Aal atm adaptation layer, camada de adaptação atm


Switched Port Analyzer, analisador de porta comutada



Baixar 5.88 Mb.
Página96/111
Encontro07.10.2019
Tamanho5.88 Mb.
1   ...   92   93   94   95   96   97   98   99   ...   111

Switched Port Analyzer, analisador de porta comutada. Recurso do switch Catalyst 5000 que estende as habilidades de monitoração de analisadores de rede existentes em ambiente Ethernet comutado. O SPAN reflete o tráfego em um segmento comutado em uma porta SPAN predefinida. Um analisador de rede ligado à porta SPAN pode monitorar o tráfego de qualquer uma das outras portas Catalyst comutadas.

spanning-tree protocol (protocolo de árvore estendida)

Protocolo de bridge que utiliza o algoritmo de árvore estendida, permitindo que uma bridge de aprendizagem funcione dinamicamente em torno de loops em uma topologia de rede criando uma árvore estendida. As bridges trocam mensagens de BPDU com outras bridges para detectar loops e depois removê-los fechando interfaces de bridge selecionadas. Se refere ao padrão spanning-tree protocol do IEEE 802.1 e ao spanning-tree protocolda Digital Equipment Corporation anterior no qual se baseia. A versão IEEE suporta domínios de bridge e permite construir um topologia livre de loop através de uma LAN estendida. Normalmente, prefere-se a versão IEEE à versão digital. Às vezes é abreviada como STP. Consulte também BPDU, learning bridge, MAC address learning, árvore estendida e algoritmo de árvore estendida.



sparse mode PIM

Consulte modo esparso de PIM.



SPF

algoritmo Shortest path first, caminho mais curto primeiro. Algoritmo de roteamento que interage ao longo do caminho para determinar a árvore estendida mais curta. Normalmente usada em algoritmos de roteamento de estado de link (link state). Às vezes chamado de algoritmo de Dijkstra. Consulte também algoritmo de roteamento de estado de link (link state).

SPID

Service Profile Identifier, identificador de perfil de serviço. Número que alguns provedores de serviço usam para definir os serviços assinados por um dispositivo de ISDN. O dispositivo de ISDN usa o SPID ao acessar o switch que inicializa a conexão com um provedor de serviços.

split-horizon updates

Técnica de roteamento na qual informações sobre rotas são impedidas de deixar a interface do roteador através do qual aquelas informações foram recebidas. As split-horizon updates são úteis para evitar os loops de roteamento.



spooler

Aplicativo que gerencia pedidos ou trabalhos que lhe são apresentados para execução. Os spoolers processam os pedidos submetidos de forma ordenada em uma fila. Um spooler de impressora é um exemplo comum de um spooler.



SPP

Sequenced Packet Protocol, protocolo de pacote seqüencial. Fornece transmissão confiável de pacotes, baseada na conexão, controlada pelo fluxo em nome dos processos clientes. Parte do conjunto do protocolo XNS.

SPX

Sequenced Packet Exchange, troca de pacote seqüencial. Protocolo confiável e orientado para a conexão que complementa o serviço de datagrama fornecido pelos protocolos da camada de rede (camada 3). A Novell adaptou esse protocolo de transporte NetWare normalmente usado pelo SPP do conjunto do protocolo XNS.

SQE

Signal quality error, erro de qualidade de sinal. Transmissão enviada por um transceiver de volta ao controlador para avisá-lo de que o circuito de colisão está operante. Também chamado de heartbeat.

SR/TLB

Source-route translational bridging, fazer bridging translacional da rota de fonte. Método de fazer bridging onde as estações da rota de fonte podem se comunicar com as estações de bridges transparentes com a ajuda de uma bridge intermediária que faz a tradução entre os dois protocolos de bridge. Compare com SRT.

SRAM

Tipo de RAM que retém seu conteúdo enquanto a energia for fornecida. O SRAM não requer atualização constante, como o DRAM. Compare com DRAM.



SRB

Source-route bridging, fazer bridging da rota de fonte. Método de fazer bridge criado pela IBM e popular em redes Token Ring. Em uma rede SRB, toda rota para um destino é predeterminada, em tempo real, antes do envio de dados ao destino. Diferencie de bridging transparente.

SRT

Source-route transparent bridging, fazer bridging transparente da rota de fonte. Esquema de bridging da IBM que mescla as duas estratégias de bridging mais comuns, a bridging transparente e a SRB. O SRT emprega as duas tecnologias em um dispositivo para satisfazer às necessidades dos ENs. Não é necessária a tradução entre os protocolos de bridging. Compare com SR/TLB.

SRTP



1   ...   92   93   94   95   96   97   98   99   ...   111


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal