Analec e os mercadores de liçÕES



Baixar 2.76 Mb.
Página19/37
Encontro24.10.2017
Tamanho2.76 Mb.
1   ...   15   16   17   18   19   20   21   22   ...   37

De: Eliane Thomas

Apagar

13/09/2010 16:49

Tá retado, Ranato! Mais um bom que li! Desta vez retratando o mar, os marujos e a boa vontade de um pescador, uai! Como é delicioso ir lendo e entendendo suas colocações métricas. Nota dez nesse também, caro amigo. Abraços de Luzirmil

Para o texto: Porto de saudade. (T2495291)


De: Renato Lima

Apagar

13/09/2010 16:31

Rapaz. Nem dá pra comentar! "O BORGES E O LUGAR" por incrível que pareça, é uma maravilhosa narrativa, onde lugar, cão, caranguejeira, mamão e mamoeiro, esquilo e beija flor compõem a grandiosidade da miscelânea literária, muito gostosa de ler! Enquanto lia eu comia umas fatias de salaminho, me deliciando com o gosto do paladar contracenando com o gosto das palavras, embora repetitivas, porém objetivas e com alto teor de bom gosto. Meus parabéns, caro Messer. Eu sou filósofo e quando vejo no recanto, textos como o seu, passo a lê-los avidamente, encontrando alicerces para minhas reflexões futuras. Aceite meus parabéns. Seu trabalho não foi em vão, pelo menos para o Luzirmil, que muito o apreciou. Visite-me e leia "O BODE VELHO". Abraços e continue.

Para o texto: O Borges e o lugar. (T2495625)


De: Messerschmitt

Apagar
12/09/2010 20:48

Furão seria uma espécie de quati? E que gosta de estar fuçando em tudo? Bem, lembro-me que um primo meu teve um animal silvestre daquele, que se adaptou domesticamente, mas ele era do piru! Fazia cada trapalhada que dava dó da minha tia, que tinha que fazer os arranjos nos desarranjos que o quati fazia. Olha, Regina, gostei de sua prosa poética, de seu sorriso, e mais ainda, de sua visita em minha escrivaninha. Deus te abençoe por esta sua iniciativa, e convido-te a ler "O MENINO DO RIO E A BÍBLIA", enfim outros mais, tais como alguns cordéis, por exemplo: "O ARTISTA". E apareça sempre, seu sorriso angelical tende a trazer otimismo aos recantistas. Abraços afetivos de Luzirmil.

Para o texto: O FURÃO (T2363306)
De: Regina Trofino Gonçalves

Apagar

12/09/2010 20:32

Dá para se ponderar, querida Esther. Impressionante narrativa sobre a vida de alguém que certamente passou muitas provações. Mudando de assunto, você é da terra da Ysolda, não é? Sou um admirador do povo pernambucano, embora só conheça Petrolina e arredores. Maceió, até que sim, pois estive lá em 1993. Mas confesso que gostaria de conhecer Recife. Um abraço e parabéns pela sua bela redação de hoje no RL. Indico-lhe um texto meu de meia hora atrás: "CORRER ATRÁS DO PREJUÍZO? NUNCA!". Leia e comente. Luzirmil.

Para o texto: COBRANÇA INDEVIDA (T2494040)


De: Esther Rogessi

Apagar

12/09/2010 19:07

Gostei de seus quereres, cara Neuzinha. Deus há do nos dar,ainda que não essas antigas petições, porém na atualidade as benções para prosseguirmos no caminho do bem. Parabéns pela bela e humilde crônica. Leia meu cordel "O ANCIÃO E O PEREGRINO". Aceite um abraço amigo do Luzirmil.

Para o texto: Infância marcada (T2493894)


De: neuzinha

Apagar

12/09/2010 19:01

Que bonita poesia, Elaine! Parabéns. De um abraço no pessoal ai de Salvador. Outro dia quase fui parar ai sem querer, quando peguei uma estrada errada lá em Feira de Santana. Meu destino era Senhor do Bonfim, mas não sei por que, só fui desconfiar que estava indo para a capital, quando olhei na bússola do painel do carro e ela marcava sudoeste. Parei e perguntei um carroceiro que vinha beirando a rodovia, vindo ele ame dizer: -Ó Chente, o sinhó tá é perto de Salvador. Tive que voltar mais de oitenta quilômetros até Feira, e lá pegar a estrada certa, para meu destino. Desculpe, cara Elaine, gosto de escrever comentários e indicar textos meus. Leia meu cordel"JOÃO BOA VIDA" e indique-me algum seu.

Para o texto: Corações (T2493891)


De: Elaine Regina

Apagar

12/09/2010 08:11

Penso que além de poetisa és também uma exímia cozinheira, querida Janete. E olha! um cardápio literário não é pra qualquer um! Meus parabéns. Agradeço de coração pela prestimosa visita. Indico-lhe dois cordéis meus: "NO TEMPO DAS GARRUCHAS" e "JOÃO BOA VIDA". Ao fazer algum comentário em minhas páginas, queira também indicar-me seus textos ficarei contente e agradecido. Abraços.

Para o texto: CARDÁPIO (T2438929)


De: Janete do Carmo

Apagar

12/09/2010 07:59

Oi, Adriana. Obrigado pela visita. Vim aqui para ler seus artigos, afinal dou muito valor aos visitantes. Comentando o seu "pensamentos" estive a refletir sobre o silêncio, penso que muitas vezes ele é a própria voz de Deus. As vezes a gente faz uma pergunta silenciosa, e em instantes, também do silêncio vem a resposta. Parabéns por suas profundas idéias literárias. Gostei de todos os textos que li, e vou ler mais. Quanto aos meus, sou pronto a indicá-los aos meus visitantes; assim como gosto que me indiquem, pois na qualidade de estranhos passamos a nos conhecer. Se você aprecia cordel vá lá em "JOÃO BOA VIDA". Caso goste de poesia de amor vá em "A FEITICEIRA". Se gostar de prosa poética leia "A FLOR FEITICEIRA". Indico-lhe também: "POR QUE EXISTIMOS" Espero que venhas indicar-me alguns seus, pois tenho lido centenas deles dessa forma. Sabe por que? é para que os antigos não sejam esquecidos. Geralmente os leitores só vão nos recentes. Quero ler seus antigos também, ok. Abraços afetivos pra você.

Para o texto: **** BREVE SILÊNCIO **** (T712697)


De: ADRIANA CARLA

Apagar

12/09/2010 07:40

Eta! Carrrlinho danado!! Bichinho querido dos leitores! Tu tem de fato um vocabulário as tantas, moço! Fiquei até meio abestado e meio zambeta de tanto dá gaitada. Minha netinha chegou aqui perto portando sua bonequinha, mas ficou brava quando falei: tu gosta de dessa calunguinha feia? - Calunguinha feia, não vô, -respondeu ela - é bonequinha linda! Meus parabéns, nobre recantista, só assim mesmo pra gente passar por alguns momentos descontraídos. Nota dez pra você novamente. Hoje indico-lhe um meu, mais sério um tiquinho: "UM ÉPICO INSTRUTOR". Abraços

Para o texto: A LINGUAGEM NORDESTINA (Cordel Completo) (T2483588)


De: Carlinhos Cordel

Apagar

11/09/2010 19:55

Olá, Nobre companheiro. Voltei a ler alguns textos seus, compostos de sonetos e outros publicados; todos, dignos de serem lidos e relidos. Parabéns. Falando em sua profissão, eu as vezes sou convocado pela ong G.Peace da qual sou adepto, pra combater incêndios nos cerrados. Em agosto mesmo, estive por seis dias, junto a dois outros voluntários fazendo um percurso de uns três mil quilômetros. Em tal trajeto fizemos diversas paradas para tentar diminuir pequenas queimadas à beira das estradas e uma grande, no cerrado do Sertão Veredas. Você poderá ler um cordel que fiz do trajeto, cujo título é: "AS MARGENS CALCINADAS". Compus também dois pequenos, com os títulos: "VOLUNTÁRIO VANDERLEI" e "VOLUNTÁRIO SANTO", todos eles seguindo meu estilo de tercetos. Quanto aos seus colocados no RL, continuo dizendo-lhe que sou seu admirador. Abraços a você a a todos seus entes queridos, e que Deus seja sempre teu protetor.

Para o texto: QUEM QUER VENCER FAZ ASSIM ! (T1375275)


De: lealrodrigues

Apagar

11/09/2010 07:34

Corrigindo errata em meu comentário, onde se lê "nome colega" deve-se ler "nobre colega de letras" - Luzirmil.

Para o texto: ORAÇÃO DO BOMBEIRO MILITAR (T2491094)


De: lealrodrigues

Apagar

11/09/2010 07:31

Oração com lastro de poesia, tem valor dobrado, meu nome colega; ainda mais num arranjo tão lindo em forma de cordel. Ser bombeiro é ser valente, sem visar lucro, ou presente! Para um admirador da classe, como eu sou, embora sendo um PEREGRINO do sertão, é bom saber que pessoas de de peso e de caráter tem o ideal e o despreendimento para ajudar o próximo, até suplicando a Deus a divina proteção para dar conta do dever que lhe é imposto. Falando sobre sua literatura, penso que nos cordéis a gente encontra frases que além de traduzir o conteúdo do entendimento, nos dá uma régia descontração, como no caso do seu: as métricas se arrumam numa terminação lógica de sentido. Sou leitor assíduo de todo cordelista, e faço os meus também, sem muito conhecimento, mas tento fazer os arranjos, em três linhas. O fato é que gosto desse tipo de literatura. Envio-lhe um forte abraço, e indico-lhe o meu de hoje: "O ANCIÃO E O PEREGRINO". Espero que venhas me indicar algum seu para que eu vá direto. Até mais, amigo.

Para o texto: ORAÇÃO DO BOMBEIRO MILITAR (T2491094)


De: lealrodrigues

Apagar

11/09/2010 02:40

Seus causos realmente causam suspense, caro Tristão. A subjetividade faz parte de sua inteligência, isso é um fator preponderante na sua marca de ser. Para quem lê com atenção, é muito divertido fazer idéia do assunto. Ah! aproveito para lhe agradecer a explicação,pelo meu email, sobre os relógios do circuncizador. Mais uma vez dou-lhe meus parabéns pelos seus publicados. Abraços de Luzirmil.

Para o texto: QUANDO O DIABO VESTE SAIA (T2234579)


De: Tristão de Alegrette

Apagar

11/09/2010 02:29

Olá Alifer! Há quanto tempo? Li seu "AMOR DE MISTÉRIO" e achei nele, profunda filosofia. Parabéns. Realmente o amor é algo misterioso. Em meus colocados no RL já compus sobre ele diversos textos. Penso que existem três formas de se amar: São eles: Afetivamente, fraternalmente e divinamente. O primeiro é o que faz o homem se unir a uma mulher; o segundo é a união dos povos, o terceiro é a união com Deus. Você concorda? Bem, quero indicar-lhe mais textos meus. Escrevi ontem: "CLASSIFICADOS PELA CONVICÇÃO" e hoje,"O PEREGRINO E O ANCIÃO" Dê uma lida neles e faça seu comentário, ficarei contente. Abraços.

Para o texto: AMOR o misterio da cosquitas (T2490140)


De: alifer

Apagar

10/09/2010 19:19

Um gol de primeira, caro Renato! Quando te leio tenho vontade aprender mais. Você é grande, cara! Essas coisas todas que você dissertou em seu cordel é uma realidade nua e crua. Tudo que a gente faz tem um contra! A coisa é de amargar! Outro dia achei catei uma moeda de um real,na qual eu estivera pisado sobre ela algum tempo sem ter percebido e logo um cara que estava perto falou: Tava escondendo, heim cara! Parei meu carro num lugar próprio, porém próximo de um cassino, logo veio um camarada, dizendo que ali era só para os fregueses, contestei, aí o cara apelou, me mandando tomar naquele lugar...é assim, se a gente estaciona está errado, se a gente toca tem que parar; se o carro está sujo, o cara é porco, se está limpo é esnobi. Grande cordel, prezado Renato. vou ler mais alguns. gosto deles, você tem um jeito especial. Eu os faço em tercetos, pois acho difícil compor a rima três por três em sextetos, da maneira que compões. Abraços e grato pela visita.

Para o texto: Eu (T2489833)


De: Renato Lima

Apagar

10/09/2010 18:07

Só uma inteligência acariciada pelo anjo dos poetas poderia nos dar tão sublime presente, cara Fernanda. Parabéns e muito obrigado pelo apreço. Sou teu admirador! Luzirmil.

Para o texto: MANIA DE ESCREVER.42 (T2489759)


De: Fernanda Xerez

Apagar

10/09/2010 17:52

Aí está, nobre Edson! Lindas palavras vindas de um grande compositor de poemas. Meus agradecimentos pela indicação e meus parabéns pela bela obra. As fotos me trouxeram lembranças de velhos tempos. aproveito para lhe agradecer a visita em "O ANCIÃO E O PEREGRINO". Aceite um cordial abraço.

Para o texto: Poema brasileiro (ilustrado) (T2486342)


De: edson gonçalves ferreira

Apagar

10/09/2010 17:39

Malú! Você é demais! Nem bem acabei de publicar o "ANCIÃO E O PEREGRINO" e você já o leu. Muito obrigado pela antena ligada, ó querida poetisa. Vim aqui em sua "FÉ" para saborear espiritualmente sua notável inspiração e lhe enviar também este breve comentário. Quanto ao cordel de hoje criei-o (de algumas lembranças minhas do SERTÃO VEREDAS onde sempre vou a trabalhos voluntários) nesta tarde, já que tive um tempo para me sentar à escrivaninha. Elevo-te mais uma vez, meus votos de alta estima e consideração. E vou continuar te lendo, você tem um grande talento,e acredito, voltado para a convicção de crer em Deus. Que Ele seja sempre contigo. Amém!

Para o texto:  (T2408846)


De: malu Dab

Apagar

09/09/2010 22:07

Lindos versos para momentos de sonhos! Soneto com o timbre das maravilhas literárias. Parabéns Silviah. Também agradeço-lhe pela visita às nove quadrinhas do Peregrino de Luzirmil. Aceite um abraço e minha sincera amizade. Ah! Encontre minha sobrinha Ivana, aí por Curitiba. Lhe passarei meu email para que através dele tenhas o dela. Aguarde.

Para o texto: Entre a solidão e o amor (T2364258)


De: Silviah Carvalho

Apagar

09/09/2010 20:44

Olá Raeu, esse negócio de pagar a capa dos homens pode dar um balaio de gato danado! Tô fora desse candidato, rapaz! Pelo meu entender de sua frase final a capa passou a ser um terrível verbo a ser aplicado por terceiros! Seu cordel é fora de série, rapaz. Muito bom. Para as mulheres sombrinhas e para os homens guarda chuvas, aí eu fico quieto, mas apoiar candidato que paga a capa dos homens! Cê tá loco! Dou-lhe meus parabéns pelo delicioso cordel político, e agradeço-lhe pela visita indicando-lhe uns dois cordéis meus pra você ler e dar sua nota. Tenho aqui "A CADELA E A MATILHA " , "O ARTISTA", "NO TEMPO DAS GARRUCHAS".Etc. Bom, vou ler mais alguns seus, pois gosto de cordel. Abraços, caro amigo.

Para o texto: Comício em dia nublado (T2406844)


De: Raeu

Apagar

09/09/2010 19:06

Fabulosa! Es Realmente Notável! Atinas Na Doçura Almejada por seus leitores em ler suas composições. És como uma misteriosa libélula, que um poeta admira por ver suas acrobacias, não só para compor maravilhosas frases, enfeitadas com acrósticos, como as que contém virtudes das orações! Ah! Falando em Dragonfly temos no recanto uma poetisa com esse pseudônimo. Você conhece? Quero agradecer-lhe pelo comentário estrelado com o acróstico de meu nome. Você é nota dez! No inicio deste, tentei fazer o mesmo, colocando letras maiúsculas nos inícios das primeiras palavras para escrever Fernanda. Foi bom, pois me concentrei algum tempo em sua inteligência, da qual certamente recebi induções. Obrigado pela consideração, cara Fernanda. Aceite meus parabéns e um abraço.

Para o texto: DRAGONFLY (T2240485)


De: Fernanda Xerez

Apagar

09/09/2010 15:15

Puxa vida, Isolda! Conseguiste ler toda a grande reportagem de minhas caminhadas de 1991? Muito obrigado pela atenção. Sem contar os leitores que o adquiriram através de livrarias, você foi a primeira leitora que contatou-me que leu o livro no RL! Fiquei comovido! Percebeu por que tenho a alcunha de peregrino? Ah! Tenho um também, cujo título é "CALENDAS DE UMA VIDA" Trata-se de um relato autobiográfico desde minha adolescência. Eu poderia lhe enviar um, gratuitamente pelo correio, caso se interessar em lê-lo. Bem, agora vou comentar sua página. ("PRECISO DO MAR") Senti-me envolvido nela pela predicação do sonho, a ponto de recordar-me que postei aqui uma soneto com o título "MARES DA VIDA". Mas tomara que você não tenha sonhado com ele, pois as ondas de tal mar causam horrores! Além disso é um oceano profundo! Olha, além do agradecimento pela preciosa atenção sou-lhe agradecido por me incentivar a continuar escrevendo por aqui. Eu estava um tanto desanimado, entretanto sua prestimosa atenção elevou-me a condição de valorizado.Deus te abençoe pela consideração e parabéns pelas bonitas palavras em: "PRECISO DO MAR". Abraços a todos seus entes queridos, inclusive ao Fernando Alberto Couto, pelo belo complemento.

Para o texto: PRECISO DO MAR (T2365399)


De: Ysolda Cabral

Apagar

08/09/2010 17:22

Coisa de louco! Celli! Uma linda, porém misteriosa história; entretanto maravilhosamente escrita, e com toques de suspense! Te captei num comentário sobre "por que existimos" de um colega, e vim aqui ler os seus colocados. Gostei muito e compreendi profundamente o por que de sua instrução. Quero que me corrijas também, pois escrevi um tratado para-bíblico, e sei que cometi muitos erros, pois eu, embora tendo idade avançada e sendo um veterano das letras, no entanto já estou com a memória fraca e já esqueci até o que significa predicado! Mas falando sobre seu texto, digo-lhe que apreciei a história. Ah! Tenho uma leitora que é cega. Mora num arraial aqui perto de Ribeirão Preto. Você acredita que ela paga a uma entidade pró-cegos para traduzir meus (somente os de poucas páginas que lhe dou de presente) livros para o braile a fim de lê-los pessoalmente?! Olha, preciso parar de estender meus assuntos! Gosto muito de escrever mas erro muito também. Indico-lhe minhas reflexões de: "POR QUE EXISTIMOS?". Ah! Também escrevi algo isentando-me de meus erros ortográficos e de pontuação, num texto "TRÊS FORMAS DE ESCREVER". Por favor, leia e comente com sua honorável sinceridade! Aceite um abraço e a sincera amizade do filósofo Luzirmil.

Para o texto: Devolva-me (T2277885)


De: Celly Borges

Apagar

08/09/2010 12:26

Vallerie, mudei o título de: "A MISERICÓRDIA DE DEUS" para: "POR QUE EXISTIMOS?" Caso queira ler, busque em textos de Luzirmil.

Para o texto: "Obrigada,Senhor..." (T1988722)


De: Vallerie

Apagar

08/09/2010 11:20

É Drackmer. E eu que escrevi um livro: "OUVINDO O FALAR DO TEMPO"! Sua "AMPULHETA" me faz lembrar essas esperas no computador, quando é vagaroso igual o meu. Parabéns pelo pensamento. O tempo é mesmo como as vagarosas águas de um rio que vai passando, mas estão presentes em seus momentos de cada ponto. Bela reflexão! Abraços a você e ao maravilhoso povo goiano!

Para o texto: AMPULHETA (T2485359)


De: Drackner

Apagar

08/09/2010 10:22

Magnífico soneto, caríssima Laura. Raciocinaste inteligentemente dando seu grito! Estamos mesmo "no mato sem cachorro" como diz o ditado. Melhora?! Não dá pra acreditar não! Com a famigerada ambição e os desejos da carne desenfreados como estão! A barra vai é ficar mais preta a cada dia. Não está vendo a política? Que coisa vergonhosa! Justamente o alicerce em que há maior necessidade do equilíbrio ético, perdendo a cada dia seus valores capitais! Mas seu grito valeu; e vamos tentar ser otimistas; pelo menos na espera de um advento que nos levará para um além, na esperança de uma augusta vida futura! Abraços e obrigado por me visitar. Hoje postei: "UM MERISMA PARA AOS POETAS" poesia que compus em 2003 para uma antologia. Até.

Para o texto: Epidemia (T2481793)


De: Laura Danielle

Apagar

08/09/2010 08:49

As pedras preciosas são lapidadas, geralmente com uma infinidade de faces, tendo uma, entretanto maior, mais polida e destacada, notadamente num plano horizontal. Tal face é chamada de mesa. Eu acredito que a face a qual os lapidários (eu já fui auxiliar de um) assim a denominam, numa comparação com sua jóia literária, (que é todo seu conteúdo de textos) cara Vallerie, se assenta nas belas poesias e orações geradas a partir de seu sublime intelecto. Todas as pedras lapidadas tem também a sua faceta obscura, e em meu ponto de vista são os textos er...Ah! deixa isso pra lá e vamos aos meus parabéns a você pelo talento e nobre inteligência. Gostei de todas as suas orações. Para quem tem a convicção de que Deus existe e nos observa, todas as palavras dirigidas a Ele, e que O dignificam, para um peregrino cuja estrela principal do Universo é Jesus Cristo, é algo de muito valor. Convido-te a ler "A MISERICÓRDIA DE DEUS" e ver a relação entre o prazer do sexo e o prazer eterno celeste, vivido pelos anjos e futuramente também pelos CLASSIFICADOS pela CONVICÇÃO de crer e amar a Deus.

Para o texto: "Obrigada,Senhor..." (T1988722)


De: Vallerie

Apagar

07/09/2010 23:09

Você não é fácil não, Toninhobira! Rapaz! li por enquanto, além de seus comentário de minha página, apenas este soneto, a fim de apreciar e lhe enviar este. A priori felicito-lhe pelas catorze linhas precisas, todas com o brilho do eruditismo. Segundo, digo que encontrei em todas as palavras dos vários comentários que você se dispôs a me enviar, uma perfeita sintonia de raciocínios literários, escritos com simplicidade, porém com técnica! Parabéns por tudo que li de você até o momento. Não dá para estender muito, já que preciso ir dormir para o batente de amanhã, mas prometo-lhe enviar opiniões assim que o tempo me permita te ler mais. Abraços, nobre colega de letras.

Para o texto: De quem é esta voz? (T2461177)


De: Toninhobira

Apagar

07/09/2010 22:51

Receber a visita da mãe depois dos dois já falecidos é coisa que se preze, caro Tristão. Penso que a honra foi para os que faziam sala. Recordei-me de um velório em que fui recentemente, quando faleceu um pedreiro amigo meu. Suas descrições, caro Tristão, retrataram fielmente o ambiente: a meia lua, as filhas e demais parentes do morto, que era viúvo; os assuntos a meio tom, enfim, quando eu estava por ali, como os demais, num silêncio respeitoso, entrou uma senhora com um chale preto na cabeça, foi até o morto, afagou sua testa e sem dizer palavra se retirou; momento em que ouvi uma das filhas dizer para sua irmã: você viu Lóidy? parecia com nossa mãe. Será que era alguma conhecida do pai? O fato é que todos se admiraram com a aparência, pois tinham conhecido a mulher do pedreiro. Sob a admiração de todos ela saiu. Pensamos que ela fora se sentar numa das cadeiras na ala de fora, entretanto ninguém mais a viu. Até hoje há comentários sobre o fato. Bem...penso que são coisas misteriosas, mas que podem acontecer. Parabéns pelo texto, caro Tristão, e queira receber mais um abraço pela nova visita.




1   ...   15   16   17   18   19   20   21   22   ...   37


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal