Aal atm adaptation layer, camada de adaptação atm


Connection-Oriented Network Protocol, protocolo de rede orientado a conexão



Baixar 5.88 Mb.
Página25/111
Encontro07.10.2019
Tamanho5.88 Mb.
1   ...   21   22   23   24   25   26   27   28   ...   111

Connection-Oriented Network Protocol, protocolo de rede orientado a conexão. O protocolo OSI que fornece operação orientada por conexão aos protocolos das camadas superiores. Consulte também CMNS.

console

DTE através do qual os comandos são inseridos em um host.



constant bit rate

Consulte CBR.



consulta

Mensagem usada para perguntar o valor de alguma variável ou de algum conjunto de variáveis.



Consultative Committee for International Telegraph and Telephone

Consulte CCITT.



conta fldsup

Uma das quatro contas de usuário padrão que são criadas na fábrica em cada switch ATM LightStream 2020. A conta fldsup é para o uso do pessoal de serviço de campo. A sua interface padrão é bash shell. Consulte também bash.



conta npadmin

Uma das quatro contas de usuário padrão que são criadas na fábrica em cada switch ATM LightStream 2020. A conta npadmin é para usuários privilegiados. Sua interface padrão é a CLI.



conta operacional

"Uma das quatro contas de usuário padrão que são criadas na fábrica em cada switch ATM LightStream 2020." A conta operacional é destinada aos usuários em geral. Sua interface padrão é a CLI.



contagem até o infinito

Problema que pode ocorrer em algoritmos de roteamento que são vagarosos para convergir, em que os roteadores incrementam continuamente o contador de saltos em determinadas redes. Normalmente, algum limite arbitrário do contador de saltos é imposto para evitar esse problema.



contagem de saltos

Métrica de roteamento usada para medir a distância entre uma origem e um destino. O RIP usa o contador de saltos como medida exclusiva. Consulte também hop and RIP.



contenção

Método de acesso em que os dispositivos de rede competem pela permissão para acessar o meio físico. Contraste comcomutação de circuitos e passagem de token.



control point

Consulte CP.



controlador de comunicação

No SNA, um nó de subárea (como, por exemplo, um dispositivo IBM 3745) que contenha um NCP.



controladora de cluster

1.) Geralmente, um dispositivo inteligente fornece as conexões para um cluster de terminais a um link de dados.


2.) No SNA, um dispositivo programável que controla as operações de entrada/saída de dispositivos conectados. Normalmente, um dispositivo IBM 3174 ou 3274.

controle de admissão

Consulte policiamento de tráfego.



controle de admissão de chamada

Mecanismo de gerenciamento de tráfego usado em redes ATM que determina se a rede pode oferecer um caminho com largura de banda suficiente para uma VCC solicitada.



controle de erro

Técnica para detectar e corrigir erros em transmissões de dados.



controle de fluxo

Técnica para garantir que uma entidade transmissora, como, por exemplo, um modem, não sobrecarregue com dados uma entidade receptora. Quando os buffers no dispositivo receptor estão cheios, uma mensagem é enviada para o dispositivo emissor para que a transmissão seja suspensa até que os dados nos buffers tenham sido processados. Em redes IBM, essa técnica é chamada de pacing.



controle de fluxo das janelas móveis

Método de controle de fluxo no qual um receptor dá ao transmissor autorização para transmitir dados até que a janela fique cheia. Quando a janela estiver cheia, o transmissor deve parar de transmitir até que o receptor anuncie uma janela maior. O TCP, outros protocolos de transporte e protocolos da camada de enlace de dados usam esse método de controle de fluxo.



controle de fluxo isarrítmico

Técnica de controle de fluxo em que as permissões trafegam através da rede. A posse dessas permissões confere o direito à transmissão. O controle de fluxo isarrítmico não é comumente implementado.



controle de parâmetro de uso

Consulte policiamento de tráfego.



convergence sublayer

Consulte CS.



convergência

A velocidade e a habilidade de um grupo de dispositivos de internetworking que executam um protocolo de roteamento específico para concordar quanto à topologia de uma internetwork depois de uma troca nessa topologia.



conversação

No SNA, uma sessão de LU 6.2 entre dois programas de transação.



conversor de protocolo

Permite que equipamentos com formatos de dados diferentes se comuniquem ao converter o código da transmissão de dados de um dispositivo em código de transmissão de dados de outro dispositivo.



conversor de protocolos

Dispositivo de rede ou software que converte um protocolo em outro protocolo similar.



Cooperation for Open Systems Interconnection Networking in Europe

Consulte COSINE.



Copper Distributed Data Interface

Consulte CDDI.



copy flash tftp

Comando usado para copiar a imagem do sistema no servidor TFTP.



copy running-config startup-config

Comando usado para armazenar a configuração atual na RAM para a NVRAM.



copy running-config tftp

Comando usado para armazenar a configuração atual na RAM em um servidor TFTP de rede.



copy tftp flash

Comando usado para fazer o download da nova imagem a partir do servidor TFTP.



copy tftp running-config

Comando usado para carregar informações de configuração a partir de um servidor TFTP de rede.



Corporation for Open Systems

Consulte COS.



Corporation for Research and Educational Networking

Consulte CREN.



correio eletrônico

Aplicativo de rede amplamente usado em que mensagens de correio são transmitidas eletronicamente entre usuários finais através de vários tipos de redes usando vários tipos de protocolos de rede. Freqüentemente chamado de e-mail.



COS

1.)  Class of service, classe de serviço. Indicação de como um protocolo da camada superior exige que um protocolo da camada inferior trate suas mensagens. No roteamento da subárea do SNA, as definições da COS são usadas pelos nós da subárea para determinar a rota otimizada para estabelecer uma determinada sessão. Uma definição da COS compreende um número de rota virtual e um campo de prioridade de transmissão. Chamada também de TOS (type of service).


2.)  Corporation for Open Systems. Organização que promove o uso de protocolos OSI através do teste de conformidade, certificação e atividades relacionadas.

COSINE



1   ...   21   22   23   24   25   26   27   28   ...   111


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal