1. dados de identificaçÃo instituição: Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina Curso



Baixar 36.34 Kb.
Encontro30.06.2019
Tamanho36.34 Kb.



PLANO DE ENSINO


1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Instituição: Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina

Curso: Psicologia

Professora: Adriano Sousa, MSc. adrianos@sc.estacio.br

Período/ Fase: 2o Semestre: 1o Ano: 2009

Disciplina: Anatomia Humana Aplicada à Psicologia II (AHP_II)

Carga Horária: 36 horas/aula




2. EMENTA

Componentes do sistema nervoso e suas relações com as vias sensitivas e sistemas motores.Embasamento teórico necessário para compreender a neuropatologia clínica.






3. OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA

Proporcionar conhecimento teórico e prático sobre a anatomia funcional do Sistema Nervoso, bem com, suas divisões.






4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA DISCIPLINA

  • Proporcionar conhecimento teórico – prático sobre a anatomia funcional do Sistema Nervoso nos seus múltiplos níveis.

  • Capacitar o aluno a compreender de maneira global as bases anatomo-fisiopatológicas dos distúrbios de linguagem , fonatórios e auditivos.

  • Identificar e relacionar as estruturas anatômicas com suas respectivas funções, bem como, conhecer suas aplicabilidades à atuação do psicólogo;

  • Estudar as bases anatômicas e funcionais das estruturas do Sistema Nervoso

  • Correlacionar os sinais e sintomas com os conhecimentos anatomo-funcionais, possibilitando um diagnóstico topográfico e sindrômico.

  • Estimular o manuseio correto de peças anatômicas de seres humanos e de resina para identificar as principais referências anatômicas do Sistema Nervoso.

  • Desenvolver precocemente o espírito ético profissional no relacionamento com seres humanos, seja como pacientes ou como grupo de pesquisa .




5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES

  • Anatomia Humana Aplicada à Psicologia I (AHPI) – sistema nervoso, muscular, circulatório, etc.

  • Antropologia – desenvolvimento do sistema nervoso, relações funcionais.







6. HABILIDADES REQUERIDAS E COMPORTAMENTO ESPERADO

  • Desenvolver de habilidades práticas no estudo da neuroanatomia;

  • Desenvolver o comportamento profissional, ético, digno e respeitoso em relação aos seres humanos utilizados no estudo de neuroanatomia;

  • Despertar a curiosidade do aluno, atenção e dedicação ao estudo da neuroanatomia, que se constituem em conteúdos teórico-práticos do corpo humano, direcionando sua importância à Psicologia Clínica;



  • Capacidade de agrupar os conceitos anatomo-fisiológicos das estruturas do Sistema Nervoso, organizando-as em vias funcionais específicas e compreender a integração dos diversos níveis do Sistema Nervoso;

  • Desenvolvimento pessoal e profissional respeitando os valores morais e éticos da sociedade.




7. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Unidade Teórica I:

Apresentação do curso , discussão do plano de ensino e avaliações .

Embriologia , divisão e organização do Sistema Nervoso

Medula Espinhal : anatomia , topografia e níveis funcionais

Nervos Espinhais : anatomia , topografia e níveis funcionais

Unidade Teórica II:

Tronco Cerebral : anatomia , topografia e níveis funcionais

Cerebelo : anatomia , topografia e níveis funcionais

Unidade Teórica III:

Nervos Cranianos : anatomia , topografia e níveis funcionais

Diencéfalo : anatomia , topografia e níveis funcionais

Telencéfalo : anatomia , topografia e níveis funcionais

Sistema Límbico : Memória e Comportamento

Unidade Teórica IV:

Sistema Nervoso Autônomo

Sistema Somato-sensorial: vias aferentes e eferentes

Unidade Teórica V:

Seminários em Neuroanatomia


Unidade Prática


Manuseio com peças anatômicas de seres humanos e de resina buscando a identificação e relação topográfica dos pontos anatômicos estudados nas aulas teóricas




8. ESTRATÉGIAS DE ENSINO

  • Aulas expositivo-dialogadas com utilização de recursos audiovisuais, retroprojeção, questionamentos, CD_ROM.

  • Aulas práticas demonstrativas com manipulação de peças anatômicas;

  • Discussão de casos clínicos aplicados ao conhecimento anatômico;

  • Leitura complementar de assuntos relacionados à neuroanatomia e psicologia.


9. SISTEMA DE AVALIAÇÃO

AV1:
Prova teórica e/ou prática (100%)
AV2:

Prova teórica e/ou prática (100%)
AV3:
Todo conteúdo da AV1 e AV2 – prova teórica





10. 10. DIRETRIZES PEDAGÓGICAS
Entendam-se como orientações emanadas do colegiado de coordenadores em conjunto com a Gerência Acadêmica que visam consolidar o rigor e a seriedade nas práticas acadêmicas.
A avaliação do desempenho escolar é feita por disciplina, na qual são consideradas a freqüência e o aproveitamento escolar.

  1. Haverá em cada semestre letivo três verificações da aprendizagem (AV-1), (AV-2) e (AV-3).




  1. (AV-1): Média obtida da avaliação escrita e individual, que consta no calendário acadêmico, denominada AV1, com peso mínimo de 65% (sessenta e cinco por cento), e 35% (trinta e cinco por cento) nas demais atividades diversificadas que atendam o conteúdo da disciplina, especificada no plano de ensino.

  2. (AV-2): Média obtida da avaliação escrita e individual, que consta no calendário acadêmico, denominada AV2, com peso mínimo de 65% (sessenta e cinco por cento), e 35% (trinta e cinco por cento) nas demais atividades diversificadas que atendam o conteúdo da disciplina, especificada no plano de ensino.

  3. (AV-3): Média composta por uma única avaliação escrita e individual, realizada em semana de prova, que consta no calendário acadêmico, contemplando todo o conteúdo ministrado no semestre, denominada AV3.




  1. Em conformidade com a IN nº 56/2009, as avaliações deverão conter pelo menos 50% de questões dissertativas, com exceção daquelas de conteúdo eminentemente prático que obtiverem autorização do coordenador de curso. Ressalta-se que as avaliações escritas serão individuais e que é vedada a realização de provas em grupo de 02 (dois) ou mais alunos.




  1. O tempo destinado a trabalhos em grupo não pode ultrapassar 25% da carga horária prevista, salvo nas atividades complementares e disciplinas de tópicos especiais e de ementa aberta que podem ter determinadas especificidades aprovadas pelo Coordenador de Curso.




  1. As avaliações deverão ser realizadas nas dependências da Instituição, salvo em situações contempladas legalmente, e autorizadas pelo Coordenador do Curso com ciência da Gerência Acadêmica.




  1. A média AV-3 não poderá ser inferior a 4,0 (quatro).




  1. Para a aprovação destas disciplinas, o aluno deverá atender, simultaneamente, as seguintes condições:




  1. Ter freqüência mínima de 75% nas aulas dadas e demais atividades programadas;

  2. Ter média 7,0 (sete) nas verificações de aprendizagem (AV-1) e (AV-2), neste caso, não poderá realizar a avaliação AV3.

  3. Caso o acadêmico não atinja a média 7,0 (sete) nas verificações de aprendizagem (AV-1) e (AV-2) deverá obrigatoriamente realizar a AV3.

  4. Para poder realizar a AV3, é preciso que o acadêmico tenha a nota mínima de 4,0 (quatro) em, no mínimo, uma verificação de aprendizagem (AV-1) ou (AV-2).




  1. Cálculo da média final para a aprovação do acadêmico que realizar a AV3:




  • A média será calculada entre a nota de maior valor entre as verificações de aprendizagem (AV-1) e (AV-2) e a (AV-3) para alcançar a nota mínima de 5,0 (cinco), conforme regimento interno.




  1. O aluno que deixar de comparecer as principais avaliações individuais de ensino, correspondente à AV1 ou AV2, estabelecidas em calendário acadêmico, deverá realizar a AV3 como forma de estabelecer a nota mínima para aprovação estabelecida no Regimento Interno.




  1. Os casos não contemplados nesta diretriz serão resolvidos pela Colegiado do Curso ou pela Gerência Acadêmica






11. BIBLIOGRAFIA


    1. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

KANDEL, E. ; SCHWARTZ, J. Fundamentos da neurociência e do comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 1997.


MACHADO, A. Neuroanatomia funcional. 2 ed. São Paulo: Atheneu, 1993.
NETTER, F.H. Atlas de anatomia humana. Porto Alegre: Artmed, 2001.
PUTZ, R., PABST,R. Atlas de Anatomia humana Sobotta. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2000.


    1. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CARPENTER, Malcolm B. Fundamentos de neuroanatomia. 4. ed. São Paulo: Panamericana, 1995.


CROSSMAN, A. R; NEARY, D. Neuroanatomia: um texto ilustrado em cores. Tradução Charles Alfred Esberard. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.
GOLDBERG, S. Descomplicando...Neuroanatomia Clínica. Porto Alegre: Artes médicas, 1992.
RUBIN, M., SAFDIEH, J.E. Netter neuroanatomia essencial. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.
YOUNG, Paul A; YOUNG, Paul H. Bases da neuroanatomia clínica. Tradução Celso de Resende Ferreira Filho. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, c1998.










©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal