Aal atm adaptation layer, camada de adaptação atm


procedimento de acesso ao link no canal D



Baixar 5.88 Mb.
Página59/111
Encontro07.10.2019
Tamanho5.88 Mb.
1   ...   55   56   57   58   59   60   61   62   ...   111

procedimento de acesso ao link no canal D. Protocolo da camada de enlace ISDN para o canal D. O LAPD foi derivado do protocolo LAPB e é projetado principalmente para satisfazer às exigências de sinalização do acesso básico ISDN. Definido pelas recomendações ITU-T Q.920 e Q.921.

LAPM

Link Access Procedure for Modems, procedimento de acesso a link para modems. ARQ usado pelos modems que implementa o protocolo V.42 para correção de erro. Consulte também ARQ and V.42.

largura de banda

A diferença entre as freqüências mais altas e mais baixas disponíveis para sinais de rede. O termo também é usado para descrever a capacidade estimada de throughput de um determinado protocolo ou meio de rede.



laser

Light amplification by stimulated emission of radiation, amplificação de luz pela emissão estimulada de radiação. Dispositivo de transmissão analógico no qual um material ativo apropriado é excitado por um estímulo externo para produzir um feixe estreito de luz coesa que pode ser modulado em pulsos para transportar dados. Redes com base na tecnologia de laser operam através da SONET.

LAT

Local-area transport, transporte de rele local. Um protocolo de terminal virtual de rede desenvolvido pela Digital Equipment Corporation.

LATA

Local access and transport area, área de acesso e transporte locais. Área geográfica de discagem telefônica mantida por uma única empresa de telefonia local. Ligações dentro de LATAs são chamadas de chamadas locais. Existem bem mais de 100 LATAs nos Estados Unidos.

latência

1.) A demora entre a hora em que um dispositivo solicita acesso à rede e a hora em que é concedida a permissão para a transmissão.


2.) A demora entre a hora em que um dispositivo recebe um quadro e a hora em que o quadro é encaminhado para a porta de destino.

latência do anel

Tempo necessário para que um sinal seja propagado uma vez em um anel em uma rede Token Ring ou IEEE 802.5.



LCC

Line card control, controle de placa de linha. Processo que é executado no NP para cada CLC, LSC e MSC de um switch ATM LightStream 2020. O LCC estabelece VCCs, mantém o protocolo de gerenciamento de link para a placa de linha, monitora continuamente a qualidade de linha em cada tronco usando o TUD e executa outras funções. Consulte também ECC.

LCI

Logical channel identifier. Consulte VCN.

LCN

Logical channel number, número lógico de canal. Consulte VCN.

learning bridge

Bridge que executa o aprendizado do endereço MAC para reduzir o tráfego na rede. As learning bridges gerenciam um banco de dados de endereços MAC e as interfaces associadas a cada endereço. Consulte também MAC address learning.



LEC

1.) LAN Emulation Client, cliente de emulação de LAN. A entidade em um sistema final que executa o encaminhamento de dados, a resolução de endereços e outras funções de controle para um único ES dentro de uma única ELAN. Um LEC também fornece uma interface de serviço de LAN padrão para qualquer entidade da camada mais alta que faz interface com o LEC. Cada LEC é identificado por um endereço ATM exclusivo e é associado com um ou mais endereços MAC alcançáveis através desse endereço ATM. Consulte também ELAN e LES.


2.)  Local Exchange Carrier, empresa telefônica local. Empresa de telefonia local ou regional que possui e opera uma rede telefônica e as linhas dos clientes que conectam-se a ela.

LECS

LAN Emulation Configuration Server, servidor de configuração de emulação de LAN. Entidade que atribui clientes LANE individuais às ELANs em particular direcionando-os ao LES que corresponde à ELAN. Existe logicamente um LECS por domínio administrativo e ele serve a todas as ELANs dentro desse domínio. Consulte também ELAN.

LED



1   ...   55   56   57   58   59   60   61   62   ...   111


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal