Aal atm adaptation layer, camada de adaptação atm


Data service unit, unidade de serviço de dados



Baixar 5.88 Mb.
Página34/111
Encontro07.10.2019
Tamanho5.88 Mb.
1   ...   30   31   32   33   34   35   36   37   ...   111

Data service unit, unidade de serviço de dados. Dispositivo usado na transmissão que adapta a interface física em um dispositivo DTE para uma instalação de transmissão como T1 ou E1. A DSU é também responsável por funções como a temporização de sinal. Muitas vezes chamada, junto com a CSU, de CSU/DSU. Consulte também CSU.

DSX-1

Ponto de conexão horizontal dos sinais DS-1.



DTE

Data terminal equipment, equipamento terminal de dados. Dispositivo na extremidade do usuário de uma interface de rede de usuário que serve como fonte de dados, destino de dados ou ambos. O DTE se conecta a uma rede de dados através de um dispositivo DCE (por exemplo, um modem) e normalmente usa sinais de clocking gerados pelo DCE. O DTE inclui dispositivos como computadores, conversores de protocolos e multiplexadores. Compare com DCE.

DTMF

Dual tone multifrequency, multifreqüência de tom duplo. O uso de dois tons de banda de voz simultâneos para a discagem (como o touch tone).

DTR

Data terminal ready, terminal de dados disponível. O circuito EIA/TIA-232 que é ativado para que o DCE saiba quando o DTE está disponível para enviar e receber dados.

DUAL

Diffusing Update Algorithm, algoritmo de atualização de difusão. Algoritmo de convergência usado no Enhanced IGRP que fornece operação de loop livre a cada instante através de uma rota de computação. Permite que os roteadores envolvidos em uma topologia mudem para se sincronizem ao mesmo tempo, não envolvendo roteadores que não sejam afetados pela alteração. Consulte também Enhanced IGRP.

dual attachment station

Consulte DAS.



dual counter-rotating rings

Topologia de rede na qual dois caminhos de sinal, cujas direções são opostas uma da outra, existem em uma rede de passagem de token. FDDI e CDDI são baseados nesse conceito.



dual tone multifrequency

Consulte DTMF.



dual-attached concentrator

Consulte DAC.



DVMRP

Distance Vector Multicast Routing Protocol, protocolo de roteamento multicast do vetor de distância. Protocolo de gateway da Internet, amplamente baseado no RIP, que implementa um típico esquema multicast IP de modo denso. O DVMRP usa o IGMP para trocar datagramas de roteamento com seus vizinhos. Consulte também IGMP.

DXI

Data Exchange Interface, interface de troca de dados. Especificação ATM Forum, descrita no RFC 1483, que define como um dispositivo de rede, como, por exemplo, uma bridge, um roteador ou um hub, pode efetivamente agir como um FEP para uma rede ATM fazendo a interface com um DSU especial que executa a segmentação e a reunião de pacotes.

dynamic random-access memory

Consulte DRAM.

E

E.164

Recomendação do ITU-T para a numeração internacional de telecomunicações, especialmente em ISDN, BISDN e SMDS. Uma evolução dos números de telefone padrão.



E1

Esquema de transmissão digital de área abrangente, usado predominantemente na Europa, que transporta dados a uma taxa de 2,048 Mbps. As linhas E1 podem ser contratadas para uso particular de portadoras comuns. Compare com T1. Consulte também DS-1.



E1 canalizado

Link de acesso que opera a 2,048 Mbps e que é subdividido em 30 canais B e 1 canal D. Suporta DDR, Frame Relay e X.25. Compare com T1 canalizado.



E3

Esquema de transmissão digital de área abrangente, usado predominantemente na Europa, que transporta dados a uma taxa de 34,368 Mbps. As linhas E3 podem ser contratadas para uso particular de portadoras comuns. Compare com T3. Consulte também DS-3.



EARN



1   ...   30   31   32   33   34   35   36   37   ...   111


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal