A igreja adventista ensina que as sete cartas dirigidas às sete igrejas do apocalipse têm duplo significado, no que concerne a sua aplicação



Baixar 9.63 Kb.
Encontro17.07.2019
Tamanho9.63 Kb.

A igreja adventista ensina que as sete cartas dirigidas às sete igrejas do apocalipse têm duplo significado, no que concerne a sua aplicação.

1º à aplicação deve ser feita de forma literal e local, pois Jesus tinha as suas aprovações e advertências para cada igreja, já nos dias do apostolo João. 2º à aplicação deve ser feita de forma espiritual, significando que desde a era apostólica a igreja de Cristo está presente até o seu retorno glorioso, isto baseado na interpretação de que o número sete representa plenitude; neste caso, plenitude de tempo, e também no verso treze de apocalipse um, que diz que Jesus anda no meio de sua igreja que é simbolizada por sete candeeiros de ouro.

É ensinado também que existe uma analogia entre as sete igrejas e os sete selos, principalmente aos quatro primeiros que descrevem as ações dos cavaleiros do apocalipse. As cartas dirigidas às sete igrejas retratam a sua condição espiritual, ao passo que os selos ou os cavaleiros retratam a parte política da igreja.

Em seu livro a verdade sobre as profecias do apocalipse o professor adventista Araceli S. Mello, diz que os períodos relacionados às eras espirituais da igreja de Cristo são: igreja de éfeso. Compreendeu o período apostólico do ano 31 ao ano 100 dc. Análogo ao primeiro selo ou ao cavalo branco.

O segundo período cobriu a era pós apostólica e correspondeu a igreja de smirna do ano 100 ao 313 dc. Correspondente ao segundo selo ou o cavalo vermelho.

O terceiro período correspondeu à igreja de pergamo que foi do ano 313 ao ano 538 dc. Análogo ao terceiro selo ou o cavalo preto. Na pagina 72 do referido livro o autor destaca que este período foi de Constantino a Justiniano, foi a época correspondente a igreja imperial. Em apocalipse 2:13 nos diz que a igreja, se referindo a pergamo habitava onde estava o trono de satanás.

O quarto período correspondeu a igreja de tiatira do ano 538 ao ano 1517 análogo ao cavalo amarelo que cobriu a igreja da idade média até o alvorecer da reforma protestante do século XVI.

O quinto período correspondeu à igreja de sardes do ano 1517 ao ano 1821 é o período da reforma e o surgimento das igrejas protestantes.

O sexto período correspondeu de filadélfia de 1821 a 1844, na página 97 o professor araceli descreve que esta foi a época do surgimento do movimento milerita representado pelo anjo de apocalipse capítulo dez.

Na página 103 do referido livro é dito: a sétima e última etapa da igreja cristã, tendo o seu início em 1844 e culminará com o retorno de Cristo. os adventistas são ensinados a identificarem a sétima igreja do apocalipse ou a igreja de laodicéia como sendo a igreja adventista do sétimo dia.



Porém, tal interpretação se contradiz com o argumento de que a doutrina da trindade introduzida no meio do adventismo é uma verdade progressiva proveniente de Deus. Qual é a relação? Porque se contradiz?
Quase imperceptivelmente os costumes do paganismo tiveram ingresso na igreja cristã. O espírito de transigência e conformidade fora restringido durante algum tempo pelas terríveis perseguições que a igreja suportou sob o paganismo. Mas em cessando a perseguição e entrando o cristianismo nas cortes e palácios dos reis, pos ela de lado a humilde simplicidade de Cristo e seus apóstolos, em troca da pompa e orgulho dos sacerdotes e governadores pagãos; e em lugar das ordenanças de Deus colocou teorias e tradições humanas. A conversão nominal de Constantino, na primeira parte do século quarto, causou grande regozijo; e o mundo sob o manto de justiça aparente introduziu-se na igreja. Progredia rapidamente a obra de corrupção. O paganismo, conquanto parecesse suplantado, tornou-se vencedor. Seu espírito dominava a igreja. SUAS DOUTRINAS, cerimônias e superstições incorporavam-se à fé e culto dos professos seguidores de Cristo. A verdade sobre as profecias do apocalipse pág. 75.
Segundo o mesmo professor Araceli S. Mello este foi o período da igreja de pergamo análogo ao terceiro selo ou o cavalo preto, a igreja imperial que segundo a interpretação adventista corresponde ao ano 313 a 538. Igreja essa que habitava onde estava o trono de satanás. Naquele período, a igreja cristã passou a ter conflitos internos por causa de doutrinas estranhas que pretendiam misturar-se às verdades bíblicas. E entre as doutrinas em conflito, podemos mencionar: o pecado original, a trindade, a natureza de Cristo, o papel da virgem Maria, o celibato e a autoridade da igreja. O terceiro milênio e as profecias do apocalipse págs.41-42. Eis aí o conflito, se a interpretação adventista das sete igrejas está correta como puderam aceitar a doutrina da trindade? A doutrina não fora criada (segundo a interpretação adventista em dizer que era a igreja imperial) onde habitava o trono de satanás? As doutrinas não foram inventadas e trazidas do paganismo inclusive a trindade, como afirma o pastor adventista Alejandro Bullón? Seu espírito e suas doutrinas não invadiram o cristianismo como escreveu o professor adventista Araceli S. Mello? Como pode ser a trindade uma verdade progressiva? Verdade bíblica só pode vir de Deus. Segundo os adventistas, o cavalo branco representa a igreja apostólica e o branco simboliza a pureza doutrinária, sendo assim o que simboliza o cavalo preto? Não seria o oposto do branco? E mesmo assim pegaram de pergamo (segundo interpretação adventista) ou do cavalo preto tais doutrinas estranhas que não eram bíblicas?

Penso que a iasd deveria mudar o seu pensamento com relação a estes ensinamentos, ou volta a ser anti trinitariana, ou aplique a interpretação das sete igrejas somente de forma literal. Pois tentar conciliar a doutrina da trindade como sendo verdade progressiva e as sete igrejas como sendo aplicadas em épocas diferentes é sustentar que a doutrina da trindade veio do paganismo, da igreja de pergamo onde habitava o trono de satanás.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal