Aal atm adaptation layer, camada de adaptação atm


Network File System, sistema de arquivos de rede



Baixar 5.88 Mb.
Página71/111
Encontro07.10.2019
Tamanho5.88 Mb.
1   ...   67   68   69   70   71   72   73   74   ...   111

Network File System, sistema de arquivos de rede. Como comumente usado, um conjunto de protocolos de sistema de arquivos distribuídos desenvolvido pela Sun Microsystems que permite o acesso de arquivo remoto pela rede. Na verdade, o NFS é simplesmente um protocolo no conjunto. Os protocolos NFS incluem NFS, RPC, XDR (External Data Representation) e outros. Esses protocolos são parte de uma arquitetura maior a que a Sun se refere como ONC. Consulte também ONC.

NHRP

Next Hop Resolution Protocol, protocolo de resolução do próximo salto. Protocolo usado por roteadores para descobrir dinamicamente o endereço MAC de outros roteadores e hosts conectados a uma rede NBMA. Esses sistemas podem, então, se comunicar diretamente sem necessitar que o tráfego use um salto intermediário, aumentando o desempenho nos ambientes ATM, Frame Relay, SMDS e X.25.

NIC

1.)  Network interface card, placa de interface de rede. Placa que fornece capacidades de comunicação de rede para e de um sistema de computador. Também chamada de adaptador. Consulte também AUI


2.)  Consulte network information center.

NIS

Network Information Service, serviço de informações de rede. Protocolo desenvolvido pela Sun Microsystems para a administração de bancos de dados que tenham abrangência em toda a rede. O serviço usa essencialmente dois programas: um para encontrar um servidor de NIS e um para acessar os bancos de dados de NIS.

N-ISDN

ISDN de banda estreita. Padrões de comunicação desenvolvidos pelo ITU-T para redes de banda base. Baseados em canais de suporte de 64 kbps e canais de dados de 16 ou 64 kbps. Contraste com BISDN. Consulte também BRI, ISDN e PRI.

NIST

National Institute of Standards and Technology. Antiga NBS. Organização do governo norte-americano que suporta e cataloga uma variedade de padrões. Consulte também NBS.

NLM

NetWare Loadable Module, módulo carregável do NetWare. Programa individual que pode ser carregado na memória e funcionar como parte do NOS NetWare.

NLSP

NetWare Link Services Protocol, protocolo de serviços de link do NetWare. Protocolo de roteamento de estado de link (link state) baseado no
IS-IS. A implementação da Cisco para o NLSP também inclui variáveis de MIB
e ferramentas para redistribuir informações de roteamento e SAP entre o NLSP
e outros protocolos de roteamento IPX. Consulte também IS-IS.

NMP

Network Management Processor, processador de gerenciamento de rede. Módulo de processador no switch Catalyst 5000 usado para controlar e monitorar o switch.

NMS

Network management system, sistema de gerenciamento de switch. Sistema responsável por gerenciar pelo menos parte de uma rede. Um NMS geralmente é um computador razoavelmente potente e bem equipado, como, por exemplo, uma estação de trabalho de engenharia. Os NMSs se comunicam com agentes para ajudar a manter o acompanhamento de recursos e estatísticas de rede.

NMVT

Network management vector transport, transporte de vetor de gerenciamento de rede. Mensagem do SNA que consiste em uma série de vetores que transportam informações específicas de gerenciamento de rede.

NN

Network node, nó de rede. Nó intermediário do SNA que fornece conectividade, serviços de diretório, seleção de rotas, roteamento de sessão intermediária, transporte de dados e serviços de gerenciamento de rede aos nós de LEN e ENs. O NN contém um CP que gerencia os recursos do próprio NN e os recursos de ENs e nós de LEN em seu domínio. Os NNs fornecem serviços de roteamento intermediários implementando as extensões de PU 2.1 da APPN. Compare com EN. Consulte também CP.

NNI

Network-to-Network Interface, interface de rede a rede. O padrão do ATM Forum que define a interface entre dois switches ATM em que ambos estejam localizados em uma rede privada ou em que ambos estejam localizados em uma rede pública. A interface entre um switch público e um privado é definida pelo padrão UNI. Também, a interface padrão entre dois switches Frame Relay que tenham o mesmo critério. Compare com UNI.

1.) Extremidade de uma conexão de rede ou uma junção comum a duas ou mais linhas em uma rede. Os nós podem ser processadores, controladores ou estações de trabalho. O nós, que variam em roteamento e outras capacidades funcionais, podem ser interconectados por links e servem como pontos de controle na rede. Nó é, às vezes, usado genericamente para se referir a qualquer entidade que possa acessar uma rede e é freqüentemente usado em intercâmbio com dispositivo. Consulte também host.


2.) No SNA, o componente básico de uma rede e também o ponto no qual uma ou mais unidades funcionais se conectam aos canais ou circuitos de dados.

nó de extremidade

Dispositivo no qual um circuito virtual ou um caminho virtual começa ou termina.



nó de subárea

Controlador de comunicação SNA ou host que cuida de endereços de rede completos.



nó DLUR

Em redes APPN, um EN ou NN que implementa o componente DLUR. Consulte também DLUR.



nó DLUS

Em redes APPN, um NN que implementa o componente DLUS. Consulte também DLUS.



nó host

Nó de sub-área SNA que contém um SSCP.



no ip domain lookup

Comando usado para desligar o conversor de nome em endereço no roteador.



nó LEN



1   ...   67   68   69   70   71   72   73   74   ...   111


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal