia com meus pais, que na época era Franca. Depois de pedalar umas duas horas vi, à direita das trilhas em que eu seguia, um lugar que me seria apropriado para dobrar meus joelhos e fazer uma oração. Após orar, ao por-me de pé e virando-me deparei com um homem, que me perguntou: -Olá amigo, você está pagando algum voto prometido de vir orar num lugar desses? -Oh! Não! Vim à titulo de um retirante. Simplesmente eu senti de sair de minha casa na cidade e fazer algum pedido a Deus onde eu achasse propício. -Interessante - disse ele - eu só vim a te perceber por aqui devido uma forte luz que vi brilhando bem aqui, ó - apontou um ponto acima de onde eu havia feito a oração; parecia ser mais clara do que este sol que vemos, posto que me chamou a atenção, vindo aqui te vi de joelhos e fiquei aguardando para conversar contigo. -É mesmo? - falei - Eu não percebi tal luz. -Mas diga-me, amigo, qual a vantagem de orar, como você estava fazendo? - inquiriu-me ele. -Ah! Sabe...todas as vezes que faço uma oração diante de Deus, sinto o coração bater com mais firmeza, só isso. -Puxa vida! me ensina isso, rapaz. Eu sofro do coração e nesse momento mesmo ele está com forte arritmia. Sinto-me mal, como se meu coração estivesse sempre bambo. -Bem... podemos orar aqui, agora, em seu favor, desde que venhas a crer que Deus tem as energias próprias para isso, seu coração poderá ser fortalecido. -Então ore por mim - foi o pedido dele. Após orarmos, ele disse: Rapaz! Você tem razão, sinto o coração agora bater com firmeza! De repente estou e sentindo ótimo. Caramba, hoje foi meu dia de sorte! Até minhas vistas limparam, (pois eu estava relativamente cego) depois que vi a luz aqui. Como farei para ser como você? -Ora, seja um CONVICTO que Deus existe entre outros deuses, porém o único com letra maiúscula.

Para o texto: VAI NA FÉ... (T2639653)


De: mara

Apagar

27/11/2010 08:46

Luna, aqui estou para mais uma vez lhe mandar um comentário. Sabe, eu sou do tipo de poeta que valoriza aqueles que valoriza a gente. E você tem valorizado este peregrino, lendo meus artigos e comentando-os. Em vista dessa grande consideração, desejo-lhe felicidades contínuas, principalmente por seu gosto em escrever. Eu também fico feliz em ter amigos, principalmente no RL, que embora virtuais, entretanto a gente sabe que tem alguém nos lendo, as vezes até impondo alguma crítica em pensamento, mas são nossos apreciadores, assim como o somos de nossos colegas. Eu procuro nunca criticar, contudo em alguns textos, as vezes escapa alguma ferpa contra alguma filosofia que a gente lê e sente-se atingido. Bem, vou parando por aqui lhe dando os parabéns pelas maravilhosas palavras de seu texto sobre a felicidade. Envio-lhe um cordial abraço.

Para o texto: SER FELIZ (T2639201)


De: Luna Di Primo PRIMA LUA

Apagar

27/11/2010 08:26

Oh! A querida mel Braga me visitou!? Que saudade de seus comentários, ó sábia escritora. Encontrando-te me recordei que você foi uma de entre as primeiras a me visitar quando aqui entrei. Puxa vida! Gostaria de elevar as palavras desse seu texto: "A ARTE DE ESCREVER..." aos píncaros da glória literária. Seu nobre pensamento alentou-me a arte de escrever, pois eu, modéstia a parte penso que participo muito dessa arte, além da musical que também aprecio e chego a fazer minhas composições. Visite meus textos declamados, querida Mel. E se você quiser receber minhas mensagens declamadas mande-me seu endereço pelo meu contato, assim terei contentamento em repartir contigo, as boas comunicações que recebo de Deus. Olha, agradeço-lhe imensamente por ter se lembrado do Peregrino de Luzirmil. (Ah! leia um publicado meu: "A HISTÓRIA DE LUZIRMIL" para conhecer aquele mundo divino). Fiquei feliz, mormente lendo seu texto tão bem colocado em favor dos escritores. Coloco este comentário junto aos de: José de Castro, Regina Coeli, ToWo, Francis Toyama, Carlos Morais e aos demais que porventura venham lhe escrever futuramente, para elevar meus profundos votos de consideração e amizade. Envio-lhe um fraternal abraço, desejando-lhe felicidades e um fim de ano abençoado e festivo.

Para o texto: A Arte de Escrever...*** (T2476305)


De: Mel Braga Protegida por um Anjo

Apagar

26/11/2010 11:40

Que beleza de palavras, querida Luana. Defendendo Deus, estamos nos defendendo a nós mesmos. Parabéns. Suas palavras me fizeram recordar o depoimento de uma professora amiga minha. Disse ela que na sala de aula algumas crianças discutiam sobre o que cada uma era antes de nascer. Umas diziam que eram anjos, outras que eram pequeninos seres cuidados pelas cegonhas, etc. e faziam troça de uma menininha evangélica, muito acanhada, que sempre falava pouco e quase nunca participava das algazarras na escola. Como a menina estava em silêncio, ela, a professora, foi lhe perguntar o que ela era antes de nascer, visto ser uma evangélica, qual seria sua opinião. Simplesmente a menina respondeu: "EU ERA A VONTADE DE MINHA MÃE E UM PLANO DE DEUS". Muito bem, cara Luana, parabenizo-lhe por sentir em seu poema, seu carinho e amor para com Deus. Não perderás nunca, por assim proceder, tenha certeza! Abraços de Luzirmil - Um filósofo CONVICTO da existência de um REGENTE DIVINO UNIVERSAL - DEUS.

Para o texto: Não sou um acidente. (T2637922)


De: Luana Polon

Apagar

26/11/2010 09:08

Belo pensamento. Pronto a ser ponderado, entretanto a ambição humana escurece a luz dessa frase. Parabéns Bryzza. E Sorocaba? Puxa! Faz uns bons anos que estive por aí. A última vez foi lá por 1978! Um abraço a você e a todas as sorocabanas, para as quais eu fazia minhas letras de modas caipiras, num tempo em que meu irmão e eu cantávamos na Rádio Nacional de São Paulo. Sorocaba era nossa cidade preferida.

Para o texto: "A GANÂNCIA" (T2634406)


De: Bryzza

Apagar

26/11/2010 09:01

Melancolia tem sementes! Ah! Melancia também tem. Aquela dá frutos de tristezas, esta dá frutos para a mesa! Mas a tirania associada aos grilhões...Puxa vida, Marlene! Seu indriso de sabedoria me deixou confuso para fazer comentário. Já misturei melancia com melancolia, tirania com grilhões, acho que vou sair correndo...mas...e se eu cair em algum barranco? Não! Vou é me afastar vagarosamente, e prestando atenção, para não deixar algum erro por aqui; afinal errar é meu logotipo, mas preciso me cuidar quando se tratar de poetisas professoras e de alto grau intelectual, como você. Parabéns, grato pela visita e aceite um abraço do Luzirmil.

Para o texto: À hora certa... (T2631540)


De: MVA

Apagar

26/11/2010 08:49

Comer rolhas é pior de que cair em barrancos, empurrado pelo vento, minha querida Elenite. Tô fora disso! Mas um dia num restaurante, meu pai e eu comemos tanta sopa que depois não conseguimos comer o almoço realmente. O garçom nos levou uma vasilha contendo aquela iguaria, mas não avisou que era o aperitivo. Meu velho e eu entramos de sola, só depois de alguns minutos, após termos enchido a pança é que "trazedor de rolhas" de então, chegou com a comida sólida, propriamente dita, mas aí era tarde. Obrigado, querida, pela visita, e parabéns pelo prato de rolhas!

Para o texto: ETCÉTERA. PRATO NOVO NO CARDÁPIO,EXPERIMENTEM!!! (T2633696)


De: elenite araujo

Apagar

26/11/2010 06:56

Suas palavras tem lógicas absolutas, cara Maristela. Nem dá pra comentar sobre os rudimentos que enfrentamos, e por que não dizer proporcionamos. Você fez um comentário na página da Silvia retratando os céus do Rio de Janeiro, como necessitando de uma estrela, mas é o planeta todinho que está nessa condição de necessidade. Mas falando do Rio, tenho muita pena dos bons cariocas! Um abraço pra você.

Para o texto: OBRIGATORIEDADE CIRCUNSTANCIAL. (T2635972)


De: Maristela

Apagar

26/11/2010 06:49

Bom dia Silvia. Mais uma vez a chave da inspiração abriu-lhe a porta. Uma estrela brilhou em seu céu e distilou a luz que traçou um nome venerado, nos ares dos pensamentos . Eu preciso disso também: uma luz que trace o caminho de minhas meditações, que ultimamente estão desalinhadas. Um abraço e parabéns pelo soneto, simples, porém belo e profundo.

Para o texto: UMA LUZ SOBRE A CIDADE - Soneto n.168 - Silvia Regina (T2636773)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

25/11/2010 20:33

Um de junho de 2008. Vim aqui em seu primeiro texto, triste por me sentir abandonado por uma das flores do recanto; mais triste ainda pelo poema da flor. Coitada! Você já leu o meu poema "A FLOR E O POETA"? Tenho sofrido muito com flores, principalmente as rosas, que ao invés de perfumarem minha vida, me ferem. Estou ficando pobre de inspirações, pelo esquecimento dos colegas do Recanto, talvez eu venha ir embora. Quando desaparecer as luzes mil de minhas letras, eu estarei longe, talvez nas alturas, entretanto depois de ter ido visitar o Hades! Mas digo-lhe, cara Ysolda, me alegrei com sua breve visita ao PICADO. Pelo menos deste sinal de vida. Deus te abençõe mesmo que não aceites. Crendo, ou não crendo; tendo fé ou não; Ele vai te abençoar! Abraços fraternos do Luzirmil.

Para o texto: APENAS FLOR (T1015446)


De: Ysolda Cabral

Apagar

25/11/2010 14:52

Boa tarde, Doroni. Vim agradecer-lhe pela visita à minha reportagem do "PICADO". Quanto ao seu: "REFLEXÕES SOBRE O NADA" achei o título interessante. Recordei-me de minhas peregrinações de 1991, quando dormia próximo de um barranco numa estrada nas imediações de Araxá MG. Quando estava a conciliar o sono vi que vinha pela via um andarilho noturno. Fiquei bem quieto, para que porventura ele passasse e não me visse. Mas bem no rumo em que eu estava, ele parou e disse: -Olá companheiro, parece que estamos no mesmo barco, não? -Sou um peregrino - falei - Você o é também? - Sim - disse ele: - Sou o Peregrino da noite. Durma seu sono, meu trabalho é vigiar o sono dos peregrinos quando pernoitam em lugares impróprios - O fato é que logo dormi. No outro dia não o vendo próximo de mim continuei a caminhada até me cansar, posto que ao entardecer parei sob uma árvore, quando vi que o mesmo homem vinha pela estrada e parando onde eu me encontrava. Após um descanso caminhamos juntos até Araxá, período em que conversando, eu soube que ele se chamava ICOY TUDONAH, mas era conhecido no meio dos andarilhos noturnos por TUDONADO. Escrevi parte de sua história e as palavras que me falou, em um livro, que por sinal se encontra em E-LIVROS aqui no recanto. Seu título é: "UM VIOLINO NAS JORNADAS". Leia-o e conheça o Tudonado. Acredito que era um filósofo andarilho, com eu fui em certa época. Olha, querida Dorone, receba um abraço fraterno de seu fã Luzirmil.

Para o texto: REFLEXÕES SOBRE O NADA (T2466292)


De: Doroni Hilgenberg

Apagar

24/11/2010 19:29

Classismo absoluto, cara Flor. Seu poema "UM VÔO ENTRE AS PROFUNDEZAS" me recordaram os abismos vistos do alto para quem está no comando de alguma aeronave! Me aprofundei em seus publicados, e foi bom, pois encontrei este, de muita classe poética e filosófica. Parabéns querida amiga. Visitei seu blog e me senti edificado em meu ego por ver o nome Luzirmil num tom azul, brilhando, ao alto do texto por nós criado e fotografado, entretanto aproveitado tecnicamente por você. És nota dez, nobre poetisa. Grato por sua visita incentivante, se não fosse a doçura das palavras como as suas e de outras poetisas, eu já teria encerrado minhas participações no Recanto. Um abraço de alegria em você e em todos os seus queridos.

Para o texto: Um voo entre as profundezas... (T2184661)


De: Flor da Vida

Apagar

24/11/2010 12:35




1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   37


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal